Corynebacterium: características, taxonomia, morfologia, cultura

Corynebacterium é um gênero de bactérias gram-positivas, não esporuladas, que são amplamente distribuídas no ambiente e também podem ser encontradas como parte da microbiota normal da pele e das mucosas de animais e seres humanos. Pertencentes à família Corynebacteriaceae, as espécies desse gênero apresentam uma grande diversidade em termos de características bioquímicas, fisiológicas e genéticas. Morfologicamente, as bactérias do gênero Corynebacterium são bastonetes curtos ou alongados, com extremidades arredondadas, formando arranjos em palitos ou em forma de “V”. Em cultura, crescem bem em meios de cultivo comuns, como ágar sangue, ágar MacConkey e ágar chocolate, e requerem condições aeróbicas para o seu desenvolvimento. A taxonomia do gênero Corynebacterium é constantemente revisada e atualizada com novas espécies sendo descritas com base em estudos moleculares e fenotípicos.

Características das bactérias Corynebacterium: o que você precisa saber sobre esse gênero?

Características das bactérias Corynebacterium: o que você precisa saber sobre esse gênero? As bactérias do gênero Corynebacterium são conhecidas por sua forma de bastonete e sua capacidade de causar doenças em humanos e animais. Pertencentes à família Corynebacteriaceae, esses microrganismos são encontrados em diversos ambientes, como solo, água e plantas. Eles são aeróbicos ou facultativamente anaeróbicos, ou seja, podem sobreviver tanto na presença quanto na ausência de oxigênio.

Taxonomia: As bactérias do gênero Corynebacterium fazem parte da ordem Actinomycetales e da classe Actinobacteria. Existem várias espécies dentro desse gênero, sendo algumas delas patogênicas para humanos, como Corynebacterium diphtheriae, agente causador da difteria.

Morfologia: As bactérias Corynebacterium são em forma de bastonete e geralmente apresentam-se agrupadas em arranjos irregulares. Possuem uma parede celular rica em ácidos micólicos, o que confere resistência e características únicas a esses microrganismos.

Cultura: Para cultivar bactérias do gênero Corynebacterium, é necessário um meio de cultura adequado, como o meio de Löwenstein-Jensen. Essas bactérias crescem bem em temperaturas entre 30°C e 37°C e são frequentemente isoladas de amostras clínicas, como secreções respiratórias e lesões de pele.

Em resumo, as bactérias do gênero Corynebacterium são microrganismos de importância médica e ambiental, com características únicas que as distinguem de outros grupos bacterianos. Seu estudo é essencial para o entendimento de doenças infecciosas e para o desenvolvimento de estratégias de controle e prevenção. É fundamental estar atento às medidas de biossegurança ao lidar com esses microrganismos, a fim de evitar a disseminação de doenças.

Morfologia da difteria: características e estrutura da bactéria causadora da doença respiratória.

A Corynebacterium é um gênero de bactérias gram-positivas, anaeróbias facultativas, que inclui várias espécies patogênicas para os seres humanos. Uma das espécies mais conhecidas é a Corynebacterium diphtheriae, responsável pela difteria, uma doença respiratória grave que pode levar à morte se não for tratada adequadamente.

A Corynebacterium diphtheriae apresenta uma morfologia característica, sendo em forma de bastonetes alongados com extremidades arredondadas. Possui uma parede celular rica em ácido micólico, que confere resistência e estabilidade à bactéria. Além disso, a Corynebacterium diphtheriae produz toxinas que são responsáveis pelos sintomas da difteria, como a formação de uma pseudomembrana na garganta.

Em cultura, a Corynebacterium diphtheriae cresce bem em meios seletivos como o agar sangue, formando colônias cinzentas ou brancas, geralmente com aspecto granular. A bactéria é catalase-positiva e produz a enzima urease, características que auxiliam na sua identificação laboratorial.

Em resumo, a Corynebacterium diphtheriae é uma bactéria gram-positiva, anaeróbia facultativa, que apresenta uma morfologia em forma de bastonetes alongados. Sua parede celular rica em ácido micólico e a produção de toxinas são importantes para a patogenicidade da bactéria. Em cultura, a Corynebacterium diphtheriae cresce bem em meios seletivos, facilitando sua identificação em laboratório.

Relacionado:  Processo de hominização: características e fases

Quais são as causas do Corynebacterium?

O Corynebacterium é um gênero de bactérias Gram-positivas, pertencente à família Corynebacteriaceae. São bacilos pleomórficos, imóveis e aeróbios facultativos. Podem ser encontrados no solo, água, plantas e animais, incluindo seres humanos. A principal espécie patogênica desse gênero é o Corynebacterium diphtheriae, responsável pela difteria.

As causas do Corynebacterium estão relacionadas principalmente à transmissão direta de pessoa para pessoa, por meio de gotículas respiratórias infectadas. A presença da bactéria nas vias respiratórias superiores de um indivíduo pode levar à disseminação da doença. Além disso, a falta de higiene pessoal e condições de vida precárias podem favorecer a propagação do Corynebacterium.

Outro fator importante a ser considerado é a baixa imunidade do hospedeiro, que torna o organismo mais suscetível à infecção pelo Corynebacterium. Indivíduos com sistemas imunológicos comprometidos, como os pacientes com HIV/AIDS, estão mais propensos a desenvolver doenças causadas por essas bactérias.

Portanto, a prevenção das infecções por Corynebacterium inclui medidas de higiene pessoal, como a lavagem frequente das mãos, a vacinação contra a difteria e a promoção de condições de vida adequadas. O diagnóstico precoce e o tratamento adequado também são fundamentais para evitar complicações decorrentes das infecções por Corynebacterium.

Principais espécies patogênicas de Corynebacterium: conheça as mais importantes para a saúde.

Corynebacterium é um gênero de bactérias gram-positivas, aeróbias ou anaeróbias facultativas, que se caracterizam por sua forma de bastonete e pela presença de ácido micólico em sua parede celular. São bactérias saprófitas comuns na microbiota da pele e das mucosas, mas também podem causar infecções em humanos, especialmente em indivíduos imunocomprometidos.

A taxonomia do gênero Corynebacterium é complexa, com mais de cem espécies descritas, sendo as mais relevantes do ponto de vista clínico as seguintes: Corynebacterium diphtheriae, Corynebacterium jeikeium e Corynebacterium ulcerans. Estas espécies são conhecidas por causar doenças como difteria, endocardite e infecções de pele, respectivamente.

Em relação à morfologia, as bactérias do gênero Corynebacterium apresentam-se como bastonetes irregulares, dispostos em padrões variados. Na cultura, crescem bem em meios de agar sangue e podem formar colônias brancas, amarelas ou cinzentas, dependendo da espécie.

É importante destacar que algumas espécies de Corynebacterium são parte da microbiota normal do ser humano e não costumam causar problemas de saúde. No entanto, em determinadas condições, como baixa imunidade, essas bactérias podem se tornar patogênicas e desencadear doenças graves.

Portanto, é essencial conhecer as principais espécies patogênicas de Corynebacterium e estar atento aos sinais e sintomas de possíveis infecções. O diagnóstico preciso e o tratamento adequado são fundamentais para prevenir complicações e garantir a saúde e o bem-estar dos pacientes.

Corynebacterium: características, taxonomia, morfologia, cultura

Corynebacterium é um gênero de bactérias pertencentes à classe Actinobacteria, cujos membros são caracterizados por serem Gram-positivos. Eles exibem duas ou mais formas estruturais durante seu ciclo de vida (ou seja, são pleomórficos). Eles não são móveis ou encapsulados e não formam esporos.

As bactérias do gênero Corynebacterium podem estar presentes no solo, na água, em plantas e animais. Algumas espécies são saprófitas, outras comem animais e outras são patogênicas.

Relacionado:  Flora e fauna da costa peruana: espécies representativas

Corynebacterium: características, taxonomia, morfologia, cultura 1

Corynebacterium durum. Tirada e editada em http://microbe-canvas.com/Bacteria.php?p=1380

Representantes patogênicos são responsáveis ​​por doenças como difteria ( Corynebacterium diphtheria ) e linfadenite caseosa ( C. pseudotuberculosis ). Eles também podem causar doenças nosocomiais.

Algumas espécies deste gênero (por exemplo, C glutamicum e C feeiciens ) são importantes na biotecnologia para a produção de aminoácidos e outros compostos.

Características gerais

As bactérias do gênero Corynebacterium pertencem a um grupo chamado CMN, que inclui membros das famílias Corynebacteriaceae, Mycobacteriaceae e Nocardiaceae.

Todas as bactérias deste grupo compartilham duas características comuns. Uma dessas características é a proporção de guanina (G) e citosina (C) em relação a outras bases nitrogenadas. A outra característica é a estrutura da parede celular .

O gênero é composto por organismos Gram-positivos pleomórficos. São catalase postitiva, não formam esporos (não esporulam) nem são resistentes ao álcool ácido.

Geralmente as espécies de Corynebacterium são fermentativos oxidativos e opcionais no seu metabolismo de carboidratos ou açúcares (carboidratos).

Com relação ao conteúdo de G e C, é alto e pode ser superior a 70%. Enquanto isso, a parede celular é composta de peptidoglicano, arabinogalactano e ácido micólico.

Todos os Corynebacterium são catalase-positivos, no entanto, alguns são fermentativos, outros oxidativos. Outras espécies não fermentam nem oxidam.

Taxonomia

O gênero Corynebacterium foi erguido por Lehmann e Neumann em 1896 para agrupar os bacilos produtores de difteria. Atualmente, inclui cerca de 80 espécies validamente descritas. Mais da metade dessas espécies são consideradas clinicamente relevantes.

A família Corynebacteriaceae, que inclui os gêneros Corynebacterium e Turicella, está taxonomicamente localizada na classe Actinobacteria, ordem Actinomycetales. Pertence ao grupo CMN (Corynebacteriaceae, Mycobacteriaceae e Nocardiaceae). Este grupo carece de validade taxonômica.

Alguns autores dividem artificialmente o gênero Corynebacterium em dois grupos; por um lado, as espécies da difteria e, por outro, as não-difteria corinebactérias (CND).

Esta divisão, baseada no potencial das espécies em produzir difteria, não tem validade taxonômica. Entre as CND, existem espécies não patogênicas e responsáveis ​​por doenças, principalmente do tipo hospitalar.

Outros métodos de identificação taxonômica

No que se refere à taxonomia molecular, as técnicas aplicadas à caracterização e identificação de bacilos Gram-positivos levaram à descrição de novas espécies do gênero Corynebacterium , principalmente amostras clínicas humanas.

Os métodos moleculares utilizados para caracterizar essas bactérias incluem análise genética de 16S rRNA e seqüenciamento de rDNA, hibridização de ácidos nucleicos, entre outros.

Também são utilizadas análises da presença e quantidade de peptidoglicanos, determinação de ácidos micólicos, identificação de menaquinona, análise de ácidos graxos celulares, espectroscopia no infravermelho, detecção das enzimas pré-formadas glucosidase ou aminopeptidase, entre outras análises.

Morfologia

As bactérias do gênero Corynebacterium são pleomórficas (ou seja, podem ter várias formas diferenciadas). Eles podem ter a forma de coco, haste filamentosa, taco ou cabo de chicote. Eles podem ser retos ou com extremidades incorridas.

Seu comprimento será entre 2 e 6 μm, enquanto seu diâmetro será próximo de 0,5 μm.

As colônias podem ser apresentadas na forma de paliçadas ou caracteres chineses. São colônias pequenas, granulares e de cores variáveis, branco amarelado, cinza ou preto. Suas bordas podem ser contínuas, serrilhadas ou intermediárias entre elas, dependendo do meio de cultura.

Na parede celular, apresentam peptidoglicano, arabinogalactano e ácido micólico. Além destes, também possui ácido mesodiaminopimélico no tetrapeptídeo de mureína.

Uma característica exclusiva do gênero é a presença de locais de “inserção ou exclusão” (indels) conservadores ou fixos. Entre esses inedeles fixos estão a inserção de dois aminoácidos na enzima fosforibosfosfato e a inserção de três aminoácidos na acetato-quinase.

Relacionado:  Terpenos: características, estrutura, função, classificação

Cultura de Corynebacterium

Embora o Corinebacterium , em geral, não seja muito exigente em relação aos meios de cultura, alguns deles têm requisitos muito específicos para o seu crescimento. Todos requerem biotina e alguns também requerem tiamina e ácido p-aminobenzóico.

O crescimento inicial é lento, mas depois melhora rapidamente. Um meio amplamente utilizado para o cultivo de espécies desse gênero é o meio Loeffler. Este meio contém soro de cavalo, infusão de carne, dextrose e cloreto de sódio .

O meio Loeffler é seletivo para C. diphtheriae, se for adicionado telurito. Enquanto isso, a maioria dos CNDs mostra melhor crescimento em meios com ovinos e caldo de sangue, cérebro enriquecido com lipídios como 0,1% a 1,0% de Tween 80 ou caldo de carboidratos enriquecido com soro.

Corynebacterium: características, taxonomia, morfologia, cultura 2

Corynebacterium diphtheriae em ágar sangue. Tirada e editada em https://www.pinterest.com/pin/572379433885538978/?lp=true

Patogênese

A difteria, produzida por Corynebacterium diphtheriae , é transmitida entre humanos através de partículas contaminadas transferidas durante a respiração. A bactéria produz uma toxina que inibe a síntese de proteínas celulares.

Também destrói tecidos e cria uma pseudomembrana. Entre os efeitos da toxina estão as condições do trato respiratório, miocardite, neurite e necrose tubular renal. A difteria pode causar a morte.

Cerca de 50 das corinebactérias que não são da difteria foram associadas a infecções humanas ou animais. As principais infecções em humanos causadas por CND são de origem hospitalar e afetam pessoas com sistema imunológico enfraquecido.

Entre as espécies causadoras de doenças e mais comumente isoladas em humanos estão C. striatum , C. jeikeium , C. urealyticum e C. pseudodiphteriticum .

Entre as doenças humanas causadas por CND, foram relatadas infecções do trato urinário, infecções de pele, infecções associadas a dispositivos protéticos, osteomielite, artrite séptica, endocardite, peritonite, abscesso cerebral, bacteremia, meningite, trabalho de parto prematuro e abortos espontâneos. . Essas doenças nosocomiais aumentaram sua ocorrência nos últimos anos.

Algumas espécies de Corynebacterium afetam os animais. Por exemplo, C. pseudodiphteriticum produz patologias como: linfadenite caseosa em ovinos, bovinos e outros ruminantes. Também causa abortos (em ovelhas) e foliculite (em cavalos).

Referências

  1. C. Winn, S. Allen, WM Janda, EW Koneman, GW Procop, PC Schreckenberger, GL Woods (2008). Diagnóstico Microbiológico, Atlas de Texto e Cor (6ª ed.). Buenos Aires, Argentina. Editorial médico pan-americano. 1696 pp.
  2. A. Von Graevenitz, K. Bernard (2006), capítulo 1.1.16. O gênero Corynebacterium – Médico. Procariontes
  3. V. Ramana1, G. Vikram, PP Wali, K. Anand, M. Rao, SD Rao, R. Mani, V. Sarada, R. Rao (2014). Corinebactérias não difteríticas (CDN) e seu significado clínico: a perspectiva do microbiologista clínico. American Journal of Epidemiology and Infectious Disease.
  4. A. Dorella, LGC Pacheco, SC Oliveira, A. Miyoshi, V. Azevedo (2006). Pseudotuberculose de Corynebacterium: microbiologia, propriedades bioquímicas, patogênese e estudos moleculares da virulência. Pesquisa Veterinária
  5. M. Maheriya, GH Pathak, AV Chauhan, MK Mehariya, PC Agrawal (2014). Perfil clínico e epidemiológico da difteria no atendimento terciário Hospital Gujarat Medical Journal.
  6. Na Wikipedia Recuperado em 26 de setembro de 2018 em https://en.wikipedia.org/wiki/Corynebacterium.
  7. C. Pascual, PA Lawson, JAE Farrow, MN Gimenez, MD Collins (1995). Análise filogenética do gênero Corynebacteriurn com base nas seqüências do gene 16s rRNA. Revista Internacional de Bacteriologia Sistemática.

Deixe um comentário