Habilidades socioemocionais: desenvolvimento, exemplos e atividades

Habilidades socioemocionais: desenvolvimento, exemplos e atividades

O sócio – habilidades emocionais são comportamentos aprendidos que realizamos quando interagimos com as pessoas ao nosso redor, através da expressão dos nossos sentimentos , atitudes, direitos ou opiniões. Exemplos disso são empatia , autoconhecimento ou autocontrole.

Assim, uma pessoa com ótimas habilidades socioemocionais demonstrará habilidade em se relacionar e se comportar adequadamente de acordo com certos objetivos em várias situações.

Neste artigo, mostrarei algumas das habilidades socioemocionais mais importantes e como desenvolvê-las , enfatizando o ambiente escolar em tenra idade, uma vez que quanto mais cedo essas habilidades forem estabelecidas, a pessoa crescerá de maneira ideal.

Dentro das habilidades sócio-emocionais, existem habilidades básicas (ouvir, iniciar uma conversa, fazer uma pergunta, agradecer, apresentar-se etc.) e habilidades mais desenvolvidas (tomar iniciativas, tomar decisões, estabelecer objetivos ou resolver problemas de acordo com sua importância, entre outros) .

Para desenvolver o último, você deve começar com um treinamento para adquiri-lo.

Habilidades socioemocionais na criança

As habilidades socioemocionais das crianças se concentram em sua adaptação à família, escola, ambiente mais direto etc. 

Os primeiros anos são fundamentais para consolidar a personalidade da pessoa; portanto, se as capacidades adequadas para se adaptar ao ambiente social não forem desenvolvidas, é mais provável que isso leve a um indivíduo com baixa auto-estima e problemas de relacionamento.

Autocontrole, comunicação assertiva, resolução de conflitos ou empatia são algumas das capacidades e emoções que a família e o sistema educacional devem administrar nas crianças para se tornarem um indivíduo adaptado à sociedade.

Cabe ressaltar que até algumas décadas atrás, no ambiente escolar, os aspectos intelectuais predominavam sobre os aspectos socioemocionais, sendo este último praticamente inexistente. Havia um conceito de que o sucesso educacional de uma pessoa era desenvolver seu sistema cognitivo.

No século XXI, os métodos pedagógicos mais focados nas habilidades sociais vêm ocupando o centro do palco.

Exemplos de habilidades socioemocionais

Autoconhecimento

Esse conceito refere-se a saber o que estamos sentindo a cada momento, fazendo avaliações realistas em relação às nossas próprias habilidades e reconhecendo nossos pontos fortes, limitações e tendo uma conexão com nossos próprios sentimentos. Dessa forma, seremos realistas ao estabelecer metas.

Consciência social

É o entendimento de que os outros também estão sentindo e sendo capazes de adotar suas diferentes perspectivas, passando a interagir positivamente com vários grupos. É saber que não estamos sozinhos e que, assim como temos direitos, também temos deveres.

Essa competência inclui aprender a identificar e entender os pensamentos e sentimentos dos outros e entender que, graças à diversidade, é possível complementaridade na sociedade. 

Empatia

É a capacidade de se colocar no lugar dos outros e experimentar as emoções que os outros estão experimentando.

Comunicação assertiva

É o estilo de comunicação pelo qual a pessoa respeita a si mesma e a seus direitos, ao mesmo tempo em que faz com outras pessoas.

Resiliência

É a capacidade de se recuperar de eventos difíceis, estressantes ou traumáticos. Por exemplo, uma criança que recupera sua energia física e mental após passar pelo divórcio de seus pais.

Perseverança

É a capacidade de continuar atuando para alcançar objetivos de médio ou longo prazo. Você persevera quando não obtém os resultados desejados, mas ainda age para tentar alcançar a meta desejada.

Relacionado:  Como ler os olhos de uma pessoa: 11 pontos essenciais

Colaboração

É a capacidade de coordenar com outras pessoas para alcançar um objetivo comum. Por exemplo, você pode colaborar com um grupo de pessoas para obter uma coexistência pacífica dentro de uma comunidade.

Auto Gerenciamento

Identifique nossas emoções e use-as como fatores facilitadores para as atividades que pretendemos realizar e não agimos como interferência. Aprenda a estar ciente da necessidade de adiar recompensas para alcançar certos objetivos e desenvolver perseverança para tolerar frustrações e dificuldades.

Nesta competição, é importante aprender a gerenciar emoções, bem como estabelecer metas de curto e longo prazo e trabalhar para alcançá-las.

Tomada de decisão responsável

Para esta competição, é essencial ensinar a criança a avaliar com precisão os riscos. Saber tomar decisões levando em consideração todos os fatores relevantes, além de avaliar as possíveis consequências de ações alternativas, assumindo a responsabilidade por cada ação e respeitando a outra.

Às vezes, tomar decisões não é uma tarefa fácil, pois duvidar da opção mais apropriada pode gerar sentimentos de ansiedade.

Habilidades em relacionamentos pessoais

Faça uso das emoções para desenvolver relacionamentos eficazes, saudáveis ​​e reforçadores, baseados na cooperação. Resistência a pressões sociais inadequadas. Negocie soluções para conflitos e aprenda a pedir ajuda quando necessário.

Para fazer isso, a criança será ensinada a usar habilidades verbais e não verbais para se comunicar com outras pessoas e construir relacionamentos saudáveis ​​com outras pessoas e / ou grupos. Nesta competição, também é importante ensinar o assunto da negociação para resolver conflitos nos quais ambas as partes se beneficiam.

Como desenvolver habilidades socioemocionais na escola?

Um dos ambientes essenciais para o desenvolvimento de habilidades socioemocionais é o educacional, uma vez que essas habilidades devem ser iniciadas em tenra idade.

Integração social

A principal função da educação é a adaptação social do indivíduo. Isso envolve promover sua integração na sociedade por meio da socialização, através da qual cada sujeito, por meio da interação com os outros, desenvolve várias maneiras de sentir, pensar e agir, essenciais para uma participação adequada na sociedade.

Atualmente, nas sociedades desenvolvidas, existem mudanças contínuas que exigem que o indivíduo se reajuste continuamente. Por esse motivo, é de vital importância desenvolver a capacidade de adaptação do indivíduo e a flexibilidade dos sujeitos para podermos nos moldar de acordo com as necessidades que surgirem.

No entanto, em relação à inclusão do desenvolvimento de habilidades socioemocionais e inteligência emocional na escola, deve-se ter em mente que os recursos que temos na escola e o tempo que as crianças passam lá são limitados.

Desenvolver habilidades

Há duas opções para focar no trabalho nas habilidades:

  • Ajustando-se às necessidades de uma pessoa ou grupo específico, aos problemas que eles apresentam na escola, no local de trabalho, em casa e / ou na rua.
  • Concentre-se em habilidades com probabilidades de generalização para outros domínios e que, por sua vez, são importantes para o desenvolvimento de outras habilidades.

A escolha de uma opção ou de outra será guiada pela demanda que é feita a nós. Os programas de treinamento de habilidades emocionais podem ser projetados de maneira estruturada ou semiestruturada.

Relacionado:  Inteligência Interpessoal: O que é e como melhorá-lo?

Neste último, há mais possibilidade de dar lugar à improvisação, para poder trabalhar adaptando-se a cada situação e pessoa em particular.

Trabalho de grupo

Através do trabalho em grupo sobre habilidades socioemocionais, podemos abordar totalmente o treinamento de habilidades gerais com exercícios destinados a reduzir a ansiedade, a reestruturação cognitiva e a solução de problemas específicos apresentados por cada membro do grupo.

Existem várias habilidades emocionais, como planejamento e deliberação, controle e avaliação do curso de ação, que são inter-relacionadas.

Se todo o treinamento incluísse essas habilidades, a melhoria das deficiências facilitaria o autoconhecimento da pessoa que conduz o treinamento, além de melhorar sua capacidade de interagir com outras pessoas.

Algumas das atividades mais importantes desde a mais tenra idade da criança são a aprendizagem cooperativa ou grupos de discussão como metodologia de ensino. Essa metodologia fornece aprendizado para a criança interagir com seus pares.

Importância das habilidades socioemocionais

As habilidades sócio-emocionais são vitais para o desenvolvimento correto do indivíduo e para o relacionamento com o ambiente. Graças a estas ferramentas:

– Melhor controle das emoções é possível. Isso pressupõe que respostas emocionais não sejam acionadas (por exemplo, ansiedade) ou desativadas (depressão).

– Com um bom controle das emoções, a tomada de decisão é realizada de maneira responsável, evitando comportamentos de risco. Além disso, ajuda a focar a atenção dos objetivos.

– Ajuda a enriquecer o ambiente social, sendo mais rico e saudável. Isso tem conseqüências muito positivas, como melhor desempenho acadêmico e profissional, além de redução das possibilidades de adquirir vícios (drogas) ou desenvolver comportamentos negativos (violência).

– Melhora a auto-estima e a confiança, o que leva a menos estresse emocional.

– Causa bem-estar.

Atividades para o desenvolvimento de habilidades socioemocionais

Escreva um diário emocional

É um exercício muito útil que envolve trabalhar todas as habilidades. Nele serão adicionadas as experiências que lhe são apresentadas diariamente e as emoções que lhe causam sofrimento emocional (diário emocional).

Após o término do período de treinamento de habilidades gerais, é gasto tempo analisando as várias situações problemáticas que esses indivíduos observaram em seu diário e é realizada uma abordagem em grupo.

Exercício para desenvolver assertividade

Um bom exercício para aprender a desenvolver assertividade é escrever em um caderno 5 coisas que você aprova sua imagem física e 5 sobre seu jeito de ser que você gosta. Se você não conseguir encontrá-los, pergunte a amigos ou familiares.

Por fim, trata-se de revisar as listas e pensar que se essa pessoa conhecesse alguém com essas características, certamente ficaria encantada em conhecê-lo.

Exercício para desenvolver uma tomada de decisão eficaz

Este exercício consiste em anotar algumas idéias sobre as maneiras pelas quais as pessoas tomam decisões. Abaixo, refletimos sobre os riscos, vantagens e desvantagens e possíveis conseqüências de cada uma das formas indicadas anteriormente.

Exercício para uma boa comunicação social

Uma pessoa realiza uma boa escuta ativa quando é capaz de prestar atenção de maneira intencional, com empatia sabendo como se colocar no lugar da outra.

Relacionado:  O que é sensibilidade social?

Para fazer este exercício, precisaremos de duas pessoas. Um contará uma história relativamente importante para ele e o outro ouvirá, apesar de colocar muitos impedimentos à comunicação: ele dará conselhos sem ser solicitado pelo interlocutor, conversará com outra pessoa enquanto o outro continua a falar com ele, o interrompe e muda de assunto, ele rirá sem sentido, etc.

Em uma nova cena, você começa a dizer um problema que gosta de resolver e a pessoa que ouve o faz fazendo perguntas esclarecedoras, informando que entende, olhando para o seu rosto e assentindo.

Diante dessas duas situações muito diferentes, qual é a mais positiva? Em que situação implementamos habilidades de comunicação e de escuta ativa? Com este exercício, pretende-se fazer com que o indivíduo veja a importância de uma comunicação eficaz.

Técnica de sanduíche

É considerada uma das técnicas mais eficazes para melhorar as habilidades sociais. Isso consiste em iniciar a comunicação com foco em um aspecto positivo e, em seguida, continuar com um aspecto que possa ser aprimorado e, finalmente, terminar com algumas palavras encorajadoras para a mudança, como: Sei que você está se esforçando muito para mudar sua atitude e mostra porque você melhorou a esse respeito.

Mensagens do “I”

Mensagens autocentradas devem ser usadas para expressar nossa opinião ou expressar nossas crenças sobre um assunto para a outra pessoa.

Nós os usaremos em vez de fazer generalizações, pois o que para si é de certa maneira não precisa ser o mesmo para o outro, porque cada ponto de vista é subjetivo. “Eu acho que …”, “Eu acho que …”, “Na minha opinião …”.

Quando realizamos essas habilidades aprendendo desde cedo, crescemos e nos tornamos pessoas social e emocionalmente competentes, com autoconsciência e atitudes positivas em relação a nós mesmos e aos outros.

Portanto, quanto mais cedo as habilidades sócio-emocionais forem trabalhadas, mais cedo elas serão desenvolvidas e beneficiadas na vida de cada indivíduo. 

Assim, conheceremos nossos pontos fortes e ficaremos otimistas em relação ao nosso futuro. Seremos capazes de gerenciar nossas emoções, atingir nossos objetivos e metas e resolver problemas de maneira eficaz e responsável.

Referências

  1. Zins, JE, Elias, MJ, Greenberg, M.T e Weissberg, RP (2000). Promoção da competência social e emocional em crianças. Em K. Minke e G. Bear (Eds.), Impedindo problemas escolares. Promovendo esse trabalho (pp. 71-100). Bethesda: Associação Nacional de Psicólogos Escolares.
  2. CASEL (a) (Colaborativo para a aprendizagem acadêmica, social e emocional). (2007). Benefícios do SEL: SEL e Acadêmicos. Recuperado em 15 de março de 2007.
  3. Durlak, Joseph; Weissberg, Roger; CASEL. (2007). O impacto dos programas após a escola que promovem habilidades pessoais e sociais. Chicago, IL, EUA. Recuperado em 20 de maio de 2007.
  4. Lickona, Thomas. (1992). Educar para o caráter: como nossas escolas podem ensinar respeito e responsabilidade. Batan Books, Nova York, EUA.
  5. Shields, A., Dickstein, S., Seifer, R., Guisti, L., Magee KD, & Spritz, B. (2001). Competência emocional e adaptação escolar precoce: um estudo com crianças em idade pré-escolar em risco. Educação e Desenvolvimento Infantil, 12, 73-96.

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies