Flora e fauna das Ilhas Galápagos: principais espécies

As Ilhas Galápagos são um arquipélago localizado no Oceano Pacífico, conhecido por sua incrível biodiversidade e por ter sido um dos locais que inspirou Charles Darwin em suas teorias da evolução. A flora e fauna das Ilhas Galápagos são únicas e apresentam diversas espécies endêmicas, que não são encontradas em nenhum outro lugar do mundo. Algumas das principais espécies que habitam as ilhas incluem as tartarugas gigantes, iguanas marinhas, leões-marinhos, pinguins de Galápagos e uma grande variedade de aves, como o famoso tentilhão de Darwin. Essas espécies desempenham um papel fundamental no ecossistema das ilhas e são protegidas por programas de conservação.

Descubra a diversidade de animais que habitam a ilha Galápagos.

As Ilhas Galápagos são famosas por sua rica diversidade de flora e fauna, com espécies únicas que não são encontradas em nenhum outro lugar do mundo. Desde as tartarugas gigantes até os tentilhões, as ilhas abrigam uma grande variedade de animais fascinantes.

Uma das espécies mais icônicas das Galápagos é a tartaruga gigante, que pode viver por mais de 100 anos. Estas criaturas majestosas são encontradas em várias ilhas do arquipélago e desempenharam um papel fundamental nas teorias de Charles Darwin sobre a evolução.

Além das tartarugas gigantes, as Galápagos também são o lar de uma grande variedade de aves, como os famosos tentilhões de Darwin. Estas aves foram estudadas pelo próprio Darwin e ajudaram a moldar sua teoria da seleção natural.

Outros animais que habitam as ilhas incluem leões-marinhos, iguanas marinhas, pinguins e uma grande variedade de peixes coloridos. A diversidade de vida marinha nas Galápagos é verdadeiramente impressionante e atrai mergulhadores de todo o mundo.

Se você deseja experimentar a verdadeira diversidade da vida selvagem, as Galápagos são o destino perfeito para você.

Conheça a vegetação característica do Parque Nacional de Galápagos em detalhes.

A vegetação do Parque Nacional de Galápagos é única e diversificada, refletindo a biodiversidade incrível das ilhas. Entre as espécies mais proeminentes estão os cactos gigantes, que podem atingir alturas impressionantes. Além disso, é possível encontrar árvores como o manzanillo, conhecido por sua seiva tóxica, e o palo santo, que é utilizado para diversos fins medicinais e religiosos.

Outras plantas comuns no arquipélago incluem o tomate de árvore, que produz frutos comestíveis, e a sanguinária, uma erva daninha com flores vermelhas vibrantes. A vegetação costeira é dominada por manguezais e palmeiras, que fornecem habitat para uma variedade de espécies animais.

Essas plantas são essenciais para a sobrevivência da vida selvagem das Galápagos, proporcionando alimento, abrigo e proteção. A interação entre a flora e a fauna do arquipélago é um exemplo fascinante de como os ecossistemas podem se adaptar e evoluir juntos ao longo do tempo.

Descubra as maravilhas da fauna e flora de Galápagos em uma viagem inesquecível.

As Ilhas Galápagos são um verdadeiro paraíso para os amantes da natureza. Localizadas no Oceano Pacífico, essas ilhas são conhecidas por sua fauna e flora únicas, que não podem ser encontradas em nenhum outro lugar do mundo. Se você está procurando uma experiência inesquecível em contato com a natureza, não pode deixar de visitar esse arquipélago.

Entre as principais espécies que você poderá encontrar em Galápagos, estão as tartarugas gigantes, que são um dos símbolos mais famosos do arquipélago. Essas tartarugas podem chegar a pesar mais de 400 quilos e viver por mais de 100 anos. Além delas, você também poderá ver leões-marinhos, iguanas marinhas, albatrozes e uma grande variedade de aves que habitam as ilhas.

A flora de Galápagos também é impressionante, com espécies únicas e adaptadas ao ambiente insular. Entre as plantas mais conhecidas estão os cactos gigantes, que podem chegar a ter mais de 10 metros de altura, e as árvores de sésamo, que são endêmicas das ilhas.

Uma viagem para Galápagos é uma oportunidade única de se maravilhar com a diversidade da vida selvagem e a beleza natural dessas ilhas. Não perca a chance de conhecer de perto essas espécies incríveis e se conectar com a natureza de uma maneira que você jamais esquecerá.

Por que tantas espécies eram exclusivas das Galápagos e não em outros locais?

As Ilhas Galápagos são conhecidas por sua biodiversidade única, com muitas espécies que não são encontradas em nenhum outro lugar do mundo. Mas por que tantas espécies eram exclusivas das Galápagos e não em outros locais?

Relacionado:  Titina: estrutura, funções e patologias relacionadas

Um dos principais motivos é o isolamento geográfico das ilhas. Localizadas a cerca de 1.000 km da costa do Equador, as Galápagos são um arquipélago remoto no Oceano Pacífico. Esse isolamento permitiu que as espécies evoluíssem de forma independente, sem a interferência de outras populações de animais ou plantas.

Além disso, as condições ambientais únicas das Galápagos também contribuíram para a evolução de espécies exclusivas. O clima, a geologia e a topografia das ilhas criaram habitats especiais que favoreceram a adaptação e diversificação das espécies ao longo do tempo.

Por exemplo, as tartarugas gigantes das Galápagos desenvolveram diferentes formas e tamanhos de casco, dependendo da ilha em que viviam. Essas adaptações foram resultado da pressão seletiva do ambiente local, levando à diversificação das espécies.

Esse é o motivo pelo qual tantas espécies são exclusivas das Galápagos e não encontradas em outros locais.

Flora e fauna das Ilhas Galápagos: principais espécies

Flora e fauna das Ilhas Galápagos: principais espécies

A flora e a fauna das Ilhas Galápagos ganharam reconhecimento mundial do trabalho de Charles Darwin The Origin of Species  (1858), porque a natureza dessas ilhas desempenhou um papel importante no desenvolvimento dessa teoria científica relevante.

As Ilhas Galápagos também são chamadas de Arquipélago de Colón ou Arquipélago de Galápagos e estão localizadas a 1.000 km da costa do Equador, no leste do Oceano Pacífico. É um arquipélago de 22 ilhas e mais de 100 ilhotas e rochas de origem vulcânica, localizadas no equador, com grande biodiversidade.

O conjunto das Ilhas Galápagos abriga cerca de 560 espécies nativas de angiospermas e 500 espécies de musgos, líquenes e hepáticas. Enquanto na fauna, reúne mais de 7.000 espécies de todos os principais grupos taxonômicos, destacando as espécies de tartarugas (10), aves e fauna marinha.

Flora das Ilhas Galápagos

Scalesia

É um gênero de arbustos e árvores da família do composto endêmico (exclusivo) das Ilhas Galápagos. A espécie que atinge seu maior tamanho é Scalesia pedunculata , uma árvore de até 20 m de altura.

Essas plantas formam densas florestas ou matagais formadas por uma única espécie e fazem parte das florestas encontradas nessas ilhas.

Camomila ( Hippomane mancinella )

Esta pequena árvore também é chamada de “árvore da morte”, porque a resina que exala é extremamente tóxica, portanto, não é recomendável ficar à sombra. É uma árvore com tronco torcido castanho acinzentado e folhagem densa verde brilhante com nervuras de cor creme.

Palo santo ( Bursera graveolens subsp. Malaccense )

Esta árvore forma florestas esparsas em algumas ilhas, atingindo 4 a 10 m de altura, com seus troncos manchados de branco prateado. Um óleo essencial usado na medicina tradicional é extraído de seu tronco, da mesma forma que suas folhas também são utilizadas e é uma subespécie endêmica das Ilhas Galápagos.

Linho de Galápagos ou linho de Floreana ( Linum cratericola )

Esta planta irmã do linho têxtil é endêmica de uma cratera na ilha de Floreana, com apenas 50 espécimes em risco de extinção. São pequenos arbustos com pequenas folhas estreitas.

Arbusto salgado ( Cryptocarpus pyriformis )

É um arbusto da família das nictagináceas de galhos prostrados e rastejantes, com pequenas flores brancas, que forma arvoredos costeiros baixos. Cresce na areia das praias, resistindo bem à salinidade e ao vento.

Algodão de Darwin ( Gossypium darwinii )

É uma espécie endêmica dessas ilhas que atinge cerca de 3 m de altura, irmã do algodão cultivado comercialmente. Possui grandes flores amarelas e seu fruto é uma cápsula que se abre quando madura e revela grandes manchas de algodão.

Manguezais

Existem quatro espécies de manguezais nessas ilhas: vermelho ( Rhizophora mangle ), preto ( Avicennia germinans ), branco ( Laguncularia racemosa ) e botão ( Conocarpus erectus ).

Essas árvores caracterizam-se por serem plantas resistentes à salinidade, para poderem entrar em contato próximo com a água do mar e, no caso dos manguezais vermelhos, suas raízes estão diretamente imersas no mar.

Tomates Galápagos

Nas Galápagos, existem duas espécies de tomates silvestres, Solanum galapagense  e Solanum cheesmaniae . Sendo ervas com caules prostrados ou rastejantes, com folhas verde-amareladas e frutos alaranjados dourados quando maduros.

Guayabillo ou Guaba ( Psidium galapageium )

Esta myrtaceae é uma árvore de até 8 m de altura, com um tronco de casca lisa cinza-rosa e flores brancas. É uma planta endêmica das Ilhas Galápagos, que foi introduzida em outras partes da América, pois seus frutos são comestíveis.

Glória da manhã ou glória da manhã ( Merremia aegyptia )

É uma planta trepadeira volúvel (seu tronco se enrola em toras, cercas) da família convolvulácea. É uma planta com caules finos e peludos, folhas compostas de palmito e grandes flores brancas que se abrem ao amanhecer, sendo introduzida nas Galápagos.

Cactos do gênero Opuntia

No arquipélago, existem 14 espécies desses cactos achatados e achatados, armados com numerosos espinhos. O maior é Opuntia echios , com até 12 m de altura e mais de um metro de diâmetro do caule ( Opuntia echios var. Barringtonensis ).

Cacto de candelabros ( Jasminocereus thouarsii )

É um cacto colunar endêmico dessas ilhas, sendo uma planta que cresce até 5 metros de altura. Parece um candelabro, com uma haste principal marrom clara e hastes superiores verdes com costelas espinhosas, grandes flores amarelas e frutas vermelhas.

Castelo de lava ou cacto de lava ( Brachycereus nesioticus )

É uma espécie de cactos endêmica da Ilha Bartolomé e adaptada aos substratos rochosos de lava que abundam por lá. A espécie mede cerca de 60 cm com várias hastes cilíndricas verde-claras em direção à base e amareladas em direção ao ápice e em  plantas maduras as hastes adquirem uma cor cinza escura com uma parte superior laranja.

Micônia ( Miconia robinsoniana )

Nas ilhas Galápago existem muitas espécies do gênero Miconia (melastomatáceas), sendo este arbusto de 2 a 5 m de altitude. Possui hastes avermelhadas, com folhas verdes e avermelhadas, flores roxas cheias de inflorescências densas e que dão origem a frutos roxos brilhantes.

Lecocarpus de Darwin ( Lecocarpus darwinii )

É um arbusto pertencente à família composta, cujo gênero é endêmico nessas ilhas. Possui folhas grandes com margens irregulares e capítulos de cor amarela (inflorescências com flores lotadas).

Maracujá ( Passiflora foetida var. Galapagensis )

É uma variedade de maracujá ou flor de maracujá endêmica nas Ilhas Galápagos. Esta trepadeira atinge até 5 metros de altura, suas flores são brancas e seus frutos amarelos são comestíveis.

Margarida de Darwin ( Darwiniothamnus tenuifolius )

É uma espécie endêmica pertencente à família composta, com um hábito de arbusto altamente ramificado que cresce até 3 metros de altura. Possui capítulos com ligulos brancos (“pétalas”) e um centro amarelo, e suas folhas são estreitas e alongadas.

Fauna das Ilhas Galápagos

Tartarugas terrestres (gênero Chelonoidis )

As tartarugas terrestres são chamadas galápagos no Equador, e justamente a grande diversidade de tartarugas que existe dá o nome ao arquipélago. Na época de Darwin, havia 14 espécies de macacos gigantes, das quais quatro já desapareceram.

O indivíduo mais famoso da última espécie extinta foi o Solitaire George, um macho da espécie Chelonoidis abingdonii . Estas tartarugas gigantes atingem mais de um metro de comprimento e mais de 200 kg de peso.

Tartarugas marinhas

Existem pelo menos cinco espécies de tartarugas marinhas nessa região, incluindo a tartaruga-cara ( Caretta caretta ) e a tartaruga-de-couro ( Dermochelys coriacea ). Da mesma forma, o golias ou escamosa ( Lepidochelys olivacea ) e a tartaruga-de-pente ( Eretmochelys imbricata ) são encontrados em perigo crítico, enquanto os outros três são vulneráveis.

Iguanas

Existem cinco espécies de iguanas nas diferentes ilhas, entre as quais uma iguana marinha ( Amblyrhynchus cristatus ). O restante é terrestre, como a iguana-de-rosa ( Conolophus marthae ), a iguana de Santa Fe ( Conolophus pallidus ) e a iguana terrestre de Galápagos (Conolophus subcristatus).

A iguana comum ou iguana verde ( iguana iguana ) e uma espécie ainda não identificada do gênero Conolophus também são encontradas na ilha de Santiago.

Lagartos de lava

Nove espécies de lagartos endêmicos de lava são encontradas neste arquipélago, todo o gênero Microlophus . Esses lagartos têm tons de pele que combinam com o terreno em que vivem, com os escuros vivendo em rochas de lava negra e tons mais claros de rochas de arenito.

Passarinhos

Este grupo de aves endêmicas de Galápagos constitui o exemplo clássico de radiação adaptativa ligada à teoria evolutiva de Darwin. Esses pássaros se adaptaram às diferentes ilhas de maneiras muito diferentes, formando até 17 espécies diferentes.

Eles pertencem a 4 gêneros diferentes, que são Camarhynchus , Certhidea , Geospiza e Platyspiza .

Pássaro de fragata

Três espécies são encontradas no gênero Fregata , entre as quais a fragata Royal Galapagos ( Fregata magnificens magnificens ). Esta espécie se alimenta de lulas, crustáceos, restos de peixes e filhotes de outras aves e iguanas.

São aves com mais de 100 cm de comprimento e 2 m de envergadura e os machos têm um saco de pêlo vermelho no pescoço que exibem quando inflados (bolsa gular). A função deste casaco é atrair fêmeas para acasalar.

Relacionado:  Micélio: tipos, características, funções e usos

Albatroz

Eles são o verdadeiro albatroz ( Diomedea epomophora ) e o albatroz errante ou itinerante ( Diomedea exulans ); essas espécies podem atingir até 3,5 m em envergadura. Eles são pássaros de pesca que mergulham para capturar suas presas.

Boobies

Existem 5 espécies dessas aves em Galápagos, todas do gênero Sula , a mais impressionante é o peito-de-pés-azuis ( Sula nebouxii excisa ). Esses pássaros têm pés palmados em um azul profundo impressionante e se alimentam de peixes.

Há também um peito de pés vermelhos ( Sula sula ) e o peito de Nazca ( Sula granti ) que possui pernas verde acinzentadas. Além disso, há o peito marrom ( Sula leucogaster ) e o peito peruano ( Sula variegata ).

Pinguim de Galápagos ( Spheniscus mendiculus )

É o único pinguim que vive em uma região tropical e é listado como uma espécie em extinção. Este pinguim é capaz de sobreviver nessas condições tropicais, graças ao fato de as águas das Ilhas Galápagos serem frias devido à influência da Corrente Humboldt da Antártica.

É um animal pequeno, com cerca de 50 cm de altura e peso de 2,5 kg, com dorso e cabeça em cinza escuro quase preto. Tem linhas brancas acima dos olhos para as costas e depois desce até o pescoço, a barriga é branca e as pernas são cinza.

Morcegos

Duas espécies de morcegos são encontradas nessas ilhas, o morcego vermelho de Galápagos ( Lasiurus borealis brachyotis ) e o grande morcego fosco ( Lasiurus villosissimus ). Estes são animais insetívoros, é claro, com hábitos noturnos.

Ratos endêmicos

Existem cerca de seis espécies de ratos no arquipélago, incluindo duas espécies introduzidas, o rato norueguês ( Rattus norvegicus ) e o rato preto ( Rattus rattus ). Os outros são endêmicos dessas ilhas, incluindo o rato Fernandina ( Nesoryzomys narboroughi ) e o rato Galápagos ( Aegialomys galapagoensis ).

Lobos ou leões marinhos

Três espécies de leões marinhos vivem nas águas e costas das Ilhas Galápagos, uma é o leão-marinho de dois cabelos ( Arctocephalus galapagoensis ). As outras duas espécies são o lobo-marinho da América do Sul ( Otaria flavescens ) e o lobo-marinho de um cabelo ( Zalophus wollebaeki ).

Esses animais mergulham em grandes profundidades em busca dos peixes e moluscos que compõem sua dieta. Os machos adultos do leão-marinho ou leão-marinho da América do Sul se assemelham a um leão por causa de uma pelagem avermelhada ou amarelada no pescoço.

Golfinhos

Esses mamíferos aquáticos são abundantes nas Ilhas Galápagos, onde são encontradas 8 espécies, pertencentes a seis gêneros diferentes. Estes incluem o golfinho comum ( Delphinus delphis ), o golfinho de Risso ( Grampus griseus ) e o golfinho- rotador ( Stenella longirostris ).

Este é um pequeno golfinho com focinho longo, conhecido por seus saltos acrobáticos nos quais gira em seu próprio eixo.

Tubarões

Existem cerca de 15 espécies de tubarões nas Ilhas Galápagos, distribuídas em 9 gêneros diferentes. Do enorme tubarão-baleia ( Rhincodon typus ) ao tubarão-gato ( Bythaelurus giddingsi ), com apenas trinta centímetros de comprimento.

O tubarão-baleia é considerado o maior peixe do mundo, atingindo até 12 m de comprimento, que possui uma pele cinza escura com muitas toupeiras brancas ou amareladas.

Também são encontrados o peculiar tubarão-martelo ( Sphyrna lewini ) e o tubarão-de- bico- branco potencialmente agressivo ( Carcharhinus albimarginatus ). Há também o tubarão-tigre ( Galeocerdo cuvier ), de cor azul a verde-azulado, com listras pretas suaves.

Peixe com osso

Existem mais de 500 espécies de peixes nas Ilhas Galápagos, algumas delas de grande tamanho, como o espadim preto ( Istiompax indica ), com quase 5 m de comprimento. Outros são pequenos, como o Scorpaenodes xyris, com suas glândulas venenosas, que atingem cerca de 15 cm.

Referências

  1. Bensted-Smith, R. (ed.). (2002) Uma visão da biodiversidade para as Ilhas Galápagos. Fundação Charles Darwin e WWF, Puerto Ayora.
  2. Fundação Charles Darwin. Lista de espécies de Galápagos. (Visto em 25 de abril de 2020). Retirado de: darwinfoundation.org
  3. Jiménez-Uzcátegui, G., Milstead, B., Márquez, C., Zabala, J., Buitrón, P., Llerena, A., Salazar, S. e Fess, B. (2007). Vertebrados de Galápagos: status em perigo e ações de conservação. Relatório Galápagos 2006-2007.
  4. Johnson, MP e Raven, PH (1973). Número de espécies e endemismo: revisitado o arquipélago de Galápagos. Ciência.
  5. Ministério do Meio Ambiente do Equador (2010). Quarto relatório nacional da convenção sobre diversidade biológica. Quito.
  6. Wiggins, IL e Porter, DM (1971). Flora das Ilhas Galápagos. Imprensa da Universidade de Stanford, Stanford.

Deixe um comentário