Erich Fromm: biografia, teorias, contribuições, obras

Erich Fromm: biografia, teorias, contribuições, obras

Erich Fromm  (1900 – 1980) foi um psicanalista germano-americano famoso por explorar a relação entre a mente humana e a sociedade em que vivemos. Sua idéia principal era que, se aplicássemos os princípios da psicanálise aos problemas sociais, poderíamos acabar desenvolvendo uma cultura saudável que promova nossas forças.

Erich Fromm obteve um doutorado na Universidade de Heidelberg em 1922 e começou a treinar em psicanálise na Universidade de Munique e no Instituto Psicanalítico de Berlim. Ele estudou diretamente sob a tutela de Sigmund Freud, mas logo começou a diferir com ele em algumas áreas-chave de sua teoria.

Enquanto para Freud a única coisa importante era entender os impulsos biológicos e seus efeitos em nossa mente, Erich Fromm acreditava que os fatores sociais também tinham um peso muito importante, determinando até o desenvolvimento de nossa personalidade. Após seu exílio nos Estados Unidos para evitar o regime nazista em 1933, ele definitivamente entrou em conflito com os círculos psicanalíticos tradicionais.

Ao longo de sua vida, Erich Fromm desenvolveu inúmeras teorias sobre a relação entre as pessoas e a sociedade e a que elas vivem, e publicou obras como  O medo da liberdade  (1941),  A sociedade são  (1955) ou  A arte de amar  ( 1956). Suas teorias e contribuições continuam sendo de grande importância hoje.

Biografia

Primeiros anos

Erich Fromm nasceu em 23 de março de 1900 em Frankfurt, Alemanha, em uma família de judeus ortodoxos. Como ele diria mais tarde em seus próprios testemunhos, seus pais eram “altamente neuróticos” e, devido a isso e às circunstâncias que cercavam seus primeiros anos, ele teve uma infância difícil e infeliz.

Quando ele tinha apenas 14 anos, Erich Fromm começou a se preocupar com os assuntos atuais de maneira forçada devido ao início da Primeira Guerra Mundial. Nesse momento, ele se interessou por tópicos como o comportamento de grupos e, para tentar responder suas perguntas, leu obras de autores como Karl Marx e Sigmund Freud.

Quando ele tinha idade suficiente, começou a estudar direito na Universidade de Frankfurt, mas depois de apenas dois semestres, decidiu mudar de curso e acabou se formando em sociologia na Universidade de Heidelberg. Em 1922, ele obteve seu doutorado sob a tutela do famoso psicólogo Alfred Weber.

Alguns anos depois, em 1924, Erich Fromm decidiu continuar o treinamento e começou a estudar psicanálise na Universidade de Frankfurt. Pouco depois, mudou-se para Berlim para concluir sua formação no Instituto de Psicanálise, na capital alemã. Naquela época, ele ainda seguia a doutrina oficial da disciplina, embora já estivesse começando a discordar de algumas das idéias de Freud.

Relacionado:  Max Wertheimer: Biografia e Teoria

Dois anos depois, em 1926, Fromm casou-se com Freida Reichmann, uma mulher de 10 anos mais velha e que havia sido sua terapeuta. O casamento não durou muito, pois depois de quatro anos eles acabaram se divorciando.

Vida profissional

Ao longo de sua vida, Erich Fromm manteve uma carreira muito prolífica, desde a prática do ensino em diferentes universidades até a publicação de vários livros sobre suas teorias, incluindo a prática da psicoterapia em particular. Grande parte de sua vida profissional foi passada na América, depois de se mudar para os Estados Unidos para evitar o regime nazista.

Depois de se mudar para os Estados Unidos, Fromm começou a lecionar em diferentes universidades do país, incluindo Nova York, Columbia e Yale. No entanto, suas críticas às teorias de Freud logo lhe renderam a inimizade dos psicanalistas do país e, em 1944, o Instituto Psicanalítico de Nova York o proibiu de continuar supervisionando os estudantes.

México

Nesse mesmo ano, Erich Fromm conseguiu se tornar um cidadão americano, se casou novamente e se mudou para o México para tentar melhorar a saúde de sua esposa, que sofria de uma condição delicada. Lá, ele começou a lecionar na Universidade Autônoma do México e, após a morte de sua esposa, em 1952, fundou o Instituto Mexicano de Psicanálise, onde continuou como diretor até 1976.

Durante os anos seguintes, continuou a ensinar no México e nos Estados Unidos, praticou a prática privada da psicanálise e publicou vários trabalhos sobre diferentes temas, incluindo alguns tão variados quanto a liberdade, o amor ou a influência da sociedade. na mente humana.

Erich Fromm acabou se mudando para Muralto, Suíça, em 1974. Lá permaneceu até sua morte em 1980.

Teorias

O primeiro trabalho realmente importante de Erich Fromm foi seu livro O medo da  liberdade  (1941). Nele você já podia ver o início dos sinais de sua carreira: uma grande compreensão da relação entre a sociedade e a psicologia de cada indivíduo, bem como uma grande crítica às políticas de seu tempo e a busca de respostas sobre a natureza humana.

Relacionado:  Inteligência naturalista: características, exemplo e desenvolvimento

De fato, este trabalho é considerado um dos que fundaram o que mais tarde se tornaria conhecido como psicologia política. Seu próximo livro,  Ethics and Society  (1947), continuou a expandir as idéias deste primeiro trabalho. Em ambos, você pode ver claramente a teoria da natureza humana de Fromm, que para ele foi determinada pela biologia e pela sociedade.

Filosofia humanista

Um dos pontos mais importantes da filosofia humanística de Fromm é sua interpretação da história bíblica de Adão e Eva e sua expulsão do Jardim do Éden. Segundo ele, a história seria uma maneira de transmitir a ansiedade existencial que os primeiros humanos teriam sentido ao tomar consciência de seu papel na natureza.

Segundo Fromm, a descoberta de que os seres humanos são seres vivos em grande parte separados da natureza é uma importante fonte de vergonha e culpa. A solução para este problema, segundo o autor, é o desenvolvimento de algumas capacidades humanas, como razão e amor, entendidas neste caso como algo positivo.

Ideias sobre o amor

A visão psicanalítica tradicional considerava o amor como algo consideravelmente negativo, e baseado apenas nos instintos mais básicos dos seres humanos. Erich Fromm, no entanto, tinha uma visão totalmente diferente dessa emoção e a considerava principalmente positiva.

Em seu famoso livro  The Art of Loving  (1956), Fromm defendeu a idéia de que o amor é realmente uma capacidade criativa interpessoal, e não apenas uma emoção.

Para esse autor, a experiência de se apaixonar era, na verdade, um sinal de que o amor romântico não havia sido compreendido, composto por elementos como responsabilidade, respeito, conhecimento e cuidado.

A liberdade

A liberdade era outro aspecto central da teoria de Erich Fromm. Para esse psicanalista, os humanos podem apenas tomar duas posições em relação a esse aspecto de nossa natureza: aceitar ou fugir de nosso livre arbítrio.

Caso aceitemos nossa liberdade, teremos que enfrentar nossa própria responsabilidade, mas, a longo prazo, alcançaremos um estado de espírito saudável que nos permitirá viver uma vida boa. Pelo contrário, Fromm acreditava que, ao escapar de nossa liberdade, acabaremos sofrendo conflitos psicológicos devido aos nossos mecanismos de prevenção.

Nesse sentido, Erich Fromm descreveu três mecanismos de fuga diferentes:

– Conformidade automática, ou a mudança de si para se ajustar ao que a sociedade espera de cada indivíduo. Com esse mecanismo de prevenção, perdemos nossa identidade, mas transferimos o ônus de nossas próprias escolhas para a sociedade.

Relacionado:  Abraham Maslow: biografia, teorias, contribuições, obras

– Autoritarismo, ou dar o controle da vida de alguém a outro. Desse modo, perde-se a liberdade de escolha, com tudo o que isso implica.

– Destrutividade, ou a tentativa de destruir os outros e o mundo como um todo, para evitar o horror existencial que a liberdade implica.

Nesta curta entrevista, Fromm fala sobre algumas de suas idéias:

Contribuições

Crítico social

Erich Fromm não apenas desenvolveu várias teorias sociológicas e psicanalíticas, mas também foi um crítico social importante e uma pessoa muito ativa no campo da política. Ele era conhecido por ser um dos defensores da Teoria Crítica da Escola de Frankfurt e promoveu todo tipo de idéias muito incomuns em seu tempo.

Contribuições para a psicanálise freudiana

A figura de Fromm também foi extremamente controversa em algumas áreas, especialmente por suas críticas às teorias de Sigmund Freud, o criador da psicanálise e uma das figuras mais importantes da época. Fromm apontou algumas contradições nas idéias desse psicanalista, o que lhe valeu a inimizade de muitos estudantes dessa disciplina.

No entanto, Fromm sempre demonstrou grande respeito pela figura de Freud, chegando a dizer que ele havia sido um dos fundadores do pensamento moderno junto com Albert Einstein e Karl Marx.

Ideologia política

Por outro lado, Erich Fromm era frontalmente contra o capitalismo e o comunismo soviético e defendia uma ideologia baseada na liberdade e na responsabilidade individual, juntamente com o cuidado pelos outros.

Tocam

O medo da liberdade  (1941).

Ética e sociedade  (1947).

Psicanálise e religião  (1950).

A sociedade são  (1955).

A arte de amar  (1956).

Referências

  1. “Biografia do psicólogo social Erich Fromm” em: VeryWell Mind. Retirado em: 24 de abril de 2020 de VeryWell Mind: verywellmind.com.
  2. “Erich Fromm” em: Britannica. Recuperado em: 24 de abril de 2020 em Britannica: britannica.com.
  3. “Biografia de Erich Fromm” em: Boa terapia. Retirado em: 24 de abril de 2020 de Good Therapy: goodtherapy.org.
  4. “Erich Fromm” em: psicólogos famosos. Retirado em: 24 de abril de 2020 de Famous Psychologists: famouspsychologists.org.
  5. “Erich Fromm” em: Wikipedia. Retirado em: 24 de abril de 2020 da Wikipedia: en.wikipedia.org.

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies