Como foi a organização política e social dos astecas?

Os astecas eram um povo indígena que habitava a região central do México, conhecida como Mesoamérica, entre os séculos XIV e XVI. Sua organização política e social era altamente complexa, baseada em um sistema de governo hierárquico e centralizado. O império asteca era formado por várias cidades-estado, sendo a mais importante delas Tenochtitlán, a capital do império. Os astecas tinham uma sociedade estratificada, onde a nobreza e os sacerdotes ocupavam os mais altos cargos, seguidos pelos guerreiros e comerciantes, enquanto os camponeses e artesãos compunham a base da pirâmide social. A religião desempenhava um papel fundamental na vida dos astecas, com a crença em diversos deuses e a realização de sacrifícios humanos como parte de rituais religiosos. A economia asteca era baseada na agricultura, com destaque para a prática da chinampas, técnicas de cultivo em áreas alagadas.

A organização política dos astecas: estrutura, liderança e sistema de governo.

A organização política dos astecas era complexa e hierárquica, com uma estrutura bem definida que incluía diferentes níveis de liderança e um sistema de governo centralizado. Os astecas eram governados por um imperador, que era considerado divino e detinha o poder político e religioso. Além do imperador, havia um conselho de nobres e sacerdotes que auxiliavam na tomada de decisões importantes.

A sociedade asteca estava dividida em classes sociais, com os nobres ocupando o topo da hierarquia e os camponeses e escravos na base. A nobreza tinha privilégios e responsabilidades, como liderar exércitos e administrar terras, enquanto os camponeses trabalhavam na agricultura e os escravos realizavam tarefas domésticas.

O sistema de governo dos astecas era baseado em tributos e serviços prestados à elite governante. As cidades-estado pagavam tributos em forma de alimentos, tecidos e outros bens, e em troca recebiam proteção e benefícios do governo central. Além disso, os astecas realizavam cerimônias religiosas e sacrifícios humanos para garantir a proteção dos deuses e a prosperidade do império.

Essa organização contribuiu para o poder e a influência dos astecas na Mesoamérica, tornando-os uma das civilizações mais importantes da região.

Divisões sociais na sociedade asteca: uma análise da estrutura social e hierarquia.

A sociedade asteca era dividida em diferentes classes sociais, cada uma com suas próprias funções e responsabilidades. A organização política e social dos astecas era baseada em uma hierarquia rígida, onde o imperador ocupava o topo da pirâmide social. Abaixo dele estavam os nobres e sacerdotes, seguidos pelos guerreiros, comerciantes e artesãos. Na base da hierarquia social estavam os camponeses e escravos, que tinham poucos direitos e viviam em condições precárias.

As divisões sociais na sociedade asteca eram muito claras, e cada classe tinha suas próprias leis e restrições. Os nobres tinham o privilégio de acesso à educação e poder político, enquanto os camponeses trabalhavam nas terras dos nobres em troca de proteção e sustento. Os sacerdotes desempenhavam um papel crucial na sociedade asteca, realizando rituais religiosos e mantendo a paz e a ordem.

A estrutura social dos astecas era altamente hierarquizada, e a mobilidade social era quase inexistente. A posição de cada indivíduo na sociedade era determinada pelo nascimento, e era quase impossível para alguém mudar de classe social durante a vida. Isso criava uma sociedade estática, onde as classes mais baixas eram frequentemente exploradas pelas classes mais altas.

As divisões sociais na sociedade asteca eram uma parte fundamental de sua cultura e estrutura social, e influenciaram profundamente a vida das pessoas na época.

A interligação entre política, religião e guerra na sociedade asteca.

A organização política e social dos astecas era fortemente influenciada pela interligação entre política, religião e guerra. A religião desempenhava um papel central na estrutura política dos astecas, sendo os governantes considerados como intermediários entre os deuses e o povo. Os sacerdotes tinham um papel importante na tomada de decisões políticas, muitas vezes guiadas por práticas religiosas e rituais.

A guerra também desempenhava um papel crucial na sociedade asteca, sendo utilizada como uma forma de expandir o império e obter recursos para sustentar a população. A conquista de novos territórios era vista como uma forma de honrar os deuses e garantir a prosperidade do império. Os guerreiros eram altamente valorizados na sociedade asteca e muitas vezes recebiam recompensas por seus feitos em batalha.

Essa interligação entre política, religião e guerra criava uma hierarquia social rígida na sociedade asteca. Os governantes e sacerdotes ocupavam os mais altos cargos, seguidos pelos guerreiros e comerciantes. A população comum, composta principalmente por agricultores e artesãos, ocupava a base da hierarquia social.

Esses elementos se entrelaçavam de forma complexa, moldando as estruturas de poder e hierarquia na sociedade asteca.

Relacionado:  Poço Artesiano: Recursos, Como Construir

Liderança do Império Asteca: quem estava no comando da civilização asteca?

A liderança do Império Asteca era composta por um imperador chamado Huey Tlatoani, que era considerado o líder supremo da civilização asteca. Além do imperador, havia também um conselho de nobres e sacerdotes que auxiliavam nas decisões políticas e administrativas.

O imperador era responsável por tomar as decisões mais importantes, como questões de guerra, tributação e relações exteriores. Ele também era o líder religioso, responsável por garantir a comunicação com os deuses e realizar cerimônias sagradas.

A sucessão do imperador era hereditária, passando de pai para filho. No entanto, em alguns casos, o imperador poderia ser escolhido entre os nobres mais poderosos da sociedade.

Como foi a organização política e social dos astecas?

A organização política e social dos astecas existia antes mesmo do império se formar como tal e era a base de sua sociedade.

A definição de “asteca” foi construída por Michael. E Smith Nessa classificação, ele incluiu toda a população que falava a língua nahualt no México central, não apenas em Tenochtitlán e outros territórios da tríplice aliança asteca.

Como foi a organização política e social dos astecas? 1

Estruturas políticas do governo asteca

A primeira estrutura nuclear na sociedade asteca foi a família em que o governo surgiu.

A estrutura do governo local existia mesmo antes do próprio império asteca e quem tinha a liderança era Calpulli, responsável pelas necessidades básicas de todo o seu grupo.

Os líderes montaram a telpochalli , uma escola para cidadãos comuns, que também eram responsáveis ​​pela cobrança de impostos .

Nas cidades, os calpullis eram menos relacionados às famílias e tinham uma origem mais regional. Como é o caso hoje, onde a vida da cidade atrai muitas pessoas diferentes, de diferentes raças e culturas, e as une no mesmo espaço comum.

Dessa maneira, os calpullis eram o menor núcleo da sociedade asteca e a base sobre a qual toda a complexa sociedade do império asteca estava organizada.

Alguns vieram das cidades-estado conhecidas como altepetl (da nahualt “montanha de água”).

Cada uma dessas cidades era governada por um líder supremo (tlatoani) e um juiz supremo que também atuava como administrador (cihuacoatl).

O atepelt não apenas abrangeu o território da cidade estado, mas também sua população. Normalmente eles tentavam dominar outros territórios vizinhos ou outros altepelt através da guerra.

Dessa maneira, os altepelt mais fracos foram subjugados por uma cidade estatal mais poderosa, à qual mais tarde prestariam homenagem.

Isso levou ao estabelecimento de alianças entre altepelt subordinado para derrubar o altepelt dominante. Algumas alianças foram de longo prazo e até conseguiram se tornar uma unidade política representativa.

Um exemplo disso foi a aliança entre os altepelt de Ocotelolco, Tizatlan, Tlaxcallan, Tepeticpac e Quiyahuiztlan, que é considerado um estado único, apesar de possuírem governantes independentes e um certo nível de competência interna.

Outro exemplo foi a chamada Aliança Tríplice Asteca, entre o altepelt de Texcoco, Tenochtitlan e Tlacopan, que começou a ser formada para finalizar o domínio do altepelt Azcapotzalco.

Organização social do Império Asteca

Como foi a organização política e social dos astecas? 2

Imagem recuperada do socialhizo.com.

A divisão mais básica da sociedade asteca era entre nobres, conhecidos como pipiltin e comuns – chamados macehualtin.

A diferença é que os nobres possuíam um grande número de privilégios que não eram compartilhados pelos comuns.

Um dos privilégios mais importantes era o direito de receber homenagem pelos bens comuns de suas terras.

A classe nobre consistia em oficiais do governo, líderes militares, senhores e padres. Todos tinham uma certa riqueza e podiam gozar, por exemplo, de obras de arte, um privilégio que outras classes sociais não possuíam.

Os nobres estavam em posições de liderança e podiam influenciar outras pessoas. Além disso, eles receberam uma educação completa, usavam roupas caras e decoravam suas casas para provar seu status social.

Os bens comuns eram agricultores e comerciantes que viajavam para atividades comerciais. Por meio de suas atividades, eles também obtiveram uma grande riqueza e puderam adquirir roupas elegantes, além de prestígio dentro de sua classe.

Por sua vez, os comuns tinham certas liberdades e independência, como o direito de possuir e cultivar a terra dos nobres, administrando suas próprias posses.

Isso enquanto eles pudessem continuar a completar os serviços exigidos pelos nobres e seus calpulli, como pagamento de impostos e serviço militar.

Relacionado:  As 5 tradições e costumes mais populares de Quito

A mobilidade social foi difícil entre os dois estratos. Mas praticamente os grupos de bens comuns e os grupos de nobres estavam estruturados em hierarquias sutis, onde a mobilidade social dentro da mesma camada era possível e frequente.

Um exemplo disso foram os Pochteca – comerciantes de longa distância – que eram considerados comuns, mas ao mesmo tempo possuíam um grande número de privilégios comparáveis ​​aos da pequena nobreza.

A estrutura social dos astecas também foi dividida por gênero. Os meninos receberam uma educação superior às meninas e foram ensinados em técnicas e liderança de guerra e batalha.

As meninas, por sua vez, aprenderam a cozinhar, cuidar de sua família, trazer uma casa e artesanato.

No entanto, as mulheres tinham grande poder na sociedade asteca, mesmo que não fosse aparente. Eles poderiam realizar o trabalho de parteiras e sacerdotisas, mas não posições de liderança política ou militar.

Por exemplo, uma mulher que morreu em trabalho de parto foi homenageada como um homem que morreu em batalha. Seus talentos como tecelão também foram reconhecidos e eles tinham o direito de herdar propriedades e entregar a herança a seus filhos e / ou parentes.

Além dessas classes, havia também servos e escravos. Os servos trabalhavam nas terras pertencentes aos nobres e não viviam no calpulli. Eles tiveram que pagar impostos e, se não o fizeram, foram punidos e se tornaram escravos.

Muitos prisioneiros de guerra teriam se tornado escravos, mas eram usados ​​como sacrifício humano.

Apesar disso, os escravos tinham muitos direitos no império asteca, considerando que eram tratados de maneira justa.

Os escravos tinham o direito de casar, ter filhos, substituir outro em seu lugar e comprar sua liberdade. O dono dos escravos tinha a obrigação de alimentá-los e providenciar alojamento.

Figura do imperador asteca ou Huey Tlatoani

Como foi a organização política e social dos astecas? 3

Quetzalcoatl e Tezcatlipoca

O imperador da capital Tenochtitlan chamava-se Huey Tlatoani ou Grande Orador, que além de governar era o líder do conselho da cidade, comparável ao antigo Senado Romano.

Huey Tlatoani era adorado como um Deus, sua liderança não apenas apoiava o conselho na cidade, mas também sacerdotes, juízes, governadores e vários outros oficiais. Um dos mais famosos Huey Tlatoani foi Moctezuma II, que governou na época em que Hernán Cortés chegou ao Novo Mundo.

Huey Tlatoani tinha poder absoluto em um sentido – já que era considerado um representante dos deuses -, mas governou com a assistência de quatro conselheiros e um conselheiro sênior que foi escolhido pela nobreza.

O imperador também chegou ao poder através de um sistema semi-democrático e poderia até ser destituído do cargo se a situação o justificasse.

Embora sua posição em Huey Tlatoani não fosse hereditária, sem dúvida a linhagem da família era uma parte importante de sua escolha.

De fato, os Huey Tlatoani foram escolhidos entre os filhos ou irmãos do imperador falecido. Era um requisito que eles tivessem nobre nascimento, com mais de 30 anos, fossem educados em alguma escola de elite, tivessem experiência como guerreiros e líderes militares e fossem justos.

Estrutura do antigo governo asteca

Como foi a organização política e social dos astecas? 4

O antigo governo dos astecas não governava o império da maneira que conhecemos impérios.

Seu controle não cobria todas as áreas da vida de seus súditos, mas as terras conquistadas eram obrigadas a pagar impostos. Dessa forma, eles tinham uma certa cota de liberdade.

A organização política dos astecas se destaca por ter a tendência de criar grandes todos os compostos de partes agregadas que eram relativamente separadas e de uni-las por meio de funções e semelhanças compartilhadas.

Dessa maneira, a estratificação social foi construída de baixo para cima.

A hierarquia dos astecas é entendida como um império construído por diferentes partes constituintes, em vez de uma unidade (por exemplo, o capital) subordinando outras unidades sob si.

Os guerreiros astecas fizeram pequenos ataques às aldeias vizinhas, para prender prisioneiros que seriam usados ​​em sacrifícios. Dessa maneira, os povos conquistados os obedeceram por medo.

Assim, basicamente o império asteca foi formado a partir de muitas cidades- estados, que quando a expansão do Império começou (no início de 1428), começaram a ser anexadas.

Alguns resistiram, enquanto outros foram conquistados e começaram a prestar homenagem.

A cidade de Tenochtitlán – que atualmente corresponde à Cidade do México – era o poder militar do Império, liderando a conquista de novos territórios. Mas o imperador asteca, Huey Tlatoani, não governou diretamente todas as cidades.

Relacionado:  As 5 taxas de câmbio social mais relevantes

Os governos locais foram mantidos em seu lugar, mas foram forçados a pagar diferentes tipos de impostos, sendo os maiores impostos atribuídos a Tenochtitlan.

Outra característica interessante é que os astecas não governavam em territórios conectados. Quando ele conquistou cidades diferentes, seu poder foi distribuído em porções de territórios sobre uma área geográfica.

No entanto, isso não transformou o império asteca em um império fraco. Enquanto governava através de um governo local, ele permitiu que as pessoas continuassem vivendo felizes, o que proporcionava estabilidade e continuidade, funcionando de maneira ordenada para o império.

Por esse motivo, o Império Asteca costumava fazer um acordo justo com os povos conquistados, proporcionando-lhes melhores oportunidades de comércio e infraestrutura. Apesar disso, muitos desses povos não tinham lealdade ao império e se voltaram para os espanhóis quando chegaram em uma missão de conquista.

Foi essa conquista que interrompeu a expansão e o crescimento do império asteca, que em 1519 se estendeu do Oceano Pacífico ao Golfo do México, e do México Central à Guatemala, El Salvador e Honduras.

Educação dentro do império asteca

Os astecas foram as primeiras pessoas no mundo a fornecer educação obrigatória para quase todas as crianças, independentemente de sexo, posição ou cargo.

Até os 14 anos, as crianças dependiam dos pais, mas eram supervisionadas pelas autoridades do calpulli, motivo pelo qual frequentavam regularmente os templos, onde seu progresso era medido.

A educação foi oferecida em cada casa entre 10 e 20 anos de idade, e meninos e meninas começaram a frequentar a escola aos 15 anos.

Dentro da educação estava o aprendizado de uma coleção de ditos ou frases, conhecida como huehuetlatolli, que se traduz como “os ditos dos antigos”, que reuniam os ideais dos astecas.

Aqui estavam incluídas palavras para dizer em todas as ocasiões, como discursos, saudações ao nascimento de um filho e palavras de despedida na morte.

Os pais ensinaram as filhas a serem muito limpas e a não usar maquiagem, enquanto as mães as aconselharam a apoiar os maridos, mesmo que fossem camponeses humildes.

Havia dois tipos de escola: telpochcalli ou “Casa dos Jovens” para estudos práticos e militares, como história, técnicas de combate e batalha e algum tipo de artesanato, que poderia ser agricultura ou artesanato. Alguns dos estudantes optaram por permanecer no exército, mas a maioria voltou para suas casas.

A segunda escola foi a escola calma para estudos avançados em astronomia, teologia, redação, questões estaduais e outras.

Os assistentes eram principalmente filhos de nobres, que receberam um aprendizado voltado para a formação de líderes, professores, padres, curandeiros e pintores. Eles estudaram história antiga e contemporânea, literatura, calendários, rituais, alguns elementos da geometria, poesia e também artes militares.

Os curandeiros (tizitl) tinham várias especialidades. Alguns foram treinados em plantas medicinais, outros na preparação de medicamentos vendidos em locais especiais, como farmácias. Entre eles, encontramos desodorantes, creme dental, entre outros. Havia curandeiros especializados em cirurgia, doenças de pele, doenças digestivas, etc.

As mulheres poderiam receber educação como curadoras e aprender o comércio de parteiras, que poderiam cuidar de outras mulheres durante a idade reprodutiva. Eles aconselharam jovens esposas e cuidaram do desenvolvimento e evolução das gestações.

Por seu lado, os guerreiros eram um grupo seleto de jovens excepcionalmente corajosos, que receberam treinamento no uso de armas para combate, batalha e guerra.

Poucos astecas tinham a honra de serem militares e até os cadetes mais jovens eram respeitados pela nobreza e pela classe sacerdotal. Eles foram recompensados ​​com fileiras, terras e bons salários.

Os guerreiros da águia e da onça eram os guerreiros de elite, realizavam danças secretas e recebiam terras adicionais.

É interessante notar que os mestres astecas (tlamatimina) proporcionaram um ensino ao estilo espartano, muito severo, com banhos frios pela manhã, trabalho duro, punição física, sangramento com espinhos de maguey e testes de força. Tudo isso com o objetivo de formar pessoas estoicas.

Referências

  1. Estrutura política asteca. Recuperado de tarlton.law.utexas.edu.
  2. AncientAztecGovernment. Recuperado de aztec-history.com.
  3. AztecSociety. Recuperado de Wikipedia.org.
  4. Estrutura social Recuperado de the-aztec-empire.weebly.com.
  5. Padrões sociais, culturais, econômicos e políticos no mundo ameríndio. Recuperado de course-notes.org.
  6. Qual foi a estrutura social asteca? Recuperado de reference.com.
  7. Classes sociais astecas. Recuperado de mexicolore.co.uk.

Deixe um comentário