Economia circular: princípios, acordos, indústrias, modelos de negócios

A economia circular é um paradigma que promove o fluxo cíclico de extração, transformação, distribuição, uso e recuperação de materiais e energia de produtos e serviços. O termo foi cunhado pelos economistas David Pearce e Kerry Turner nos anos 90 do século XX.

Esta proposta visa gerar prosperidade econômica, proteger o meio ambiente e prevenir a poluição, promovendo o desenvolvimento sustentável. Para isso, busca reduzir a entrada de matéria-prima e a produção de resíduos, fechando os fluxos econômicos e ecológicos em loops.

Economia circular: princípios, acordos, indústrias, modelos de negócios 1

Os princípios básicos da economia circular são preservar e melhorar o capital natural, otimizar o desempenho dos recursos e promover a eficácia dos sistemas. Para este seis acções principais são propostos R egenerate (regenerar), S torna (partes), ó ptimise (optimizar), L oop (loops de conjunto), V irtualise (virtualizar) e E xchange (troca).

Entre os avanços em nível internacional para promover o paradigma da economia circular, destacam-se os da União Europeia. Para isso, promoveu a “Estratégia de Economia Circular” (2015), que abrange uma série de políticas para direcionar seus países membros para esse paradigma.

Em todo o mundo, mais e mais empresas adotam estratégias baseadas nos princípios da economia circular. Por exemplo, a empresa Recompute produz a carcaça de seus computadores com papelão reciclado.

A economia circular implica a possibilidade de novos modelos de negócios com base no valor retido pelo produto ou por seus materiais após o uso. Entre eles está o “sistema de serviço do produto” que fornece o serviço fornecido pelo produto sem transferir a propriedade.

No mundo hispânico, exemplos de economia circular começam a ser apreciados, principalmente na Espanha, onde são promovidas numerosas iniciativas desse paradigma. Assim, a Fundação Cotec, liderada pelo rei Felipe VI como presidente honorário, promove várias propostas.

Na América Latina, o desenvolvimento da economia circular mostra sinais claros de progresso. Na Colômbia, o Presidente Duque fez o lançamento oficial da Estratégia Nacional de Economia Circular em junho de 2019.

Por sua vez, no México, o Circular Economy Club (CEC) realizou a Semana de Mapeamento da Economia Circular em março de 2018. Enquanto na Argentina, a Agência de Proteção Ambiental promove o programa “Buenos Aires Produce Cleaner” para promover mudanças em direção a uma economia circular

Processo

A economia circular descreve um processo cíclico na dinâmica de energia e materiais durante sua cadeia de valor, estruturada nos seguintes componentes.

Uso de energia renovável e mudanças nos requisitos de matéria-prima

Economia circular: princípios, acordos, indústrias, modelos de negócios 2

Energia eólica. Fonte: Kenueone [CC0]

A única maneira possível de a economia de bens e serviços fechar em um ciclo é ser sustentada com base em energia renovável, eliminando as dependências de combustíveis fósseis.

Essa mudança drástica no modelo econômico mundial só seria possível com uma mudança nos modelos de vida e nos padrões de consumo, especialmente nos países desenvolvidos.

Além disso, a economia circular implica uma diminuição nos requisitos de matéria-prima devido à mudança nos padrões de uso de bens e serviços e sua remanufatura.

Os processos produtivos partem de materiais biológicos não tóxicos, para que no final do ciclo possam retornar à natureza após compostagem ou tratamento com outros processos biológicos.

Materiais sintéticos, como polímeros e ligas, devem ser utilizados de forma que possam ser reincorporados ao processo circular de produção quando forem recuperados e reutilizados, com o uso mínimo de energia e a mais alta qualidade.

Design, fabricação e produção

O design dos produtos é realizado mediante a desmontagem, reutilização e ciclagem de materiais biológicos e técnicos, garantindo que os materiais sejam desvalorizados o menos possível, para que possam ser reinseridos no processo de produção, proporcionando uma segunda vida útil do produto.

O design é feito em prol da durabilidade e atualização, eliminando estratégias prejudiciais, como obsolescência programada. Também promove o desempenho e a eficiência do produto.

A fabricação e produção de bens e serviços são baseadas em boas práticas e tecnologias ecológicas, para que o processo de produção não gere perdas de energia ou desperdício, sendo o mais sustentável possível.

Distribuição e comercialização

Em uma economia circular, as distâncias entre o local de fabricação e o local de comercialização são minimizadas, priorizando produtos locais ou nacionais. A diminuição de energia e materiais nas embalagens é garantida e práticas como a logística reversa são usadas.

Este último baseia-se na recuperação de embalagens, embalagens, resíduos e resíduos perigosos para reutilização, remanufatura, reciclagem ou disposição final.

A comercialização de bens e serviços deve refletir os preços reais dos produtos, sem terceirizar os custos sociais e ambientais.

Consumo, uso, reparo e reutilização

Economia circular: princípios, acordos, indústrias, modelos de negócios 3

Reparação de equipamentos Fonte: www.pixabay.com

A mudança nos padrões atuais de consumo é uma condição necessária para avançar em direção a uma economia circular real. Eles devem dar uma guinada em direção a modelos de consumo baseados em necessidades reais e mais coletivas, com base na aquisição de serviços por meio de empréstimos, trocas, trocas, trocas e aluguel de bens e serviços, para reduzir produtos subutilizados.

O reparo e a manutenção adequada de bens e serviços aumentam sua vida útil. Isso evita a necessidade de usar mais materiais, energia e mão-de-obra para gerar um novo produto ou componente.

Quando não é mais possível reparar um produto, seus componentes podem ser reutilizados ou remanufaturados. Dessa maneira, o valor é melhor preservado do que através da reciclagem direta de materiais.

A reutilização de produtos e suas peças deve ser tratada com uma estratégia diversificada em toda a cadeia de valor. Como exemplo, você pode vestir roupas de algodão:

  • Pode ser reutilizado como roupas de segunda mão.
  • Posteriormente, pode ser usado como preenchimento de fibra em móveis.
  • Isso pode ser usado para o isolamento de lã de rocha para construção.
  • Finalmente, as fibras de algodão podem retornar com segurança ao meio ambiente.

Essa visão em cascata economiza energia e matérias-primas puras a cada passo.

Redesenho e remanufatura

O reprojeto e a remanufatura permitem que um objeto ou material que já tenha atingido sua vida útil (de acordo com a economia linear) possa ser convertido em outro de valor igual ou superior.

Essas práticas reduzem a demanda por novos produtos e a pressão sobre as matérias-primas. Por exemplo, o nylon pode ser fabricado a partir de resíduos industriais para uso na indústria têxtil.

Recuperação e reciclagem

Economia circular: princípios, acordos, indústrias, modelos de negócios 4

Fonte: Jakub T. Jankiewicz (jcubic / kuba) [CC0]

Na economia circular, os resíduos finais são recuperados para serem incorporados na biosfera por meio de compostagem ou digestão anaeróbica (resíduos biológicos) ou para serem reinseridos no processo industrial (resíduos técnicos).

Caracteristicas

Economia circular: princípios, acordos, indústrias, modelos de negócios 5

Economia linear vs. economia circular. Fonte: Catherine Weetman [CC BY-SA 4.0 (https://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0)]

Sustentabilidade

A base fundamental da economia circular é o desenvolvimento sustentável, portanto, é necessário buscar um equilíbrio entre as necessidades econômicas, sociais e ambientais. Nesse sentido, as empresas devem tentar fazer um uso mais eficiente e responsável dos recursos biológicos e técnicos.

Da mesma forma, critérios ambientais devem ser considerados ao selecionar materiais e fornecedores, a fim de reduzir o impacto na natureza.

As práticas tecnológicas devem ser focadas para garantir que o produto ou serviço e seu processo sejam realizados da maneira mais sustentável possível. Para isso, é necessário aprimorar processos e práticas, utilizar energia limpa e consumir eficientemente as matérias-primas

Por outro lado, design ecológico, rótulos ecológicos e monitoramento de processos devem ser incorporados para reduzir o impacto ambiental em cada fase.

O princípio dos três Rs: Reduzir, Reutilizar, Reciclar

Dentro do paradigma da economia circular, buscamos reduzir insumos (incluindo água e energia), emissões e resíduos. Uma maneira de reduzir as emissões atmosféricas é o uso de fontes de energia renováveis.

Da mesma forma, a reutilização de produtos com a mesma finalidade ou outra aplicação é essencial para reduzir a produção de resíduos. Essa reutilização pode ser alcançada reparando, repotenciando ou reutilizando os componentes das mercadorias.

Também busca reciclar os resíduos intermediários e finais do processo de produção. Para isso, os ciclos de produção devem ser projetados para que os resíduos possam ser incorporados em outros ciclos produtivos.

Por exemplo, em uma empresa de processamento de alimentos, o lixo orgânico gerado pode ser usado para compostagem.

O ciclo fechado

Em 1966, Boulding propôs que o planeta pudesse funcionar como um sistema fechado, ecológico e cíclico, a fim de recircular recursos limitados e torná-los ilimitados. Essa abordagem é essencial para a economia circular, para que os produtos sejam projetados para serem recuperados por meio de ciclos biológicos ou técnicos.

Por outro lado, os resíduos podem ser recuperados como um recurso biológico que pode ser devolvido à biosfera. Outra maneira é incorporá-los como um recurso técnico que pode ser reincorporado a um processo industrial.

Biomimética

A “biomimética” consiste em usar a natureza como modelo para o design e a estrutura dos produtos ou serviços. Por exemplo, o suíço Georges de Mestral inventou o velcro a partir de suas observações de como os frutos do cardo aderiam às suas roupas.

Manter o valor de produtos, componentes e materiais na economia

Um dos objetivos da economia circular é reduzir o uso de matérias-primas. Nesse sentido, é necessário abordar o problema do prazo de validade dos produtos, seus componentes e materiais.

Portanto, processos que reduzam a obsolescência planejada (design do produto para que tenham uma vida útil limitada) devem ser promovidos. No âmbito da economia circular, o objetivo é prolongar a vida útil dos produtos, mantendo seu valor.

Princípios da economia circular

Levando em consideração os elementos acima, os princípios da economia circular foram sintetizados em três declarações:

Princípio 1: Preservar e melhorar o capital natural

Busca proteger e melhorar os recursos naturais, mantendo o controle sobre o uso de fontes não renováveis. Além disso, é promovida a reutilização e substituição de matérias-primas para controlar e equilibrar as reservas e fluxos de recursos naturais renováveis.

Para isso, são utilizadas tecnologias e processos que utilizam recursos renováveis ​​ou de maior rendimento. Da mesma forma, o fluxo de materiais e energias renováveis ​​no sistema é incentivado para alcançar o máximo uso de seu valor em cada fase.

Princípio 2: otimizar o desempenho dos recursos

Consiste em maximizar a vida útil de produtos, componentes e materiais em todas as fases do ciclo produtivo. Para isso, os produtos devem ser projetados para que possam ser remanufaturados, recondicionados e reciclados.

Da mesma forma, vários ciclos produtivos devem ser combinados para que o desperdício de um seja a matéria-prima de outro e vice-versa. Biologicamente, é promovido que os componentes orgânicos voltem a entrar na biosfera com segurança e gerem novas matérias-primas.

Princípio 3: Promover a eficácia dos sistemas

Ele procura detectar e eliminar do projeto fatores externos negativos que reduzem a eficácia do sistema. Além disso, os possíveis danos à alimentação, mobilidade, educação, saúde e lazer devem ser evitados ou pelo menos reduzidos.

O quadro RESOLVE

A Fundação Ellen MacArthur, dedicada à promoção da economia circular, sugere 6 ações que empresas e governos podem seguir para alcançar esse objetivo. São eles: regenerar (regenerar), compartilhar (compartilhar), otimizar (otimizar), loop (definir loops), virtualizar (virtualizar) e trocar (trocar).

A estrutura RESOLVE (termo composto pelas iniciais das palavras em inglês) resume os princípios e estratégias da economia circular.

Acordos internacionais mais importantes

Economia circular: princípios, acordos, indústrias, modelos de negócios 6

A Prefeitura de Madri (Espanha) apóia a Declaração de Sevilha sobre a economia circular. Fonte: Diario de Madrid [CC BY 4.0 (https://creativecommons.org/licenses/by/4.0)]

Recentemente, o conceito de economia circular ganhou importância nas agendas políticas. Por exemplo, a Alemanha foi pioneira na promulgação em 1996 da “Lei sobre Gestão de Resíduos e Ciclo Fechado de Substâncias”.

Por seu lado, países como o Japão e a China aprovaram leis nacionais que promovem processos de economia circular. Além disso, até 2015, a União Europeia incorporou as preocupações da economia circular na estratégia de economia circular de 2015 da UE.

Estratégia de economia circular da UE para 2015

O pacote de medidas formulado pela Comissão Europeia em dezembro de 2015 inclui medidas que abrangem todo o ciclo de vida do produto, desde as fases de design e produção. Além disso, são levados em consideração os estágios de consumo e melhoria do gerenciamento de resíduos.

As Circulares

Por outro lado, há um prêmio internacional concedido a pessoas ou empresas que fazem contribuições notáveis ​​à economia circular. O prêmio é denominado Circular e é promovido por várias instituições.

Entre as organizações que promovem o prêmio estão o Fórum Econômico Mundial e o Fórum de Jovens Líderes Globais, em associação com a Accenture Strategy.

Indústrias que adotam a economia circular

Em todo o mundo, mais e mais empresas estão aderindo à rota da economia circular:

Caterpillar

Esta empresa dedica-se à fabricação de máquinas e equipamentos industriais e tem uma longa história de aplicação de elementos da economia circular. A Caterpillar é especializada no design de remanufatura de peças usadas.

As peças das máquinas são reconstruídas várias vezes, garantindo os mesmos padrões de qualidade. Posteriormente, essas peças são usadas para reparar, substituir ou renovar máquinas.

Maçã

A empresa desenvolveu um robô de desmontagem de celular para iPhone (chamado Liam) para reutilizar peças. Este robô é capaz de desmontar um celular com defeito em 11 segundos e separar os componentes reutilizáveis.

Este sistema permitiu economizar cerca de 1000 kg de ouro, que de outra forma seriam extraídos das reservas naturais. Dessa forma, contribuiu para reduzir a poluição associada à mineração de ouro, com alto impacto ambiental.

Recompute

A empresa Recompute constrói computadores de mesa cujas caixas são feitas de papelão reutilizado. Isso se baseia na abordagem de “projeto completo do ciclo de vida”, que combina idéias sustentáveis ​​ao longo do ciclo de vida do produto.

Dessa maneira, é obtido um produto que causa baixo impacto possível e é facilmente reproduzível. Este computador de mesa possui um invólucro de papelão ondulado (reciclável e renovável) e seus processos de fabricação têm baixo impacto.

Para montar o Recompute, são utilizados reagentes não tóxicos e os componentes eletrônicos são minimizados. A cola branca é usada durante a colagem e é feito um tratamento retardante de chamas não tóxico e a impressão e montagem são eletrônicas.

Na fase de uso, o Recompute permite a conexão de acessórios que o usuário pode ter de máquinas anteriores. Finalmente, na fase de descarte, pode ser desmontado para recuperar e reciclar os componentes eletrônicos e o alojamento separadamente.

Novas tecnologias leves

A empresa desenvolveu uma tecnologia para capturar o CO2 gerado em casas de fazenda ou estufas. Com esse carbono, um bioplástico (AirCarbon) é produzido com várias aplicações e é um exemplo claro de economia circular.

Nas fazendas, além dos produtos agrícolas, é emitido como resíduo (CO2), que se torna a matéria-prima de um segundo ciclo de produção.

Impax

A Impax criou e definiu o sistema de classificação “Mercados Ambientais” em 1998 e continuou a desenvolvê-lo desde então. Identificou 1.600 empresas de capital aberto que oferecem soluções ambientais.
Entre essas soluções estão modelos comerciais de economia circular, recuperação de resíduos alimentares e fornecedores de caixas de logística comercial reutilizáveis.

Tecnologias Lehigh

Essa empresa utiliza critérios de recuperação de recursos e modelos de substituição circular em suas estratégias. Nesse sentido, a matéria-prima dos resíduos de pneus é obtida para a fabricação de pneus novos.

Além disso, eles produzem um aditivo usado em uma ampla gama de produtos industriais, de pneus a plásticos e asfalto.

Até agora, a Lehigh Technologies fabricou mais de 500 milhões de pneus usando seu modelo circular. Atualmente, sete das dez empresas de pneus mais importantes do mundo usam atualmente o MRP.

Seiko Epson Corporation

É um fabricante de impressoras que desenvolveu um sistema compacto para a fabricação de papel a partir de material reciclado. O sistema EPSON Paper Lab permite triturar papel usado e produzir folhas recicladas sem usar água no processo.

Modelos de negócios de economia circular

A economia circular promove um modelo de negócios que cria valor com base no uso do valor econômico dos produtos após o uso. A inovação nos modelos de negócios com essa abordagem segue várias maneiras pelas quais as empresas podem aplicar isoladamente ou em combinação:

1.- Permitir que os clientes devolvam o produto após o uso, a fim de prolongar seu ciclo de vida através de serviços de pós-venda ou manutenção.

2.- Promover o modelo “Product Service System”, que significa oferecer o uso de bens através de serviços. Dessa maneira, a propriedade e o gerenciamento do bem são mantidos pelo produtor ou distribuidor do serviço.

A chave na estrutura da economia circular é normalizar o sistema no nível de negócios. Assim, existem empresas que alugam sistemas e máquinas para terceiros para a realização de um determinado trabalho.

3.- Outra abordagem é que as organizações interagem em rede para compartilhar recursos e reavaliar ou reutilizar resíduos, como em parques ecológicos industriais (simbiose industrial). No nível macro, iniciativas desenvolvidas em áreas regionais ou nacionais, como eco-cidades, eco-municípios ou províncias ecológicas, podem ocorrer.

4.- Outro modelo é a logística reversa ou ciclo reverso, que consiste em reverter o processo logístico comum. Nesse caso, o fluxo de produtos do consumidor para a origem é controlado

Esse modelo abre oportunidades de negócios em torno da recuperação de produtos para devolução, reparo, reutilização ou reciclagem.

Áreas estratégicas

Entre as áreas que oferecem maiores oportunidades para o desenvolvimento da economia circular estão o gerenciamento de resíduos e o gerenciamento de recursos hídricos. Outros aspectos são a geração de energia, construção e ambiente urbano, indústria, agricultura e alimentos, mobilidade e logística e meio ambiente.

Economia circular na Espanha

COTEC

A Fundação Cotec representa uma das maiores empresas impulsionadoras da economia circular na Espanha. É uma organização privada sem fins lucrativos cuja missão é promover a inovação como motor do desenvolvimento econômico e social.

A Cotec possui cerca de 90 empregadores entre empresas privadas e administrações das esferas regional e local e Rey Felipe VI é o Presidente Honorário.

Desde 2001, existe também a Cotec Italia e, desde 2003, a Cotec Portugal, que confere um caráter internacional ao impulso da inovação.

Ecoembes

A Ecoembes está focada na reciclagem de contêineres há mais de 20 anos e assinou acordos com comunidades autônomas e entidades locais, assim, mais de 47 milhões de cidadãos possuem 383.974 contêineres amarelos e 217.170 contêineres azuis distribuídos pela geografia espanhola.

Em maio de 2017, a Ecoembes fundou o TheCircularLab, o primeiro centro de inovação em seu campo. Neste laboratório, todas as fases do ciclo de vida dos contêineres são analisadas desde a recepção, design e reintrodução até o ciclo de consumo.

Projeto ISLANDAP

Este projeto é financiado pelo «Programa Operacional de Cooperação Territorial Interreg VA Espanha-Portugal MAC (Madeira-Açores-Canárias) 2014-2020 (POMAC 2014-2020)». É um programa de cooperação territorial cujo objetivo é alcançar a cooperação transnacional e promover o desenvolvimento sustentável do espaço atlântico.

Esta iniciativa envolve inúmeras instituições universitárias e centros de pesquisa coordenados pela Universidade de Las Palmas de Gran Canarias (Espanha).

Economia circular na Colômbia

Atualmente, a Colômbia está comprometida em desenvolver uma economia eficiente que produza baixas emissões de carbono e seja sustentável. Nesse sentido, o Estado colombiano estabeleceu uma missão verde que tem três objetivos até 2030:

1.- Aumentar a eficiência no uso de água, energia, solo e matérias-primas para alcançar uma economia circular.
2.- Posicionar a bioeconomia como um setor competitivo que diversifica a oferta de exportação do país.
4.- Aumentar a demanda e a oferta da força de trabalho para o crescimento verde.

Em junho de 2019, o Presidente Iván Duque lançou oficialmente a Estratégia Nacional de Economia Circular, a primeira desse tipo na América Latina.

Economia circular no México

Este país, como sinal de seu compromisso com o desenvolvimento sustentável, comemorou a Semana de Mapeamento da Economia Circular em 2018. Este evento procura identificar iniciativas de economia circular que são as principais empresas e empresários mexicanos.

No México, existem organizações orientadas para o desenvolvimento de abordagens de economia circular, incluindo Valora Consultores e o Centro Mexicano de Ecologia Industrial.

Consultores de tarifas

É definida como uma empresa global de consultoria em sustentabilidade e trabalha com organizações multinacionais para promover estratégias de produtos sustentáveis.

Centro Mexicano de Ecologia Industrial

É uma organização que visa ajudar a sociedade, indústrias e governos a obter descarbonização e desmaterialização da economia. Ele é especialista em ecologia industrial, metabolismo social e economia circular.

Economia circular na Argentina

Agência Argentina de Proteção Ambiental

No caminho para o desenvolvimento sustentável, a Agência de Proteção Ambiental da Argentina promove o programa “Buenos Aires Produce Cleaner”. Este programa promove o uso máximo de resíduos através da reciclagem, reutilização e recuperação.

A abordagem é criar uma estrutura projetada para apoiar a mudança de uma economia linear de “use e jogue fora” para uma economia circular. Dessa forma, busca-se a eficiência no uso dos recursos e a emissão de carbono pode ser reduzida.

Conexão reciclada

É uma plataforma que visa promover e disseminar conceitos de economia circular. Em 2018, organizou com suas outras organizações sua 19ª Conferência Técnica com o tema Economia Circular de Papelão e Papel.

PROCEDIMENTOS

Este é o acrônimo em inglês de Promovendo a economia circular na cadeia de suprimento de alimentos. É um projeto de pesquisa enquadrado no convite Horizonte 2020 – RISE da União Europeia.

Este projeto começará no último trimestre de 2019 e durará três anos e tem como objetivo identificar e avaliar práticas de economia circular. Da mesma forma, busca detectar obstáculos à implementação dessa abordagem econômica.

Críticas

Economia circular: princípios, acordos, indústrias, modelos de negócios 7

Fonte: www.flickr.com

O paradigma da economia circular evoluiu do conceito de desenvolvimento sustentável e, como tal, um fardo com críticas a ele. Crescimento econômico ilimitado, implícito na visão de desenvolvimento, não é possível em um planeta com limites.

A implementação da economia circular, principalmente por grandes países desenvolvidos, pode significar uma redução significativa de gases de efeito estufa e a pressão de exploração de matérias-primas e combustíveis fósseis.

No entanto, uma economia em crescimento não para de consumir recursos, nem energia fóssil, não importa quanto esforço seja feito para aumentar sua eficiência e reutilização.

O debate sobre desenvolvimento sustentável e seus aspectos se concentra no questionamento da visão de desenvolvimento, o que implica repensar o significado de riqueza, qualidade de vida e prosperidade.

A economia circular está sendo usada para justificar estratégias de mercado verde. Por exemplo, a The Coca-Cola Company é apresentada como defensora da economia circular, enquanto é sabido que esta multinacional está entre as empresas mais poluidoras do mundo, reconhecida como um grande predador de água e gerador de resíduos plásticos.

Referências

  1. Boons F, Montalvo C, Quist J e Wagner M (2013). Inovação sustentável, modelos de negócios e desempenho econômico: uma visão geral. J. Limpo. Prod. 45: 1-8.
  2. Fundação Ellen MacArthur (vista em 16 de julho de 2019). Rumo a uma economia circular: razões econômicas para uma transição acelerada. Retirado de ellenmacarthurfoundation.org
  3. Espaliat-Canu M (2017). Economia circular e sustentabilidade. Novas abordagens para criação de valor. CreateSpace, Amazon.com. 210 p.
  4. Kowszyk Y e Maher R (2018) .Estudos de caso sobre modelos de economia circular e integração dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável nas estratégias de negócios na UE e na ALC. Fundação UE-ALC. Projeto desenvolvido por InovaciónAL. Hamburgo, Alemanha 201 p.
  5. Lewandowski M (2016). Projetando os modelos de negócios para a economia circular – em direção à estrutura conceitual. Sustentabilidade, 8 (1), 43.doi: 10.3390 / su8010043
  6. Linder M e Williander M (2015). Inovação circular do modelo de negócios: incertezas inerentes. Estratégia de negócios e meio ambiente 26: 182–196.
  7. Morató J, Tollin N, Jiménez L, Villanueva B, Plá M, Betancourth C, De la Cruz JL e Pérez-Lagüela E (2017). Situação e evolução da economia circular na Espanha. Fundação Cotec. Madrid Espanha. 146 p.
  8. Moreno-González AY (2018). Economia circular: crescimento inteligente, sustentável e inclusivo. Monografia para optar pelo título de Engenheiro Comercial. Universidade de Ciências Aplicadas e Ambientais, Departamento de Graduação, Programa de Engenharia Comercial. Bogotá DC 65 p.
  9. Prieto-Sandoval V, Jaca C e Ormazabal M (2017). Economia circular: Relação com a evolução do conceito de sustentabilidade e estratégias para sua implementação. Relatório de Pesquisa de Engenharia, no. 15

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies