Ectoparasitas: características, tipos e exemplos

Ectoparasitas são organismos que vivem externamente no corpo de um hospedeiro, se alimentando de sua pele, sangue ou tecidos. Esses parasitas podem causar uma série de problemas de saúde, como coceira, irritação da pele e transmissão de doenças. Existem diferentes tipos de ectoparasitas, como pulgas, piolhos, carrapatos e ácaros, que podem afetar animais e seres humanos. Neste artigo, exploraremos as características, tipos e exemplos desses parasitas externos.

Características dos ectoparasitas: descubra as principais características desses parasitas externos.

Os ectoparasitas são organismos que vivem na parte externa do corpo de seus hospedeiros, se alimentando de sua pele, sangue ou outros tecidos. Eles possuem diversas características que os tornam adaptados a esse tipo de vida parasitária.

Uma das principais características dos ectoparasitas é a presença de estruturas adaptadas para se fixarem ao hospedeiro, como garras, ventosas ou estruturas cortantes. Essas adaptações permitem que o parasita se mantenha no corpo do hospedeiro e se alimente de forma eficiente.

Outra característica importante dos ectoparasitas é o ciclo de vida complexo que muitos deles possuem. Alguns ectoparasitas passam por diversas fases de desenvolvimento, muitas vezes incluindo diferentes hospedeiros em cada fase. Isso os torna capazes de se adaptar a diferentes ambientes e maximizar suas chances de sobrevivência.

Além disso, os ectoparasitas geralmente possuem alta taxa de reprodução, o que os torna capazes de se proliferar rapidamente no corpo do hospedeiro. Isso pode levar a infestações graves e causar diversos problemas de saúde para o hospedeiro.

Em resumo, os ectoparasitas são organismos adaptados a viver na parte externa do corpo de seus hospedeiros, possuindo estruturas especializadas para se fixarem, ciclos de vida complexos e alta taxa de reprodução. Essas características fazem com que sejam parasitas eficientes e capazes de causar problemas sérios para seus hospedeiros.

Conheça as principais Ectoparasitoses que afetam os seres humanos e animais domésticos.

Ectoparasitas são organismos que vivem na parte externa do corpo de seus hospedeiros, se alimentando de sua pele, sangue ou outros fluidos corporais. Esses parasitas podem causar uma série de doenças conhecidas como ectoparasitoses, afetando tanto seres humanos quanto animais domésticos.

Entre os principais tipos de ectoparasitas que afetam os seres humanos e animais domésticos, podemos citar os piolhos, carrapatos, pulgas e ácaros. Cada um desses parasitas possui características específicas e provoca sintomas distintos em seus hospedeiros.

Os piolhos são pequenos insetos que se alimentam de sangue e são comuns em crianças em idade escolar. Eles causam coceira intensa no couro cabeludo e podem ser transmitidos facilmente de pessoa para pessoa.

Os carrapatos são aracnídeos que se fixam na pele de seus hospedeiros para se alimentarem de seu sangue. Eles podem transmitir doenças graves, como a doença de Lyme, e são comuns em animais domésticos, como cães e gatos.

As pulgas são pequenos insetos saltadores que se alimentam de sangue e podem causar coceira intensa e reações alérgicas em seus hospedeiros. Elas são comuns em animais de estimação e podem infestar ambientes domésticos rapidamente.

Os ácaros são pequenos aracnídeos que se alimentam de células mortas da pele e podem causar doenças de pele, como sarna e escabiose. Eles são comuns em seres humanos e animais domésticos e podem ser transmitidos por contato direto.

É importante estar atento aos sinais de infestação por ectoparasitas e buscar tratamento adequado o mais rápido possível para evitar complicações. Manter a higiene pessoal e dos animais de estimação, além de realizar a desinfestação do ambiente, são medidas essenciais para prevenir as ectoparasitoses.

Tipos de parasitas: descubra os 3 principais que podem afetar o ser humano.

Os parasitas são organismos que se alimentam e vivem às custas de outros organismos, podendo causar diversos problemas de saúde. Existem dois tipos principais de parasitas: os ectoparasitas e os endoparasitas. Os ectoparasitas são aqueles que vivem na parte externa do corpo do hospedeiro, enquanto os endoparasitas vivem dentro do corpo do hospedeiro.

Os ectoparasitas são os parasitas mais comuns que afetam os seres humanos. Eles se alimentam do sangue ou da pele do hospedeiro e podem causar coceira, irritações e até transmitir doenças. Alguns exemplos de ectoparasitas incluem piolhos, pulgas e carrapatos.

Relacionado:  GLUT 2: características, estrutura, funções

É importante ficar atento aos sintomas de infestação por ectoparasitas, como coceira intensa, vermelhidão na pele e presença de pequenos pontos escuros no corpo. Caso suspeite de infestação por ectoparasitas, é importante procurar ajuda médica para um tratamento adequado.

Exemplos de endoparasitas e ectoparasitas: o que são e como agem no hospedeiro.

Os parasitas são organismos que se alimentam e vivem em ou sobre outro organismo, conhecido como hospedeiro. Existem dois tipos principais de parasitas: os endoparasitas, que vivem dentro do hospedeiro, e os ectoparasitas, que vivem na parte externa do hospedeiro.

Os endoparasitas são aqueles que se alojam dentro do corpo do hospedeiro, como é o caso dos vermes intestinais e dos protozoários. Eles se alimentam dos nutrientes do hospedeiro e podem causar doenças e desconforto. Um exemplo comum de endoparasita é a lombriga, que pode causar dor abdominal e problemas digestivos em humanos.

Já os ectoparasitas são aqueles que vivem na parte externa do hospedeiro, como pulgas, carrapatos e piolhos. Eles se alimentam do sangue do hospedeiro e podem transmitir doenças. Um exemplo de ectoparasita é o carrapato, que pode transmitir doenças como a febre maculosa para os seres humanos.

Os ectoparasitas se fixam na pele do hospedeiro e se alimentam do seu sangue, causando coceira, irritação e, em alguns casos, infecções secundárias. Eles podem ser transmitidos de um hospedeiro para outro através do contato direto ou indireto.

Em resumo, os ectoparasitas são organismos que se alimentam e vivem na parte externa do hospedeiro, causando desconforto e transmitindo doenças. É importante estar atento e adotar medidas de prevenção para evitar a infestação por ectoparasitas e proteger a saúde do hospedeiro.

Ectoparasitas: características, tipos e exemplos

Os ectoparasitas são organismos que vivem na camada mais exterior do seu hospedeiro; O prefixo “ecto” significa “fora”. Em outras palavras, os ectoparasitas são parasitas encontrados na pele do hospedeiro, e não dentro do corpo. A infestação causada por um ectoparasita é chamada de ectoparasitose.

Por exemplo, pulgas e piolhos são ectoparasitas. Como todos os parasitas, os ectoparasitas desenvolvem uma relação de dependência com o hospedeiro, de quem aproveitam para comer os nutrientes que os mantêm vivos. Ectoparasitas podem estar presentes em animais e plantas.

Ectoparasitas: características, tipos e exemplos 1

pulga

Características principais

Eles estão ligados a diferentes espécies

Os ectoparasitas são caracterizados por viverem apegados ao corpo de organismos de outras espécies. Estando lá, eles tiram vantagem do anfitrião e levam essa comida.

Eles se alimentam de fluidos corporais

Esses parasitas se alimentam do sangue ou de outras secreções da pele de seus hospedeiros.

Eles geralmente estão localizados em lugares de difícil acesso

Os ectoparasitas geralmente estão localizados em locais pouco acessíveis, de modo que não é fácil se livrar deles através de ações regulares de higiene.

Eles não contribuem com nada para seus convidados

Como no caso de todos os parasitas, a relação gerada entre os ectoparasitas e seu hospedeiro é conveniente. Os ectoparasitas vivem às custas do organismo ao qual parasitam.

Eles podem ser temporários ou permanentes.

Os ectoparasitas podem ser classificados de acordo com o tempo que passam parasitando seu hospedeiro; isto é, eles podem ser temporários ou permanentes.

Os ectoparasitas temporários podem passar certos períodos longe do hospedeiro, como pulgas, carrapatos e mosquitos. Por outro lado, os ectoparasitas permanentes passam todos os estágios do seu ciclo de vida sobre o hospedeiro, como é o caso dos piolhos e ácaros.

Principais tipos de ectoparasitas

Os ectoparasitas são divididos em dois grupos principais: aracnídeos e insetos. Essa classificação é dada por características estruturais.

A classe aracnídeo inclui carrapatos e ácaros. A classe de insetos consiste em moscas, mosquitos, pulgas e piolhos.

Insetos (artrópodes de seis patas)

Os insetos são caracterizados por ter três partes diferentes do corpo: cabeça, tórax e abdômen. Eles têm um par de antenas na cabeça, três pares de pernas no tórax e, em alguns casos, têm asas.

Relacionado:  Ontogenia: estágios do desenvolvimento animal e suas características

Muitos ectoparasitas desse grupo, incluindo algumas espécies de moscas, mosquitos e pulgas, passam pouco tempo no hospedeiro.

Pelo contrário, outros, como larvas de pulgões e piolhos, permanecem nos corpos dos hospedeiros por períodos mais longos.

– Piolhos

Os piolhos são insetos comuns, facilmente visíveis, com comprimento entre 2 e 4 mm aproximadamente. Como todos os insetos, os piolhos têm 6 pernas especialmente adaptadas para aderir à pele e cabelos do hospedeiro.

Morfologicamente, alguns piolhos têm um corpo alongado e outros são arredondados, semelhantes aos caranguejos, mas muito menores. Os ovos desses insetos são chamados lêndeas e são brancos.

Ectoparasitas: características, tipos e exemplos 2

Piolho

Os piolhos no estado adulto se alimentam de sangue. Ao fazer isso, eles injetam saliva na pele do hospedeiro, o que causa uma reação de hipersensibilidade. Esta reação é evidenciada causando comichão na pele do indivíduo afetado (prurido).

Os piolhos são facilmente transmitidos através de fomitos como pentes, acessórios para o cabelo, toalhas, entre outros.

– Moscas

As moscas são insetos voadores amplamente distribuídos em todo o mundo. Muitos deles são capazes de infectar humanos através de suas larvas, o que causa uma resposta inflamatória. As infecções ocorrem com mais frequência em áreas tropicais.

A infecção causada por esses ectoparasitas varia de acordo com as espécies de insetos. Algumas moscas depositam seus ovos quando há uma ferida no hospedeiro, depois o ovo choca e produz a larva.

Outras moscas depositam seus ovos nas mucosas do hospedeiro, como nas narinas ou perto dos lábios. Outro grupo de moscas deixa seus ovos na pele intacta e é a larva que invade a pele.

– Percevejos

Chiches são outro tipo de inseto com hábitos parasitários. É comum encontrá-los em camas, onde eles podem facilmente parasitar seus hospedeiros. Morfologicamente, são ovais, marrons e têm cerca de 5 mm de comprimento.

Normalmente, os percevejos são encontrados em rachaduras e colchões. Seus hábitos alimentares são noturnos, enquanto seus hóspedes humanos dormem com os percevejos que se alimentam facilmente.

Os principais sintomas de um percevejo são inflamação e coceira, causados ​​por uma reação alérgica a toxinas presentes na saliva do inseto.

Aracnídeos (artrópodes de oito patas)

Dentro do grupo de aracnídeos existem carrapatos e ácaros. Morfologicamente, esses parasitas são caracterizados por ter dois segmentos corporais: a cabeça fundida com o tórax (cefalotórax) e um abdômen.

Outra característica distintiva são seus quatro pares de pernas no estado adulto, e eles não têm asas ou antenas.

– Carrapatos

Os carrapatos são pequenos aracnídeos ectoparasitas que se alimentam do sangue de mamíferos , pássaros e alguns répteis e anfíbios. Esses aracnídeos estão distribuídos em todo o mundo; no entanto, é mais comum encontrá-los em climas quentes e úmidos.

Eles são frequentemente subdivididos em dois grupos, de acordo com suas características estruturais: carrapatos duros (família: Ixodidae ), difíceis de esmagar; e carrapatos moles (família: Argasidae ), fáceis de esmagar.

Ectoparasitas: características, tipos e exemplos 3

Tick

Os carrapatos localizam seus convidados principalmente pelo cheiro. Seus corpos ovóides se enchem de sangue quando se alimentam.

Eles têm quatro estágios no seu ciclo de vida: ovo, larva, ninfa e adulto. Por serem hematófagos (que se alimentam de sangue), os carrapatos são vetores de doenças que afetam seres humanos e outros animais.

– Ácaros

Os ácaros são aracnídeos que podem ser facilmente observados ao microscópio . Seus corpos são geralmente redondos e achatados, embora uma exceção a essa regra geral sejam os ácaros pertencentes ao gênero Demodex, que são de forma alongada.

Os ácaros são encontrados no estrato córneo da epiderme e se alimentam dos restos de células mortas da pele, como escamas. Algumas espécies têm hábitos alimentares alternativos, como perfurar a pele para sugar o líquido linfático.

A transmissão ocorre através do contato pessoal ou do compartilhamento de fomites, como roupas, especialmente se houver poucas condições de higiene.

Os sintomas são semelhantes aos causados ​​por outros ectoparasitas, o prurido é uma resposta do corpo a uma reação de hipersensibilidade tardia às fezes do ácaro. O ácaro é encontrado no estrato córneo da epiderme.

Relacionado:  Algas vermelhas: características, taxonomia, reprodução, nutrição

Exemplos de ectoparasitas em humanos

O ácaro da sarna ( Sarcoptes scabiei )

Sarcoptes scabiei é uma espécie de ácaro e é o agente causador da escabiose, comumente chamado sarna. Esta é uma doença de pele e é distribuída em todo o mundo, pois é altamente contagiosa.

A infecção ocorre quando uma fêmea escava túneis na pele do hospedeiro e deixa seus ovos enquanto ela se move. Os ovos eclodem e produzem larvas que migram para a superfície e se tornam adultos infecciosos.

O ácaro do folículo piloso (Demodex sp.)

Os ácaros Demodex são pequenos ectoparasitas que vivem em folículos capilares de mamíferos e em outras áreas próximas. Eles são muito pequenos e existem duas espécies que afetam os seres humanos: Demodex folliculorum e Demodex brevis .

A infestação por Demodex é comum e geralmente permanece assintomática, embora em alguns casos possa causar doenças de pele, especialmente em pessoas com problemas no sistema imunológico.

Se o sistema imunológico não funcionar adequadamente, esses ectoparasitas podem proliferar e causar demodicose.

O piolho da cabeça ( Pediculus humanus capitis )

P. humanus capitis é um ectoparasita do grupo de insetos e é o agente causador da pediculose. Esses parasitas não têm asas e são forçados a passar a vida inteira no hospedeiro.

Sua forma é achatada e sua cor é translúcida; no entanto, eles ficam vermelhos quando se alimentam de sangue humano. Apesar de serem parasitas hematófagos (que comem sangue), esses piolhos não transmitem doenças.

A pulga comum ( Pulex irritans)

A espécie Pulex irritans é um exemplo de um ectoparasita que afeta severamente os seres humanos porque é o vetor de transmissão de várias doenças, incluindo a peste bubônica, que atingiu a Europa em tempos passados.

É uma espécie que teve sucesso em sua distribuição em todo o mundo. Alimenta-se de sangue quente de vários animais, como cães, gatos, porcos, morcegos, ratos, galinhas, entre outros.

O piolho púbico ( Pthirus pubis )

A ladila pubiana é um ectoparasita que se alimenta exclusivamente de sangue humano. Geralmente é encontrado nos púbis de pessoas infectadas, mas sua presença também foi relatada em outras partes do corpo, como cílios. Sua distribuição é mundial e sua transmissão é por contato.

Quando esse piolho se alimenta, causa certos sintomas no hospedeiro. O sintoma mais comum é o prurido, causado pela hipersensibilidade à saliva do piolho no local de alimentação do parasita (púbis). Outros sintomas são vermelhidão e inflamação.

Referências

  1. Anderson, AL, & Chaney, E. (2009). Piolhos púbicos (pthirus pubis): História, biologia e tratamento vs. conhecimentos e crenças de estudantes universitários dos EUA. Revista Internacional de Pesquisa Ambiental e Saúde Pública , 6 (2), 592–600.
  2. Becerril, M. (2011). Parasitologia Médica (3ª ed.). McGraw-Hill
  3. Bogitsh, B., Carter, C. e Oeltmann, T. (2013). Parasitologia Humana ( ). Elsevier, Inc.
  4. Dantas-Torres, F., Oliveira-Filho, EF, Soares, FAM, Souza, BOF, Valença, RBP e Sá, FB (2008). Carrapatos que infestam anfíbios e répteis em Pernambuco, Nordeste do Brasil. Revista Brasileira de Parasitologia Veterinária = Revista Brasileira de Parasitologia Veterinária: Organização Oficial do Colégio Brasileiro de Parasitologia Veterinária , 17 , 218-221.
  5. Lá, RJ (2009). Sarna e piodermas – diagnóstico e tratamento. Dermatologic Therapy , 22 (6), 466-474.
  6. Hopla, CE, Durden, L. a & Keirans, JE (1994). Ectoparasitas e classificação. Revue Scientifique et Technique (Escritório Internacional de Epizootia) , 13 (4), 985-1017.
  7. Kittler, R., Kayser, M. & Stoneking, M. (2003). Evolução molecular de Pediculus humanus e a origem da roupa. Current Biology , 13 , 1414-1417.
  8. Klompen, JSH, Black, WC, Keirans, JE & Oliver, JH (1996). Evolução dos carrapatos Revista Anual de Entomologia , 41 (1), 141-161.
  9. Levinson, W. (2014). Revisão de Microbiologia Médica e Imunologia (13 º ). Educação McGraw-Hill.
  10. Long, S., Pickering, L., & Prober, C. (2012). Princípios e Práticas de Doenças Infecciosas Pediátricas ( ). Elsevier, Inc.
  11. Nuttall, GHF (1918). A biologia do phthirus pubis. Parasitology , 10 (3), 383-405.
  12. Em vez disso, PA, & Hassan, I. (2014). Ácaro Demodex Humano : O Ácaro Versátil de Importância Dermatológica.Indian Journal of Dermatology , 59 (1), pp. http://doi.org/10.4103/0019-5154.123498.

Deixe um comentário