Mangue vermelho: características, habitat, cultura e benefícios

O mangue vermelho ( Rhizophora mangle ) é uma espécie da família Rhizophoraceae, cuja característica é a espécie típica do ecossistema de mangue. É comumente conhecido como cunapo, mangue, mangue vermelho, mangue vermelho, mangue de chifre, mangue de sapateiro e em inglês como mangue e mangue vermelho.

Rhizophora mangle é uma árvore característica dos manguezais, cuja estrutura impressionante é chamada de raízes chamadas palafitas, que são observadas como projeções aéreas do caule. Além disso, possui raízes pneumatóforas que emergem do solo.

Mangue vermelho: características, habitat, cultura e benefícios 1

Mangue vermelho Boricuaeddie [CC BY-SA 3.0 (https://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0)]

O mangue vermelho é uma espécie halófita opcional que se estende por todo o mundo nas costas tropicais e subtropicais. Ocupa as áreas costeiras do Oceano Atlântico, Pacífico ou Mar do Caribe. Também é possível encontrá-los em alguns arquipélagos, como Galápagos e no Havaí.

Essas plantas são características por serem pioneiras e espécies maduras. As mudas de mangue vermelho têm um estabelecimento bem-sucedido, o que lhes permite colonizar as clareiras encontradas nos manguezais. O mangue vermelho é uma espécie oligotrófica, pois se adapta às baixas condições nutricionais do substrato.

O mangue tem vários usos, tanto medicinais. Todas as suas partes são consumidas e, dependendo de suas propriedades, são utilizadas como antipirético, hemostático, antidiarreico, contra asma, picada ou picada de animais marinhos venenosos, feridas (várias), contra tuberculose, hanseníase, hemorragia e elefantíase. Além disso, possui propriedades anti-hiperglicêmicas.

Por outro lado, alguns usos de sua madeira são conhecidos, sendo comuns como lenha ou carvão vegetal. Além disso, pode ser usado em construções rurais, marítimas ou residenciais.

Caracteristicas

Árvore

O mangue vermelho é uma árvore sempre-verde, de habitat salino, cujo comprimento pode variar de 1,5 a 15 metros, chegando até a 30. O diâmetro na altura do peito pode chegar a 50 cm.

Mangue vermelho: características, habitat, cultura e benefícios 2

Mangue vermelho Coalition Pro CEN [CC BY-SA 3.0 (https://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0)]

Folhas

Rhizophora mangle tem um copo arredondado, suas folhas são opostas e simples, com pecíolo e elíptico a oblongo. As folhas são apresentadas de forma aglomerada nas extremidades dos galhos e cada uma mede entre 8 e 13 cm de comprimento e 4 a 5,5 cm de largura, são coriáceas e espessas, com textura suave, na viga possuem cor verde escura, enquanto na parte inferior eles são amarelados com pontos pretos.

Ramos

O tronco desta espécie é reto e seus galhos são sustentados por inúmeras raízes aéreas adventícias. Às vezes são simples ou ramificados dicotomicamente; Também mostra muitas lenticelas.

Casca

Por seu lado, a casca externa é de oliva pálida e possui manchas cinzentas, com a peculiaridade de que, se for arranhada, muda para vermelho. Além disso, a casca é incolor, amarga, textura áspera e lisa, aspecto duro, com fibras suficientes e sai muito facilmente em escalas.

Caso contrário, o córtex interno é vermelho escuro com uma aparência granular devido à presença de fibras e esclereides. Esta casca tem lenticelas hipertrofiadas na área submersa de raízes e caules. A espessura da crosta é de cerca de 20 a 30 mm.

Raízes

Rhizophora mangle desenvolve raízes de ponto de apoio, ramificadas, arqueadas e curvas, onde se destacam as raízes modificadas chamadas palafitas (extensões aéreas do caule). Eles também podem ocorrer como raízes curtas e prolongadas que emergem do solo e são chamadas pneumatóforos.

Mangue vermelho: características, habitat, cultura e benefícios 3

Rhizophora mangue. Árvores para o futuro [CC BY 2.0 (https://creativecommons.org/licenses/by/2.0)]

Flor

A flor de mangue vermelho consiste em inflorescências simples de 2 ou 3 flores, com pedúnculos entre 3 e 5 cm. As flores são actinomórficas e a corola mede cerca de 1,8 cm de diâmetro.

Consequentemente, o cálice tem 1,5 cm de diâmetro, possui 4 sépalas espessas de cor amarela e couro com cerca de 4,1 mm de largura. Apresenta 4 pétalas branco-amareladas na base e no topo um tom marrom avermelhado com cerca de 2,6 mm de largura.

Fruta

O fruto do mangue vermelho é uma baga marrom, com textura dura e couro, farinosa, piriforme, com cerca de 2 a 3 cm de comprimento e 1,5 cm de largura; por sua vez, o cálice é persistente. Normalmente, por fruto, uma semente se desenvolve, embora às vezes possa trazer até duas.

Semente

O mangue vermelho tem viviparidade em sua semente, ou seja, germina dentro da fruta. A semente apresenta propágulos marrom-esverdeados curvados em sua parte inferior, também possui lenticelas.

As sementes podem medir entre 22 e 40 cm de comprimento e entre 1 e 2 cm de diâmetro na parte mais larga, com peso aproximado de 50 g.

Taxonomia

O mangue vermelho tem a seguinte descrição taxonômica:

Reino: Plantae

Borda: Tracheophyta

Classe: Magnoliopsida

Ordem: Malpighiales

Família: Rhizophoraceae

Gênero: Rhizophora L. (1753)

Espécie: Rhizophora mangle L.

Sinônimos:

Rhizophora americana Nutt.

Rhizophora mangle var. samoensis Hochr.

Rhizophora mangle var. racemosa (G. Mey.) Engl. em C. Martius

Rhizophora samoensis (Hochr.) Salvoza.

Habitat e distribuição

O mangue vermelho é uma espécie pantropical. No México, é encontrada em toda a costa do Golfo, no Oceano Pacífico e no Mar do Caribe. Também é distribuído em latitudes extremas, como na Baja California ou no sul de Chiapas.

Sua gama de distribuição altitudinal é ao nível do mar. Esta espécie vegetal se estende da costa americana continuamente e da parte inferior de Sonora ao Equador na América do Sul, inclusive no arquipélago de Galápagos.

Por outro lado, no Oceano Atlântico, os manguezais estão presentes descontinuamente a partir da costa da Flórida para o Brasil. No mar do Caribe, pode ser encontrado nas Ilhas Bermudas e Bahamas, nas Grandes e Pequenas Antilhas. Em outros lugares como o Havaí, e mesmo na África, de Angola à Mauritânia, essa espécie também pode ser obtida.

Assim, o mangue vermelho é uma espécie selvagem típica da costa, onde é possível observar massas dessa espécie nas zonas entre-marés das lagoas da costa ou em estuários que convergem com a água salgada.

Mangue vermelho: características, habitat, cultura e benefícios 4

Mangue Yasmira Gil [CC BY-SA 3.0 (https://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0)]

Portanto, Rhizophora mangle cresce em ambientes onde há movimento contínuo da água entre a hipersalina e a salobra. A área em que se desenvolve melhor é em locais com pouca inclinação, onde a maré pode entrar com mais facilidade, enquanto em locais com fortes ondulações seu desenvolvimento é difícil.

Consequentemente, as características do habitat dos manguezais permitem que sejam muito sensíveis em áreas onde há grande perturbação.

Cultivo

Selvagem

Do ponto de vista produtivo, os manguezais se desenvolvem melhor em estuários com lama fina, com silte, argila e uma grande quantidade de matéria orgânica (aproximadamente 49,26 ppm), em contraste com os solos onde Avicenni a.

O solo deve conter um substrato lamacento, com turfa, geralmente de areia preta e muito úmida. Também pode ser com argila preta ou marrom claro na cor e textura (argila arenosa).

Solos pantanosos ou inundados, bem como rochas corais também são válidos. O pH deve ficar em torno de 6,6 quando saturado com água e, quando o substrato secar, o pH deve estar entre 2,2 e 3.

Plantação

A árvore Rhizophora é propagada artificialmente por mudas. Esse plantio pode ser feito sob o esquema de copa não fechada de árvores e, assim, maximizar o estabelecimento das espécies. Esta condição de cobertura fechada oferece proteção às mudas contra a ação do vento, erosão e influência das marés.

Por outro lado, o mangue vermelho pode se reproduzir sexualmente por meio de sementes (mudas) ou semeadura direta, pois sabe-se que uma alta porcentagem (90%) dos indivíduos semeados sobrevive diretamente.

Mangue vermelho: características, habitat, cultura e benefícios 5

Seleção de sementes de mangue vermelho. RigelNava [CC BY-SA 4.0 (https://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0)]

Da mesma forma, a regeneração natural acaba sendo muito bem-sucedida, uma vez que a característica da viviparidade faz com que as mudas permaneçam ligadas à planta mãe até atingirem um certo desenvolvimento e, como resultado da gravidade, caem na lama e produzem suas próprias raízes.

Quanto à reprodução assexuada, os manguezais podem ser propagados por camadas de ar, brotos ou brotos (toco).

Benefícios para a saúde

O mangue vermelho possui algumas propriedades medicinais de acordo com a estrutura consumida. Por exemplo, a casca tem propriedades como antipirético, hemostático, antidiarreico, contra asma, picada ou picada de animais marinhos venenosos, feridas (várias), contra tuberculose, hanseníase, hemorragia e elefantíase.

Por outro lado, o consumo da folha traz benefícios para escorbuto, dor de dente e úlceras causadas pela hanseníase. Quanto ao consumo da raiz, a raspagem da raiz é usada contra as picadas de peixes marinhos e contra as picadas de insetos venenosos.

Da mesma forma, o consumo de embriões (triturados e cozidos) é usado como adstringente. Os embriões são ricos na quantidade de taninos. Além disso, a planta de mangue possui efeito anti-hiperglicêmico, por isso é recomendável realizar estudos no tratamento do diabetes mellitus.

Efeitos secundários

O fruto de Rhizophora mangle é comestível, mas seu suco fermentado produz uma bebida intoxicante.

A passagem de muitos manguezais em todo o mundo, de propriedade pública para propriedade privada, e seu uso excessivo, fizeram com que os mangais fossem afetados por sua exploração. Portanto, a diminuição desses ecossistemas afetou populações da flora e fauna marinhas.

Referências

  1. Christensen, Bo. 1979. Manguezais, para que servem? Retirado de: fao.org
  2. Feller, I. 1995. Efeitos do enriquecimento de nutrientes no crescimento e herbivoria do mangue vermelho anão ( Rhizophora mangl e). Monografia Ecológica 65 (4): 477-505.
  3. Catálogo da Vida. 2019. Detalhes da espécie: Rhizophora mangle L. Retirado de: catalogueoflife.org
  4. Tropical 2019. Rhizophora mangle L. Retirado de: tropicos.org
  5. CONABIO . 2019 . Rhizophora mangl e L. (1753). pag. 219-223. Retirado de: conabio.gob.mx

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies