Janela Johari: para que serve, estilos de relacionamento, como é aplicada

A Janela de Johari é uma ferramenta desenvolvida por Joseph Luft e Harry Ingham na década de 1950, que visa auxiliar no autoconhecimento e na melhoria dos relacionamentos interpessoais. Ela é dividida em quatro quadrantes, que representam diferentes áreas de conhecimento sobre si mesmo: o que é conhecido tanto por si mesmo quanto pelos outros, o que é conhecido apenas por si mesmo, o que é conhecido apenas pelos outros e o que é desconhecido tanto por si mesmo quanto pelos outros.

A aplicação da Janela de Johari pode ser feita de diversas formas, como em dinâmicas de grupo, sessões de coaching e terapia, entre outras. Ela ajuda a identificar padrões de comportamento e comunicação, a desenvolver a empatia e a compreensão das emoções, além de promover o diálogo aberto e a construção de relacionamentos mais saudáveis e produtivos. É uma ferramenta poderosa para o desenvolvimento pessoal e profissional, que permite a expansão da consciência sobre si mesmo e sobre os outros.

Entendendo o funcionamento da Janela de Johari: um guia simples e prático.

A Janela de Johari é uma ferramenta de comunicação e desenvolvimento pessoal que ajuda a aumentar a consciência sobre si mesmo e sobre como os outros nos enxergam. Criada pelos psicólogos Joseph Luft e Harry Ingham, a Janela de Johari é dividida em quatro quadrantes que representam diferentes áreas de conhecimento sobre uma pessoa.

Os quadrantes são: aberto, oculto, cego e desconhecido. No quadrante aberto estão as informações que tanto a pessoa quanto os outros conhecem sobre si. No quadrante oculto estão as informações que a pessoa conhece, mas que os outros não têm acesso. No quadrante cego estão as informações que os outros conhecem, mas que a pessoa desconhece. E no quadrante desconhecido estão as informações que nem a pessoa nem os outros conhecem.

A Janela de Johari é muito útil para melhorar os relacionamentos interpessoais, pois permite identificar áreas de melhoria na comunicação e no comportamento. Quando uma pessoa expande o quadrante aberto, ou seja, compartilha mais informações sobre si mesma, isso pode aumentar a confiança e a empatia nos relacionamentos.

Existem diferentes estilos de relacionamento que podem influenciar a Janela de Johari. Por exemplo, uma pessoa com um estilo agressivo pode ter um quadrante aberto muito pequeno, pois não se comunica de forma eficaz. Já uma pessoa com um estilo passivo pode ter um quadrante oculto grande, pois não expressa suas opiniões e sentimentos.

A aplicação da Janela de Johari pode ser feita de diversas maneiras, como por meio de feedbacks construtivos, exercícios de autoconhecimento e dinâmicas de grupo. É importante lembrar que a Janela de Johari é uma ferramenta que visa promover o crescimento pessoal e a melhoria dos relacionamentos, por isso, é fundamental estar aberto ao feedback e à autoavaliação.

Aplicação da Teoria de Johari na melhoria da comunicação e relacionamento interpessoal organizacional.

A Teoria de Johari é uma ferramenta bastante útil para melhorar a comunicação e o relacionamento interpessoal dentro de organizações. Ela se baseia na ideia de que a nossa compreensão de nós mesmos e dos outros é limitada, e que podemos expandir essa compreensão através da comunicação aberta e honesta.

A Janela Johari consiste em quatro quadrantes: o eu aberto, o eu cego, o eu secreto e o eu desconhecido. O quadrante do eu aberto representa as informações sobre nós mesmos que são conhecidas tanto por nós quanto pelos outros. O quadrante do eu cego são as informações sobre nós mesmos que os outros conhecem, mas que não percebemos. O quadrante do eu secreto são as informações sobre nós mesmos que conhecemos, mas que não compartilhamos com os outros. E o quadrante do eu desconhecido são as informações sobre nós mesmos que nem nós nem os outros conhecem.

Para aplicar a Teoria de Johari na melhoria da comunicação e do relacionamento interpessoal organizacional, é importante promover a autoconsciência e a empatia entre os membros da equipe. Isso pode ser feito através de atividades de feedback e autoavaliação, onde os indivíduos têm a oportunidade de compartilhar informações sobre si mesmos e receber feedback dos outros.

Além disso, é essencial cultivar um ambiente de confiança e respeito mútuo, onde as pessoas se sintam seguras para se expressar e ser vulneráveis. Isso ajuda a reduzir o tamanho do quadrante do eu secreto e do eu desconhecido, aumentando a transparência e a compreensão mútua dentro da equipe.

Ao promover a autoconsciência, a empatia e a transparência, as equipes podem construir relações mais fortes e colaborativas, contribuindo para um ambiente de trabalho mais saudável e produtivo.

Relacionado:  10 diferenças entre temperamento e caráter

As 4 áreas da Janela de Johari: Aberta, Oculta, Cega e Desconhecida.

A Janela de Johari é uma ferramenta de comunicação e desenvolvimento pessoal que ajuda a entender as relações interpessoais e a forma como nos relacionamos com os outros. Ela é dividida em quatro áreas: Aberta, Oculta, Cega e Desconhecida.

A área Aberta representa as informações sobre nós mesmos que são conhecidas tanto por nós quanto pelos outros. São aspectos da nossa personalidade, comportamento e sentimentos que são compartilhados de forma transparente e aberta.

A área Oculta refere-se às informações sobre nós mesmos que conhecemos, mas mantemos ocultas dos outros. São pensamentos, sentimentos ou experiências que preferimos não compartilhar, por medo de julgamento ou por questões de privacidade.

A área Cega inclui informações sobre nós mesmos que os outros conhecem, mas que não temos consciência. São aspectos do nosso comportamento ou personalidade que podem ser percebidos por outras pessoas, mas que não reconhecemos em nós mesmos.

Por fim, a área Desconhecida engloba informações sobre nós mesmos que nem nós nem os outros conhecemos. São aspectos da nossa personalidade ou potencialidades que ainda não foram explorados ou descobertos.

A Janela de Johari é uma ferramenta importante para o desenvolvimento pessoal e a melhoria das relações interpessoais, pois permite uma maior consciência de si mesmo e dos outros. Com ela, é possível identificar padrões de comportamento, melhorar a comunicação e construir relações mais saudáveis e produtivas.

Para aplicar a Janela de Johari, é importante estar aberto ao feedback e à autoavaliação, buscando conhecer e compreender melhor a si mesmo e aos outros. Através de exercícios de reflexão e diálogo, é possível expandir a área Aberta, reduzir a área Oculta, identificar e corrigir pontos cegos na área Cega e explorar novas possibilidades na área Desconhecida.

Descubra como a Janela de Johari auxilia na compreensão de si mesmo.

A Janela de Johari é uma ferramenta muito útil para auxiliar na compreensão de si mesmo e no desenvolvimento de relacionamentos interpessoais saudáveis. Criada pelos psicólogos Joseph Luft e Harry Ingham, a Janela de Johari é um modelo que representa as áreas conhecidas e desconhecidas de uma pessoa, divididas em quatro quadrantes.

Os quadrantes da Janela de Johari são: aberto, escondido, cego e desconhecido. No quadrante aberto estão as informações sobre si mesmo que são conhecidas tanto pela pessoa quanto pelos outros. No quadrante escondido estão as informações que a pessoa conhece, mas que não compartilha com os outros. No quadrante cego estão as informações que os outros conhecem sobre a pessoa, mas que ela mesma desconhece. E no quadrante desconhecido estão as informações que nem a pessoa nem os outros conhecem.

A Janela de Johari é aplicada através de feedbacks e autoavaliações, ajudando a expandir o quadrante aberto e a reduzir os quadrantes escondido, cego e desconhecido. Quando uma pessoa recebe feedback sobre seu comportamento e sua forma de se relacionar, ela pode se tornar mais consciente de aspectos de si mesma que antes não percebia. Isso contribui para um maior autoconhecimento e para o desenvolvimento de habilidades interpessoais.

Portanto, a Janela de Johari é uma poderosa ferramenta para aprimorar a autoconsciência e promover relações mais saudáveis e autênticas. Ao explorar os diferentes quadrantes e buscar expandir a área de conhecimento mútuo, é possível aprofundar a compreensão de si mesmo e dos outros, facilitando a comunicação e a construção de relacionamentos mais significativos.

Janela Johari: para que serve, estilos de relacionamento, como é aplicada

Janela Johari: para que serve, estilos de relacionamento, como é aplicada

Janela Johari  é uma ferramenta psicológica projetada para ajudar as pessoas a entenderem melhor a si mesmas e seu relacionamento com os outros. Foi projetado em 1955 pelos psicólogos Joseph Luft e Harrington Ingham. Embora tenha sido originalmente usado em contextos de auto-ajuda e auto-descoberta, hoje também é frequentemente usado nos negócios.

A idéia por trás da janela de Johari é que o aumento do autoconhecimento e do desenvolvimento pessoal é essencial para alcançar a harmonia pessoal e entre os membros do grupo. Essa ferramenta ajuda a atingir esse objetivo, pois permite que uma pessoa se entenda melhor e melhore sua comunicação com outras pessoas.

Essa técnica é baseada na descoberta de informações pertencentes a quatro quadrantes diferentes: o espaço aberto ou a área livre, a área cega, a área oculta e a área desconhecida. As informações nesses quadrantes diferem principalmente se o próprio sujeito a conhece e se as pessoas em seu ambiente estão cientes disso.

Relacionado:  Grupos primários: características e exemplos

Atualmente, a aplicação mais importante da técnica da janela Johari é ajudar os membros de um grupo a dar feedback sobre seu comportamento a outro membro do grupo, da maneira menos invasiva e ofensiva possível. No entanto, também pode ser usado como uma ferramenta de autodescoberta e pode ser muito valioso nesse sentido.

Para que serve a janela do Johari?

Quando uma pessoa decide aplicar a ferramenta da janela Johari, é apresentada uma lista de adjetivos relacionados às características pessoais e traços de personalidade que podem ou não possuir. Entre todas essas palavras, o indivíduo deve escolher aquelas que ele acredita que o representam mais.

Mais tarde, as pessoas próximas a ele (como família, amigos ou colegas de trabalho) precisam escolher os adjetivos com os quais se identificam mais. Assim, comparando as respostas de todo o mundo, o indivíduo pode descobrir muito sobre seu próprio autoconceito e sobre a visão que os outros têm dele.

Quando essa ferramenta foi criada, o principal objetivo era que a pessoa a usasse para aprender mais sobre suas próprias características, investigando o que é conhecido como “ponto cego”. Todos nós temos características que não conhecemos, e a janela do Johari pode nos ajudar a trazer à luz algumas delas.

No entanto, em contextos de trabalho ou de negócios, essa ferramenta psicológica é frequentemente usada para outros fins. Geralmente, é aplicado em um contexto de equipe, para que os membros da equipe possam dar feedback um ao outro e, assim, resolver qualquer tensão ou conflito que possa surgir entre eles no futuro.

De qualquer forma, a idéia por trás da janela de Johari é promover o autoconhecimento, para que aqueles que aplicam essa ferramenta possam se entender melhor e entender como as pessoas ao seu redor as veem.

Estilos de relacionamento

Dentro da técnica da janela Johari, quatro áreas ou relacionamentos são analisados ​​através dos quais o indivíduo recebe feedback. Dois deles têm a ver com a própria visão da pessoa, e os outros dois estão relacionados às idéias que outros participantes têm sobre ele.

As informações são transferidas de um painel para outro como resultado do feedback que todos os participantes dão uns aos outros, de modo que o relacionamento entre eles está melhorando e a confiança e a abertura são promovidas entre os membros do grupo.

Os quatro painéis têm os seguintes nomes: espaço aberto, ponto cego, área oculta e área desconhecida. A seguir, veremos no que cada um deles consiste.

1- Espaço aberto

Nesta zona ou relacionamento, as informações que o participante sabe sobre si mesmo são refletidas. Outras coisas incluem dados sobre suas atitudes, comportamentos, sentimentos , emoções, habilidades e maneiras de ver o mundo. Além disso, nesta área, todas as informações são conhecidas pelo restante dos participantes.

Assim, no espaço aberto, a maioria das comunicações entre os membros da atividade ocorre. Quanto mais informações forem incluídas nesse relacionamento, mais útil será o processo de feedback e mais confiança poderá ser desenvolvida entre todos os participantes.

Um dos principais objetivos da janela do Johari é aumentar os dados encontrados no espaço aberto, para diminuir o ponto cego e a área oculta e desconhecida. Dessa maneira, mais autoconhecimento é gerado e as relações entre os participantes são aprimoradas.

2- Ponto cego

Neste quadrante, você encontrará todas as informações sobre a pessoa que são desconhecidas por elas mesmas, mas isso é evidente para o restante dos participantes.

A descoberta dos dados contidos nessa área é essencial para promover a autodescoberta do indivíduo e para melhorar a comunicação com outras pessoas, caso algum desses recursos seja uma fonte de conflito.

3- Área escondida

Dentro do quadrante conhecido como a área oculta da janela Johari, encontramos as informações que a pessoa sabe sobre si mesma, mas que as outras pessoas não sabem. Nesse sentido, podemos encontrar informações pessoais que o indivíduo não quis revelar, como experiências passadas, medos, segredos …

Essa área é gerada porque a maioria das pessoas evita revelar todas as informações importantes sobre si mesmas. No entanto, em certos momentos, os segredos podem acabar criando tensão com os indivíduos ao nosso redor, de modo que a janela do Johari pode ajudar a revelar questões sensíveis que podem melhorar a comunicação com os outros.

Relacionado:  Sensação (psicologia): características, limites, tipos

4- Área desconhecida

O último quadrante incluído na janela do Johari inclui todas as informações desconhecidas para a pessoa que faz o exercício e para o restante dos participantes. Como no restante dos “relacionamentos”, aqui podemos encontrar todos os tipos de elementos, como idéias, pensamentos, sentimentos, talentos ou habilidades.

Como nenhum dos participantes conhece as informações contidas nesse quadrante, é muito difícil revelar o que elas contêm. No entanto, através do processo de feedback e autodescoberta que incentiva o exercício, é possível reduzir gradualmente seu conteúdo.

Como a janela do Johari é aplicada?

O processo de aplicação da janela Johari é bastante direto em teoria, embora sua execução inteiramente possa levar uma janela de tempo relativamente longa. Para começar, uma pessoa é escolhida, que se torna o participante principal. Toda atividade será totalmente focada nela.

O protagonista escolhe adjetivos

No início do processo, a pessoa é apresentada com uma lista de adjetivos relacionados à personalidade e características emocionais. Entre todos eles, você deve escolher os cinco que considera mais aplicáveis, algo que pode ser relativamente difícil devido ao grande número de opções disponíveis. Suas escolhas se tornarão parte do quadrante conhecido como área oculta.

Os outros participantes escolhem adjetivos

Posteriormente, várias pessoas próximas ao participante principal terão que escolher, por sua vez, cinco adjetivos dentre os apresentados, mas desta vez pensando nos que mais se aplicam ao indivíduo que iniciou o exercício. As respostas desses novos participantes serão comparadas entre si e com as do início.

Os quadrantes são preenchidos

Nesse ponto, as respostas dadas por todos os membros do grupo são usadas para preencher os três quadrantes que podem ser trabalhados, excluindo a área desconhecida.

Reflexão

Por fim, a pessoa em quem o exercício é focado observa os resultados e reflete sobre as diferenças entre seu autoconceito e a maneira como os outros o veem.

Esse processo pode ser repetido quantas vezes forem necessárias, dependendo das descobertas feitas em cada uma das voltas. Além disso, os membros do grupo podem aproveitar-se para falar entre si, debater ou expressar suas opiniões. Esse é especialmente o caso ao usar a janela Johari em um ambiente de trabalho ou empresa.

Exemplo prático

Quando um processo da janela do Johari é iniciado, o participante principal deve escolher cinco adjetivos em uma lista. Alguns dos mais usados ​​nesta atividade são os seguintes:

– Capaz.

– Adaptável.

– corajoso.

– alegre.

– esperto.

Complexo.

Tímido.

– eficaz.

– Confiável.

– Acalme-se.

– Amável.

– Amoroso.

– organizado.

– paciente.

Como você pode ver, a maioria dos adjetivos seria considerada positiva por quase todos. Dessa forma, a pessoa precisa escolher apenas aqueles que considera realmente relevantes sobre si mesma, em vez de tentar escolher aqueles que acredita que podem impressionar o resto.

Depois de fazer sua escolha, os adjetivos escolhidos são colocados no quadrante conhecido como “área oculta” (veja a figura abaixo). Em seguida, os outros participantes escolhem cinco adjetivos cada, que são colocados na área cega, se não tiverem sido nomeados pela pessoa inicialmente, ou na área livre, se coincidirem com os seus.

Dessa forma, o indivíduo tem uma representação visual da maneira como se percebe, além da maneira como os outros o vêem. Depois disso, pode haver um debate sobre por que cada pessoa fez sua escolha, ou uma reflexão interna no caso de se tratar de um exercício feito simplesmente para melhorar o autoconhecimento.

Referências

  1. “O modelo da janela Johari” em: Teoria da Comunicação. Retirado em: 24 de janeiro de 2020 de Communication Theory: communicationtheory.com.
  2. “Entendendo o modelo da janela Johari” em: Autoconsciência. Retirado em: 24 de janeiro de 2020 de Self Awareness: selfawareness.org.uk.
  3. “Modelo da janela Johari” em: Herói de ferramentas. Retirado em: 24 de janeiro de 2020 de Tools Hero: toolshero.com.
  4. “Os 4 estilos de relacionamento, de acordo com a Janela Johari”, em: Psicologia e Mente. Retirado em: 24 de janeiro de 2020 de Psychology and Mind: psicologiaymente.com.
  5. Janela Johari em: Wikipedia. Retirado em: 24 de janeiro de 2020 da Wikipedia: en.wikipedia.org.

Deixe um comentário