Homúnculos sensoriais e motores de Penfield: o que são?

Homúnculos sensoriais e motores de Penfield são representações cartográficas do corpo humano no cérebro, desenvolvidas pelo neurocirurgião Wilder Penfield. Essas representações mostram como diferentes partes do corpo são organizadas no córtex motor e sensorial, com base na quantidade de inervação e sensibilidade de cada região. Os homúnculos sensoriais e motores são ferramentas importantes para entender a relação entre o cérebro e o corpo, ajudando os profissionais de saúde a localizar e tratar distúrbios neurológicos e lesões cerebrais.

Definição dos homúnculos de Penfield sensorial e motor: o que são e como funcionam.

Os homúnculos sensoriais e motores de Penfield são representações do corpo humano no córtex cerebral, criadas pelo neurocirurgião Wilder Penfield. Essas representações são distorcidas, com algumas partes do corpo sendo representadas de forma desproporcional em relação ao seu tamanho real.

O homúnculo sensorial de Penfield representa as áreas do cérebro responsáveis pela sensação tátil e proprioceptiva do corpo. Isso significa que as diferentes partes do corpo são representadas no córtex somatossensorial de acordo com a sensibilidade e a quantidade de receptores presentes em cada região. Por exemplo, os lábios e as mãos ocupam uma área maior do homúnculo sensorial do que as costas ou as pernas, devido à sua maior sensibilidade.

O homúnculo motor de Penfield, por sua vez, representa as áreas do cérebro responsáveis pelo controle dos movimentos voluntários do corpo. Assim como no homúnculo sensorial, as diferentes partes do corpo são representadas de forma proporcional à sua complexidade e quantidade de movimentos possíveis. Por exemplo, as mãos e os dedos ocupam uma área maior do homúnculo motor do que os braços ou as pernas, devido à sua maior destreza e capacidade de movimento.

Os homúnculos sensoriais e motores de Penfield são ferramentas importantes para os neurocientistas e neurocirurgiões, pois ajudam a compreender como o cérebro processa a informação sensorial e controla os movimentos do corpo. Eles também são úteis para entender como lesões ou distúrbios cerebrais podem afetar a sensibilidade e a motricidade de diferentes partes do corpo.

Eles são ferramentas importantes para a neurociência e a neurocirurgia, auxiliando no estudo e tratamento de distúrbios relacionados à sensibilidade e à motricidade.

O que significa homúnculo na anatomia humana e qual é sua importância no corpo?

O termo homúnculo na anatomia humana se refere a uma representação visual do corpo humano no cérebro, onde as diferentes partes do corpo são representadas proporcionalmente de acordo com a quantidade de informação sensorial ou motora que recebem. Essa representação é utilizada para entender como o cérebro processa e controla as diferentes funções do corpo.

Os homúnculos sensoriais e motores de Penfield são mapas cerebrais que mostram a representação das diferentes partes do corpo no córtex somatossensorial e no córtex motor. Esses mapas foram desenvolvidos pelo neurocirurgião canadense Wilder Penfield, que estimulava áreas específicas do córtex cerebral de seus pacientes durante cirurgias para identificar as regiões responsáveis pelo controle de cada parte do corpo.

Relacionado:  Pouco sono faz com que o cérebro se destrua

A importância dos homúnculos sensoriais e motores de Penfield reside no fato de que eles nos ajudam a compreender como o cérebro organiza e processa as informações relacionadas às sensações e aos movimentos do corpo. Por meio desses mapas, é possível estudar as conexões neurais e os padrões de atividade cerebral associados a diferentes regiões corporais, o que contribui para avanços na neurociência e na medicina.

Localização do homúnculo de Penfield: descubra o ponto exato no córtex cerebral.

Os homúnculos sensoriais e motores de Penfield são representações do corpo humano no córtex cerebral, descobertas pelo neurocirurgião Wilder Penfield. O homúnculo sensorial está localizado na região pós-central do cérebro, enquanto o homúnculo motor está na região pré-central.

O homúnculo sensorial é responsável por processar informações táteis, como toque, pressão e temperatura, enquanto o homúnculo motor controla os movimentos voluntários do corpo. Ambos os homúnculos são organizados de acordo com a densidade das terminações nervosas em diferentes partes do corpo.

Para encontrar o ponto exato no córtex cerebral onde cada parte do corpo é representada, Penfield realizou uma série de estimulações elétricas durante cirurgias cerebrais. Ele observou as respostas dos pacientes e mapeou as áreas que correspondiam a sensações ou movimentos específicos.

Assim, o homúnculo de Penfield revelou a complexa organização do córtex cerebral e como diferentes partes do corpo são representadas e controladas por áreas específicas do cérebro. Essas descobertas revolucionaram nossa compreensão da função cerebral e continuam a ser estudadas e exploradas na neurociência atual.

Significado do homúnculo de Penfield e seus giros correspondentes na representação cortical.

O homúnculo de Penfield é uma representação visual da distribuição das áreas sensoriais e motoras no córtex cerebral. Ele foi criado com base nos estudos do neurocirurgião Wilder Penfield, que mapeou o cérebro humano durante cirurgias para tratar epilepsia. O homúnculo mostra como diferentes partes do corpo estão representadas no córtex, com tamanhos proporcionais à quantidade de inervação sensorial ou motora.

Os giros correspondentes na representação cortical são áreas específicas do cérebro que controlam funções sensoriais e motoras. Por exemplo, a representação do rosto e das mãos no homúnculo de Penfield está localizada nos giros pré-central e pós-central do cérebro, respectivamente. Isso significa que a estimulação elétrica dessas áreas pode causar sensações ou movimentos nas partes correspondentes do corpo.

Essa representação é fundamental para entender o funcionamento do sistema nervoso e pode ser útil em diversas áreas da neurociência e da medicina.

Homúnculos sensoriais e motores de Penfield: o que são?

Homúnculos sensoriais e motores de Penfield: o que são? 1

No campo das neurociências, corticais ou homúnculos de Penfield , são muito famosas as representações humanizadas da distribuição de nervos e estruturas cerebrais relacionadas às funções motoras e sensoriais. Homúnculos diferentes foram criados para esses dois aspectos, já que a topografia cerebral varia entre os dois.

Esses seres parecem semelhantes às pessoas, embora seus membros sejam mal proporcionados; Tais irregularidades são muito úteis para conceituar a inervação diferencial de partes do corpo, o aspecto chave na morfologia dos homúnculos.

O que é o homúnculo Penfield?

Entre 1937 e 1954, o neurocirurgião americano Wilder Penfield e seus colaboradores desenvolveram várias representações de um aspecto marcante da topografia cerebral: a presença de “mapas” das vias nervosas, tanto sensoriais quanto motoras, no córtex .

As diferentes funções do nosso organismo não são representadas proporcionalmente no referido mapa, mas seu tamanho depende da complexidade dos nervos correspondentes. No entanto, a localização dessas áreas do cérebro tem paralelos notáveis ​​com a estrutura externa do corpo .

Isso resultou em Penfield ser inspirado pelo peso relativo de cada função no córtex cerebral para criar imagens simbólicas de um “homúnculo”, um termo do latim que se traduz como “homenzinho” e tem sido usado com freqüência em todo o da história para designar seres humanos artificiais, especialmente no contexto da ficção.

Como existem representações topográficas cerebrais diferenciadas entre funções motoras e sensoriais, podemos encontrar dois homúnculos com características distintas que merecem ser detalhadas.

Qual é a sua forma?

O homúnculo de Penfield foi descrito como grotesco por seu próprio autor, devido à irregularidade de sua morfologia: enquanto as mãos, boca, olhos e ouvidos são desproporcionalmente grandes em comparação com o corpo humano, o restante do homúnculo tem um aparência fraca

A comparação entre as mãos enormes e os braços, frágeis e finos, é particularmente impressionante. Essas características são ainda mais marcadas no caso do homúnculo motor do que no sensorial, porque as funções relacionadas ao movimento são menos distribuídas que o sensorial.

A causa do aspecto peculiar dos homúnculos são as diferenças na inervação das diferentes partes do corpo : quanto mais intensa e complexa a conexão entre uma delas e o cérebro, maior o tamanho da seção correspondente no córtex cerebral.

  • Você pode estar interessado: ” O membro fantasma e a terapia da caixa de espelho “

O homúnculo sensorial e o córtex somestésico

O homúnculo sensorial representa o córtex sensorial ou sensorial primário , localizado no giro pós-central, um giro cerebral localizado na região do lobo parietal ligada ao frontal . De fato, Penfield foi o primeiro a descrever essa parte do cérebro, que corresponde às áreas 1, 2 e 3 do modelo de Brodmann.

Relacionado:  Líquido cerebrospinal: composição, funções e distúrbios

Nesta seção do córtex, a representação do esquema corporal é invertida : os dedos estão na parte superior do lobo, enquanto a boca está localizada na parte inferior. Da mesma forma, o “mapa topográfico” de cada hemisfério do corpo fica na metade oposta do cérebro. O mesmo acontece no caso do homúnculo motor.

Esse homúnculo parece um pouco menos desproporcional que o motor. No entanto, o rosto e as mãos são muito grandes em comparação com o resto do corpo, porque essas regiões são dotadas de muitos receptores de pele ; A densidade dessas células em uma parte do corpo determina o tamanho de sua representação cortical.

O córtex somestésico recebe a maioria das projeções de informações sensoriais que atingem o cérebro através do tálamo , uma estrutura que atua como um ponto de conexão entre o córtex e outras regiões mais periféricas.

Essa parte do córtex cerebral não apenas lida com estímulos do mundo externo, mas também processa informações sobre propriocepção , ou seja, as sensações que o corpo detecta sobre a posição relativa dos músculos. Esse sentido é essencial para o movimento, postura ou equilíbrio, entre outras funções.

O homúnculo motor e o córtex motor primário

A representação cortical dos nervos motores e dos correspondentes receptores cutâneos está localizada no córtex motor primário, no sulco central , uma região do lobo frontal localizada logo ao lado do córtex somestésico; portanto, os dois homúnculos corticais estão muito próximos um do outro.

O córtex motor primário é a área mais importante do cérebro para o funcionamento do sistema motor: recebe interferência do tálamo e trabalha em conjunto com o restante das regiões associadas ao movimento, como o córtex motor suplementar, para desenvolver e executar esquemas motores.

A aparência do homúnculo motor é ainda mais grotesca que a do sensorial: sua boca, seus olhos e principalmente suas mãos são enormes em comparação com o tronco, braços ou pernas. Isto é devido à maior especificidade na localização dos receptores e nervos motores , muito menos numerosos que os sensoriais em grande parte do corpo.

Como as conexões sinápticas, que constituem a base do sistema nervoso, são modificadas durante a vida com base na experiência e na prática, o homúnculo motor muda na mesma pessoa à medida que o tempo passa e difere mais do que o sensorial. o plano interindividual.

Deixe um comentário