Fobia Social: Sintomas, Causas, Tratamento

A fobia social é caracterizado pelo medo excessivo de relacionarsee em situações sociais, a ser humilhado publicamente ou agir em público. Estima-se que esse distúrbio seja atingido por 13% da população em algum momento vital.Geralmente começa na adolescência e geralmente é mais frequente em jovens de 15 a 29 anos, com pouco treinamento, classe socioeconômica única e baixa.

Descrições sobre a timidez aparecem na literatura desde 400 aC com Hipócrates, que fez a seguinte descrição: «Ele não se atreve a fazer companhia por medo de ser desonrado ou usado; Ele acha que outros homens o observam.

Fobia Social: Sintomas, Causas, Tratamento 1

A primeira menção ao termo fobia social foi feita no início do século XX. Os psicólogos usaram o termo “neurose social” para descrever pacientes extremamente tímidos.

A idéia de que a fobia social era uma entidade separada de outras fobias surgiu com o psiquiatra Isaac Marks na década de 1960. Essa idéia foi aceita pela APA (American Psychiatric Association) e foi oficialmente incluída na terceira edição do DSM.

Sua definição foi revisada em 1989 para permitir comorbidade com transtorno de personalidade evitável.

Sintomas

Só porque você está nervoso em algumas situações sociais não significa que você tem fobia social (FS).Muitas pessoas são tímidas ou muito autoconscientes e isso não lhes causa grandes problemas em suas vidas diárias.

O FS, se interferir em sua rotina, pode causar ansiedade e estresse e diminuir sua qualidade de vida.Por exemplo, muitas pessoas ficam nervosas ao falar em público, embora as pessoas com FS estejam preocupadas por semanas ou meses antes de fazê-lo ou literalmente fiquem paralisadas quando o fazem.

Sintomas emocionais

  • Medo extremo de ser observado ou julgado por outros.
  • Ansiedade excessiva em situações sociais cotidianas.
  • Intensa preocupação por semanas ou até meses antes de uma situação social.
  • Medo de que os outros percebam que você está nervoso.
  • Com medo de agir e ser humilhado.

Sintomas físicos

  • Respiração rápida
  • Para ficar vermelho
  • Náusea, dor de estômago.
  • Pressão no peito ou taquicardia.
  • Voz trêmula.
  • Tonturas ou desmaios
  • Suores

Sintomas comportamentais

  • Evite situações sociais em um grau que limite suas atividades ou atrapalhe sua vida.
  • Fuja de situações sociais.
  • A necessidade de estar sempre cercado por alguém conhecido.
  • Beba antes de situações sociais para reduzir os nervos.

Em crianças

É normal que uma criança seja tímida. No entanto, quando você tem FS, sente extremo desconforto ao realizar atividades diárias, como brincar com outras crianças, ler na sala de aula, conversar com outros adultos ou agir na frente de outras pessoas.

Situações estressantes

As situações a seguir costumam ser estressantes para pessoas com FS:

  • Conheça novas pessoas.
  • Seja o centro das atenções.
  • Seja observado ao fazer alguma coisa.
  • Falar em público.
  • Aja na frente das pessoas.
  • Seja criticado ou julgado.
  • Converse com pessoas “importantes” ou figuras de autoridade.
  • Vá a um encontro.
  • Faça ligações.
  • Use banheiros públicos.
  • Faça exames
  • Comer ou beber em público.
  • Vá a festas ou eventos sociais.

As seguintes descrições podem ser de pessoas com FS:

«Em qualquer situação social, tenho medo. Estou ansioso antes de sair de casa e ainda mais durante o evento. Quanto mais próximo estou da situação social, mais ansioso estou. Meu coração começa a bater e começo a suar quando penso em situações sociais ».

“Quando entro em uma sala cheia de pessoas, fico vermelha e sinto como se todo mundo estivesse olhando para mim.”

“Na escola, eu sempre tinha medo de ser chamado, mesmo quando sabia as respostas. Quando eu tinha um emprego, odiava ver meu chefe. Eu não podia comer com meus colegas ou ir a festas da empresa. Preocupava-me em ser julgado ou ser olhado, não queria parecer bobo. Às vezes eu não conseguia comer ou dormir por dias antes de uma reunião.

Causas

Atualmente, é considerado um modelo integrador. Ou seja, as causas envolvidas no desenvolvimento da fobia social são biológicas, psicológicas e sociais.

Os cientistas ainda precisam determinar as causas exatas. Estudos sugerem que a genética desempenha um papel importante ao lado de fatores ambientais.Geralmente o FS começa em um ponto específico da vida, a partir do qual se desenvolve.

Causas biológicas

Parece que, pela evolução, o ser humano está preparado para temer pessoas que nos rejeitam, criticam ou pessoas que demonstram raiva.Milhares de anos atrás, nossos ancestrais evitavam rivais hostis que poderiam prejudicá-los ou matá-los; É algo que realmente ocorre em todas as espécies.

Essa teoria defenderia que herdamos os genes das pessoas que aprenderam a se afastar capturando esses sinais de violência.Já a partir dos 4 meses, alguns bebês mostram padrões de timidez ao chorar ou são agitados por estímulos sociais ou brinquedos.

Uma tendência a ser socialmente inibida pode, portanto, ser herdada.Crescer com pais superprotetores ou hipercríticos também está associado ao FS.

Causas psicológicas

Esse fator envolve aprender que você não está no controle dos eventos.Além disso, um ataque de pânico inesperado pode ocorrer em uma situação social que causa sua associação a situações sociais.

Nesse caso, a pessoa sentiria ansiedade toda vez que viver uma situação social semelhante à que causou o ataque de ansiedade.Também pode haver situações reais que causam traumas, como bullying na adolescência ou infância.

Por outro lado, também é influenciado pelo fato de os pais transmitirem aos filhos a preocupação com as opiniões dos outros.

Causas sociais

Uma experiência social negativa pode fazer com que o FS se desenvolva, sendo as pessoas interpessoais mais sensíveis a desenvolvê-lo.

Aproximadamente 50% das pessoas diagnosticadas com ansiedade social tiveram um evento social traumático ou humilhante.Como experiências diretas, observar ou ouvir sobre experiências negativas de outras pessoas pode desenvolver FS.

Da mesma forma, o FS pode ser causado pelos efeitos a longo prazo de não ser apropriado ou intimidado, rejeitado ou ignorado.

Influências culturais

Atitudes em relação à timidez e esquiva são fatores que têm sido relacionados à FS.Um estudo descobriu que os efeitos da educação pelos pais dependiam da cultura.

As crianças americanas pareciam mais propensas a desenvolver FS se seus pais enfatizassem a importância das opiniões dos outros ou usassem a vergonha como tática disciplinar.

No entanto, essa associação não foi encontrada em crianças chinesas. Na China, crianças tímidas ou inibidas são mais aceitas que seus pares e são mais propensas a serem consideradas líderes, ao contrário dos países ocidentais.

Mecanismos fisiológicos

Embora os mecanismos neuronais exatos não tenham sido encontrados, existem evidências que vinculam a FS com desequilíbrios em alguns neurotransmissores e hiperatividade em algumas áreas do cérebro.

Dopamina

A sociabilidade está intimamente ligada à neurotransmissão dopaminérgica.O abuso de estimulantes, como as anfetaminas, para aumentar a auto-estima e melhorar o desempenho social é comum.

Outros neurotransmissores

Embora haja pouca evidência de anormalidade na neurotransmissão da serotonina, a eficácia limitada de medicamentos que afetam os níveis de serotonina pode indicar o papel desse neurotransmissor.

Paroxetina e sertralina são dois ISRSs (inibidores seletivos da recaptação de serotonina) que foram confirmados pelo FDA para tratar o transtorno de ansiedade social. Acredita-se que os ISRS diminuam a atividade da amígdala.

Há também um foco crescente em outros transmissores, por exemplo, noradrenalina e glutamato, que podem ser mais ativos no transtorno de ansiedade social, e o transmissor inibidor de GABA, que pode ser menos ativo no tálamo.

Áreas do cérebro

A amígdala faz parte do sistema límbico, relacionado ao medo e ao aprendizado emocional.Pessoas com ansiedade social têm uma amígdala hipersensível em situações sociais ameaçadoras ou rostos faciais hostis.

Por outro lado, pesquisas recentes indicaram que o córtex cingulado anterior, que está relacionado à experiência de dor física, também parece estar relacionado à “dor social”, por exemplo, com rejeição em grupo.

Diagnóstico

Critérios de diagnóstico de acordo com o DSM-IV

A) Medo acusado e persistente por uma ou mais situações ou ações sociais em público nas quais o sujeito é exposto a pessoas que não pertencem à família ou à possível avaliação por terceiros. O indivíduo teme agir de maneira humilhante ou embaraçosa. Nota: em crianças, é necessário demonstrar que suas habilidades para interagir socialmente com suas famílias são normais e sempre existiram, e que a ansiedade social aparece em reuniões com indivíduos da mesma idade e não apenas em qualquer relacionamento com um adulto.
B) A exposição a situações sociais temidas provoca quase invariavelmente uma resposta imediata à ansiedade, que pode assumir a forma de uma crise de angústia situacional ou mais ou menos relacionada a uma situação. Nota: Nas crianças, a ansiedade pode resultar em choro, birras, inibição ou retirada em situações sociais em que os participantes pertencem à estrutura familiar.
C) O indivíduo reconhece que esse medo é excessivo ou irracional. Nota: este reconhecimento pode faltar em crianças.
D) Situações sociais ou performances públicas sonhadas são evitadas ou experimentadas com intensa ansiedade ou desconforto.
E) Comportamentos de prevenção, antecipação ansiosa ou desconforto que aparecem em situações públicas temidas interferem acentuadamente na rotina normal do indivíduo, em suas relações laborais, acadêmicas ou sociais, ou produzem desconforto clinicamente significativo.
F) Em indivíduos com menos de 18 anos de idade, a duração dos sintomas sintomáticos deve ser prolongada por pelo menos 6 meses.
G) O comportamento de medição ou evitação não se deve aos efeitos fisiológicos diretos de uma substância ou doença médica e não pode ser melhor explicado pela presença de outro transtorno mental.
H) Se houver uma doença médica ou outro distúrbio mental, o medo descrito no Critério A não se relaciona com esses processos.

Especifique se:

Generalizado: se os medos se referem à maioria das situações sociais.

Comorbidade

O FS mostra um alto grau de comorbidade (co-ocorrência) com outros transtornos psiquiátricos.De fato, um estudo populacional descobriu que 66% das pessoas com FS tinham um ou mais transtornos mentais adicionais.

O FS geralmente ocorre com baixa auto-estima e depressão clínica, talvez devido à falta de relacionamentos pessoais e longos períodos de isolamento social.

Para tentar reduzir a ansiedade e a depressão, as pessoas com fobia social podem usar álcool ou outras drogas, o que pode levar ao abuso de substâncias.

Estima-se que uma em cada cinco pessoas com FS também sofra dependência de álcool, embora outros pesquisadores sugiram que a FS não está relacionada ou que é protetora contra problemas de álcool.

Outros distúrbios comuns com FS são:

  • A depressão.
  • Transtornos de ansiedade, particularmente transtorno de ansiedade generalizada.
  • Transtorno de personalidade por esquiva.

Tratamento

Os tratamentos mais eficazes para a fobia social são os comportamentos cognitivos.

Terapia comportamental cognitiva

A terapia cognitivo-comportamental visa modificar pensamentos e comportamentos por outros mais adaptativos.

Os tratamentos adequados podem ser:

  • Exposição Coletiva
  • Treinamento em habilidades sociais.
  • Reestruturação cognitiva

1-Exposição

É um tratamento eficaz na fobia social generalizada. Pretende-se que a pessoa entre em contato ativamente com as situações que evita, que enfrente seus medos e se acostume com as situações até que a ansiedade diminua.

Algumas indicações para as sessões de exibição são:

  • Sessões de exposição repetida e curta.
  • Ensine a tirar proveito das situações da vida cotidiana.
  • Aceite que o comportamento dos outros é imprevisível.
  • Explique como o problema se origina e mantém.

Técnicas 2-cognitivas

As técnicas mais usadas são a terapia cognitiva de Beck e a terapia emocional racional de Ellis.

Os objetivos são:

  • Ganhe expectativas de controle sobre comportamentos e eventos.
  • Mude a atenção para aumentar a ativação e os sintomas físicos.
  • Suprima pensamentos repetitivos sobre a ocorrência de sintomas ou consequências que são temidos.
  • Promover a proatividade e avaliar as realizações.

3-Treinamento de habilidades sociais

Se, por algum motivo, a pessoa não tiver sido capaz de aprender habilidades sociais, será importante estabelecer esse treinamento.

Quando a pessoa tem medo de mostrar sintomas fisiológicos, como ficar vermelha, tremor ou suar, pode trabalhar:

  • A intenção paradoxal.
  • Terapia emotiva racional.
  • A exposição.
  • Em pessoas com altos níveis de ansiedade, as técnicas de relaxamento podem complementar bem a exposição.

Em pessoas com fobia social e algum distúrbio de personalidade, as terapias cognitivo-comportamentais terão que ser mais longas.

A terapia de grupo pode ser assustadora demais para algumas pessoas, embora tenha certas vantagens:

  • Promover a confiança, em vez de dependência do terapeuta.
  • Permite realizar tarefas de exposição em grupo.
  • Permite assumir um compromisso publicamente, o que aumenta a motivação.
  • A pessoa percebe que há outras pessoas com o mesmo problema.
  • Crie recursos sociais.

Terapia de grupo

Outras técnicas cognitivo-comportamentais para FS incluem role-playing e treinamento de habilidades sociais, e podem fazer parte da terapia de grupo.

Medicação

O medicamento pode ser usado para diminuir os sintomas associados ao FS, embora não seja uma cura; se a medicação parar, os sintomas reaparecem. Portanto, a medicação é mais útil quando tomada com terapia.

Três tipos de drogas são usados:

  • Bloqueadores beta: usados ​​para reduzir a ansiedade. Eles funcionam bloqueando o fluxo de adrenalina quando você está ansioso. Eles não afetam os sintomas emocionais, apesar de físicos como sudorese ou taquicardia.
  • Inibidores seletivos da recaptação de serotonina (ISRS): são a primeira opção como fármacos. Comparado a outras formas de medicação, há menos risco de tolerância e dependência.
  • Benzodiazepínicos: agem rapidamente, embora sejam viciantes e sedativos, e só são prescritos quando outros medicamentos não funcionam.
  • Inibidores seletivos da recaptação de noradrenalina (ISRN): demonstraram eficácia semelhante aos ISRSs. Alguns são venlafaxina ou milnacipran.

Dicas de auto-ajuda

Desafie os pensamentos negativos

Se você tem FS, é muito provável que tenha pensamentos e crenças negativas que contribuam para a ansiedade.Você pode ter pensamentos como:

  • “Eu vou parecer um tolo.”
  • “Vou me sentir nervoso e serei humilhado.”
  • “As pessoas vão pensar que eu sou inco
    petente.”
  • “Não tenho nada que dizer”.

Desafiar esses pensamentos negativos para você ou para uma terapia é uma maneira de reduzir os sintomas da FS.Primeiro, identifique quais pensamentos negativos estão sob seu medo de situações sociais.

Em seguida, desafie-os e troque-os por outros mais positivos e realistas, com perguntas como:

  • Tenho certeza que você parece incompetente?
  • Tem certeza de que não tenho nada a dizer?

Estes são alguns padrões de pensamento comuns no FS:

  • Leia a mente: suponha que você saiba o que as outras pessoas estão pensando e que elas o veem da mesma maneira negativa que você.
  • Preveja o futuro: assuma que o pior vai acontecer.
  • Pensamentos catastróficos: tirar as coisas de sua real importância. Por exemplo, acreditar que se as pessoas perceberem que você está nervoso, será terrível ou desastroso.
  • Personalizar: suponha que as pessoas se concentrem em você de maneira negativa.

Como parar de pensar que todo mundo olha para você?

Para reduzir a atenção, preste atenção ao que está acontecendo ao seu redor, em vez de observar a si mesmo ou se concentrar nos sintomas de ansiedade:

  • Olhe para as pessoas em seu ambiente.
  • Escute o que é dito, não seus pensamentos.
  • Não assuma total responsabilidade por tentar fazer as conversas prosseguirem, os silêncios são bons e o outro pode contribuir.

Controle sua respiração

Uma mudança no seu corpo quando você está ansioso é que você começa a respirar rapidamente, o que leva a outros sintomas como náusea, tontura, ondas de calor, taquicardia ou tensão muscular.

Aprender a controlar a respiração pode ajudar a reduzir esses sintomas. Você pode praticar este exercício:

  • Sente-se confortavelmente e ereto em uma cadeira, deixando seu corpo relaxado. Coloque uma mão no peito e a outra no estômago.
  • Inspire lenta e profundamente pelo nariz por quatro segundos. A mão do seu estômago deve subir, enquanto a mão do seu peito deve se mover muito pouco.
  • Prenda a respiração por dois segundos.
  • Expire lentamente pela boca por seis segundos, expelindo todo o ar que puder. A mão do estômago deve se mover enquanto expira e a outra mão deve se mover levemente.
  • Continue respirando pelo nariz e expelindo pela boca. Concentre-se na respiração lenta em um padrão de: inspire 4 segundos, segure 2 segundos e expire 6 segundos.

Pratique técnicas de relaxamento

Além dos exercícios de respiração profunda, a prática regular de técnicas de relaxamento, como ioga, medicamentos ou relaxamento muscular progressivo, também ajudará a controlar os sintomas de ansiedade.

Visite este artigo para aprendê-los.

Enfrente seus medos

Uma das coisas mais valiosas que você pode fazer para superar o FS é enfrentar seus medos de situações sociais.

Evitar faz com que o distúrbio permaneça; Embora você se sinta mais confortável no curto prazo, evita que você se sinta mais confortável em situações sociais que você terá que enfrentar.

Evitar impedi-lo de fazer as coisas que gostaria de fazer, de atingir determinados objetivos ou de participar de atividades sociais.

Siga estas dicas:

  • Enfrente situações pouco a pouco: se você tem medo de falar em público, não encare uma sala com 100 pessoas. Por exemplo, comece participando de grupos levantando a mão. Posteriormente, comece a realizar atividades cada vez mais difíceis.
  • Seja paciente: superar o FS requer prática e paciência. É um processo gradual e, no início, é normal que as coisas não corram tão bem quanto você gostaria. O mais importante é agir.
  • Use as habilidades explicadas acima para relaxar.
  • Construir relacionamentos pessoais

As dicas a seguir são boas maneiras de começar a interagir com outras pessoas:

  • Faça aulas de habilidades sociais.
  • Participe de um voluntário.
  • Trabalhe suas habilidades de comunicação.
  • Inscreva-se em atividades sociais, como esportes em grupo, oficinas, dança …
  • Mude seu estilo de vida

As dicas a seguir podem ajudá-lo a reduzir seus níveis de ansiedade em situações sociais:

  • Evite ou limite a cafeína: café, chá ou bebidas energéticas atuam como estimulantes que aumentam os sintomas de ansiedade.
  • Evite álcool: ou pelo menos beba com moderação. O álcool aumenta suas chances de ter um ataque de ansiedade.
  • Pare de fumar: a nicotina é um forte estimulante que leva a níveis mais altos de ansiedade.
  • Durma o suficiente: quando você não dorme, você fica mais vulnerável à ansiedade. Estar descansado o ajudará a relaxar em situações sociais.

Referências

  1. Furmark, Thomas. Fobia Social – Da Epidemiologia à Função Cerebral. Recuperado em 21 de fevereiro de 2006.
  2. Estudar a atividade cerebral pode ajudar no diagnóstico de fobia social. Monash University 19 de janeiro de 2006.
  3. Centro Nacional de Saúde e Bem-Estar. Causas de Transtorno de Ansiedade Social. Recuperado em 24 de fevereiro de 2006.
  4. Okano K (1994). «Vergonha e fobia social: um ponto de vista transcultural». Bull Menninger Clin 58 (3): 323–38. PMID 7920372.
  5. Stopa L, Clark D (1993). «Processos cognitivos na fobia social». Behav Res Ther 31 (3): 255-67. doi: 10.1016 / 0005-7967 (93) 90024-O. PMID 8476400.
  6. BNF; British Medical Journal (2008). «Ansiolíticos». Reino Unido: Formulário Nacional Britânico. Consultado em 17 de dezembro de 2008.
  7. Thomas Furmark (01/09/1999). «Fobia social na população em geral: prevalência e perfil sociodemográfico (Suécia)». Página visitada em 2007-03-28.

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies