Diagnóstico psicopedagógico: características, elementos, fases, exemplo

Diagnóstico psicopedagógico: características, elementos, fases, exemplo

diagnóstico psicopedagógico  é uma das fases fundamentais de qualquer processo de ensino personalizado, bem como o conjunto de ferramentas que permitem sua correta execução. Baseia-se no estudo de todas as características psicológicas e educacionais de um aluno, com o objetivo de promover sua aprendizagem o máximo possível.

Embora possa ser útil em praticamente qualquer contexto de aquisição de conhecimento, o diagnóstico psicopedagógico é geralmente usado principalmente nos casos em que um aluno apresenta algum tipo de problema de aprendizagem. Seu objetivo é conhecer a realidade educacional do aluno da maneira mais completa possível.

Partindo de um bom diagnóstico psicopedagógico, os profissionais de ensino são capazes de projetar intervenções personalizadas que permitem solucionar o problema educacional específico. Para isso, várias ferramentas são usadas para saber o que acontece com a maior objetividade e profundidade.

O diagnóstico psicopedagógico busca compreender todos os aspectos que podem estar influenciando o processo de aprendizagem, desde a personalidade do aluno até a possível presença de distúrbios do desenvolvimento. Além disso, ele também tenta entender o contexto em que o aluno está.

Características do diagnóstico psicopedagógico

– Procura identificar um problema

A realização de um diagnóstico psicopedagógico pode ser muito útil em muitos contextos de aprendizagem diferentes. No entanto, por ser um processo muito caro, geralmente é usado apenas nos casos em que há um problema de aprendizado que não foi resolvido de outras maneiras.

Dessa forma, o diagnóstico psicopedagógico costuma ser entendido como um processo que ocorre em um determinado momento e que só prolonga o tempo necessário para identificar o problema e propor soluções para ele. Portanto, seu objetivo é muito claro e geralmente não dura por um período muito longo.

Relacionado:  Estresse infantil: sintomas, causas e prevenção

– Ocorre em contextos educacionais formais

Quem procura adquirir novos conhecimentos pode se beneficiar de um diagnóstico psicopedagógico. No entanto, devido à sua natureza complexa e formal, na maioria dos casos, essa técnica é usada apenas dentro do sistema educacional formal.

Assim, o mais comum é encontrar um diagnóstico psicopedagógico nas escolas ou institutos, no qual os professores ou o orientador são responsáveis ​​pela maior parte do trabalho.

– tem um objetivo específico

Ao contrário de outras técnicas educacionais com características semelhantes, o diagnóstico psicopedagógico é muito prático. Dessa forma, seu principal objetivo é entender os problemas que podem levar uma pessoa a não atingir seus objetivos de aprendizado e projetar uma intervenção apropriada com base no que foi descoberto.

Isso significa que, por natureza, o diagnóstico psicopedagógico é uma ferramenta com um ciclo de vida bem definido: começa a ser aplicado quando um problema educacional para o qual nenhuma solução é encontrada for detectada e deixa de ser usado no momento em que o plano de ação a seguir.

Elementos

O objetivo de um diagnóstico psicopedagógico é conhecer o mais profundamente possível as características de um aluno e o contexto em que ele está, a fim de projetar uma intervenção personalizada que o ajude a resolver seus problemas de aprendizagem. Por esse motivo, é necessário levar em consideração uma infinidade de elementos diferentes.

Aluna

Por um lado, a primeira coisa a ser estudada serão as características pessoais do aluno. Isso pode incluir todos os tipos de elementos diferentes, desde a sua personalidade e seus recursos mais destacados até os outros, como sua capacidade de gerenciar suas emoções, seus interesses, seu nível de motivação ou os possíveis problemas de aprendizado que possam surgir.

Relacionado:  O que é o paradigma humanista na educação?

Fatores biológicos

Certos elementos biológicos também serão levados em consideração. Nesse sentido, destaca-se a presença de certos distúrbios do desenvolvimento, como dislexia, distúrbios do espectro do autismo, DDA ou hiperatividade.

Contexto

Conhecer o contexto em que o aluno se desloca também é essencial para formular um diagnóstico psicopedagógico correto. Aspectos como o relacionamento com os pais ou com os colegas de classe, a história acadêmica, as características do centro e a situação socioeconômica podem ajudar a entender melhor a natureza dos problemas de aprendizagem apresentados por um aluno.

Fases do diagnóstico psicopedagógico

1- Investigação do problema

Uma vez detectado que existe uma dificuldade grave no aprendizado e determinado que é necessário realizar um diagnóstico psicopedagógico, o primeiro passo é realizar uma investigação profunda e exaustiva da situação. Nele serão estudados todos os elementos que vimos na seção anterior.

A idéia por trás dessa fase é coletar o máximo de informações possível sobre a situação do aluno e as causas mais prováveis ​​do seu problema. O objetivo é tornar a próxima fase, que busca fazer o diagnóstico em si, o mais simples possível.

2- Diagnóstico psicopedagógico

Essa fase começa assim que todos os dados existentes sobre as dificuldades dos alunos forem coletados. Nele, os profissionais tentam fazer um diagnóstico com base no que descobriram até agora, para que possam considerar um plano de ação para solucionar o problema.

3- Proposta do plano de ação

Com todos os dados já coletados e o diagnóstico concluído, o próximo passo envolve a realização de um plano de ação que visa solucionar o problema de aprendizagem do aluno.

Se as duas fases anteriores tiverem sido realizadas corretamente, essa etapa será muito simples, graças à existência de uma literatura abundante sobre os distúrbios de aprendizagem mais comuns.

Relacionado:  Os 160 blogs mais interessantes das universidades espanholas

4- Implementação e revisão

A última fase do diagnóstico psicopedagógico está relacionada à implementação do plano de ação e à revisão pela equipe de ensino dos resultados obtidos.

Se o problema foi resolvido, a intervenção será considerada um sucesso; mas se os resultados esperados não tiverem sido obtidos, será necessário iniciar o processo novamente.

Exemplo

Marcos é um aluno do 1º ano do ensino médio que tem muitos problemas para acompanhar seus colegas. Depois de realizar uma pesquisa minuciosa com a criança, seu conselheiro determina que ele tem um distúrbio de déficit de atenção, impedindo-o de se concentrar e aprender da melhor maneira possível.

Tendo detectado o problema, a equipe de ensino pode adaptar suas aulas para minimizar as dificuldades de Marcos e ajudar o próprio aluno a gerenciar suas necessidades especiais usando técnicas projetadas exclusivamente para esta patologia.

Referências

  1. “Diagnóstico psicopedagógico” em: Ecured. Retirado em: 02 de maio de 2020 de Ecured: ecured.cu.
  2. “Diagnóstico psicopedagógico: o que é?” in: Reconstruir. Recuperado em: 02 de maio de 2020 em Reconstruye: rebuild.com.
  3. “O diagnóstico psicopedagógico” em: Scribd. Retirado em: 02 de maio de 2020 em Scribd: scribd.com.
  4. “Diagnóstico psicopedagógico” em: Monografias. Retirado em: 02 de maio de 2020 em Monographs: monografias.com.
  5. “Psicopedagogia e o processo diagnóstico psicopedagógico: significado paradigmático da neurociência em sua abordagem clínica” em: Revista Psicopedagogía. Retirado em: 02 de maio de 2020 da Revista Psicopedagogía: pepsic.bvsalud.org.

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies