As 15 teorias mais importantes da psicologia

Existem várias teorias em psicologia . Isso ocorre porque é uma disciplina científica que abrange vários ramos e campos de estudo.

A psicologia é a ciência responsável pelo estudo do comportamento e dos processos mentais, analisando-os de uma dimensão comportamental, cognitiva e afetiva.

As 15 teorias mais importantes da psicologia 1

Desde a sua criação, várias teorias foram desenvolvidas no campo da psicologia. A seguir, serão apresentados alguns dos mais importantes. Você também pode ver as 6 principais escolas de psicologia .

Lista das teorias mais proeminentes em psicologia

Teorias mentalistas

Essas teorias incluem todos aqueles que usam idéias e termos como alma, psique, mente e processos mentais, entre outros. Eles também usam a introspecção do ponto de vista metodológico.

1- A psicologia filosófica

Essa psicologia se concentra no estudo da natureza íntima da pessoa ou da vida, explicando-a através de princípios metafísicos.

O surgimento da psicologia está situado no mundo grego e na origem do conhecimento formal. Era a parte da filosofia que tratava dos temas da alma. Essas origens são refletidas em seu nome; Psique em grego significa alma e logos, conhecimento racional.

Os autores a destacar nesta parte da psicologia seriam Platão e Aristóteles. Platão considerou que as pessoas eram formadas por duas substâncias opostas, corpo e mente, adotando uma posição dualística.

Seu discípulo foi Aristóteles, que alegou que a alma era a forma do corpo que determinava sua essência e que os seres vivos tinham diferentes tipos de almas.

2- A psicologia das faculdades

Esta teoria foi defendida por Santo Agostinho, Reid e Juan Calvino. Ele argumentou que, graças à atividade de certas faculdades da substância pensante, ocorreram fenômenos mentais.

Em sua teoria, Santo Agostinho afirma que a alma humana é imortal e espiritual, que não é encontrada em uma parte específica do corpo e que se une ao corpo de maneira acidental ou como forma de punição.

Ele também explicou que as pessoas têm duas maneiras de obter conhecimento; através dos sentidos, que nos permitem conhecer o mundo sensível e através da razão, que nos permite alcançar a verdade e a sabedoria.

3- O naturalismo

Essa corrente afirma que são as leis da natureza que determinam o desenvolvimento do homem e da sociedade.

Leva em consideração tanto a influência das características biológicas e individuais de cada um como o ambiente em que a pessoa se encontra, em geral.

4- O estruturalismo

Foi defendido por Wundt e Titchener, que são baseados em leis físicas e usam a introspecção como um método para estudar processos mentais.

Essa teoria enfoca a própria pessoa realizando uma observação de si mesma, seu humor e seu estado mental, para posterior reflexão, análise e interpretação.

Teorias do condicionamento estímulo-resposta

Essas teorias pretendiam que a psicologia fosse considerada uma ciência e também uma física, de modo que tivessem uma metodologia focada naqueles aspectos observáveis ​​e verificáveis.

5- O conexionismo

Thorndike , com essa teoria, define a aprendizagem como o resultado da associação entre estímulos e respostas. Associações que serão fortalecidas ou enfraquecidas por sua natureza.

O fundamento do conexionismo de Thorndike era a associação entre impressões sensoriais e impulsos de ação. Ele também afirma que a forma mais característica de associação é aquela obtida por tentativa e erro.

Sua principal contribuição foi a formulação da lei do efeito. Isso determina que, se uma resposta dada pelo sujeito for seguida por consequências reforçadoras, essas respostas terão uma maior probabilidade de ocorrência futura quando o mesmo estímulo reaparecer.

Por outro lado, quando as consequências que seguem uma resposta não forem satisfatórias, a probabilidade de emissão será menor quando esse estímulo for apresentado novamente.

Outras leis que ele estabeleceu foram a lei do exercício ou repetição. Com ele, ele afirma que, quanto mais vezes uma resposta é dada na presença de um estímulo, maior o tempo de retenção.

Também haverá o fortalecimento das conexões como resultado da prática, lei de uso e o enfraquecimento das conexões quando a prática for interrompida.

6- O behaviorismo

O behaviorismo é desenvolvido por Watson no início do século XX. Em seus estudos, ele deixou de lado sentimentos e experiências internas, pois achava que eram objetos impossíveis de estudar porque são fenômenos inobserváveis.

Portanto, ele nega o uso de métodos subjetivos, como a introspecção, porque achava que a observação externa era a metodologia mais adequada que permitia alcançar uma psicologia científica.

Portanto, essa corrente tem como objeto de estudo o comportamento observável, recorrendo a procedimentos experimentais para a observação das respostas produzidas antes dos estímulos presentes no ambiente.

Sua teoria é conhecida como estímulo-resposta, sendo essa relação o resultado da interação do sujeito com seu ambiente.

7- Neocondutismo e condicionamento operante

O behaviorismo é baseado na idéia principal de que um estímulo causa uma resposta específica, sendo essa abordagem diferenciada pelo neocondutismo.

Essa corrente especifica que o comportamento não pode ser explicado apenas com base em estímulos, respostas e condicionamento prévio.

Autores pertencentes a essa corrente, como Skinner , Hull e Tolman, acham que também é necessário estudar processos mentais.

Seu principal objetivo é o estudo do comportamento humano, mas para isso é necessário entender e também analisar os processos mentais das pessoas. Esses processos mentais são o que faz o indivíduo agir de uma certa maneira diante dos estímulos do ambiente.

Essas variáveis ​​intermediárias dispostas entre o estímulo e a resposta são fisiológicas, não diretamente observáveis, mas necessárias para entender o comportamento dos indivíduos.

O neoconductismo centrou-se em assuntos que antes eram ignorados por essa corrente, pois eram os processos motivacionais, a percepção e o pensamento.

Teorias psicanalíticas

Esse conjunto de teorias psicológicas se concentra no estudo do inconsciente, dando uma importância fundamental à permanência no subconsciente dos impulsos reprimidos.

Eles acham que os eventos vivenciados na infância são fundamentais para o desenvolvimento da pessoa, bem como que o comportamento e a cognição humanos são determinados por unidades irracionais que têm suas raízes no inconsciente.

8- Psicanálise

Essa teoria surge no século XIX por Freud , um neurologista considerado o pai da psicanálise.

Freud atribui grande importância ao inconsciente e à análise de conflitos internos, pois ele pensa que muito do que a pessoa faz e pensa é determinado por processos inconscientes.

O termo psicanálise designa um método de pesquisa e análise de processos mentais, uma técnica psicoterapêutica e um corpo de conhecimento psicológico.

Para ele, os componentes que integram a personalidade dos indivíduos são o id, que age apenas com base no prazer e na satisfação dos impulsos; o eu, que representa a razão, o senso comum e o superego, uma parte ética e moral que internaliza as forças repressivas como conseqüência da educação.

Por outro lado, explica o desenvolvimento psicossexual que as pessoas seguem quando passam por uma série de estágios. Cada um deles se concentra em várias atividades relacionadas à satisfação dos impulsos presentes em cada fase. Estes são:

  • Fase oral: do nascimento ao ano.
  • Fase anal: de 1 a 3 anos.
  • Fase fálica: de 3 a 6 anos.
  • Fase de latência: de 6 a 12 anos.
  • Fase genital: 12 anos ou mais.

Se as etapas forem superadas adequadamente, uma personalidade saudável se desenvolverá. Por outro lado, se isso não ocorrer, a pessoa desenvolverá uma vida com repressões.

Essas repressões são mecanismos irracionais de defesa usados ​​pelo eu diante de impulsos reprimidos.

9- A teoria psicossocial

Essa teoria foi desenvolvida por Erikson , um psicanalista que, graças a sua teoria, marcou a base da psicologia evolucionária .

Esse psicólogo tentou explicar como a pessoa amadurece em todos os aspectos de sua vida. Ele acha que o ambiente que envolve o indivíduo é fundamental, bem como a adaptação deste a esse ambiente.

Os estágios em que o desenvolvimento psicossocial da pessoa se divide são oito e, à medida que cada estágio é concluído com êxito, o próximo será aprovado. Mas se isso não acontecer, a pessoa terá um conflito nesse estágio que levará a dificuldades nessa área.

  1. Estágio de confiança versus desconfiança de nascimento por ano.
  2. Estágio de autonomia versus vergonha e dúvida por 1 a 3 anos.
  3. Iniciativa versus culpa de 3 a 6 anos.
  4. Estágio de laborioso versus inferioridade de 7 a 12 anos.
  5. Estágio de identidade versus confusão de papéis de 12 a 20 anos.
  6. Estágio de intimidade versus isolamento de 21 a 40 anos.
  7. Estágio de produtividade versus estagnação de 40 a 70 anos.
  8. Estágio da integridade do eu versus o desespero dos 60 anos até a morte.

Erikson divide a vida das pessoas em oito fases que são constituídas por crises emocionais com duas soluções possíveis, uma favorável e a outra desfavorável. A resolução deles levará ao desenvolvimento de uma certa personalidade.

Teorias cognitivistas

Essas teorias fazem parte da psicologia cognitiva, que desenvolve o estudo dos processos mentais envolvidos no conhecimento.

Eles são responsáveis ​​pelo estudo dos processos que os indivíduos utilizam para adquirir e organizar informações ambientais, através do uso de processos simples e superiores.

10- A teoria do processamento da informação

O modelo estabelecido por Atkinson e Shiffrin é uma teoria que explica a memória humana, dividindo-a em três tipos diferentes . Esses tipos são: memória sensorial , memória de curto prazo e memória de longo prazo .

Sua teoria explica de um ponto de vista estrutural que as informações são adquiridas em diferentes fases e onde cada uma delas forma uma loja diferente.

Além disso, estabelece uma analogia entre a memória e o computador, considerando que ambos os processadores operam com essas informações, que armazenam e recuperam quando necessário.

Também vale mencionar o sistema de controle executivo ou habilidades metacognitivas. Eles têm sua origem no desenvolvimento e sua função é conduzir as informações por todo o processamento correspondente.

Por outro lado, há outra teoria que se opõe à explicação do processamento estrutural. Isso se concentraria mais em um modelo processual de informações.

Entre os defensores desse modelo estão Craik e Lockhart, que afirmam que a informação passa por várias fases, desde quando a pessoa extrai as características sensoriais até a realização da extração de seu significado.

11- A teoria da Gestalt

Essa teoria sustenta que a mente configura, por meio de certos princípios, todos os elementos que se tornam parte dela. Principalmente, essa configuração é feita através da percepção e da memória.

O princípio central dessa teoria é que a mente forma um todo global com tendências à auto-organização. Assim, para seus defensores, o todo forma algo diferente que vai além da soma das partes que o compõem.

As principais leis a serem destacadas nesta parte da psicologia seriam:

  • Lei da semelhança: estabelece que a mente faz agrupamentos entre os elementos mais semelhantes.
  • Lei da proximidade: afirma que o agrupamento de elementos é realizado de acordo com a distância que estão.
  • Lei do fechamento: refere-se à maneira pela qual a mente é responsável por adicionar algum elemento em falta para obter uma figura completa.
  • Lei da Gravidez: seria a tendência de agrupar os diferentes elementos da maneira mais simples possível.

12- A psicologia dialético-genética

O autor mais influente nesta parte da psicologia é Vygotsky , que considera a aprendizagem como um dos principais mecanismos de desenvolvimento, dando grande importância ao contexto em que ocorre.

Para ele, a interação social é fundamental no desenvolvimento das pessoas, tornando-se seu principal motor. Assim, o processo de aprendizagem e o processo de desenvolvimento interagem.

Para essa psicologia genética dialética, um bom ensino é aquele em que o aprendizado é promovido em um ambiente social.

Sua teoria se refere a como as pessoas já trazem um código genético ou “linha de desenvolvimento cultural”, que se baseia no aprendizado no momento em que o indivíduo interage com o meio ambiente.

O desenvolvimento humano é formado e expresso em termos sociais, uma vez que as pessoas desenvolvem inteligência com base nas ferramentas que encontram em seu ambiente.

Teorias de ensino

As teorias sobre instrução e ensino são responsáveis ​​por explicar e fundamentar cientificamente o processo de ensino-aprendizagem.

13- A teoria da aprendizagem por descoberta

Essa teoria foi desenvolvida por Bruner e, com ela, expõe o papel ativo do aprendiz no processo de aprendizagem.

Ele promove que a pessoa adquira conhecimento por si mesma, para que o conteúdo final alcançado não seja exposto desde o início, mas seja descoberto pela pessoa à medida que avança.

Com esse tipo de aprendizado, ele visa superar as limitações do aprendizado mecanicista, promover estímulos e motivação nos alunos, bem como fortalecer estratégias metacognitivas e aprender a aprender.

Bruner constitui uma teoria construtivista, afirmando que esta é a forma mais adequada de aprendizado, por meio de descobertas guiadas e graças à motivação e curiosidade em aprender.

14- A teoria instrucional eclética / sistêmica

Essa teoria surge do trabalho realizado por Bandura , que pretendia mudar a orientação tradicional das teorias existentes sobre a aprendizagem. A alternativa que ele propôs foi a teoria da aprendizagem ou modelagem observacional.

A aprendizagem observacional ocorre quando o aluno retém em sua memória as imagens e códigos verbais obtidos através do comportamento do modelo observado.

O comportamento inicial é reproduzido, acompanhado pela composição que é feita com as imagens e códigos retidos na memória e algumas pistas ambientais.

15- A teoria da aprendizagem significativa

Essa teoria foi projetada por Ausubel e defende uma posição contrária à de Bruner, embora também enquadre sua teoria na psicologia construtivista.

Para ele, a estrutura do conhecimento exerce grande influência sobre novos conhecimentos e experiências, condicionando-os. No entanto, estes últimos também modificam e reestruturam os anteriores.

A aprendizagem é significativa quando novas informações são conectadas a um conceito relevante já existente na estrutura cognitiva. Para que novas informações possam ser aprendidas na medida em que outras informações, como idéias, conceitos ou proposições, sejam claras e já estejam na estrutura cognitiva do indivíduo.

Ambos formam um novo aprendizado ou aprendizado significativo, que se manifesta de várias maneiras, dependendo do contexto em que a pessoa está e de suas experiências.

Esse aprendizado se opõe ao aprendizado mecanicista: com este novo modelo, pretende-se que os alunos compreendam completamente o material, que não seja simplesmente um processo memorial no qual as informações são incorporadas sem sequer entendê-las.

Referências

  1. Psicologia Recuperado de definition.de.
  2. História da filosofia – Volume II – Segunda era filosófica, filosofia cristã. Santo Agostinho e suas obras. Recuperado de e-torredebabel.com.
  3. Teorias psicológicas. Recuperado de monographs.com.
  4. Introspecção Recuperado de wikipedia.org.
  5. Psicologia: mentalismo. Recuperado do taringa.net.
  6. Lei do Efeito Recuperado de e-torredebabel.com.
  7. Psicologia evolutiva – O behaviorismo de John Broadus Watson. Recuperado de ilustrados.com.
  8. Neoconductismo – Definição, Conceito e O que é. Recuperado de definicionabc.com.
  9. O neoconductismo. Recuperado de ocw.unican.es.
  10. Psicanálise Recuperado de filosert.files.wordpress.com.
  11. Teoria Psicanalítica Recuperado de es.slideshare.net.
  12. Teoria de Erikson do desenvolvimento psicossocial. Recuperado de depsicologia.com.
  13. Definição de Gestalt. Recuperado de definition.de.
  14. Teoria cognitiva: psicologia genética dialética. Recuperado de psychoeducador.wordpress.com.
  15. Teoria genético-dialética. Recuperado de prezi.com.
  16. Aprendendo por descoberta. Recuperado de cvc.cervantes.es.
  17. Teoria instrucional eclética. Recuperado de eldiariodeawilda.blogspot.com.es.
  18. Aprendizagem significativa. Recuperado de wikipedia.org.
  19. Teorias de ensino. Recuperado de monographs.com.

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies