Mercadorias em trânsito: classificação e finalidade

As mercadorias em trânsito são produtos que estão sendo transportados de um local para outro, sem que sejam destinados ao consumo imediato. Essa movimentação pode acontecer tanto dentro de um mesmo país, como também entre diferentes países. A classificação e a finalidade das mercadorias em trânsito são de extrema importância para o controle e a tributação durante o processo de transporte, garantindo que as mercadorias estejam de acordo com as leis e regulamentações vigentes. Neste sentido, é fundamental compreender as diferentes categorias de mercadorias em trânsito e as suas respectivas finalidades para uma gestão eficiente do comércio internacional.

Entenda o funcionamento do estoque em trânsito e sua importância na cadeia de suprimentos.

Muitas empresas precisam lidar com mercadorias em trânsito como parte de suas operações diárias. Esse tipo de estoque refere-se aos produtos que estão sendo transportados de um local para outro, mas ainda não chegaram ao destino final. O estoque em trânsito é uma parte crucial da cadeia de suprimentos, pois garante que os produtos estejam disponíveis no momento certo e no local certo para atender à demanda dos clientes.

O funcionamento do estoque em trânsito é relativamente simples. As empresas compram mercadorias de fornecedores e as enviam para seus armazéns ou lojas através de transportadoras. Durante esse processo, as mercadorias são consideradas estoque em trânsito. Uma vez que as mercadorias chegam ao destino final, elas são contabilizadas como parte do estoque disponível para venda.

A importância do estoque em trânsito na cadeia de suprimentos é enorme. Ele ajuda a manter os níveis de estoque em equilíbrio, garantindo que não haja excesso ou falta de produtos. Além disso, o estoque em trânsito pode reduzir os custos de armazenagem, pois as mercadorias estão em constante movimento, não ocupando espaço por muito tempo em um único local.

Em resumo, o estoque em trânsito é essencial para garantir a eficiência e a eficácia da cadeia de suprimentos de uma empresa. Ao entender como ele funciona e reconhecer sua importância, as empresas podem otimizar suas operações e atender melhor às necessidades dos clientes.

Significado do pedido em trânsito: saiba o que isso significa e porquê ocorre.

Significado do pedido em trânsito: Quando um pedido está em trânsito, significa que ele está em movimento, ou seja, está sendo transportado de um local para outro. Esse processo é comum em operações logísticas, onde as mercadorias precisam ser entregues aos clientes.

Por que ocorre esse processo? O pedido em trânsito ocorre porque, muitas vezes, as mercadorias precisam percorrer longas distâncias até chegarem ao destino final. Além disso, o transporte pode envolver diferentes modalidades, como rodoviário, ferroviário, aéreo ou marítimo, o que também contribui para o pedido estar em trânsito.

É importante ressaltar que, durante o trânsito das mercadorias, é fundamental que haja um acompanhamento constante do pedido, garantindo que ele chegue ao destino dentro do prazo estabelecido e em perfeitas condições. Para isso, as empresas contam com sistemas de rastreamento e controle de estoque.

Em resumo, o pedido em trânsito é uma etapa essencial no processo de entrega de mercadorias, garantindo que elas cheguem ao destino final de forma segura e eficiente.

Relacionado:  Alavancagem total: características, vantagens, desvantagens, exemplo

Estocagem em trânsito: conceito e exemplos práticos de armazenamento temporário de mercadorias.

Quando falamos em mercadorias em trânsito, é importante entender o conceito de estocagem em trânsito. Esse tipo de armazenamento temporário de mercadorias acontece quando as mercadorias estão em deslocamento de um local para outro e precisam ficar armazenadas temporariamente em um ponto intermediário.

Um exemplo prático de estocagem em trânsito é quando uma empresa importadora recebe um carregamento de produtos do exterior e esses produtos precisam passar por um processo de desembaraço aduaneiro antes de chegar ao destino final. Nesse caso, as mercadorias ficam temporariamente armazenadas em um armazém alfandegado até que todos os trâmites legais sejam concluídos.

Outro exemplo comum de estocagem em trânsito é quando uma empresa realiza um transporte de mercadorias de um centro de distribuição para uma loja física. Durante o percurso, as mercadorias podem precisar ficar temporariamente armazenadas em um depósito logístico até que seja feita a entrega final.

A estocagem em trânsito é uma prática comum no mundo dos negócios, pois permite que as empresas otimizem seus processos de logística e garantam que as mercadorias cheguem ao destino final de forma segura e organizada. É importante que as empresas tenham uma gestão eficiente desse tipo de armazenamento para evitar atrasos e prejuízos.

Significado de estoque sob controle de terceiros: uma explicação detalhada sobre o assunto.

Estoque sob controle de terceiros refere-se à situação em que uma empresa mantém sua mercadoria em um local que não é de sua propriedade, mas sim de um terceiro. Isso pode acontecer por diversos motivos, como falta de espaço físico na empresa, otimização de custos de armazenagem ou para facilitar a distribuição dos produtos.

Quando uma empresa opta por manter seu estoque sob controle de terceiros, ela transfere a responsabilidade de armazenar, organizar e controlar os produtos para o terceiro. Isso pode ser feito por meio de contratos de armazenagem ou parcerias com empresas especializadas em logística e distribuição.

Uma das principais vantagens de ter o estoque sob controle de terceiros é a redução de custos fixos para a empresa, já que ela não precisa investir em estruturas de armazenagem próprias. Além disso, a empresa pode se beneficiar da expertise do terceiro em logística e distribuição, o que pode resultar em uma maior eficiência operacional.

Por outro lado, é importante ressaltar que a empresa deve manter um controle rigoroso sobre o estoque sob controle de terceiros, para garantir que os produtos estejam sendo armazenados e distribuídos corretamente. É fundamental ter um sistema de gestão de estoque eficiente e realizar auditorias periódicas para evitar possíveis problemas.

Em resumo, o estoque sob controle de terceiros é uma estratégia utilizada por muitas empresas para otimizar a gestão de seus produtos. Ao transferir a responsabilidade de armazenagem e distribuição para terceiros, as empresas podem reduzir custos, aumentar a eficiência operacional e focar em suas atividades principais.

Mercadorias em trânsito: classificação e finalidade

As mercadorias em trânsito são itens de estoque que foram enviadas pelo vendedor, mas ainda não foram recebidos pelo comprador. O conceito é usado para indicar a qualquer momento quem possui os itens (seja o comprador ou o vendedor), dependendo de quem está pagando pelo transporte.

Neste mundo globalizado, as empresas estão constantemente enviando e recebendo mercadorias através do comércio local e internacional. Esses produtos, depois de deixarem as instalações do vendedor, geralmente precisam percorrer longas distâncias por mar, rio, terra e / ou ar, para chegar ao local onde o cliente está.

Mercadorias em trânsito: classificação e finalidade 1

A duração do itinerário pode ser de dias, semanas ou meses, devido às grandes distâncias que podem existir entre o ponto de embarque e o destino, os meios de transporte utilizados e os procedimentos legais e operacionais aos quais a mercadoria deve ser submetida. a caminho. Essa mercadoria também é chamada de inventário de transporte público.

Classificação

Enquanto a mercadoria está em trânsito, a quem pertence: o vendedor ou o comprador? Com base nessa pergunta, as mercadorias em trânsito são basicamente classificadas como:

– Mercadoria em trânsito de propriedade do vendedor.

– Mercadoria em trânsito de propriedade do cliente.

Os termos do contrato de remessa fornecem um guia para entender quando a propriedade da mercadoria passa do vendedor para o comprador.

Antes de enviar a mercadoria, o comprador e o vendedor devem chegar a um acordo sobre quem será responsável pelo pagamento dos custos de frete e quem correrá o risco de perda durante o transporte.

Ponto de transferência

A questão fundamental é: em que momento a propriedade da mercadoria é transferida do comprador para o vendedor? O ponto dessa transferência é chamado de ponto FOB ( Free On Board ), um termo geralmente usado no comércio internacional.

O ponto em que a propriedade é transferida do vendedor para o comprador é muito importante a considerar; Você determinará quem paga os custos de transporte e seus custos associados (como seguros) enquanto a mercadoria está em trânsito. A pessoa responsável pelo pagamento dos custos de remessa também é garantidora do seguro da mercadoria durante o transporte.

Existem dois pontos alternativos para fazer essa transferência:

Ponto de embarque FOB

Também conhecida como origem FOB. Isso significa que o comprador aceita a propriedade da mercadoria no local de remessa do vendedor.

O comprador é responsável pelo pagamento dos custos de envio. Torna-se o proprietário da mercadoria e corre o risco de danificá-la ou perdê-la quando estiver em trânsito.

Os itens também se tornam parte do estoque de mercadorias em trânsito do comprador no ponto de embarque.

Destino FOB

Isso significa que a propriedade das mercadorias é transferida para o comprador quando elas são entregues no local de destino.

Isso significa que o vendedor é responsável pelo pagamento dos custos de envio. Também assume o risco de danos ou perda de mercadorias durante o transporte. O vendedor não registra o produto desta venda até que as mercadorias cheguem ao destino, porque essa transação não foi concluída antes desse ponto.

Mercadorias em trânsito: classificação e finalidade 2

A mercadoria pode ser armazenada por qualquer motivo durante o transporte. É comum uma empresa usar um armazém, uma doca ou outras instalações de terceiros para esse fim.

Quando uma instalação de armazenamento público é usada, o operador da instalação não é responsável pelo pagamento dos impostos devidos pelas mercadorias armazenadas lá.

Relacionado:  Departamentalização: características, tipos, importância, exemplos

Pode não ser o caso se a sua empresa possuir a instalação de armazenamento. Como está em posse física da mercadoria, ela pode ser considerada um estoque para fins fiscais.

Finalidade

As mercadorias em trânsito são um importante componente contábil do estoque no final de cada período fiscal. O problema para os contadores é identificar quando a propriedade legal da mercadoria passou do vendedor para o comprador.

O conceito tem implicações para o vendedor na avaliação de seu estoque e de contas a receber, bem como para o comprador em suas contas a pagar.

Exemplo

Para ilustrar o acima, vamos usar o exemplo a seguir. Em 30 de dezembro, o vendedor J envia um caminhão carregado com mercadorias ao cliente K, localizado a 2000 quilômetros de distância.

O caminhão carregado com mercadorias chega ao cliente K em 4 de janeiro. Entre 30 de dezembro e 4 de janeiro, o caminhão cheio de mercadorias está em trânsito. As mercadorias em trânsito requerem atenção especial se as empresas emitirem demonstrações financeiras em 31 de dezembro.

A razão para isso é que a mercadoria faz parte do inventário de uma das duas empresas, embora também não esteja presente fisicamente. Uma das duas empresas deve adicionar o custo da mercadoria em trânsito ao seu custo de estoque.

Importância do prazo da venda

O prazo da venda indicará qual empresa deve contabilizar as mercadorias em trânsito como parte de seu estoque em 31 de dezembro. Se o termo for ponto de expedição FOB, onde o comprador paga os custos de frete, o vendedor J registrará a venda e a conta a receber em dezembro e não incluirá a mercadoria em trânsito em seu inventário.

Em 31 de dezembro, o cliente K é o proprietário das mercadorias em trânsito. Você deve indicar a compra, pagamento e adicionar o custo da mercadoria em trânsito ao custo do seu inventário.

Se o prazo da venda for o destino FOB, onde o vendedor paga os custos de frete, o vendedor J não terá uma venda e uma conta a receber até 4 de janeiro.

Isso significa que o vendedor J deve informar o custo da mercadoria em trânsito em seu inventário a partir de 31 de dezembro. O Cliente K não terá uma compra, uma conta a pagar ou um inventário desses produtos até 4 de janeiro.

Custos de envio

Os custos de envio incorridos nas compras são conhecidos como custos de transporte ou frete.

Se os termos da compra forem de origem FOB, isso significa que o comprador é responsável pelo pagamento dos custos de frete, e o princípio do custo contábil exige que esses custos de transporte sejam incluídos como parte do custo de aquisição do estoque de mercadorias.

Referências

  1. Harold Averkamp (2018). O que são mercadorias em trânsito? Perguntas e respostas do treinador de contabilidade. Retirado de: accountingcoach.com
  2. Steven Bragg (2013). Mercadorias em trânsito. Ferramentas de contabilidade Cursos e livros de contabilidade CPE. Retirado de: accountingtools.com
  3. WD Adkins (2018). A tributação de mercadorias em trânsito. Retirado de: smallbusiness.chron.com
  4. Bolsista de Contabilidade (2018). Transferência de propriedade, remessa FOB e pontos de destino FOB – contabilização dos custos de transporte do estoque de mercadorias. Capítulo 6.3. Retirado de: accountingscholar.com
  5. Wikipedia, a enciclopédia livre (2017). Mercadorias em trânsito. Retirado de: en.wikipedia.org

Deixe um comentário