Conferências Punchauca: reuniões e consequências

As Conferências Punchauca foram uma série de reuniões entre o vice-reinado do Peru e representantes dos rebeldes que buscavam a independência do território. As negociações ocorreram entre maio de 1821 e junho do mesmo ano.

Após vários anos de confrontos armados entre monarquistas e independentistas, San Martín desembarcou no Peru em 1820. Em poucos meses, ele conseguiu derrotar a maior parte das tropas monarquistas e se preparou para negociar com o vice-reinado.

Conferências Punchauca: reuniões e consequências 1

Entrevista de José de San Martín com o vice-rei José de la Serna em 1820 – Fonte: Juan Lepiani. Enviado por: Fernando murillo gallegos [CC BY-SA 3.0 (https://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0) undefined GFDL (http://www.gnu.org/copyleft/fdl.html)], indefinido

As primeiras reuniões foram chamadas de Conferência de Miraflores. As conversas entre San Martín e o vice-rei Pezuela foram resolvidas sem acordo, pelo que o conflito continuou. A coroa espanhola, diante do impulso dos independentistas, reagiu substituindo o vice-rei e solicitando novas negociações.

Estes ocorreram no Punchauca, uma fazenda perto de Lima. A proposta de San Martín, basicamente declarando independência sob uma monarquia governada por um Bourbon, foi rejeitada pelas autoridades. Depois disso, o exército patriótico tomou a capital e declarou independência, embora a guerra ainda durasse vários anos.

Antecedentes

Como em outras partes da América Latina, a invasão napoleônica da Espanha e a renúncia forçada ao trono de Fernando VII causaram preocupação no Peru. Uma das conseqüências foi a criação de conselhos autônomos que reivindicavam o autogoverno, mantendo a fidelidade aos reis espanhóis.

O vice-rei Abascal respondeu aos levantes que ocorreram no Alto Peru, Quito, Chile e Argentina através de armas. A partir desse momento, as insurreições resultaram em guerras de independência.

Expedição Libertadora

Em 1820, a situação era muito favorável para os defensores da independência. Naquele ano, a expedição libertadora de San Martin desembarcou no Peru do Chile.

O objetivo do líder rebelde era convencer a população a se juntar ao seu exército. A princípio, ele evitou confrontar tropas realistas, muito superiores em número e armas. A tática foi um sucesso, alcançando que entre o final de 1820 e o início de 1821, quase todo o norte do Peru era de fato independente.

Relacionado:  Revolução Industrial no México: Antecedentes e Impacto

Para encerrar o conflito sem derramamento de sangue, San Martín aceitou o chamado do vice-rei Joaquín de la Pezuela para negociar.

Conferência Miraflores

A iniciativa de realizar a Conferência de Miraflores começou em Virrey Pezuela. Em nome da coroa espanhola, ele tentou convencer San Martín a desistir de seus esforços de independência. As posições estavam distantes e as conversas terminaram em fracasso.

A impossibilidade de chegar a um acordo levou San Martín a continuar a guerra. Seus planos eram bloquear Lima, tanto por mar como por terra. Suas tropas não pararam de crescer em número, enquanto os monarquistas diminuíram com a deserção de numerosos soldados.

O vice-rei Pezuela acabou perdendo o apoio de seus generais. Em 29 de janeiro de 1821, uma rebelião liderada por eles, chamada motim de Aznapuquio, significou a demissão de Pezuela. Seu substituto foi José de la Serna, que foi confirmado como novo vice-rei pela coroa.

Novas negociações

As autoridades espanholas enviaram Manuel Abreu ao Peru, com novas instruções para tentar chegar a um acordo pacífico com os independentes. Essa provisão ocorreu devido à mudança de governo na metrópole, que iniciou o chamado Triênio Liberal .

La Serna entrou em contato com San Martín, em abril daquele ano, para manter novas conversas. O líder da independência aceitou e concordou que a sede das reuniões seria a fazenda de Punchauca, a cerca de 25 quilômetros de Lima.

Primeira reunião em Punchauca

As primeiras reuniões em Punchauca foram realizadas por Tomás Guido, Juan García del Rio e José Ignacio de la Roza, como representantes de San Martín, e Manuel Abreu, Manuel de Llano, José María Galdeano, pelo vice-reinado. Essas reuniões começaram em 4 de maio de 1821.

Relacionado:  O que os olmecas fizeram?

A posição dos enviados por San Martín era pedir a independência das Províncias Unidas do Rio da Prata, Chile e Peru. Os espanhóis, por sua vez, recusaram-se a atender a esse pedido.

Dada essa disparidade absoluta, as reuniões serviram apenas para declarar um cessar-fogo de 20 dias e para agendar uma reunião pessoal entre o próprio San Martin e o vice-rei La Serna.

Encontro entre San Martín e La Serna

O encontro entre La Serna e San Martín ocorreu em 2 de junho. Segundo os cronistas da época, a atmosfera era muito amigável e descontraída.

Propostas

Abreu, também presente na reunião, disse que a proposta de San Martín era começar com a instalação de uma regência, com uma presidência ocupada por La Serna. O governo seria concluído com dois membros, cada um representando um dos lados.

Do mesmo modo, San Martín buscou a unificação dos dois exércitos combatentes. Depois disso, a independência seria declarada. O próprio San Martin, de acordo com sua proposta, viajaria para a Espanha para pedir às Cortes que escolhessem um príncipe Bourbon para proclamá-lo rei do Peru.

Os historiadores apontam que o plano de São Martinho parecia convencer o vice-rei e o resto de sua delegação. Eles até declararam que a intenção do líder da independência de viajar para a Espanha era um gesto que mostrava sua boa vontade.

La Serna pediu dois dias para consultar seus oficiais. Segundo especialistas, dois dos generais mais importantes, Canterac e Valdés, se opuseram fortemente ao plano de San Martín.

Para eles, era apenas uma manobra para ganhar tempo. O vice-rei disse que precisava de instruções da Coroa para aceitar a proposta.

Transferência de reunião

Apesar da falta de resposta, as reuniões entre os delegados continuaram. As novas reuniões ocorreram em Miraflores devido ao mau tempo em Punchauca.

Relacionado:  História da Jalisco: Principais Recursos

O resultado dessas negociações foi bastante baixo: apenas o armistício foi prorrogado por mais 12 dias, sem avançar no mérito.

As reuniões continuaram a bordo de um navio neutro, o Cleópatra, sem alcançar nenhum progresso além de concordar em uma troca de prisioneiros.

Consequências

O fracasso das Conferências Punchauca significou o fim de qualquer esperança de acabar com a guerra sem mais derramamento de sangue. Os espanhóis não estavam dispostos a reconhecer a independência e San Martin e seus homens tiveram que voltar às armas.

Alguns historiadores afirmam que, na realidade, San Martín sabia que a Espanha não aceitaria sua proposta e que ele só queria economizar tempo para organizar melhor seus próximos movimentos.

Por outro lado, a defesa do sistema monárquico de San Martín, claramente visível em Punchauca, foi discutida pelos independentistas peruanos, apoiadores da república.

Tomada de Lima e proclamação da independência

As tropas comandadas por San Martín partiram para Lima. Lá, após o bloqueio a que foram submetidos, a comida começou a ser escassa. Finalmente, La Serna e o exército realista deixaram a cidade, entrincheirando-se em Cuzco.

O exército de San Martín conseguiu entrar em Lima sem ter que lutar. Em 28 de julho de 1821, na Plaza Mayor de Lima, San Martín proclamou a independência do Peru. A guerra, no entanto, ainda duraria vários anos.

Referências

  1. Paredes M., Jorge G. San Martín, a Expedição pela Libertação do Sul e a independência dos povos do Peru. Recuperado de er-saguier.org
  2. Faculdade de Direito. Independência do Peru Obtido em law.usmp.edu.pe
  3. Guido, Tomás. A Entrevista Punchauca. Obtido em carabayllo.net
  4. James S. Kus, Robert N. Burr e outros. Peru Obtido em britannica.com
  5. A Biografia Biografia de José de la Serna e Martínez de Hinojosa (1770-1832). Obtido em thebiography.us
  6. Minster, Christopher. Biografia de Jose de San Martin. Obtido em thoughtco.com

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies