Estrogênios: tipos, funções e efeitos no corpo

Os estrogênios são hormônios sexuais femininos produzidos principalmente pelos ovários, mas também em menor quantidade pelas glândulas adrenais e pelos tecidos adiposos. Existem três tipos principais de estrogênios: estrona, estradiol e estriol. Esses hormônios desempenham diversas funções no corpo feminino, incluindo o desenvolvimento e manutenção dos órgãos reprodutivos, regulação do ciclo menstrual, crescimento dos seios e distribuição de gordura corporal. Além disso, os estrogênios também têm efeitos em outros tecidos do corpo, como ossos, pele e cérebro. No entanto, desequilíbrios nos níveis de estrogênio podem levar a uma série de problemas de saúde, como distúrbios menstruais, infertilidade, osteoporose e até mesmo câncer de mama. Portanto, é importante entender os diferentes tipos de estrogênios, suas funções e os efeitos que podem ter no corpo para garantir uma boa saúde hormonal.

Conheça os diferentes tipos de estrogênio disponíveis no mercado e suas principais características.

Os estrogênios são hormônios sexuais femininos responsáveis por diversas funções no corpo da mulher. Existem diferentes tipos de estrogênio disponíveis no mercado, cada um com suas próprias características e aplicações.

Um dos tipos mais comuns de estrogênio é o estradiol, que é produzido pelos ovários. Ele é o principal estrogênio em mulheres em idade fértil e desempenha um papel fundamental na regulação do ciclo menstrual e na manutenção da saúde dos ossos. O estradiol também é utilizado em terapias de reposição hormonal para tratar sintomas da menopausa.

Outro tipo de estrogênio é o estriol, que é produzido em grandes quantidades durante a gravidez. O estriol tem uma atividade estrogênica mais fraca em comparação com o estradiol, mas ainda assim desempenha um papel importante na saúde reprodutiva da mulher.

Além disso, existe o estrogênio conjugado, que é uma combinação de diferentes estrogênios sintéticos. O estrogênio conjugado é frequentemente utilizado em terapias de reposição hormonal para tratar sintomas da menopausa, como ondas de calor e secura vaginal.

É importante ressaltar que o uso de estrogênios pode ter efeitos colaterais, como aumento do risco de câncer de mama e de coágulos sanguíneos. Por isso, é fundamental consultar um médico antes de iniciar qualquer tipo de terapia hormonal com estrogênio.

Consulte sempre um profissional de saúde para obter orientações adequadas sobre o uso de estrogênios.

Qual o papel desempenhado pelo estrogênio no organismo humano?

O estrogênio é um hormônio vital para o funcionamento adequado do organismo humano. Ele é produzido principalmente nos ovários, mas também em menor quantidade nas glândulas adrenais e no tecido adiposo. Existem três tipos principais de estrogênio: estrona, estradiol e estriol.

O estrogênio desempenha diversas funções no corpo, sendo responsável por regular o ciclo menstrual, manter a saúde dos ossos, da pele e dos cabelos, além de influenciar o humor e a libido. Ele também tem um papel importante na gravidez, no desenvolvimento sexual e na regulação do metabolismo.

Os níveis de estrogênio no organismo variam ao longo da vida da pessoa, sendo mais altos durante a puberdade e a idade fértil, e diminuindo após a menopausa. A deficiência de estrogênio pode levar a sintomas como ondas de calor, insônia, alterações de humor e perda óssea, enquanto níveis elevados podem estar associados a problemas como câncer de mama e de útero.

Relacionado:  Giro precentral: características e funções desta parte do cérebro

Em resumo, o estrogênio desempenha um papel fundamental na saúde e no bem-estar do organismo humano, sendo essencial para diversas funções vitais. É importante manter um equilíbrio adequado desse hormônio para garantir o funcionamento adequado do corpo e prevenir possíveis complicações de saúde.

Conheça os 5 principais hormônios femininos e seus papéis no corpo da mulher.

Os estrogênios são um grupo de hormônios femininos que desempenham um papel fundamental no corpo da mulher. Existem três principais tipos de estrogênios: estrona, estradiol e estriol. Cada um desses hormônios tem funções específicas no organismo feminino.

O estradiol, por exemplo, é responsável por regular o ciclo menstrual e promover o desenvolvimento dos órgãos reprodutivos. Já o estriol é importante durante a gravidez, ajudando a manter a saúde do feto. E a estrona atua na regulação do metabolismo e na manutenção da saúde dos ossos.

Além disso, os estrogênios têm diversos efeitos no corpo da mulher. Eles contribuem para o desenvolvimento dos caracteres sexuais secundários, como o crescimento dos seios e o alargamento dos quadris. Também influenciam o humor, a libido e a saúde da pele.

É importante manter os níveis de estrogênio equilibrados no organismo, pois desequilíbrios podem levar a problemas de saúde, como a osteoporose e a menopausa precoce. Por isso, é essencial cuidar da alimentação, praticar exercícios físicos e buscar orientação médica quando necessário.

Manter um equilíbrio saudável desses hormônios é fundamental para a saúde e o bem-estar da mulher.

Diferença entre estrogênio e estradiol: entenda as variações e suas funções no organismo.

Estrogênio e estradiol são dois tipos de hormônios femininos produzidos principalmente pelos ovários. Apesar de serem muitas vezes usados como sinônimos, eles têm diferenças importantes em relação à sua composição e função no corpo.

O estrogênio é um grupo de hormônios esteroides responsáveis por regular o desenvolvimento sexual feminino e o ciclo menstrual. Ele é composto por três principais subtipos: estrona, estriol e o estradiol. O estradiol é considerado o mais potente dos estrogênios e desempenha um papel fundamental na regulação do ciclo menstrual, na manutenção da saúde dos ossos e na saúde cardiovascular.

Por outro lado, o estradiol é uma forma específica de estrogênio que é produzida principalmente pelos ovários durante a fase reprodutiva da mulher. Ele é responsável por regular o crescimento e desenvolvimento dos órgãos sexuais femininos, além de influenciar o desejo sexual e a fertilidade.

É importante ressaltar que tanto o estrogênio quanto o estradiol desempenham papéis essenciais no organismo feminino, contribuindo para o equilíbrio hormonal e para a manutenção da saúde geral. Qualquer alteração nos níveis desses hormônios pode ter efeitos significativos no corpo, podendo causar sintomas como ondas de calor, alterações de humor e irregularidades menstruais.

Portanto, é fundamental entender as diferenças entre estrogênio e estradiol, bem como suas funções específicas no organismo, para garantir uma saúde hormonal adequada e prevenir possíveis complicações relacionadas ao desequilíbrio hormonal.

Estrogênios: tipos, funções e efeitos no corpo

Estrogênios: tipos, funções e efeitos no corpo 1

O sistema endócrino consiste no conjunto de órgãos e tecidos do organismo, que secretam um tipo de substâncias: hormônios. Aqui , conheceremos um tipo de hormônios sexuais femininos, estrógenos , bem como os diferentes tipos de estrógenos que existem.

Relacionado:  Soma neural ou pericarion: partes e funções

Os hormônios são liberados na corrente sanguínea e regulam algumas das funções do corpo. Os principais hormônios sexuais femininos, secretados naturalmente pelo organismo, são estradiol, estrona e estriol.

Características do estrogênio

Os estrógenos são hormônios sexuais esteróides, principalmente do sexo feminino, embora também secretem nos homens (em menor grau). Eles são responsáveis ​​pelo desenvolvimento de características sexuais secundárias femininas, como o crescimento da mama.

Os diferentes tipos de estrógenos são produzidos pelos ovários, pela placenta (durante a gravidez) e, em menor grau, pelas glândulas supra-renais. O eixo hipotálamo-hipófise desempenha um papel essencial em sua secreção. Especificamente, nos ovários, eles ocorrem em resposta a sinais do cérebro e de outros órgãos , tanto em vertebrados quanto em invertebrados.

Química desses hormônios

No nível químico, a molécula de estrogênio é baseada na estrutura do fenantreno (tipo de estrutura química).

Quanto à sua biossíntese, inclui a aromatização da testosterona pela enzima aromatase. A aromatase está presente em muitos tecidos, incluindo adiposo e cerebral.

  • Você pode estar interessado: ” Os efeitos da testosterona no cérebro do homem “

Tipos de estrogênio

Dependendo do tipo de síntese ou origem, podemos falar sobre três tipos de estrogênio:

1. Estrogênios naturais

Eles são segregados pelo próprio corpo. O mais importante: estradiol, estrona e estriol .

2. Estrogênios semissintéticos

Eles são esteróides derivados do estradiol. Existem três diferentes:

  • Etinilestradiol : de grande potência estrogênica, é muito ativo por via oral.
  • Mestranol : Geralmente é usado junto com progestágenos.
  • Quinestrol .

3. Estrogênios sintéticos não esteróides

Eles não são esteróides e são ativos por via oral. Eles adquirem alguma semelhança química com os esteróides e são capazes de ativar receptores estrogênicos potentes , por isso são de grande utilidade terapêutica. Os principais são três:

  • Dienestrol : é usado ou usado para tratar os sintomas da menopausa.
  • Dietiletilbestrol ou etilbestrol: é o mais conhecido e clássico.
  • Clorotrianiseno : no corpo, é transformado em estrogênio ativo de ação prolongada (proestrogênio).

Mecanismo de ação e funções

Nos seres humanos (e em todos os vertebrados), os três principais estrogênios naturais são estrona, estradiol e estriol. Destes três, o estradiol é o mais potente, pois possui a maior afinidade com os receptores de estrogênio.

Esses três estrógenos principais são secretados principalmente pelos folículos em desenvolvimento nos ovários, o corpo lúteo da placenta, córtex adrenal, cérebro, testículos, fígado e tecido adiposo .

Mas como os estrógenos operam no corpo? O mecanismo de ação do estrogênio tem a ver com os receptores nucleares das células. Sua função é regular a expressão gênica e promover a síntese de mRNAs específicos (RNA mensageiro).

Além disso, os estrógenos induzem a síntese de receptores para a produção de progesterona em células de diferentes tecidos.

Efeitos em homens e mulheres

Os efeitos dos estrógenos também são notáveis ​​no desenvolvimento pré-natal e pós-natal, em homens e mulheres . Assim, a relação específica entre estrogênio e andrógenos (hormônios sexuais masculinos) é necessária para a diferenciação e formação adequada dos órgãos reprodutivos. Se esse relacionamento for perturbado, os órgãos reprodutivos podem se desenvolver de maneira incompleta ou anormal.

Relacionado:  Vias aferentes e eferentes: tipos de fibras nervosas

Nas mulheres, a função desses hormônios é preparar o útero para aceitar o óvulo fertilizado , além de ajudar na gravidez e lactação. Um autor, Hileman (1994), propôs que os estrogênios diminuam o risco de ataques cardíacos e osteoporose, mas aumentam o risco de câncer de mama e uterino.

Nos homens, os estrogênios regulam a espermatogênese (síntese espermática ) no sistema reprodutor masculino. No entanto, se a concentração de estrogênio nos homens for alta, pode inibir a produção de espermatozóides.

Ações Farmacológicas

No nível farmacológico, os estrógenos têm diversas ações. Essas ações podem ser específicas (quando atuam em locais de ação específicos, por exemplo, nas mamas, genitais, vagina, tubos, …) ou inespecíficas (por exemplo, em relação à prolactina, tireóide, adrenal, … )

Vamos ver alguns exemplos de ações farmacológicas não específicas do estrogênio:

1. Prolactina

Os estrógenos aumentam a síntese e liberação de prolactina , um hormônio que estimula a secreção de leite, especialmente quando a mulher está grávida.

2. Tireóide

A glândula tireóide é uma glândula endócrina que regula o metabolismo do corpo e a sensibilidade do corpo a outros hormônios . Nesse caso, estrogênios em doses baixas aumentam sua atividade (hipertireoidismo) e, em altas doses, inibem-no (hipotireoidismo).

3. Anabolismo de Proteínas

A presença de estrógenos aumenta o anabolismo protéico, ou seja, a síntese de proteínas a partir de aminoácidos .

4. Coagulação

Alguns dos diferentes tipos de estrogênio também favorecem a coagulação do sangue. A coagulação implica que o sangue se torne um gel para formar um coágulo.

Efeitos adversos

Dependendo se existe um excesso ou uma baixa concentração de estrogênio, podemos encontrar diferentes efeitos adversos no corpo:

1. Por alta concentração

Alguns dos efeitos adversos da alta concentração de estrogênio são que há um aumento no muco cervical (fluxo cervical nas mulheres), bem como um aumento no tamanho do útero. O excesso de estrogênio também causa hipermenorréia (sangramento menstrual muito grave a intervalos regulares) e dismenorreia (dor antes da menstruação).

Uma possível causa de exposição a altas concentrações de estrogênio são os tratamentos farmacológicos utilizados para reposição hormonal, regulação do ciclo menstrual ou métodos contraceptivos.

2. Devido a uma diminuição na concentração

Existem principalmente dois efeitos adversos: metrorragia (sangramento vaginal não programado) e amenorréia (ausência de menstruação).

Outros tratamentos em animais

Os estrógenos, além dos tratamentos contraceptivos em humanos, também são usados ​​em terapias hormonais com animais (animais para produção de alimentos e animais domésticos).

Alguns de seus objetivos terapêuticos são: o uso de estradiol para induzir e sincronizar o período de calor nas vacas, ou estriol para o tratamento da incontinência urinária em cadelas.

Referências bibliográficas:

  • Hileman, B. (1994). Estrogênios ambientais ligados a anormalidades reprodutivas, câncer. Chemical & Engineering News, 72 (5), 19-23.
  • Ramírez-Sánchez, I., Martínez-Áustria, P., Quiroz-Alfaro, M. e Bandala, E. (2015). Efeitos dos estrógenos como poluentes emergentes na saúde e no meio ambiente. Tecnologia e Ciências da Água, 6 (5), 31-42.

Deixe um comentário