Escudo de Corrientes: História e Significado

Escudo de Corrientes: História e Significado

O brasão de Corrientes foi declarado oficial pelo primeiro Congresso Constituinte da província em 1821. Seus elementos se referem à fundação da província e seus recursos naturais.

A província de Corrientes, cuja capital tem o mesmo nome, faz parte da República Argentina. De fato, foi uma das catorze regiões que participaram da fundação do país. Está localizado no nordeste, na fronteira com o Paraguai, o Brasil e o Uruguai.

Este escudo substituiu o criado por Juan de Torres de Vera e Aragão, fundador da cidade de Corrientes, baseada no brasão de armas de sua família. Nesse primeiro escudo, duas torres apareceram com uma águia que apoiava suas pernas nelas.

História

Depois de se tornar uma província em 1814, Corrientes se tornou a primeira na República Argentina a escrever sua própria constituição.

Essa constituição previa a criação de seus símbolos distintivos: a bandeira e o escudo. Esta última tem como base principal os símbolos da bandeira do país, além de algumas de suas características, como a cruz em chamas.

A cruz do milagre

Esta cruz cercada por chamas, mas não queima, nasceu da história feita pelo capitão Juan Francisco de Aguirre em 1588.

Nesse ano, após a fundação da cidade, os índios atacaram uma população. No entanto, as flechas que lançaram se transformaram no ar contra si mesmas.

Os atacantes descobriram que foi uma cruz, erguida pelos espanhóis e feita de urunday, que causou esse fato. Eles tentaram queimar, mas a cruz resistiu ao efeito do fogo sem sofrer nenhum dano.

Modificações posteriores

Depois que o Congresso Constituinte aprovou o escudo, várias modificações ocorreram.

O emblema final foi realizado entre 1822 e 1825, mas posteriormente sofreu várias mudanças até que, em 1921, o governo emitiu um decreto que estabeleceu definitivamente os elementos que o compõem.

Relacionado:  Anschluss: antecedentes, anexação e consequências

Significado

Cada parte do escudo esconde um significado diferente: o interior e a forma oval em si e os elementos externos.

Quanto aos elementos localizados no oval, destaca-se a cruz, encarnação da fé e que lembra o milagre ocorrido em 1588. Por seu lado, as mãos trêmulas simbolizam reconciliação e unidade.

Um boné frígio que representa a mesma liberdade alcançada também aparece em um pique de madeira (símbolo de sucesso em sua luta pela independência).

As sete faixas de terra de cor dourada, que aparecem nos dois lados da cruz, são as extremidades do rio Paraná.

Elas formam sete correntes rápidas, exatamente onde a capital homônima da província foi fundada.

As duas cores que podemos contemplar, o azul da parte superior e o branco da parte inferior, são as da bandeira argentina.

Por seu lado, a elipse que circunda todos esses símbolos lembra uma cabeça humana adornada por uma coroa de louros, representando vitória.

O sol nascente que coroa o escudo alude à criação da nova nação, a Argentina, também aparecendo na bandeira e no hino nacional

Referências

  1. Governo de Correntes. Brasão de armas da província de Corrientes (22 de agosto de 2013). Obtido em current.gov.ar
  2. Direcção de Estatística e Censos. Símbolos oficiais da província. Obtido de deyc-corrientes.gov.ar
  3. Heráldica argentina. Província de Corrientes. (2009). Obtido em heraldicaargentina.com.ar
  4. Brasão de armas da Argentina. Dicionários e Enciclopédias Acadêmicas. Obtido de en.academic.ru
  5. Município de Corrientes. Símbolos pátrios. Obtido em ciudaddecorrientes.gov.ar

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies