Flora e fauna de Tucumán: espécies representativas

A província de Tucumán, localizada no noroeste da Argentina, é conhecida pela sua rica diversidade de flora e fauna. Com uma grande variedade de ecossistemas, que vão desde as montanhas da cordilheira dos Andes até as florestas subtropicais, Tucumán abriga uma grande variedade de espécies representativas da região. Neste texto, vamos explorar algumas das espécies mais emblemáticas e importantes da flora e fauna de Tucumán.

A diversidade da flora de Tucumán: uma riqueza natural a ser preservada.

A diversidade da flora de Tucumán: uma riqueza natural a ser preservada. A província de Tucumán, localizada no norte da Argentina, possui uma flora extremamente diversificada, composta por uma grande variedade de espécies vegetais. Esta diversidade é resultado da combinação de diferentes fatores, como o clima variado, a topografia da região e a presença de diferentes ecossistemas.

Entre as espécies mais representativas da flora de Tucumán, destacam-se o cacto cardón, a palmeira yatay e a orquídea catleya. Estas plantas são apenas algumas das inúmeras espécies que podem ser encontradas na região, cada uma com suas características únicas e adaptadas ao ambiente em que vivem.

A preservação da flora de Tucumán é de extrema importância, não apenas pela sua beleza natural, mas também pelo papel fundamental que desempenha no equilíbrio dos ecossistemas locais. Muitas espécies vegetais da região estão ameaçadas de extinção devido à degradação do meio ambiente e à ação do homem.

Portanto, é essencial que sejam implementadas medidas de conservação e proteção da flora de Tucumán, garantindo a sobrevivência das espécies vegetais e a manutenção da biodiversidade na região. A riqueza natural de Tucumán deve ser valorizada e preservada para as gerações futuras.

Fauna de Tucumán na enciclopédia online – Wikipedia.

A fauna de Tucumán é muito diversificada e rica, apresentando uma grande variedade de espécies representativas da região. Segundo a enciclopédia online Wikipedia, o estado de Tucumán, localizado no noroeste da Argentina, abriga uma vasta gama de animais que habitam seus diferentes ecossistemas.

Entre os animais mais representativos de Tucumán, podemos destacar o tucano, o guanaco, o jaguatirica e o carcará. Essas espécies são apenas algumas das muitas que podem ser encontradas na região, contribuindo para a riqueza faunística do local.

Além dos animais terrestres, a fauna aquática também é muito variada em Tucumán. Espécies como o pacu, o dourado e a pintado são comuns em rios e lagos da região, proporcionando um rico ecossistema aquático para a vida selvagem.

Em resumo, a fauna de Tucumán é um reflexo da diversidade e da riqueza natural da região, com inúmeras espécies que contribuem para a beleza e a biodiversidade do estado. Para saber mais sobre as espécies representativas da flora e fauna de Tucumán, consulte a enciclopédia online Wikipedia.

Biodiversidade de Tucumán: Conheça a rica flora e fauna desta região argentina.

A província de Tucumán, localizada no noroeste da Argentina, é conhecida pela sua impressionante biodiversidade de flora e fauna. Com uma grande variedade de ecossistemas, esta região abriga espécies representativas que são verdadeiros tesouros da natureza.

Na flora de Tucumán, destacam-se diversas plantas nativas, como a palmeira Yatay, o cacto cardón e a erva mate. Além disso, a região conta com uma grande diversidade de árvores frutíferas, como o limoeiro e a laranjeira, que contribuem para a beleza e a riqueza do ecossistema.

Relacionado:  Flora e fauna de Corrientes: espécies mais representativas

Quanto à fauna de Tucumán, encontramos espécies emblemáticas, como o tucano-de-bico-verde, o conde preto e o macaco-prego. Além disso, a região é lar de mamíferos como a anta, o guanaco e o jaguatirica, que contribuem para a diversidade e a beleza da fauna local.

Em resumo, a biodiversidade de Tucumán é verdadeiramente impressionante, com uma variedade de espécies representativas que tornam esta região argentina única e especial. Vale a pena explorar e conhecer a rica flora e fauna deste belo lugar.

Conheça a diversificada flora da região de Tucumán através da Wikipedia

A região de Tucumán, localizada no noroeste da Argentina, é conhecida por sua rica biodiversidade, que inclui uma variedade de espécies de plantas e animais. A flora da região é representativa da diversidade de ecossistemas presentes em Tucumán, que incluem florestas subtropicais, savanas e áreas de montanha.

Entre as espécies representativas da flora de Tucumán, destacam-se o cacto cereus jamacaru, a palmeira syagrus romanzoffiana e a orquídea cattleya labiata. Essas plantas são apenas algumas das muitas espécies que podem ser encontradas na região, cada uma adaptada às condições específicas do seu habitat.

A diversidade de plantas em Tucumán também é evidenciada pela presença de diferentes tipos de vegetação, como matas ciliares, campos úmidos e áreas de transição entre diferentes ecossistemas. Essas áreas oferecem habitats únicos para uma variedade de espécies de plantas, contribuindo para a riqueza da flora da região.

Além das espécies nativas, Tucumán também abriga uma série de plantas introduzidas, que foram trazidas para a região por seres humanos. Essas plantas, como o eucalipto e o pinheiro, agora fazem parte do ecossistema de Tucumán e desempenham um papel importante na paisagem da região.

Em resumo, a diversificada flora de Tucumán reflete a riqueza dos ecossistemas presentes na região, oferecendo um vislumbre da beleza e da biodiversidade da natureza argentina.

Flora e fauna de Tucumán: espécies representativas

A flora e fauna de Tucumán são representadas por espécies como o lapacho rosa, a maracujá, a tatuagem preta, a vizcacha das montanhas, entre muitas outras. Tucumán é a segunda menor província da Argentina. Está localizada no nordeste do país e é caracterizada como uma região agrícola, pecuária e onde é desenvolvida a exploração de madeira.

Apesar do pequeno território que Tucumán ocupa, ele possui dois sistemas geográficos muito diferentes. A leste, existe uma associação com o Gran Chaco, enquanto a oeste está relacionada às serras de la Pampa e aos cânions argentinos.

Flora e fauna de Tucumán: espécies representativas 1

Tatuagem preta Fonte: Hans Stieglitz [CC BY-SA 3.0 (https://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0)] Jacarandá. Fonte: Kahuroa [Domínio público]

Esta província é conhecida como “o jardim da República”, porque é uma região prolífica em frutas e espécies florais. Em relação à fauna, embora exista grande diversidade, um número significativo de animais corre o risco de extinção.

Flora de Tucumán

Lapacho-de-rosa ( Handroanthus impetiginosus )

Esta árvore decídua, nativa da América, cresce em solos úmidos e arenosos localizados do México à Argentina. É uma espécie majestosa, distinguida por suas impressionantes flores rosa, que aparecem mesmo no final do inverno, quando não têm folhagem.

Relacionado:  Agar Vogel-Johnson: fundação, preparação e usos

A madeira do lapacho rosa é usada na construção e algumas propriedades medicinais são atribuídas à casca.

Quanto à sua altura, pode atingir aproximadamente 30 metros, dentro dos quais 10 metros correspondem ao eixo. A folhagem está concentrada na área de maior altura, formando um copo semi-globoso.

As folhas são lanceoladas, aveludadas e opostas. Eles têm entre cinco e sete folhetos, com a borda inferior lisa e a borda superior ligeiramente irregular. A floração ocorre entre os meses de julho a setembro. As flores são grandes e têm uma aparência tubular.

A corola pode medir mais de quatro centímetros. É roxo ou rosa, embora possa eventualmente ser branco. A fruta é cilíndrica e contém várias sementes.

Jacarandá ( Jacaranda mimosifolia )

Esta espécie subtropical faz parte da família Bignoniaceae. É nativa da América do Sul, sendo amplamente cultivada por suas lindas e duradouras flores violetas.

O jacarandá ou o tarco, como também é conhecido, mede de 8 a 12 metros de altura, embora possam atingir até 20 metros. É semidecídua, com crescimento médio e longevidade superior a 100 anos.

O copo pode ser irregular, atingindo um diâmetro entre 10 e 12 metros. Assim, poderia ter uma forma piramidal ou semelhante a um guarda-chuva. No entanto, eles são geralmente ovóides.

As folhas são verde escuro na parte superior, enquanto a parte inferior é clara. Eles crescem da maneira oposta e têm uma superfície lisa.

A floração ocorre no verão; neste momento as flores são apreciadas, em um tom azul violeta, que crescem agrupadas em panículas terminais. A fruta é amadeirada e verde, embora se torne marrom escura quando madura.

Maracujá ( Passiflora caerulea )

O maracujá é uma planta trepadeira que cresce espontaneamente em diferentes países da América do Sul, como Bolívia, Argentina, Brasil, Colômbia, Chile e Equador. Eles também estão localizados na Colômbia, Paraguai, Uruguai, Peru e Venezuela.

Esta espécie lenhosa pode subir de 15 a 20 metros de altura. Em um clima tropical, o maracujá pode se comportar como uma planta perene. Pelo contrário, é decíduo em regiões onde ocorrem invernos muito frios.

Em relação às folhas, elas são dispostas alternadamente em todo o caule. São tapa e pentalobed, embora algumas espécies possam ter sete lobos.

As flores são aromáticas e exóticas. Eles têm 5 pétalas e sépalas brancas. A inflorescência, solitária, nasce na área axilar das folhas. A fruta é laranja, com formato de ovo.

Fauna de Tucumán

Tatuagem preta ( Dasypus novemcinctus )

Este tatu, pertencente à família Dasypodidae, é distribuído do sul dos Estados Unidos para a Argentina. É um mamífero que possui um corpo blindado, com um total de 9 bandas ou anéis.

Disse armaduras da cabeça à cauda. No entanto, não é um shell contínuo. Na área média do corpo, há interrupções da pele, formando os anéis.

Relacionado:  Estruturas homólogas e análogas (com exemplos)

O corpo da mulita grande, como essa espécie também é conhecida, é pequeno. Pode medir entre 50 e 60 centímetros, passando aproximadamente de 4 a 8 kg. Em relação à cor, é preto, com algumas áreas de bege ou branco.

Seus membros são curtos, no entanto, eles podem se mover rapidamente. As pernas dianteiras têm 4 unhas, enquanto as patas traseiras têm 5. As garras dos dedos são fortes e afiadas, permitindo que ele cave para construir sua toca.

Apesar de terem 32 dentes, eles não são usados ​​para mastigar ou morder. Isso ocorre porque a dentadura não tem raízes, assim como esmalte.

Vizcacha das montanhas ( Lagidium viscacia sarae )

Este roedor herbívoro pertence ao mesmo grupo de chinchilas. É distribuído para o sul da América do Sul, sendo endêmico da Patagônia Argentina.

É uma espécie grande, com uma cabeça redonda e curta, onde grandes olhos se destacam. Além disso, possui orelhas pequenas, sempre eretas. Nas áreas laterais do focinho, há vibrisas longas e rígidas.

Tanto os molares quanto os incisivos crescem continuamente. Esses dentes são finos e a camada de esmalte está descolorida.

A vizcacha da serra tem uma pelagem macia, lanosa e densa. A coloração na região dorsal é cinza intenso; em contraste, tem uma faixa mais escura ao longo da linha vertebral. Por outro lado, a barriga é creme, branca ou com nervuras.

Seus membros têm quatro dedos, com as almofadas plantares completamente desprovidas de pêlos. As pernas dianteiras são mais curtas que a traseira. Eles têm uma musculatura muito forte e pernas longas, permitindo que ele pule entre as rochas e escape de predadores.

Em relação à cauda, ​​é longa e coberta de pelos, que formam uma espécie de topete na ponta. Geralmente, mantém-na na vertical, contribuindo assim com a estabilidade durante os saltos que dá para se mover.

Caçarola marrom ( Mazama gouazoubira )

A corzuela marrom é um cervo nativo da América, que habita do México à região nordeste da Argentina. Seu tamanho atinge 110 centímetros de comprimento, pesando cerca de 30 kg.

Nesta espécie, a coloração pode variar dependendo da região que habita. No entanto, eles são geralmente um marrom avermelhado ou marrom acinzentado. Pelo contrário, a barriga, os portões e a cauda são brancos.

Após o primeiro ano de vida, o macho começa a desenvolver chifres não ramificados, que podem chegar a 15 centímetros.

O guazuncho, como Mazama gouazoubira também é conhecido , vive em áreas arborizadas, abertas e semi-abertas. Sua dieta é baseada em folhas, frutas, cogumelos e brotos.

Referências

  1. Enciclopédia britânica (2019). Tucumán, Província Argentina. Recuperado de britannica.com.
  2. Wikipedia (2019). Tucumán, província. Recuperado de en.wikipedia.org.
  3. Loughry, J., McDonough, C., Abba, AM 2014. Dasypus novemcinctus. A Lista Vermelha da IUCN de Espécies Ameaçadas em 2014. Recuperada em iucnredlist.org.
  4. Shefferly, N. 1999. Lagidium viscacia, Diversidade Animal Web. Recuperado de animaldiversity.org.
  5. Edward F. Gilman e Dennis G. Watson (1993). Mimosifolia de jacarandá. Recuperado de hort.ufl.edu.
  6. Wikipedia (2019). Província de Tucumán. Recuperado de es.wikipedia.org.

Deixe um comentário