Epitélio plano simples: características, funções e tipos

Um epitélio plano simples ou escamoso é um tecido não vascularizado que cobre, cobre ou cobre as superfícies de algumas regiões do corpo, principalmente internas.Normalmente, é constituído apenas por um estrato celular espesso, motivo pelo qual recebe esse nome, sendo um epitélio de monocamada.

Em geral, nos tecidos epiteliais, as células que os compõem estão intimamente ligadas, mantendo o material intercelular praticamente no mínimo e apoiando essa camada celular compacta em uma membrana basal.

Epitélio plano simples: características, funções e tipos 1

Fonte: Kamil Danak [CC BY-SA 3.0 (https://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0)]

Tipos

Dependendo das formas celulares individuais que compõem um tecido epitelial simples, várias denominações podem ser atribuídas ao tecido específico.

Epitélio plano simples

Quando as células são obviamente mais largas e mais profundas que a sua altura, é considerado um epitélio plano simples. Devido à forma superficial deste tecido, também foi conferido o nome de epitélio escamoso simples.

No entanto, existem outros tipos de epitélios simples, cuja forma da única camada de células que a compõe é de forma cúbica ou cubóide, sendo a largura, a altura e a profundidade da célula aproximadamente iguais.

Epitélio cilíndrico simples

Por outro lado, epitélios cilíndricos simples são aqueles em que a altura das células epiteliais é consideravelmente maior que as outras dimensões consideradas, dando-lhes uma aparência colunar.

Sabendo disso, é fácil identificar o tipo de epitélio em questão. Contudo, em casos especiais, a região apical das células que a compõem é especializada e possui cílios, por exemplo, formando epitélios cilíndricos ciliados simples.

Características celulares de um epitélio plano simples

As células que fazem parte do epitélio compartilham um conjunto de características típicas uma da outra, independentemente da sua forma:

– As células são dispostas próximas umas das outras, aderindo umas às outras por meio de moléculas específicas de adesão célula-célula. Com isso, formam aderências intercelulares muito especializadas. Sendo células tão finas, seus núcleos destacam a luz ou a cavidade do órgão que cobrem

– Em geral, possuem polaridade morfológica e, como conseqüência, também em sua funcionalidade. Cada célula possui três regiões funcionais de morfologia diferente: uma região apical, uma lateral e uma basal.

– Sua superfície basal (região basal) é anexada a uma membrana basal que é uma camada acelular com uma grande variedade de polissacarídeos e proteínas.

– É um epitélio do revestimento não glandular, a manutenção metabólica (oxigênio e nutrientes) de suas células é mediada pelos tecidos conjuntivos circundantes.

Onde podemos encontrar epitélio plano simples?

Alguns epitélios, por suas características ou localização, recebem nomes especiais. É o caso do endotélio e do mesotélio. Ambos são caracterizados como epitélios de monocamada (simples) e planos, que cobrem os vasos e as cavidades do corpo, respectivamente.

Esses tecidos epiteliais têm sua origem no mesoderma, no entanto, outros tecidos epiteliais têm sua origem ectodérmica ou endodérmica.

Em geral, no endotélio, constitui o revestimento endotelial do sistema cardiovascular (vasos sanguíneos e cavidades cardíacas) e vasos linfáticos. Por outro lado, o mesotélio é o epitélio que cobre as cavidades e o conteúdo das cavidades fechadas presentes no corpo. Entre eles, a cavidade abdominal, a cavidade pericárdica e a cavidade pleural.

Em ambos os casos, os epitélios geralmente são epitélios planos simples. Existem exceções em certas veias capilares do sistema linfático, nas quais o epitélio (embora ainda simples) é constituído por células cúbicas.

Esse tipo de epitélio também pode ser identificado nos alvéolos pulmonares e nas cápsulas de Bowman e na alça de Henle no rim.

Funções

Os epitélios, apesar de sua diversidade morfológica, geralmente desempenham funções variadas nos diferentes órgãos do corpo, podendo até ter uma ou mais funções cada.

É típico que epitélios simples possuam funções secretoras ou de absorção, sendo a altura das células no caso de epitélios cilíndricos ou cúbicos simples, indicativos do grau de atividade secretora ou absorvente. Por exemplo, epitélios planos simples são altamente compatíveis com uma alta taxa de transporte transepitelial.

Por outro lado, esse tipo de epitélio desempenha funções de troca no endotélio (vasos), barreira no sistema nervoso central, troca e lubrificação nas cavidades do corpo (endotélio). Além disso, atua como uma barreira nas cápsulas de Bowman e na filtração da urina nos rins, bem como na troca nos alvéolos respiratórios do pulmão.

Em todos esses locais, através do epitélio plano e simples, é produzido um transporte abundante e rápido de substâncias, sendo esses materiais essencialmente gases, água e íons. Como as articulações entre as células são muito estreitas, todas as substâncias transportadas pelo epitélio plano passam necessariamente pelas células que o compõem.

Relevância médica

A vulva, a vagina e a porção do colo do útero projetada dentro dela, denominada porção vaginal, ectocérvice ou exocérvice, são estofadas por um epitélio plano estratificado. Por outro lado, o ducto endocervical do colo do útero é coberto por um simples mucosecretor de epitélio plano.

O epitélio plano estratificado do exocérvix é composto por três camadas: uma camada superficial, uma camada intermediária e uma zona basal e parabasal, com células que compartilham características citomorfológicas semelhantes.

Esses epitélios se unem em uma área chamada zona de junção ou transformação, onde ocorre uma transição acentuada entre o epitélio simples estratificado da ectocérvice e o epitélio plano simples da endocérvice. Durante a menstruação, esses epitélios sofrem alterações proliferativas e de remodelação, causadas por hormônios esteróides.

Alterações na transformação entre esses epitélios são lesões pré-cancerosas do colo do útero. Nessas alterações, as células do colo do útero se projetam constantemente na vagina.

Uma das maneiras mais importantes e comuns para a detecção dessas alterações e o diagnóstico de lesões pré-cancerosas e cancerígenas do colo do útero é o exame de Papanicolaou da citologia cervico-vaginal, onde as células coloridas do colo do útero são detectadas na área vaginal. .

Por outro lado, como os tecidos epiteliais apresentam altas taxas de substituição celular por divisão celular, lesões assintomáticas podem ser geradas como cistos mesoteliais. Histologicamente, possuem revestimento de células epiteliais planas e, além disso, podem possuir células cúbicas e colunares.

Referências

  1. Bannura, G., Contreras, J. & Peñaloza, P. (2008). Cisto mesotelial simples gigante abdominal-pélvico. Revista chilena de cirurgia, 60 (1), 67-70.
  2. Geneser, F. (2003). Histologia Terceira edição Editorial médico pan-americano.
  3. Kardong, KV (2012). Vertebrados: Anatomia comparada, função, evolução. Sexta edição McGraw Hill Nova Iorque
  4. Fight, CL e González, JF (2003). Citologia ginecológica: de Papanicolaou a Bethesda . Publicação Complutense.
  5. Rodríguez-Boulan, E. & Nelson, WJ (1989). Morfogênese do fenótipo de célula epitelial polarizada. Science, 245 (4919), 718-725.
  6. Ross, MH e Pawlina, W. (2007). Histologia . Texto e cor Atlas com biologia celular e molecular. Editorial Panamericana Médica 5ª Edição.
  7. Stevens Alan e James Steven Lowe (2006). Histologia Humana Elsevier, Espanha.

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies