Como prevenir vícios em adolescentes e adultos

Saber como evitar vícios em adolescentes e adultos é essencial para evitar os problemas deles derivados. Uma vez que uma pessoa é viciada, já houve danos à pessoa, à família e à sociedade, sendo mais difícil a desintoxicação.

Um vício é um comportamento repetitivo e compulsivo que a pessoa tem dificuldade em evitar.Este conceito pode ser aplicado aos vícios de substâncias, comportamentos, jogos ou tecnologias.

Como prevenir vícios em adolescentes e adultos 1

Algumas das toxicodependências mais frequentes são cocaína, heroína, nicotina, metadona ou morfina. Dependências sem substâncias podem ser apostas ou dependências de novas tecnologias. Finalmente, pode haver dependência de comportamentos, como comer, fazer compras, fazer exercícios físicos ou relações sexuais.

Uma das principais diferenças entre dependência de substâncias e comportamentos ou tecnologias é que, nas dependências de substâncias, os sintomas de abstinência são muito mais intensos e a politoxicomania ocorre com mais frequência.

Qual é o propósito da prevenção?

O objetivo da prevenção da toxicodependência é alcançar uma redução ou eliminação da toxicodependência e dos problemas associados. Essa redução pode ser feita com duas medidas gerais:

– Detectar e reduzir os fatores de risco do vício; isto é, o que facilita o início ou a manutenção do consumo.

-Poder dos fatores de proteção; isto é, o que favorece o desenvolvimento da pessoa e a orienta para um estilo de vida saudável.

Essa prevenção não será realizada apenas com o indivíduo, mas em uma estrutura de educação para a saúde e bem-estar voltada para uma comunidade inteira.

População para a qual direcionar a prevenção

Os programas e ações destinados a prevenir os vícios deverão levar em consideração uma série de populações:

-A sociedade: fortalecer entidades sociais, promover valores culturais de responsabilidade familiar e pessoal, habilidades sociais, ações informativas de longo prazo …

Relacionado:  Substâncias psicoativas: características e tipos

-A família: melhoria da coesão familiar, participação das famílias para melhorar a prevenção, informação às famílias …

-Crianças, adolescentes e jovens: jovens e adolescentes são a população que consome drogas como álcool ou cannabis. É necessário considerá-los para aplicar as ações de prevenção e desenvolvê-las.

Comunidade educacional: envolvimento de estudantes, famílias e professores e sua coordenação com os centros de saúde.

– População trabalhista: envolvimento de empresas, trabalhadores e sindicatos

Ações para a prevenção de vícios

Como prevenir vícios em adolescentes e adultos 2

Os programas de prevenção de dependência podem ser realizados em três níveis:

1) Atenção primária

– Estabelecer programas de educação sobre drogas, vícios e educação em saúde

– Informar a população infantil e adulta sobre o uso e os efeitos dos medicamentos.

2) Prevenção secundária

– Detectar vícios

– Estabelecer um contato com a pessoa para encontrar soluções, buscando conhecer o vício e informando sobre os recursos e as alternativas disponíveis.

– Motivar e promover uma atitude favorável em relação à mudança

– Promover relações pessoais estáveis ​​e saudáveis ​​nas famílias com dependentes.

3) Prevenção ou assistência terciária

– Avaliar o estado físico e psicológico do viciado em propor um tratamento e acompanhamento

– Estabelecer um sistema de atendimento para situações de emergência devido ao uso de substâncias

– Incentive a pessoa viciada a estabelecer contato constante com os centros de prevenção próximos à sua casa.

Metas para conviver com adolescentes

Como prevenir vícios em adolescentes e adultos 3

Os principais objetivos a serem alcançados com crianças, adolescentes e jovens em geral:

– Informar a população em geral sobre o fenômeno da toxicodependência

– Estabelecer modelos positivos

– Reduzir a idade de aparecimento de substâncias viciantes

– Identificar causas que possam gerar situações de risco para o início do uso de drogas, propondo propostas de ação

Relacionado:  Drogas inalantes: tipos, características e consequências

– Intervir nas condições sociais que afetam o consumo de substâncias capazes de gerar dependência

– Educar a população para a tomada de decisão responsável

– Implementar e desenvolver programas de prevenção comunitária.

– Limitar a presença, promoção e venda de drogas no ambiente social

– Minimizar os danos associados ao uso de drogas

– Promover atividades de treinamento e lazer

– Gerar alternativas de lazer, cultura e tempo livre, promovendo hábitos de vida saudáveis.

Vícios mais frequentes

Os tipos de drogas que causaram mais dependência na Europa e na América Latina são:

Álcool

  • 3,3 milhões de pessoas morrem a cada ano no mundo como resultado do consumo nocivo de álcool, representando 5,9% de todas as mortes.
  • O uso nocivo do álcool é um fator causal em mais de 200 doenças e distúrbios.
  • Existe uma relação causal entre o consumo nocivo de álcool e uma série de transtornos mentais e comportamentais, além de doenças e traumas não transmissíveis.

Tabaco

  • O tabaco mata até metade de seus consumidores.
  • O tabaco mata quase 6 milhões de pessoas por ano, das quais mais de 6 milhões são consumidores do produto e mais de 600.000 são não-fumantes expostos ao fumo passivo.
  • A menos que sejam tomadas medidas urgentes, o número anual de mortes pode chegar a mais de 8 milhões até 2030.
  • Quase 80% dos bilhões de fumantes do mundo vivem em países de baixa ou média renda.

Cannabis

O cultivo e a produção de maconha (maconha) continuam generalizados, mas a produção de resina de maconha (haxixe) ainda é limitada a alguns países do norte da África, do Oriente Médio e do sudoeste da Ásia.

Leia aqui mais de suas consequências.

Cocaína

O uso de cocaína ainda é mais concentrado na América, Europa e Oceania, enquanto praticamente toda a produção mundial é realizada em três países da América do Sul. Tem sérios efeitos colaterais.

Relacionado:  Drogas legais: tipos, características e efeitos

O que é uma droga?

Como prevenir vícios em adolescentes e adultos 4

Segundo a OMS, um medicamento é qualquer substância que, quando introduzida em um organismo vivo, modifica uma ou mais de suas funções. Esta definição inclui substâncias tóxicas, medicamentos e alguns alimentos.

Para esclarecer dúvidas, álcool e tabaco são drogas, embora isso seja permitido em praticamente todos os países ocidentais.

Ambas as substâncias produzem efeitos no nível neuronal, gerando alterações estruturais no cérebro a médio e longo prazo.

São substâncias psicoativas que têm a capacidade de modificar a atividade mental:

  • Percepção
  • Emoções
  • Sensações
  • Comportamentos
  • Pensando

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies