Ceiba pentandra: características, habitat, reprodução, usos

A Ceiba pentandra, também conhecida como sumaúma, é uma árvore imponente que pode atingir alturas de até 60 metros. Ela é nativa das florestas tropicais da América do Sul, África e Ásia, sendo encontrada principalmente em regiões úmidas e próximas a rios.

Esta árvore possui características únicas, como tronco reto e cilíndrico, que pode chegar a ter um diâmetro de até 3 metros, e raízes tabulares que se estendem pela superfície do solo. Suas folhas são compostas e suas flores, que surgem durante a estação chuvosa, são grandes e de cor branca ou rosa.

A Ceiba pentandra se reproduz por meio de sementes, que são dispersadas pelo vento. Ela é uma árvore importante para a biodiversidade, fornecendo alimento e abrigo para diversas espécies de animais.

Além disso, a sumaúma é utilizada de diversas formas pelas comunidades locais, sendo sua madeira resistente e utilizada na construção de casas e embarcações, e suas fibras são usadas na confecção de cordas e tecidos. Suas sementes também são comestíveis e possuem propriedades medicinais.

Qual é a maior árvore do Brasil: a Sumaúma gigante que impressiona a todos.

A Sumaúma gigante, também conhecida como ceiba pentandra, é considerada a maior árvore do Brasil. Ela impressiona a todos que têm a oportunidade de vê-la de perto.

A ceiba pentandra é uma árvore de grande porte, podendo atingir até 70 metros de altura. Suas raízes são muito extensas, o que ajuda a sustentar seu imenso tronco. Suas folhas são grandes e verde-escuras, e suas flores são brancas e muito perfumadas.

Esta espécie de árvore é nativa da região amazônica, onde pode ser encontrada em áreas alagadas e próximas a rios. Ela é muito resistente e se adapta facilmente a diferentes condições de solo e clima.

A reprodução da ceiba pentandra ocorre por meio de sementes que são dispersas pelo vento. Ela pode demorar alguns anos para atingir a maturidade e começar a produzir flores e frutos.

Além de sua beleza e imponência, a ceiba pentandra também possui diversos usos. Suas fibras são utilizadas na fabricação de cordas e tecidos, e sua madeira é empregada na construção de móveis e embarcações. Além disso, algumas comunidades indígenas utilizam suas folhas e cascas em rituais e medicamentos tradicionais.

Em resumo, a Sumaúma gigante é uma árvore incrível que merece ser preservada e admirada. Sua importância vai muito além de sua beleza, contribuindo para o ecossistema e para a cultura das regiões onde está presente.

Benefícios e utilizações da sumaúma: conheça as diversas funções dessa árvore gigante.

A sumaúma, também conhecida como Ceiba pentandra, é uma árvore gigante que pode atingir alturas impressionantes. Ela é conhecida por sua imponência e pela diversidade de benefícios e utilizações que oferece.

Originária das florestas tropicais da América do Sul, a sumaúma é uma espécie muito adaptável, podendo ser encontrada em diversos habitats, desde áreas alagadas até regiões mais secas. Sua reprodução ocorre por meio de sementes que são dispersas pelo vento.

Uma das principais características da sumaúma é o seu tronco maciço, que pode chegar a ter mais de 3 metros de diâmetro. Além disso, suas raízes aéreas formam verdadeiras fortalezas naturais, proporcionando abrigo para diversas espécies de animais.

Os usos da sumaúma são variados e vão desde a construção de embarcações e móveis até a utilização de sua fibra para a produção de tecidos e cordas resistentes. Suas sementes também são uma fonte de alimento para muitas espécies de animais.

Em resumo, a sumaúma é uma árvore de grande importância para o ecossistema, oferecendo benefícios tanto para a biodiversidade quanto para as comunidades humanas que habitam as regiões onde ela se encontra.

Qual é a expectativa de vida de uma sumaúma na natureza?

A expectativa de vida de uma sumaúma na natureza pode chegar a até 500 anos. A Ceiba pentandra, conhecida popularmente como sumaúma, é uma árvore imponente que pode atingir alturas impressionantes, chegando a mais de 50 metros.

Essa espécie é nativa das florestas tropicais da América do Sul, onde encontra seu habitat ideal para se desenvolver. A sumaúma é uma árvore de crescimento rápido, com um tronco largo e ramificações que se estendem por toda a sua copa, formando uma coroa densa e cheia de folhas.

Relacionado:  Micelas: estrutura, função e formação

Em relação à reprodução, a sumaúma produz flores grandes e vistosas, que atraem uma variedade de polinizadores, como abelhas e pássaros. Seus frutos são cápsulas cheias de sementes que são dispersas pelo vento ou por animais, contribuindo para a propagação da espécie.

Além de sua importância ecológica, a Ceiba pentandra também possui diversos usos. Sua madeira é utilizada na construção civil e na fabricação de móveis, enquanto suas fibras são empregadas na produção de cordas e tecidos. As sementes da sumaúma também são aproveitadas na culinária e na medicina tradicional.

Em resumo, a sumaúma é uma árvore fascinante, que pode viver por séculos na natureza, proporcionando diversos benefícios para o ecossistema e para os seres humanos que dela dependem.

Conhecendo a samaúma: entenda mais sobre essa imponente árvore da Amazônia.

A samaúma (Ceiba pentandra) é uma árvore imponente que pode atingir alturas impressionantes na região da Amazônia. Também conhecida como paineira, essa árvore é uma das maiores da floresta tropical, podendo chegar a mais de 60 metros de altura.

Uma das características mais marcantes da samaúma é o seu tronco largo e retilíneo, que pode chegar a mais de 3 metros de diâmetro. Suas folhas são compostas e suas flores possuem uma coloração branca ou rosada, atraindo diversos polinizadores.

Essa espécie é nativa da América Central e do Norte da América do Sul, sendo encontrada principalmente em áreas alagadas e próximas a rios. A samaúma é uma árvore que se reproduz por meio de sementes, que são dispersas pelo vento e pela água.

A samaúma possui diversos usos para as comunidades locais, que utilizam sua madeira resistente e leve para a construção de casas, canoas e móveis. Além disso, suas fibras são utilizadas na fabricação de cordas e tecidos, e suas sementes são comestíveis e ricas em óleo.

Portanto, conhecer mais sobre a samaúma é fundamental para compreender a importância dessa árvore para a biodiversidade da Amazônia e para as comunidades que dependem dos recursos naturais da região.

Ceiba pentandra: características, habitat, reprodução, usos

Ceiba pentandra é uma espécie de árvore que pertence à família Malavaceae da subfamília Bombacoideae. Caracteriza-se por ser uma árvore alta (40-70 metros) que cresce em florestas de áreas tropicais úmidas e sub-úmidas do continente americano e africano.

Estende-se do norte do México até o centro-norte da América do Sul. É uma árvore que tende a colonizar espaços abertos, devido à sua plasticidade em condições ambientais adversas.

Ceiba pentandra: características, habitat, reprodução, usos 1

Sumaumeira (Ceiba pentandra) no jardim botânico, Honolulu, Havaí. Fonte: Wikimedia Commons

C. pentandra começa a florescer na estação seca e a polinização é auxiliada por morcegos e pássaros. Produz frutos de forma elíptica que contêm numerosas sementes embrulhadas com fibras hidrofóbicas. Essa fibra é explorada para a fabricação de travesseiros e salva-vidas, e a madeira dessa árvore é usada para a construção de casas e barcos.

C. pentandra ao longo da história esteve envolvida em várias histórias e lendas relacionadas às culturas americanas, sendo considerada em algumas como uma árvore sagrada.

Caracteristicas

A altura das pentandeiras de Ceiba fica em média entre 40 e 70 metros, com diâmetros entre 100 e 300 cm. Possui haste cilíndrica, sólida, larga e retiforme, ligeiramente abaulada.

As hastes têm grandes contrafortes bem desenvolvidas e são cobertas com fortes espinhos conhecidos. As hastes têm poucos galhos grossos, robustos e curvos, dispostos horizontalmente como se fossem pisos.

O copo, por outro lado, pode ser arredondado ou plano, muito largo (até 50 metros). As folhas, por outro lado, são dispostas alternadamente e se acumulam nas pontas dos galhos. As folhas são compostas por membranas, aproximadamente 11 a 40 cm de comprimento. Por sua vez, as folhas são compostas por sete a oito folhetos que têm uma forma elíptica.

A casca, entretanto, é lisa a quase figurativa, acinzentada com grossos anéis dispostos horizontalmente. A casca possui lenticelas suberificadas e volumosas, com espinhos cônicos irregularmente disseminados no final dos galhos.

Ceiba pentandra apresenta numerosas flores fasciculadas nas axilas das folhas senescentes. As flores têm um comprimento médio de 8 cm; as flores são actinomórficas (simetria radial), perfumadas; O cálice é verde pálido, grosso e carnudo. As pétalas tendem a ser esbranquiçadas a rosadas, amareladas ou douradas.

Ceiba pentandra: características, habitat, reprodução, usos 2

Ceiba pentandra flor. Marco Schmidt [1] [CC BY-SA 3.0 (https://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0)]

Os frutos são cápsulas elipsoidais, com comprimento médio de 10 a 20 cm e largura média de 3 a 6 cm. Os frutos são deiscentes com cinco coberturas e contêm sementes marrons escuras envolvidas em lã branca e hidrofóbica.

Habitat e distribuição

Embora o gênero Ceiba seja considerado de origem americana, C. pentandra cresce naturalmente nas áreas tropicais úmidas e sub-úmidas da América e da África. Acreditava-se que fosse nativo da Ásia, mas foi provado geneticamente que foi introduzido na África.

Atualmente, sabe-se que é nativo da América Central e se estende do sul do México à Venezuela, Brasil e Equador. Nos trópicos do mundo antigo, por outro lado, é encontrado em regiões tropicais da África Ocidental e da Ásia. Também foi introduzido nos arquipélagos das Bermudas e Bahamas.

Atualmente, possui o status de Cultivado, Nativo e Selvagem, crescendo amplamente nas margens dos rios. Pode ser visto com frequência em terrenos abertos e abandonados e fora das trilhas.

Os solos em que C. pentandra se desenvolve mostram variabilidade em termos de condições do solo. De acordo com isso, os solos podem ser areia muito permeável, mesmo argila com drenagem lenta.

Além disso, Ceiba pentandra é estabelecida em áreas com erosão em rochas ígneas. Geralmente requer solos calcários, neutros e inundados.

Do ponto de vista ecológico, é uma espécie secundária / primária, pois pode colonizar solos em diferentes fases de uma sucessão. É uma espécie agressiva que cresce frequentemente em terras derrubadas, por isso é amplamente utilizada na restauração florestal.

Reprodução

A floração geralmente começa quando as árvores têm 5 a 6 anos de idade. As árvores produzem muitas flores coloridas de hermafrodita, geralmente durante o período de expiração (afoliar).

A época da floração varia de acordo com a geografia. No México, a floração ocorre de janeiro a março e em Java (Indonésia) ocorre em maio. Em Porto Rico e na República Dominicana, as flores surgem entre dezembro e fevereiro, e na África Ocidental o florescimento ocorre de dezembro a janeiro. As flores são polinizadas por pássaros e morcegos. Os frutos amadurecem por 2 a 3 meses.

As sementes têm aproximadamente 6 mm de comprimento e podem ter de 7.000 a 45.000 sementes por quilograma de fruta. Uma árvore pode produzir até 1 kg de sementes. Devido ao seu tamanho pequeno e à seda aderida a eles, as sementes são amplamente dispersas pelo vento.

Fisiologicamente, as sementes não requerem estratificação e podem perder sua viabilidade após um ano. A germinação é epigeal (cotilédones acima do solo) e ocorre 12 dias após a semeadura.

Ceiba pentandra: características, habitat, reprodução, usos 3

Sementes de Ceiba pentandra. I, JMGarg [CC BY-SA 3.0 (https://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0)]

A taxa de germinação pode variar entre 50 e 85%. Depois de germinadas, as mudas crescem muito rapidamente, assim como outras espécies pioneiras. As mudas podem atingir 23 cm de altura após 8 semanas.

Vegetativamente, as árvores de C. pentandra podem ser reproduzidas por estacas de galhos cortados. No entanto, os rebrotamentos produzem uma planta de menor tamanho e vigor do que as plantas produzidas através de sementes.

Alimento

As folhas de Ceiba são consumidas avidamente por gado, cabras e ovelhas, o que demonstra que os animais de pasto não devem ser permitidos nas plantações até que as árvores cresçam e, assim, evitem esse desfolhamento em potencial.

Como em todas as plantas terrestres, C. pentandra pode produzir seu próprio alimento, devido ao processo fotossintético que ocorre em suas folhas. É uma espécie pioneira de luz altamente exigente em florestas tropicais. É conhecida por seu rápido crescimento, porém pouco se sabe sobre sua fisiologia.

Relacionado:  Exocitose: processo, tipos, funções e exemplos

Poucas pesquisas demonstraram que as alterações na concentração de CO 2 no dossel da ceiba variam de um máximo pela manhã a uma diminuição à tarde.

Além disso, flutuações na concentração de CO 2 são muito acentuadas na estação chuvosa. Na estação seca, num dia de chuva, a taxa de assimilação de CO 2 é superior à média. Por outro lado, a captação de CO 2 e sua incorporação como matéria orgânica não varia com a idade da folha.

Por outro lado, a eficiência do uso prolongado da água em C. pentandra é baixa em comparação com outras espécies de árvores em zonas temperadas. No entanto, verificou-se que o ganho de carbono por folha é maior do que outras espécies pioneiras de árvores.

Usos

A madeira de ceiba varia de cor, do branco ao marrom claro, mas sua cor pode ser obscurecida por fungos que mancham a seiva. A madeira é muito leve, com um peso específico de 0,25 g / cm3.

Os usos relatados para madeira de ceiba incluem triplex, material de embalagem, camadas internas de laminados, construção leve, produtos de celulose e papel, canoas e balsas, implementos agrícolas, móveis, fósforos e lenha.

A lã, geralmente chamada Kapok, é obtida a partir das fibras da fruta e é o produto mais importante derivado dessa árvore. As fibras representam 21,1% do peso seco das frutas e são utilizadas em travesseiros, colchões, bóias e tecidos.

A casca de Ceiba produz uma fibra vermelha que é usada para cordas e papel na Índia, e a casca também é usada como remédio para feridas e doenças.

Ceiba pentandra: características, habitat, reprodução, usos 4

Caule de uma árvore de pentandra Ceiba. Marco Schmidt [1] [CC BY-SA 2.5 (https://creativecommons.org/licenses/by-sa/2.5)]

As folhas têm propriedades emolientes e as flores, como infusão, são usadas para constipação. O néctar, ao seu lado, serve como fonte de mel. O óleo obtido das sementes é utilizado como lubrificante, para lâmpadas, na culinária e na indústria de sabonetes e tintas.

Ceiba é usado como forragem para gado, cabras e ovelhas e suas flores são ingeridas pelo gado. Suas folhas contêm 24% de proteína quando jovens e 14% quando maduras. Na Indonésia, é considerada uma espécie promissora quando há escassez de forragem.

Histórias e lendas

C. pentandra é uma das árvores mais representativas das culturas americanas. Seu porte majestoso e a grande variedade de usos lhe davam até o atributo de sagrado em muitas culturas. Os usos tradicionais variam desde o uso de madeira para construção de moradias e barcos, até seu uso na medicina tradicional.

Na cultura maia, a ceiba é uma árvore sagrada que une o céu e o submundo. A lenda do X’tabay é tecida em torno desta planta. Essa representação sagrada e lendária, passada e presente, foi construída em torno da ceiba

Além disso, nesta imponente árvore está a lenda pré-hispânica que conta que Hernán Cortés atracou seus navios e conquistou o Império Asteca, em uma árvore localizada no município de La Antigua, no estado oriental do México de Veracruz e às margens do rio Huitzilapan .

Referências

  1. Ceiba pentandra (L.) Gaertn. (1791) De Fructibus et Seminibus Plantarum. 2: 244. 1791.
  2. Zostz, G., Winter, K., 1994. Fotossíntese de uma árvore tropical de dossel, Ceiba pentandra , em uma floresta de planície no Panamá. Fisiologia das árvores 14, 1291-1301
  3. Aguilera M., 2001. Ceiba pentandra (L.) Gaerth. Pacotes de tecnologia SIRE
  4. Peraza, L., 2009. La ceiba ( Ceiba pentandra (L.) Gaertn.) Uma árvore majestosa. Do herbário CICY 1: 1–2
  5. Orwa, C., Mutua, A., Kindt, R., Jamnadass, R., Simons, A., 2009. Banco de dados da árvore Agrofores: um guia de referência e seleção de árvores versão 4.0 (worldagroforestry.org)
  6. Chinea-Rivera, Jesús Danilo., 1990 . Ceiba pentandra (L.) Gaertn. Ceiba, sumaúma, algodão de seda. SO-ITF-SM-29. Nova Orleans, LA: Departamento de Agricultura dos EUA, Serviço Florestal, Southern Forest Experiment Station.

Deixe um comentário