Atazagorafobia (medo de esquecer): sintomas, causas e tratamento

A atazagorafobia é um transtorno de ansiedade caracterizado pelo medo intenso e persistente de esquecer algo importante. Os sintomas incluem preocupação constante com a perda de memória, medo de cometer erros, dificuldade em se concentrar e irritabilidade. As causas desse transtorno podem estar relacionadas a experiências traumáticas passadas, predisposição genética, estresse crônico ou problemas de saúde mental.

O tratamento da atazagorafobia geralmente envolve terapia cognitivo-comportamental, que ajuda a identificar e modificar padrões de pensamento negativos, além de técnicas de relaxamento e estratégias para lidar com a ansiedade. Em alguns casos, medicamentos podem ser prescritos para ajudar a controlar os sintomas. É importante buscar ajuda de um profissional de saúde mental para obter um diagnóstico correto e um plano de tratamento adequado.

Atazagorafobia: Entenda o medo irracional de ser esquecido e negligenciado.

Atazagorafobia é um tipo de fobia que se caracteriza pelo medo irracional de ser esquecido e negligenciado. Indivíduos que sofrem desse transtorno experimentam uma ansiedade intensa relacionada à ideia de serem ignorados ou deixados de lado, levando a sintomas físicos e emocionais significativos.

Os sintomas da atazagorafobia incluem palpitações, sudorese, tremores, dificuldade para respirar, pensamentos obsessivos sobre ser esquecido, evitação de situações sociais e sentimentos de tristeza e solidão. Esses sintomas podem interferir significativamente na vida diária do indivíduo, afetando suas relações interpessoais e seu bem-estar emocional.

As causas da atazagorafobia podem estar relacionadas a experiências traumáticas do passado, baixa autoestima, problemas de vinculação na infância ou predisposição genética para transtornos de ansiedade. É importante buscar ajuda profissional para avaliar as causas específicas do medo de ser esquecido e desenvolver um plano de tratamento adequado.

O tratamento da atazagorafobia geralmente envolve terapia cognitivo-comportamental, que ajuda o indivíduo a identificar e modificar padrões de pensamento negativos e comportamentos de evitação. Além disso, a terapia de exposição gradual a situações que causam medo pode ser útil para reduzir a ansiedade e melhorar a capacidade de lidar com a negligência percebida.

Compreender os sintomas, causas e opções de tratamento disponíveis é fundamental para superar essa fobia e melhorar a qualidade de vida do indivíduo que sofre com ela.

Quais são os medos de quem sofre de agorafobia?

Quem sofre de agorafobia enfrenta diversos medos relacionados a situações em que se sentem vulneráveis ou incapazes de escapar. Além do medo de espaços abertos e lotados, essas pessoas também podem desenvolver medo de perder o controle ou de ter um ataque de pânico em público. No entanto, um medo menos conhecido, mas igualmente perturbador, é o medo de esquecer, conhecido como Atazagorafobia.

A Atazagorafobia é caracterizada pela ansiedade excessiva em relação à possibilidade de esquecer algo importante, como compromissos, tarefas ou informações. Indivíduos que sofrem desse medo podem ficar constantemente preocupados em esquecer algo e podem desenvolver comportamentos compulsivos para tentar evitar esse esquecimento, como fazer listas intermináveis ou verificar repetidamente se cumpriram todas as suas obrigações.

Os sintomas da Atazagorafobia podem incluir preocupação constante, nervosismo, tensão muscular e dificuldade de concentração. Esses sintomas podem afetar significativamente a qualidade de vida do indivíduo, interferindo em suas relações pessoais, profissionais e sociais.

Relacionado:  Síndrome de Wendy: pessoas que precisam da aprovação de outros

As causas da Atazagorafobia podem estar relacionadas a experiências passadas de esquecimento ou de consequências negativas devido a esquecimentos. Além disso, questões de ansiedade e perfeccionismo também podem contribuir para o desenvolvimento desse medo irracional.

O tratamento da Atazagorafobia geralmente envolve terapia cognitivo-comportamental, que ajuda o indivíduo a identificar e modificar padrões de pensamento negativos e comportamentos compulsivos associados ao medo de esquecer. Além disso, a terapia pode incluir técnicas de relaxamento, meditação e mindfulness para ajudar o paciente a lidar com a ansiedade e a tensão muscular.

Estratégias para enfrentar o medo de perder o controle da mente.

Atazagorafobia é o medo intenso de esquecer algo importante. Esta condição pode causar grande ansiedade e impactar significativamente a qualidade de vida da pessoa afetada. Os sintomas da atazagorafobia incluem pensamentos obsessivos sobre a possibilidade de esquecer algo, sentimentos de pânico e medo intenso, bem como evitação de situações que possam desencadear o medo.

As causas da atazagorafobia podem variar de pessoa para pessoa, mas geralmente estão relacionadas a experiências traumáticas passadas, como esquecer algo importante em momentos críticos. O tratamento para a atazagorafobia geralmente envolve terapia cognitivo-comportamental, medicação anti-ansiedade e técnicas de relaxamento.

Para enfrentar o medo de perder o controle da mente causado pela atazagorafobia, é importante adotar algumas estratégias eficazes. Uma delas é a terapia cognitivo-comportamental, que ajuda a identificar e modificar padrões de pensamento negativos associados ao medo de esquecer. Além disso, a prática de técnicas de relaxamento, como meditação e respiração profunda, pode ajudar a reduzir a ansiedade e o medo.

Outra estratégia importante é a exposição gradual ao medo: enfrentar gradualmente situações que desencadeiam o medo de esquecer pode ajudar a diminuir a intensidade da ansiedade ao longo do tempo. Também é útil manter um diário de pensamentos e sentimentos relacionados ao medo de esquecer, pois isso pode ajudar a identificar padrões e desafiar crenças irracionais.

No geral, é fundamental buscar ajuda profissional se o medo de perder o controle da mente causado pela atazagorafobia estiver interferindo significativamente na vida diária. Com o tratamento adequado e a adoção de estratégias eficazes, é possível superar esse medo e melhorar a qualidade de vida.

Origens e motivos que levam ao desenvolvimento de fobias em indivíduos.

As fobias são transtornos de ansiedade que afetam muitas pessoas ao redor do mundo. Elas surgem devido a uma combinação de fatores genéticos, ambientais e experiências traumáticas. Em relação à Atazagorafobia, o medo de esquecer, os sintomas incluem ansiedade extrema, tremores, sudorese e pensamentos obsessivos sobre a possibilidade de esquecer algo importante.

As causas da Atazagorafobia podem estar relacionadas a experiências passadas de esquecimento que causaram constrangimento ou prejuízo, bem como a problemas de memória ou condições médicas que afetam a capacidade de lembrar. Além disso, a predisposição genética para transtornos de ansiedade também pode contribuir para o desenvolvimento dessa fobia.

O tratamento da Atazagorafobia geralmente envolve terapia cognitivo-comportamental, que ajuda o indivíduo a identificar e modificar padrões de pensamento disfuncionais relacionados ao medo de esquecer. Além disso, a medicação pode ser prescrita para controlar os sintomas de ansiedade. É importante buscar ajuda profissional se a fobia estiver interferindo significativamente na qualidade de vida do indivíduo.

Relacionado:  O que é uma avaliação psicológica?

Atazagorafobia (medo de esquecer): sintomas, causas e tratamento

Atazagorafobia (medo de esquecer): sintomas, causas e tratamento 1

Atazagorafobia é um medo excessivo do esquecimento, que inclui tanto o medo do esquecimento quanto o medo de ser esquecido ou substituído por outros . Embora seja uma sensação comum, a atazagorafobia tem sido pouco descrita na linguagem científica. De fato, isso foi mais pontuado por filósofos e escritores que falam da atazagorafobia como o medo do anonimato eterno.

Neste artigo , veremos o que é atazagorafobia e quais são suas principais características.

Atazagorafofobia: o medo de esquecer

O ato de lembrar é uma função central para os seres humanos. Entre outras coisas, nos permite manter um senso de integridade. Serve também como uma ferramenta de identificação que nos permite responder às demandas do presente e do futuro.

O ato oposto, o de esquecer , é um processo que ocorre ao lado da consolidação da memória. A neurociência nos diz que, do ponto de vista adaptativo, o esquecimento permite a purificação de informações desnecessárias ou irrelevantes, ou permite bloquear experiências traumáticas e, assim, evitar algum desconforto.

Causas possíveis

Na base da atazagorafobia está o reconhecimento de que, como seria pouco adaptativo lembrar absolutamente tudo; Também é impraticável esquecer tudo. Podemos sentir rapidamente que o último resultaria em uma perda significativa de nosso próprio “eu”. Também podemos suspeitar que esquecer as coisas do cotidiano afetaria seriamente nossos vínculos com os outros . Tanto para a modificação de nossa percepção do mundo e de nós mesmos, quanto dos seres mais próximos.

Intuições anteriores podem causar medo ou não. Podemos evocá-los e retê-los como informações úteis, sem necessariamente gerar uma resposta fisiológica ou pensamentos obsessivos sobre as consequências de esquecer e ser esquecido.

Produzir medo, ou não, a percepção que temos sobre as consequências negativas do esquecimento pode ter sido gerada por ter vivido com uma pessoa cuja condição médica dificulta a retenção de memória ou até mesmo o impede de evocar memórias do passado e do cotidiano.

No entanto, o medo excessivo de esquecer também pode ser uma conseqüência de como a mídia frequentemente retratou suas consequências e as condições médicas associadas (Staniloiu & Markowitsch, 2012). Mais do que pesquisas que nos fazem pensar na atazagorafobia como um medo clínico do esquecimento, essa fobia tem sido bastante difundida e, às vezes, alimentada de maneira mediática.

  • Você pode estar interessado: ” Tipos de memória: como as memórias armazenam o cérebro humano? “

Sintomas: você tem manifestações clínicas?

Qualquer fobia pode causar uma experiência de ansiedade e a ativação orgânica que a acompanha. Ou seja, hiperventilação ou hipsarritmia, dispnéia, transpiração excessiva, náusea, tremor , entre outras manifestações. No entanto, a atazagorafobia não é um distúrbio mental reconhecido por nenhuma associação especializada.

Relacionado:  Os 26 tipos de suicídio (de acordo com diferentes critérios)

É uma fobia (um medo que não se justifica racionalmente), que foi descrita em linguagem coloquial e informal para se referir a importantes desconfortos relacionados ao esquecimento ; mas isso não é necessariamente clinicamente significativo. Ou seja, eles não afetam as atividades ou responsabilidades consideradas apropriadas para a pessoa em seu ambiente cultural.

Portanto, não podemos falar formalmente de uma série de critérios clínicos que nos levam ao diagnóstico de atazagorafobia. O que podemos fazer é analisar em quais situações e contextos uma experiência de medo do esquecimento provavelmente pode ser gerada e por quê.

Sob que circunstâncias isso pode ocorrer?

Voltando à questão das condições médicas relacionadas à perda de memória, podemos considerar que a atazagorafobia pode ocorrer em duas circunstâncias principais (embora isso também ocorra em outras): pessoas que receberam um diagnóstico e pessoas que cuidam delas.

1. Diante de um diagnóstico de condição médica associada à perda de memória

Por um lado, a atazagorafobia pode se manifestar em pessoas com diagnóstico precoce de demência ou outras condições médicas. Seria normal que eles sentissem medo de esquecer sua própria identidade, outras pessoas ou até coisas do dia a dia. No entanto, o próprio diagnóstico não gera um medo irracional .

O último pode ocorrer devido a múltiplos fatores, entre os quais os recursos emocionais e psicológicos da pessoa que recebe o diagnóstico; a rede de suporte que você possui; e também a qualidade das informações concedidas pelo médico, bem como sua atitude.

Ou seja, se o diagnóstico for acompanhado de uma explicação detalhada e verdadeira sobre a condição médica e suas possíveis conseqüências, provavelmente não há experiência de medo irracional de esquecer. O mesmo se a atitude do médico for compreensiva e paciente diante da pessoa com quem ele lida.

2. Durante os cuidados da pessoa que recebeu o diagnóstico

Por outro lado, atazagorafobia pode ocorrer em cuidadores de pessoas que foram diagnosticadas com demência ou outra condição médica relacionada. Este último pode estar relacionado à crença de que a pessoa que ele cuida acabará esquecendo , o que pode afetar tanto os mecanismos de identificação do cuidador quanto o seu trabalho diário.

Com relação a este último, também pode acontecer que o cuidador gere a crença de que ele próprio será esquecido após a perda de memória da pessoa que possui o diagnóstico. O mesmo pode ser trabalho e acompanhado por profissionais e pela segurança fornecida pela própria rede de suporte.

Referências bibliográficas:

  • Kangyj (2015). Athazagoraphobia: fobia de ser esquecido ou ignorado? Recuperado em 31 de julho de 2018. Disponível em https://psych2go.net/athazagoraphobia-the-phobia-of-being-forgotten/.
  • Fearof.net (2018). Medo de ser esquecido fobia-athazagoraphobia. Recuperado em 31 de julho de 2018. Disponível em https://www.fearof.net/fear-of-being-forgotten-phobia-athazagoraphobia/
  • Staniloio, A. e Markowitsch, H. (2012). Para resolver o enigma do esquecimento na amnésia funcional: avanços recentes e opiniões atuais. Fronteiras em Psicologia. DOI: https://doi.org/10.3389/fpsyg.2012.00403.

Deixe um comentário