Democratização do conhecimento: aspectos positivos e negativos

A democratização do conhecimento consiste na possibilidade de que uma grande porcentagem da população humana possa acessar informações gratuitamente ou a baixo custo. Esse fenômeno social ocorre principalmente graças à Internet, tecnologia com a qual milhares de sites que contêm informações sobre todos os tópicos imagináveis ​​podem ser acessados.

Alguns dos aspectos positivos da democratização do conhecimento são a possibilidade de aprender mais e com baixo custo ou ser capaz de aprender com o caso. Alguns dos aspectos negativos são a necessidade de filtrar informações e saber quais fontes são confiáveis.

Democratização do conhecimento: aspectos positivos e negativos 1

Este fato recente na história da humanidade permite a idéia de oferecer um aprendizado projetado para as habilidades individuais do aluno. É um ideal educacional, de nível internacional, comprometido em romper com a padronização do ensino, através da criação de novos modelos educacionais.

Para conseguir isso, é importante eliminar os velhos paradigmas impostos por séculos, nos quais uma única mensagem ou modelo foi oferecido a um grupo de indivíduos com diferentes habilidades e habilidades genéticas.

Esse processo tem como premissa que cada pessoa é única, para que cada um aprenda de maneira diferente.

Como estão os jovens desse modelo?

A democratização do conhecimento considera os jovens não como receptores passivos de conhecimento, mas como co-criadores ativos de sua própria aprendizagem. Eles asseguram que uma sociedade baseada na participação, no empoderamento e na democracia tenha uma educação baseada nesses mesmos valores.

Com base no conceito original de democracia (governo do povo), a intenção desse processo educacional inclusivo é capacitar os cidadãos a melhorar suas condições educacionais.

Aspectos positivos

Esse modelo levanta uma série de aspectos positivos para a modernização da aprendizagem, que inclui estudantes e professores com voto igual nas decisões sobre sua aprendizagem.

Alguns aspectos positivos foram discutidos durante a Conferência Internacional sobre Democratização da Educação (IDEC), realizada na Alemanha em 2005. Alguns deles são:

– Ser capaz de decidir individualmente como, quando, o que, onde e com quem aprender.

-Tenha participação igual na tomada de decisões na forma como as escolas são administradas, incluindo suas regras e penalidades, se necessário.

Os propulsores dessa reforma educacional, a longo prazo, planejam desenvolver cidadãos que trabalham para criar sociedades melhores.

Para os especialistas, um dos aspectos mais importantes desse processo é o fato de os alunos assumirem sua própria educação, pois, dessa maneira, há um maior comprometimento em trabalhar para o seu próprio bem.

Outros benefícios adicionais incluem:

-Mais freqüência nas aulas.

-Melhor participação em atividades educacionais.

-Fixando objetivos maiores.

-Aumentar a motivação em geral.

Eles garantem que a democratização do conhecimento ensine aos alunos o valor de ser um verdadeiro participante em seu próprio ambiente, garantindo que sua voz seja ouvida e levada em consideração.

Essa opinião sobre a integração dos estudantes e a individualização de sua educação continua sendo replicada em todo o mundo. Eles afirmam que, para uma educação ser democrática, não pode ser limitada às quatro paredes da sala de aula.

Negativos

A democratização do conhecimento levanta uma série de aspectos que ainda precisam ser aprimorados:

-É um processo de desenvolvimento contínuo, que ainda não está aperfeiçoado e gera opiniões e reformas contínuas de especialistas de todo o mundo.

-O processo precisa se adaptar não apenas ao indivíduo, mas à comunidade de onde vem. O aspecto cultural é extremamente importante e pode ser difícil mesclar com êxito o aspecto indivíduo-ambiente.

– Implica confiar ao aluno a responsabilidade de tomar decisões que possam funcionar de maneira diferente entre um indivíduo e outro, levando em consideração seu desejo de participar, integração social e maturidade.

-Um dos desafios da democratização do conhecimento é conseguir que seu alcance alcance todos os estratos sociais, e não apenas escolas ou comunidades com tendências de vanguarda.

-Outros aspectos a serem levados em consideração é a resistência à mudança que professores e alunos poderiam ter diante de um modelo educacional diferente.

Superando obstáculos à democratização do conhecimento

Pode ser positivo que os alunos tenham a oportunidade de escolher seu próprio caminho educacional e controlar seus objetivos, mas uma série de elementos deve ocorrer para que a democratização seja executada:

-Os professores devem ir além da educação convencional para construir uma experiência mais relevante e envolvente que se conecte à vida dos jovens.

As escolas devem dar o exemplo, implementando diariamente a democratização em suas instalações, mostrando sua maneira de tomar decisões e promovendo projetos que integram o aluno à sua comunidade.

As instituições devem incluir em sua terminologia frases como “escolas democráticas” e outras estratégias para incentivar a prática desses valores.

-Criação de fóruns nos quais a participação dos jovens é realmente contada, através de conselhos estudantis, que os colocam em contato com a tomada de decisão de sua escola.

– Permitir que pais e representantes sejam educados sob esse ideal por meio de centros de aprendizado que os vinculem ao modelo de aprendizado.

-Cidades e distritos escolares comprometidos em criar reformas para um aprendizado personalizado. Quebrando a estrutura convencional para construir uma “cidade educacional”.

-Estabelecer programas extracurriculares gratuitos, para motivar os jovens a explorar seus interesses pessoais e conectá-los à comunidade fora da escola.

Presença de conselhos que colocam os jovens em contato com o trabalho de seus legisladores, prefeitos e governadores.

– As universidades devem continuar o trabalho iniciado nas escolas, comprometendo os alunos com o desenvolvimento de seus próprios planos educacionais de longo prazo.

Essas universidades também precisam se comprometer a treinar professores para uma educação progressiva e democrática.

Com o olhar no futuro

A democratização da educação rompe a eterna barreira entre o aluno e seu instrutor, uma das reformas mais profundas dos últimos anos para modificar o futuro da cidadania mundial.

Este novo modelo de ensino não beneficiaria apenas o aluno. Uma reforma dessa magnitude também permitirá que os professores eliminem barreiras pessoais e educacionais na maneira de transmitir seus conhecimentos.

Essa mudança poderia criar uma geração humana melhor preparada devido às múltiplas opções educacionais que elas teriam, mais responsáveis, independentes, mais autoconfiantes e conectadas com o ambiente.

Referências

  1. Instituto de Educação Democrática da América. “O que é educação democrática”. democreducation.org
  2. Rede Internacional de Educação Democrática. idenetwork.org
  3. A educação modelo de Sudbury. 2011 . sudburyschool.com/conten/sudbury-model-education
  4. Igualdade de Oportunidades Educacionais 2017. Enciclopédia de Stanford de filosofia. dish.stanford.edu
  5. Maria Luz Torres. Organizador de Parent Voices SF. 2016.yesmagazine.org

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies