As 15 características mais importantes da ciência

As 15 características mais importantes da ciência

Algumas das características da ciência  são análise objetiva, possibilidade de verificação de experimentos, especialização, utilidade prática, sistemática, verificabilidade, legalidade, entre outras.

A palavra “ciência” vem do latim ” scientia “, que significa conhecimento. A ciência é chamada de conjunto de conhecimentos que é obtido através da observação, raciocínio e experimentação metodológica dos fatos. Essas práticas geram questões que posteriormente constroem hipóteses que, se comprovadas ou não, tornam-se princípios, leis e esquemas para generalizar os resultados.

A ciência é o resultado da curiosidade do homem em saber mais sobre seu ambiente. Ele exercita sua curiosidade por ser um observador, colecionador e identificador da realidade que o cerca, descrevendo suas características, dando-lhes nomes e descobrindo suas interações.

O exercício da curiosidade produz conhecimento e, portanto, raciocínio e argumentos racionais. A ciência não é infalível nem estática. Pelo contrário, é suscetível de estar em permanente revisão dos fatos, da descoberta de novos fatos e de novas condições que possam modificar os resultados.

Um exemplo notório do dinamismo da ciência é que, se não fosse, ainda hoje continuaríamos assumindo que a Terra é plana e que é o centro do universo.

Mario Bunge, físico argentino, matemático, filósofo e humanista definiu a ciência dividindo-a em duas áreas principais: as ciências formais e as ciências factuais, sendo as últimas as que utilizam observação e experimentação em sua metodologia e servem para verificar hipóteses que, segundo o autor, são geralmente provisórios.

Principais características da ciência

De acordo com essa concepção, uma série de características pode ser atribuída à ciência, listada abaixo.

1- É factual (baseado em fatos)

Parte dos fatos e sempre retorna aos fatos. O cientista deve respeitá-los e distorcê-los o menos possível com sua intervenção, sem esquecer que os próprios fatos estão mudando e que podem sofrer modificações que devem ser consideradas pelo pesquisador.

2- Transcende os fatos

Isso vai além dos fatos, pois, graças à análise deles, é possível aceitá-los, mas também descartá-los e usar novos que expliquem mais detalhadamente o objeto de estudo.

O fato científico não surge de uma mera observação; A decisão do pesquisador também intervém para selecionar os fatos que ele considera importantes, descartar aqueles que não são e considerar hipóteses e teorias que lançam luz sobre o assunto sob investigação.

3- É analítico

A pesquisa científica aborda um por um os problemas e tenta quebrá- los , dividindo- os em pedaços menores para facilitar o estudo específico de cada um separadamente.

Como ele consegue explicar cada segmento, ele os interconecta e também gradualmente explica e recompõe o todo. A ciência estuda problemas parciais para obter resultados gerais.

4- É especializado

Com o passar do tempo e a expansão do conhecimento, a pesquisa científica abrange cada vez mais aspectos mais específicos que podem ser estudados.

Isso resultou na interdisciplinaridade da pesquisa, onde inúmeras áreas de estudo se complementam e contribuem com seus conhecimentos.

Independentemente de quais ou quais disciplinas estão envolvidas na pesquisa, e embora seus graus de desenvolvimento ou complexidade sejam diferentes ou manejem técnicas diferentes, o método científico será rigorosamente aplicado a todos para alcançar os objetivos perseguidos.

5- É claro e preciso

A ciência é baseada em estudos rigorosos que não admitem suposições, opiniões ou entendimentos.

Na pesquisa científica, o registro de dados ou fenômenos deve ser realizado com precisão e as declarações devem ser claras, assim como seus resultados, nunca esquecendo que sempre podem ser falíveis.

Mas não deve deixar espaço para dúvidas, ambiguidades ou más interpretações. Essa é uma das principais qualidades da ciência, sua clareza, seu objetivo unívoco.

6- É comunicável

É fato que a intenção e razão de ser da ciência é poder comunicar seus princípios e descobertas com o objetivo de alcançar avanços e mudanças em seu campo de estudo.

O objetivo de uma investigação é poder comunicar e compartilhar suas descobertas, embora geralmente o faça em uma linguagem especializada que só pode ser entendida por quem é treinado para fazê-lo.

7- É verificável

Essa característica é o que diferencia o estudo científico do pensamento filosófico ou de qualquer outro tipo de estudo.

Toda pesquisa (entendida como observação, experimentação, etc.) que produz um resultado pela primeira vez, deve ser realizada muito mais vezes para corroborar seus resultados.

Somente então os fatos podem ser tomados como verdades científicas, que eventualmente se tornarão teorias, princípios e leis.

Isso é conhecido como conhecimento objetivo, que analisa e verifica os fatos por meio de observação e experimentação.

8- É metódico

Qualquer investigação que tente obter resultados sérios e verificáveis ​​requer a elaboração e o monitoramento exaustivo de uma metodologia científica planejada e rigorosa.

Este método inclui o planejamento prévio de cada etapa a ser executada para alcançar o resultado proposto na hipótese anterior.

Nesse planejamento, o pesquisador utiliza técnicas que ele está constantemente aprimorando e pode, intencionalmente, recorrer a elementos e fatores aleatórios para observar se ocorrem ou não alterações nos resultados.

Mas mesmo esses recursos do acaso devem ser pensados ​​anteriormente. A seriedade na aplicação da metodologia é o que garante a veracidade dos resultados.

9- É explicativo

Tente explicar os fatos em termos de leis e princípios; isto é, por meio de premissas comprovadas e irrefutáveis.

Todo cientista faz perguntas para responder: o que acontece? Como acontece? Por que isso acontece dessa maneira? Ele também tenta indagar se pode ou não ocorrer de outra forma e por que essas modificações podem (ou não) ocorrer.

A resposta a essas perguntas é o que permite que o conhecimento científico seja generalizado, disseminado e adotado como verdade.

10- É preditivo

A ciência não apenas estuda fatos do presente, mas, graças a eles, você pode imaginar ou deduzir como eles eram no passado e também pode prever como eles serão no futuro, depois de analisar comportamentos e eventos ao longo do tempo.

Essa característica da ciência é particularmente visível e muito útil, por exemplo, na astronomia, onde aspectos como clima (chuvas, nevascas, secas), eclipses, movimentos solares e fenômenos podem ser previstos com mais ou menos precisão. etc., ligando a observação atual ao estudo de padrões históricos.

A previsão está sempre sujeita a ser ajustada e aperfeiçoada, aperfeiçoando assim o conhecimento teórico.

11- Está aberto

Não há limitações anteriores. Nenhum campo de estudo está fora dos limites da ciência e se baseia em quaisquer recursos ou conhecimentos que possam ajudar no avanço da pesquisa.

A ciência não pode ser concebida em compartimentos fechados ou como verdades monolíticas; pelo contrário, um bom cientista desconfia, refuta, erra e aprende constantemente.

12- é útil

Precisamente pelo rigor e objetividade de seus métodos, a ciência é útil e confiável para outros estudiosos e para a conquista final de verdades e resultados aplicáveis ​​na vida cotidiana.

É o caso da tecnologia que, segundo Bunge, nada mais é do que a ciência aplicada.

13- É sistemático

O conhecimento científico não é um conjunto de idéias ou estudos isolados e desconectados, mas um sistema interconectado que segue padrões rigorosos de protocolos de análise e experimentação que não podem ser ignorados, alterados ou modificados em nenhum de seus estágios.

14- É geral

A ciência procura, através de sua análise e experimentação, levar os resultados e generalizá-los para casos, grupos ou áreas de estudo mais amplos.

O resultado de um estudo realizado de uma certa maneira e sob certas condições pode ser extrapolado para outras áreas, desde que tenha as mesmas condições ou condições semelhantes às do caso original. É isso que permite a produção de leis gerais universalmente aplicáveis.

15- É legal

O conhecimento científico tem como uma de suas funções a busca por leis e sua aplicação. Essas leis estão sob constante observação e aprimoramento.

Outras características da ciência

Além da classificação de Mario Bunge, pode-se dizer que a ciência tem outras características aplicáveis.

É concreto

Por exemplo, pode-se dizer que é concreto, porque estuda problemas específicos e não gira em torno do mato; pelo contrário, cada vez mais concentra seu objeto de estudo. A ambiguidade não tem lugar no método científico.

É empírico

Isso significa que se baseia na experimentação, no teste da teoria para poder aceitar como verdadeiras as afirmações teóricas inicialmente levantadas.

É objetivo

A ciência está isenta de preconceitos, valores ou desejos e tem objetividade simples, pois aceita os fatos como são e não como eu gostaria que fossem. 

É eticamente neutro

Seu único interesse é o conhecimento do cientista e os valores não podem entrar em cena ao investigar.

É confiável

O conhecimento científico é baseado na repetição de circunstâncias, ou seja, são reproduzíveis a qualquer momento e lugar. A chance não tem potencial na ciência.

Finalmente, existem muitas outras características do conhecimento científico: ele é controlável, abstrato, logicamente consistente, verificável, crítico, fundamentado e provisório. Muitos outros autores também coincidem com boa parte da classificação de Mario Bunge.

Assuntos de interesse

Método científico .

Ramos da ciência .

Tópicos a serem expostos na aula .

Referências

  1. Mario Bunge (1996). A ciência. Seu método e sua filosofia. Edições do século XX.
  2. Ricardo Guibourg (1986). Introdução ao conhecimento científico. Edições Eudeba.
  3. Esther Díaz (1992). Rumo a uma visão crítica da ciência. Edições Biblos. Pp. 117-118
  4. Mariano Davis. A ciência, características e classificações. Recuperado de monografias.com
  5. A ciência segundo Bunge: das ciências formais às ciências factuais. Pistas para resolver o quebra-cabeça da ciência. Recuperado de espejueloscientificos.weebly.com
  6. Gervais Mbarga e Jean-Marc Fleury. O que é ciência? Curso online de jornalismo científico. Lição 5. Recuperado de wfsj.org.

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies