Liderança empática: características, princípios e modelo

A liderança empática é um tipo de liderança que permite o líder a ser localizado no site dos seguidores. Como o nome indica, é um tipo de liderança que usa a empatia com os outros como ferramenta principal.

A liderança empática é realizada através do conhecimento de indivíduos, habilidades de negociação e técnicas de intervenção e integração.A realização desse tipo de atividade permite a formação de equipes de trabalho com alto valor agregado em suas ações, que hoje proporcionam certa vantagem competitiva e conseguem aumentar o desempenho do equipamento.

Liderança empática: características, princípios e modelo 1

A liderança empática é uma nova alternativa de liderança que visa responder às necessidades particulares dos membros que compõem as equipes.

Atualmente, a empatia é um dos elementos mais valorizados em uma grande diversidade de grupos, razão pela qual mais e mais organizações optam por usar esse tipo de ferramentas.

Surgimento da liderança empática

A liderança empática surge em resposta às necessidades básicas que organizações e grupos de trabalho apresentam cada vez mais.Nos últimos anos, múltiplos movimentos sociais em diferentes regiões do planeta revelaram uma alta rejeição de posições autoritárias e absolutistas.

Nesse sentido, a liderança de grupos de pessoas exige hoje ferramentas e ações diferentes das utilizadas décadas atrás.Especificamente, é notória a necessidade de dar valor pessoal e individual a cada um dos sujeitos que compõem os grupos.

A realização de tais ações é um aspecto básico para aumentar a motivação e a liderança do grupo, aceitas, apoiadas e valorizadas por todos os membros. M pesquisa ultiple mostrou que a empatia é a ferramenta mais eficaz para satisfazer tais necessidades.

Conhecer o interesse, necessidades, preocupações e exigências das pessoas traz benefícios diretos para elas. Também aumenta o seu bem-estar e aumenta a coesão do grupo.

Conclui-se que a liderança empática pode ser uma das principais ferramentas para melhorar o funcionamento das organizações e aumentar sua produtividade.

Características da liderança empática

Liderança empática: características, princípios e modelo 2

A liderança empática abrange uma série de características que definem como gerenciar uma equipe. Essas características são baseadas nas ações e atitudes que o líder deve desenvolver.

Assim, liderança empática não define apenas um tipo de liderança que incorpora empatia em sua atividade; Vai muito além e atualmente consiste em um processo bem definido e definido.

Nesse sentido, a liderança empática apresenta seis características principais propostas por Guillermo Velazquez Valadez , pesquisador da Universidade La Salle em 2005. Elas devem orientar o desempenho do líder e especificar o tipo de relacionamento que ele estabelece com o restante das pessoas do grupo.

Entusiasmo

As ações empreendidas na liderança empática devem emitir um alto senso de entusiasmo. Ou seja, o líder assume um papel totalmente ativo no gerenciamento da organização.

A liderança deve ser governada pelo dinamismo e efetuada com energia e paixão. Esses elementos devem não apenas ser desenvolvidos pelo líder, mas ele também tem a responsabilidade de transmiti-los e estendê-los a cada um dos indivíduos.

Calor

O calor se refere ao carinho e compreensão que o líder exerce sobre os outros assuntos do grupo.

A liderança empática deve ser calorosa; portanto, você deve realizar uma série de ações que demonstrem e expressem afeto diretamente.

Essa segunda característica requer uma certa habilidade do líder para interagir emocionalmente. E vai muito além de ações concretas que mostram sensibilidade para os colegas.

De fato, o calor que caracteriza a liderança empática define o relacionamento que o líder estabelece com os membros do grupo.

Isso não deve ser apenas técnico ou profissional, mas o líder deve demonstrar preocupação com cada uma das necessidades (profissionais e pessoais) dos membros.

Serenity

O calor da liderança empática pode levar a um gerenciamento excessivamente emocional ou sentimental. Este fato deve ser superado através da serenidade da liderança.

O calor não deve limitar a racionalidade das atividades realizadas pelo líder, mas muito pelo contrário.

A liderança empática requer um extenso estudo e avaliação de todas as soluções e atividades possíveis a serem realizadas. Para executar essas tarefas, são levados em consideração os aspectos profissionais e pessoais que abordam a situação.

Rigidez justa

Os três pontos anteriores podem pôr em questão o papel do líder diante do grupo. Estabelecer um relacionamento próximo com os membros pode ser interpretado como uma certa perda de poder e / ou autoridade.

Esse fator deve ser cuidadosamente gerenciado pelo líder. Apesar de ser caloroso e empático, na liderança empática também deve haver um certo grau de rigidez.

O líder avalia e leva em consideração as necessidades de todos os seus membros, mas deve ser ele quem toma as decisões. Nesse sentido, a detecção das atividades necessárias a serem realizadas deve ser realizada de um ponto de vista subjetivo e justo.

O líder deve adotar uma posição de não se envolver com ninguém e colocar os interesses institucionais acima dos pessoais. Mesmo assim, sempre que possível e for justo, você tentará responder a todos os tipos de interesse que surgem na organização.

Empatia

Obviamente, a empatia é uma das principais características da liderança empática.

A empatia é entendida como a capacidade cognitiva de perceber o que o outro pode sentir. Ou seja, consiste em elaborar uma série de sentimentos que permitem que a pessoa se coloque no lugar da outra.

O líder empático deve adotar essa prática rotineiramente em sua atividade. Ações específicas relacionadas à empatia devem ser usadas para descobrir os desejos, necessidades e exigências dos membros do grupo.

Da mesma forma, as informações coletadas através do processo empático devem ser usadas para gerenciar o grupo e decidir as atividades a serem realizadas. Ou seja, o líder deve ter empatia e ser consistente com essa ação.

Humildade

Arrogância e orgulho são elementos que não podem aparecer na liderança empática. De fato, quando o líder de um grupo adota essas atitudes, ele deixa de ser um líder empático.

Apesar das diferenças de papéis, o líder empático trata todos os membros do grupo da mesma maneira. Da mesma forma, não faz diferença entre suas qualidades pessoais e profissionais e as dos outros.

A diferenciação de papel, isto é, de líder versus não-líder, reflete-se apenas na tomada de decisão e no gerenciamento de atividades, mas não diz respeito às qualidades e classificação pessoal dos membros.

O líder empático não pensa melhor, ele simplesmente mostra sua maior capacidade de decisão devido à posição e às tarefas que dizem respeito à sua figura.

Princípios de liderança empática

Liderança empática: características, princípios e modelo 3

8 princípios de liderança empática foram sugeridos. Estes devem ser internalizados e compartilhados pelo líder e devem orientar seu comportamento. O líder empático deve sentir e compartilhar esses elementos básicos que orientam a maneira como as pessoas funcionam.

Se o líder, seja devido a convicções pessoais, traços de personalidade ou interpretação sobre o funcionamento das pessoas, não compartilha esses 8 elementos, ele dificilmente pode desenvolver uma liderança empática.

Esse fator mostra que nem todo mundo tem as características necessárias para ser um líder empático. Da mesma forma, alcançar uma liderança empática ideal é complicado e requer habilidades e treinamento.

Para desenvolver um processo de liderança empática, o líder deve compartilhar os seguintes princípios, tanto em seu funcionamento pessoal quanto em seu desempenho profissional:

1- Humanismo

O líder empático deve ser por definição humana. Ou seja, você deve entender os aspectos pessoais dos membros e integrá-los aos seus.

2- Conhecimento

Obviamente, o líder empático deve ser um especialista no campo de ação em que se desenvolve. A liderança deve ser justificada por uma ampla capacidade e conhecimento sobre as atividades a serem desenvolvidas.

3- Justiça

O líder empático deve possuir uma alta capacidade de encontrar o equilíbrio entre recompensar e penalizar. Você deve governar suas ações de gerenciamento por meio de análise objetiva e procedimentos de decisão e inserir o raciocínio em sua atividade.

4- Motivação

O líder empático deve ser capaz de transmitir energia para a equipe de trabalho. Ninguém pode apresentar mais motivação e convicção nas tarefas a serem executadas do que ele.

Você deve adotar a posição de guia e garantir que todos os indivíduos o sigam através da firme crença e motivação que o líder apresenta sobre as atividades a serem realizadas.

5- Tomada de decisão

O líder empático deve desenvolver um método e estratégia confiáveis ​​que lhe permitam decidir sobre as melhores alternativas . Ele deve orientar sua atuação por meio de processos congruentes e não transmitir instabilidade ou variação em sua liderança.

6- Serviço

Para que os membros do grupo estejam ao serviço do líder, isso também deve ser para os outros. O líder empático trabalha em conjunto com os outros e apoia os colegas.

7- Conselhos

O líder empático não apenas comanda ou dirige. Ele também aconselha e apoia cada um de seus colegas. Respeita a autonomia e a capacidade de iniciativa dos membros do grupo e oferece apoio a eles no momento em que precisam.

8- Valores

Finalmente, o líder empático deve incentivar a observação dos valores institucionais e individuais. Você deve fazer isso de maneira prática e dar um exemplo para outras pessoas sobre os valores que devem ser desenvolvidos dentro do grupo.

Modelo Empático de Liderança

O modelo empático de liderança envolve o desenvolvimento de um sistema de planejamento que permita coordenar e integrar todos os outros sistemas administrativos e humanos.

O principal objetivo do gerenciamento empático é a criatividade . Sendo assim, é possível obter valor agregado nas atividades realizadas.Da mesma forma, para que o modelo de liderança seja frutífero, ele deve ser inserido em uma estrutura institucional devidamente delineada pela alta gerência da organização.

O processo de liderança deve integrar dentro de suas estratégias objetivos muito específicos para cada um dos campos de ação. E sua operação deve estar intimamente relacionada aos princípios humanos e ecológicos.

As principais áreas do modelo de liderança empática são: energia, projeção, qualidade, criatividade, inovação e pesquisa. Eles devem funcionar através do sistema de planejamento e devem poder se alimentar o tempo todo.

Liderança empática nas organizações

Liderança empática: características, princípios e modelo 4

A liderança empática constitui a base a partir da qual qualquer organização deve começar. Especificamente, esse tipo de gerenciamento de grupo apóia os dois pilares estruturais fundamentais: o indivíduo e a organização.

Dessa forma, a liderança empática forma uma ponte de recursos humanos que garante que ambos os pilares sejam totalmente unificados e compartilhem objetivos.

A ponte que forma a liderança empática é caracterizada pelos processos de comunicação, integração, motivação, treinamento, gerenciamento de conflitos e tomada de decisão.

O objetivo final alcançado por esse tipo de liderança é a empatia organizacional. Ou seja, a capacidade de uma organização atender às necessidades de seus grupos de trabalho para o desenvolvimento de suas atividades.

Atingir esses objetivos resulta em um ótimo funcionamento do grupo, em um aumento da produtividade e no escopo de excelência nos serviços e processos desenvolvidos.

Referências

  1. Velazquez Valadez Guillermo. Liderança empática «Um modelo de liderança para organizações mexicanas». Jornal do Centro de Pesquisa. Universidade de La Salle, vol. 6, n. 23, janeiro-junho de 2005, pp. 81-100.
  2. Dubrin J. Andrew, Liderança: Easy Series, Pearson, México, 1999.
  3. Drucker, Peter. A sociedade pós-capitalista, Ed. Norma, Colômbia, 1994.
  4. Llanos Cifuentes Carlos, Humildade e liderança, Ediciones Ruz, México, 2004.
  5. Rodríguez Estrada Mauro, Relações Humanas: série abrangente de treinamento Vol. 2, Manual Moderno, México, 1985.
  6. Rodríguez Estrada, Mauro. “Team Integration” (treinamento abrangente, Vol. 3), Modern Manual, México, 1985.

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies