Lipídios Simples: Classificação e Características

Os lipídios simples são moléculas orgânicas que desempenham diversas funções essenciais no organismo, como reserva de energia, isolamento térmico e proteção de órgãos vitais. São compostos por ácidos graxos e álcoois, formando uma grande variedade de substâncias, como os triglicerídeos, fosfolipídios e esteroides. Neste artigo, iremos abordar a classificação e características dos lipídios simples, destacando suas propriedades e importância para o funcionamento do nosso corpo.

Classificação dos lipídios simples: conheça os critérios utilizados para categorizá-los corretamente.

Os lipídios simples são moléculas orgânicas formadas por carbono, hidrogênio e oxigênio. Eles são classificados de acordo com sua estrutura química e propriedades físicas. Existem três principais critérios utilizados para categorizá-los corretamente.

Primeiramente, os lipídios simples podem ser classificados de acordo com a presença de ácidos graxos em sua composição. Os lipídios que contêm ácidos graxos são chamados de glicolipídios, enquanto aqueles que não possuem ácidos graxos são denominados de esfingolipídios.

Outro critério importante para a classificação dos lipídios simples é a presença de grupos fosfato em sua estrutura. Os lipídios que possuem grupos fosfato são conhecidos como fosfolipídios, e desempenham um papel fundamental na formação das membranas celulares.

Por fim, os lipídios simples também podem ser classificados de acordo com a presença de esteróis em sua composição. Os lipídios que contêm esteróis são chamados de esteróides, e desempenham diversas funções no organismo, como a produção de hormônios esteroides.

Portanto, a classificação dos lipídios simples é essencial para compreender suas propriedades e funções no organismo. Conhecer os critérios utilizados para categorizá-los corretamente é fundamental para estudar essas moléculas de forma mais detalhada.

Quais são os lipídios mais elementares encontrados na natureza?

Os lipídeos mais elementares encontrados na natureza são os lipídios simples, que são compostos por ácidos graxos e glicerol. Os ácidos graxos são cadeias de carbono com um grupo carboxila em uma extremidade, enquanto o glicerol é um álcool com três grupos hidroxila. Esses componentes básicos se unem por meio de uma reação de esterificação, formando os lipídios simples.

Os lipídios simples podem ser classificados em três categorias principais: glicerídeos, ceras e esteróis. Os glicerídeos são os lipídios mais comuns e são compostos por uma ou mais moléculas de ácidos graxos ligadas a uma molécula de glicerol. As ceras são compostas por um ácido graxo ligado a um álcool de alto peso molecular, e os esteróis são compostos por quatro anéis de carbono interligados.

Esses lipídios simples desempenham diversas funções no organismo, como reserva de energia, isolamento térmico, proteção de órgãos e estrutural. Eles também são essenciais para a absorção de vitaminas lipossolúveis e para a formação de membranas celulares.

Conheça as 5 categorias de lipídios mais comuns presentes na natureza.

Os lipídios simples são uma das categorias de lipídios mais comuns presentes na natureza, sendo essenciais para o funcionamento adequado do organismo. Eles são compostos por ácidos graxos e álcoois, e podem ser classificados em cinco categorias principais: ácidos graxos, triagliceróis, céridos, fosfolipídios e esteroides.

Os ácidos graxos são cadeias de hidrocarbonetos com um grupo carboxila em uma extremidade, sendo essenciais para a formação de outras moléculas de lipídios. Os triagliceróis são os principais componentes das gorduras e óleos, armazenando energia no organismo. Os céridos são compostos por ácidos graxos ligados a álcoois de cadeia longa, formando ceras que têm funções de proteção e impermeabilização.

Relacionado:  Organismos heterotróficos: tipos, características e exemplos

Os fosfolipídios são essenciais para a formação das membranas celulares, sendo compostos por ácidos graxos, álcoois e grupos fosfato. Já os esteroides são moléculas complexas com uma estrutura de quatro anéis de carbono, como o colesterol, que desempenha papel fundamental na regulação do metabolismo.

Portanto, os lipídios simples são fundamentais para diversas funções no organismo, desde o armazenamento de energia até a estrutura das membranas celulares. Conhecer as cinco categorias mais comuns desses lipídios pode auxiliar na compreensão de sua importância para a saúde e o funcionamento do corpo.

Conceito e propriedades dos lipídios: Entenda a composição e função desses componentes essenciais.

Os lipídios são moléculas orgânicas que desempenham diversas funções no organismo, sendo essenciais para a vida. Eles são compostos por carbono, hidrogênio e oxigênio, e sua principal característica é a sua insolubilidade em água. Os lipídios desempenham funções importantes, como reserva de energia, isolamento térmico e proteção dos órgãos.

Existem diversos tipos de lipídios, sendo os lipídios simples um dos grupos mais comuns. Os lipídios simples são compostos por ácidos graxos e álcoois, e são classificados de acordo com a presença ou ausência de duplas ligações em sua estrutura.

Um dos principais tipos de lipídios simples são os ácidos graxos saturados, que não possuem duplas ligações em sua cadeia carbônica. Eles são encontrados em alimentos de origem animal, como carnes e laticínios, e são conhecidos por contribuir para o aumento do colesterol ruim no organismo.

Por outro lado, os ácidos graxos insaturados possuem uma ou mais duplas ligações em sua cadeia carbônica. Esses lipídios são encontrados em alimentos de origem vegetal, como abacate, azeite de oliva e castanhas, e são considerados benéficos para a saúde, contribuindo para a redução do colesterol ruim e para a prevenção de doenças cardiovasculares.

Em resumo, os lipídios simples são compostos por ácidos graxos e álcoois, e sua classificação se dá pela presença ou ausência de duplas ligações em sua estrutura. Eles desempenham funções importantes no organismo e são essenciais para a vida, sendo necessário manter um equilíbrio na ingestão dos diferentes tipos de lipídios para garantir uma boa saúde.

Lipídios Simples: Classificação e Características

Os lípidos simples são aqueles cuja composição envolvida oxigénio, carbono e hidrogénio. Sua estrutura é composta de álcool e um ou mais ácidos graxos.

Os lipídios são ingeridos através de alimentos como laticínios, óleos, peixes, nozes, entre outros. Uma vez dentro do corpo, os lipídios cumprem funções muito importantes, como a proteção das células através da membrana biológica, que cobre essas células com uma camada protetora, que as separa de seu ambiente.

Lipídios Simples: Classificação e Características 1

Molécula de gordura saturada, um lipídio simples

Existe uma classificação geral de lipídios, segundo a qual eles podem ser insaponificáveis ​​ou saponificáveis. Os lipídios insaponificáveis ​​são aqueles que não contêm ácidos graxos em sua estrutura.

Por outro lado, lipídeos saponificáveis ​​são aqueles que possuem ácidos graxos em sua composição. Os lipídios simples se enquadram nessa categoria, juntamente com os lipídios complexos, que também são caracterizados por possuir moléculas de oxigênio, carbono e hidrogênio, mas também possuem enxofre, nitrogênio e outros elementos.

Os lipídios simples são uma grande reserva de energia no corpo e são caracterizados por não serem solúveis em água.

Classificação de lipídios simples

Os lipídios simples são classificados em dois grandes grupos: acilglicerídeos ou gorduras e cerídeos.

Relacionado:  10 Animais em perigo de extinção no Chile

1- Acilglicerídeos ou gorduras

Os acilglicerídeos são ésteres constituídos por glicerol, um composto que foi esterificado por um, dois ou três ácidos graxos.

Esterificação é o processo pelo qual um éster é sintetizado. Um éster é um elemento que surge de uma reação química entre um álcool e um ácido carboxílico .

A razão pela qual o glicerol pode reagir com um, dois ou três ácidos graxos é que cada molécula de glicerol possui três grupos hidroxila.

Dependendo das características dos ácidos graxos que reagem com o glicerol, os acilglicerídeos são divididos em dois grupos:

Ácidos graxos saturados , que são aqueles em que não há ligações de carbono entre si (ou ligações duplas entre carbono e carbono) e possuem todos os hidrogênios que podem abrigar dentro da estrutura.

Estes são gerados por animais e também são chamados de gorduras. Os acilglicerídeos de cadeias saturadas são caracterizados por serem sólidos quando estão à temperatura ambiente.

Ácidos graxos insaturados , aqueles em que há ligações duplas entre os carbonos. Essas ligações duplas tornam a estrutura uma composição rígida e evitam que as moléculas entrem em contato umas com as outras.

Como conseqüência da separação das moléculas e da ausência de inter-relação nas cadeias não saturadas, esse tipo de ácido ocorre em estado líquido quando está em temperatura ambiente.

Os ácidos insaturados são gerados apenas pelas plantas e são chamados de óleos.

Um terceiro caso pode ocorrer, no qual um glicerol liga dois de seus carbonos com dois ácidos graxos por meio da esterificação, mas o terceiro carbono está ligado a um grupo fosfato.

Nesse caso, surge uma molécula fosfolipídica, uma das cujas funções mais importantes é ser uma parte estrutural da membrana celular.

Agora, dependendo da quantidade de ácidos graxos que compõem um acilglicerídeo, três tipos podem ser descritos:

– Quando é apenas um ácido graxo ligado ao glicerol, é chamado monoglicerídeo ou monoalciglicérido. Estes compostos têm propriedades emulsificantes e estabilizantes.

– Quando são dois ácidos graxos ligados ao glicerol, é um diacilglicerídeo ou diacilglicerol. Este acilglicerídeo pode funcionar como um transmissor de mensagens nas células.

– Quando existem três ácidos graxos (o número máximo de ácidos graxos que podem existir na estrutura) ao lado do glicerol, ele é chamado de triacilglicerídeos ou triglicerídeos. Eles cumprem funções de armazenamento de energia; A maioria dos ácidos graxos no organismo dos animais é apresentada como triacilglicerídeos.

2- Ácidos cerídicos

Estes ácidos são caracterizados por ter uma composição mais variada. Sua estrutura básica é formada pela união de um ácido graxo e um monoálcool (o álcool que possui apenas um grupo hidroxila), ambos compostos por cadeias longas; isto é, ambas as cadeias têm uma grande quantidade de carbonos.

Além dessa estrutura, os ácidos cerídicos possuem outros elementos, como esteróis, cetonas, álcoois, entre outros. Essa combinação de diferentes compostos torna as estruturas córicas extremamente complexas.

Os ácidos cerídicos, também chamados de ceras, têm características impermeáveis, pois suas duas extremidades são hidrofóbicas, ou seja, rejeitam a água.

As ceras são sólidas quando estão em temperatura ambiente e podem ser modificadas quando certa pressão é aplicada.

Os ácidos cerídicos estão presentes em animais e plantas. Nas plantas, elas desempenham um papel muito importante, pois cobrem as hastes, frutas e folhas, gerando uma camada protetora que também dificulta a perda de água em excesso pelas plantas durante o processo de evaporação.

Relacionado:  Lipídios saponificáveis: características, estrutura, funções, exemplos

No caso dos animais, as ceras podem ser encontradas na superfície do corpo, nos cabelos ou nas penas dos espécimes.

Como a propriedade fundamental dos ácidos cerídicos é a impermeabilidade, as principais funções desses ácidos têm a ver com processos nos quais repelem a água e protegem de condições externas.

As ceras estão presentes em diferentes campos. Alguns de seus usos e funções mais importantes são os seguintes:

– A cera impede que elementos externos entrem no canal auditivo, o que pode infectar ou causar danos.

– A cera de abelha pode ser extraída de favos de mel, que possui propriedades hidratantes, antioxidantes, hidratantes, anti-inflamatórias e antibacterianas, entre outras. A cera de abelha é frequentemente usada para fins cosmetológicos.

– Existe uma técnica pictórica que consiste em usar ceras e outros pigmentos na geração de obras de arte. Essa técnica é chamada de tinta encáustica. Utiliza uma mistura de resina e cera de abelha denominada “média”, caracterizada por ser brilhante e endurecer, de modo que não é necessário o uso de óculos de proteção.

– As ceras também podem ser usadas em têxteis. Nos tecidos de fibra sintética, as ceras reduzem a eletricidade estática e geram uma textura uniforme.

Referências

  1. “Lípidos complexos e lípidos simples: estrutura e função” na Universidade de Sevilha. Retirado em 12 de setembro de 2017 da Universidade de Sevilha: rodas5.us.es
  2. “Lipídios simples” em Innatia. Recuperado em 12 de setembro de 2017 de Innatia: innatia.com
  3. “Lipídios” no Instituto Nacional de Tecnologias Educacionais e Formação de Professores. Retirado em 12 de setembro de 2017 do Instituto Nacional de Tecnologias Educacionais e Formação de Professores: educalab.es
  4. “Lipídios simples” no Science Direct. Retirado em 12 de setembro de 2017 de Science Direct: sciencedirect.com
  5. Busch, S. “Qual é a função dos triglicerídeos?” Em Muy Fitness. Recuperado em 12 de setembro de 2017 de Muy Fitness: muyfitness.com
  6. “Acil-Glicerídeos” no Instituto Nacional de Tecnologias Educacionais e Formação de Professores. Retirado em 12 de setembro de 2017 do Instituto Nacional de Tecnologias Educacionais e Formação de Professores: educalab.es
  7. Teijón, J. e Garrido, A. “Fundamentos da bioquímica estrutural” (2006) no Google Livros. Recuperado em 12 de setembro de 2017 do Google Livros: books.google.co.ve
  8. “Diacilglicerol (DAG)” na Clínica Universidad de Navarra. Retirado em 12 de setembro de 2017 da Clínica Universidad de Navarra: cun.es
  9. “Mono e diglicerídeos” em NutriTienda. Recuperado em 12 de setembro de 2017 de Nutritienda: nutritienda.com
  10. “Céridos” no Instituto Nacional de Tecnologias Educacionais e Formação de Professores. Retirado em 12 de setembro de 2017 do Instituto Nacional de Tecnologias Educacionais e Formação de Professores: educalab.es
  11. Pérez, C. “Cera ou cera funciona” em Natursan. Recuperado em 12 de setembro de 2017 de Natursan: natursan.net
  12. “Cera” em Ecured. Recuperado em 12 de setembro de 2017 de Ecured: ecured.cu
  13. “Pintura Encaustic” em Encaustic Modernista. Recuperado em 12 de setembro de 2017 de Modernist Encaustic: modernistencaustic.com
  14. “O uso de cera nas indústrias” (12 de setembro de 2012) no Marketizer. Retirado em 12 de setembro de 2017 do Marketizer: quiminet.com
  15. “Parafinas para têxteis” (18 de agosto de 2011) no Marketizer. Retirado em 12 de setembro de 2017 do Marketizer: quiminet.com.

Deixe um comentário