Como é o crânio humano e como ele se desenvolve?

O crânio humano é uma estrutura óssea que protege o cérebro e outras estruturas vitais localizadas na cabeça. Ele é composto por diversos ossos, como o frontal, parietal, temporal, occipital e esfenóide, que se desenvolvem ao longo da vida de um indivíduo. O crânio começa a se formar durante o desenvolvimento embrionário, a partir de uma estrutura cartilaginosa que se ossifica gradualmente. Durante a infância e adolescência, o crânio passa por um processo de crescimento e remodelação para acomodar o crescimento do cérebro e das estruturas faciais. Ao longo da vida adulta, o crânio mantém sua forma e estrutura, mas pode sofrer alterações devido a fatores genéticos, traumas ou doenças.

Desenvolvimento do crânio: entenda o processo de formação e crescimento dessa estrutura complexa.

O crânio humano é uma estrutura complexa e essencial para proteger o cérebro e outras estruturas delicadas do sistema nervoso central. Ele é composto por diferentes ossos que se desenvolvem e crescem de forma coordenada ao longo da vida de um indivíduo.

No início da vida embrionária, o crânio é formado por cartilagem, que posteriormente se ossifica para se tornar os ossos cranianos. Esse processo de ossificação ocorre por meio da substituição gradual da cartilagem por tecido ósseo, que se inicia durante a gestação e continua até a idade adulta.

Os ossos do crânio se desenvolvem a partir de diferentes pontos de ossificação, que se fundem gradualmente à medida que o indivíduo cresce. Isso permite a expansão do crânio para acomodar o crescimento do cérebro e outras estruturas intracranianas.

Além disso, o crânio humano também apresenta suturas, que são articulações fibrosas entre os ossos cranianos. Essas suturas permitem uma certa flexibilidade durante o parto e o crescimento do crânio, mas se tornam mais rígidas com o tempo para garantir a proteção adequada do cérebro.

Esse processo garante a proteção e a adaptação do crânio às necessidades do sistema nervoso central ao longo da vida de um indivíduo.

A formação do crânio humano: conheça a estrutura óssea que protege o cérebro.

O crânio humano é uma estrutura óssea complexa que protege o cérebro e outras estruturas vitais da cabeça. Ele é formado por vários ossos que se fundem durante o desenvolvimento do indivíduo.

O crânio humano é composto por 22 ossos, sendo 8 cranianos e 14 faciais. Os ossos cranianos são responsáveis por proteger o cérebro e estão interligados por suturas, que são articulações fibrosas que permitem um pequeno grau de movimento entre os ossos.

O crânio se desenvolve a partir de um processo chamado ossificação intramembranosa, no qual as células formadoras de osso se depositam em membranas fibrosas e se mineralizam. Esse processo começa durante a gestação e continua ao longo da infância e adolescência.

O crânio humano também abriga várias aberturas, como os forames, que permitem a passagem de vasos sanguíneos e nervos. As cavidades nasais, os olhos e os ouvidos também estão integrados à estrutura óssea do crânio.

A formação do crânio humano é um processo complexo e essencial para a proteção do cérebro e das estruturas adjacentes. É importante cuidar da saúde óssea e garantir um desenvolvimento adequado do crânio desde a gestação até a fase adulta.

Processo de crescimento dos ossos cranianos: entenda como ocorre e seus principais fatores influenciadores.

O crânio humano é composto por diversos ossos que se desenvolvem ao longo do tempo, formando a estrutura que protege o cérebro e suporta os músculos da face. O processo de crescimento dos ossos cranianos é complexo e envolve diversos fatores influenciadores.

Os ossos do crânio se formam a partir de membranas embrionárias que vão se ossificando progressivamente. Esse processo de ossificação ocorre principalmente por meio da atividade das células osteoblásticas, que depositam material ósseo nos locais apropriados. Além disso, a cartilagem presente nos pontos de crescimento dos ossos também contribui para o seu desenvolvimento.

Relacionado:  Eritrócitos (glóbulos vermelhos): características e funcionamento

Um dos principais fatores influenciadores do crescimento dos ossos cranianos é a genética. A herança genética determina a forma e o tamanho do crânio de uma pessoa, influenciando diretamente no seu crescimento. Outros fatores, como a nutrição adequada e a exposição a determinadas substâncias durante a gestação, também podem afetar o desenvolvimento dos ossos cranianos.

É importante ressaltar que o crescimento dos ossos cranianos não ocorre de forma uniforme em todas as regiões do crânio. Por exemplo, a região da fontanela, que é uma área membranosa localizada entre os ossos do crânio de um recém-nascido, é um ponto de crescimento ativo que se fecha conforme a criança cresce.

Compreender como esse processo ocorre é fundamental para entender a formação e o desenvolvimento do crânio humano.

Quando ocorre o término do crescimento do crânio durante o desenvolvimento humano?

O crânio humano é uma parte fundamental do nosso corpo, que protege o cérebro e os órgãos sensoriais. Ele se desenvolve de forma complexa durante a fase de crescimento humano, passando por diversas etapas até atingir sua forma final.

O desenvolvimento do crânio começa ainda na fase embrionária, quando as células se multiplicam e se organizam para formar os ossos do crânio. Ao longo da infância e adolescência, o crânio vai crescendo e se expandindo para acomodar o crescimento do cérebro e dos órgãos sensoriais.

É importante ressaltar que o crescimento do crânio não ocorre de forma contínua ao longo da vida. O término do crescimento do crânio geralmente acontece por volta dos 20 anos de idade, quando os ossos do crânio se fundem completamente e atingem sua forma final.

O crânio humano é composto por diversos ossos, como o frontal, parietal, temporal e occipital, que se unem para formar uma estrutura resistente e protetora. Cada osso do crânio possui características específicas e desempenha funções importantes para o funcionamento do corpo humano.

Como é o crânio humano e como ele se desenvolve?

Como é o crânio humano e como ele se desenvolve? 1

Nosso cérebro é um órgão fundamental para a sobrevivência, uma vez que é o órgão responsável por gerenciar e direcionar o funcionamento dos demais sistemas do corpo, o que nos permite, entre outras coisas, respirar, comer, beber, perceber o ambiente e interagir com ele.

No entanto, sua estrutura é relativamente frágil, o que requer algum tipo de elemento que impeça que seja destruído ou ferido por movimento ou quedas e colisões, ou atacado por patógenos e bactérias.

Nesse sentido, nosso cérebro possui vários sistemas de proteção, sendo o mais proeminente a cobertura óssea que o cerca: o crânio humano . E é sobre essa parte do corpo que vamos falar ao longo deste artigo.

O que é o crânio humano?

Entendemos pelo crânio a estrutura em forma de cobertura óssea que circunda e cobre nosso cérebro, formando apenas parte do que passamos a considerar nosso crânio.

Sua principal função é proteger toda a estrutura do cérebro, pois uma barreira que impede golpes, lesões e patógenos prejudiciais pode atacar diretamente o cérebro . Ele também permite que ela mantenha uma estrutura e que possa haver alguma flutuabilidade que impeça que qualquer golpe faça com que colida com suas paredes, agindo como um recipiente.

Embora tecnicamente o crânio seja apenas a parte do esqueleto que circunda o cérebro (o que deixaria de fora outros ossos faciais, como a mandíbula), tradicionalmente falar dessa estrutura foi incluído junto com os outros ossos da área facial. Para integrar as duas posições, foi gerada uma subdivisão: os ossos faciais que não fazem parte da definição técnica do crânio como um todo recebem o nome de viscerocranio , enquanto o próprio crânio (a parte que cobre o cérebro) É chamado neurocranio.

Suas partes principais

O crânio é uma estrutura que não aparece uniformemente, mas na verdade é a união de vários ossos por meio de suturas cranianas que, à medida que crescemos, acabam ossificando. Entre o viscerocranium e o neurocranium, os adultos têm um total de 22 ossos.

Entre eles, oito correspondem e configuram o neurocranio: frontal, dois parietais, dois temporais, esfenóide, etmóide e occipital. Todos eles protegem os lobos cerebrais correspondentes, com exceção dos etmóides e esfenoides : o primeiro é a estrutura da qual os ossos oculares e as narinas se afastam, enquanto o segundo atua como um osso que une muitos dos ossos dos ossos. região e protege áreas como a hipófise.

O restante dos ossos da cabeça faz parte do viscerocranio, algo que inclui desde as fossas nasais e lacrimais até a mandíbula e as maçãs do rosto.

Além dos ossos mencionados acima, as chamadas suturas cranianas também são de grande relevância no crânio. Estes são um tipo de tecido cartilaginoso e elástico que une os diferentes ossos do crânio e permite o crescimento e a expansão disso à medida que desenvolvemos, até que finalmente acabam se tornando ossos na idade adulta. Nesse sentido, há um total de trinta e sete, entre os quais, por exemplo, o lambdoide, o sagital, o escamoso, o esfenoetmoidal ou o coronal. Também são relevantes a sinartrose ou cartilagem cerebral.

  • Você pode estar interessado: ” Os lóbulos do cérebro e suas diferentes funções “

Dimorfismo sexual

O crânio é, como dissemos, fundamental para o cérebro e o organismo, pois fornece proteção aos órgãos internos e ajuda a dar uma estrutura à fisionomia facial .

Mas nem todos os crânios são iguais. E não estamos falando apenas de possíveis lesões ou malformações, mas existem diferenças interindividuais e é até possível encontrar diferenças derivadas do dimorfismo sexual. De fato, é possível reconhecer se um crânio pertence a um homem ou uma mulher, dependendo das diferenças entre ambos os sexos em termos de sua forma e das peculiaridades de sua estrutura.

Em geral, o osso craniano masculino é mais robusto e angular , enquanto a fêmea tende a ser mais delicada e arredondada. O crânio masculino tende a ter uma capacidade craniana ou tamanho entre 150 e 200 cc maior (embora isso não implique maior ou menor capacidade intelectual, pois isso dependerá de como o cérebro está configurado, da herança genética e das experiências que o sujeito está tendo em sua vida).

O macho tem uma placa frontal curta e levemente inclinada, enquanto na fêmea a parte frontal do crânio é mais lisa, abaulada e alta. Também a crista temporal é geralmente muito visível no caso masculino.

Um elemento bastante fácil de ver são os arcos supra-orbitais , que geralmente são praticamente inexistentes nas mulheres, enquanto nos homens são geralmente marcados. As órbitas são geralmente quadrangulares e baixas nos homens, enquanto as mulheres são arredondadas e mais altas.

A mandíbula e os dentes são muito acentuados nos homens, um pouco menos comuns no caso das mulheres. O queixo da mulher é geralmente oval e mal marcado, enquanto o do homem é muito marcado e geralmente quadrado. Observa-se também que a protuberância occipital se sobressai e é altamente desenvolvida nos homens, algo que não ocorre da mesma forma nas mulheres.

Treinamento e desenvolvimento craniano

Como o resto de nossos órgãos, nosso crânio é assinado e se desenvolve durante toda a gravidez, embora esse desenvolvimento não termine até muitos anos após o nascimento.

Inicialmente, o crânio se desenvolve a partir do mesênquima , uma das camadas germinativas que aparecem durante a embriogênese e que surge no período fetal (a partir dos três meses de idade) a partir da crista neural. O mesênquima, que é um tipo de tecido conjuntivo, será diferenciado em diferentes componentes, entre os quais os ossos se desenvolverão (os órgãos surgem de outras estruturas chamadas endoderma e ectoderma).

Relacionado:  Dor na parte esquerda do estômago: possíveis causas e o que fazer

Segundo nosso organismo, esses tecidos são ossificados. Antes do nascimento, os ossos do crânio não são totalmente formados e fixados , algo que é evolutivamente benéfico para nós, pois a cabeça será capaz de se deformar parcialmente para passar pelo canal do parto.

Quando nascemos, temos um total de seis ossos cranianos, em vez dos oito que teremos quando adultos. Esses ossos são separados por espaços de tecido membranoso chamados fontanelas, que formarão as suturas que, ao longo do desenvolvimento, configurarão o crânio adulto.

Será após o nascimento que, gradualmente, essas fontanelas se fecharão, começando a tomar forma logo após o parto (quando retornarem à sua posição original) para crescer até atingirem a capacidade craniana final por volta dos seis anos de idade, embora O crânio continuará seu crescimento até a idade adulta .

Pode-se dizer que esse crescimento e desenvolvimento do crânio geralmente está ligado e ocorre em relação ao do próprio cérebro. São principalmente a cartilagem e a matriz de tecidos moles do osso que geram crescimento expandindo-se para tentar neutralizar a pressão exercida pelo desenvolvimento do cérebro, que é determinada por fatores genéticos (embora também possa ser parcialmente influenciada por fatores ambiental).

Doenças e malformações ósseas

Vimos ao longo do artigo o que é o crânio e como ele geralmente se forma na maioria das pessoas. No entanto, existem diferentes doenças e situações que podem fazer com que essa parte do esqueleto se desenvolva de maneira anormal , nem feche nem feche cedo demais (algo que impede o crescimento correto do cérebro).

É o que acontece com doenças como Crouzon ou craniossitose, nas quais, devido a mutações e doenças genéticas, as suturas que se juntam aos ossos fecham cedo demais.

No entanto, não é necessário que exista um problema congênito para a deformação do crânio: na doença de Paget (a segunda doença óssea mais comum após a osteoporose), há uma inflamação do tecido ósseo que pode levar a deformações e fraturas. os ossos.

Embora não seja uma doença específica do crânio (pode aparecer em qualquer osso), um dos locais possíveis em que pode ocorrer e onde é mais frequente está precisamente nele. E isso pode envolver o aparecimento de complicações e lesões neurológicas.

Outras condições, como hidrocefalia, macrocefalia, espinha bífida ou alguma encefalite ou meningite (especialmente se ocorrerem na infância) também podem afetar o desenvolvimento adequado do crânio humano.

Por fim, vale destacar também a possibilidade de que isso ocorra após sofrer um ferimento na cabeça , como em um acidente de trânsito ou agressão.

Uma alteração no nível do crânio pode ter múltiplos efeitos, pois pode afetar o desenvolvimento e o funcionamento do cérebro: pode comprimir e dificultar o crescimento de todo o cérebro ou de partes específicas dele, pode alterar o nível de pressão intracraniana, pode gerar lesões no tecido neural ou pode até facilitar a chegada de infecções por bactérias e vírus.

É até possível que, mesmo sem a necessidade de um distúrbio cerebral, ocorram dificuldades, como problemas de fala ou sensoriais. Mesmo assim, se o problema está apenas no crânio e ainda não gerou um envolvimento nervoso, geralmente é possível reparar com cirurgia reconstrutiva.

Referências bibliográficas:

  • Otaño Lugo, R.; Otaño Laffitte, G. e Fernández Ysla, R. (2012). Crescimento e desenvolvimento craniofacial.
  • Rouviere, H. e Delmas, A. (2005). Anatomia humana: descritiva, topográfica e funcional; 11a ed .; Masson
  • Sinelnikov, RD (1995). Atlas de anatomia humana. MIR editorial. Moscou

Deixe um comentário