Mercadorias excluídas: características e exemplos

Mercadorias excluídas são produtos que não se enquadram nas normas estabelecidas para a comercialização em determinados locais ou países. Geralmente, essas mercadorias são proibidas de serem vendidas devido a questões de segurança, saúde pública, meio ambiente ou até mesmo por motivos culturais e religiosos. Neste contexto, é importante compreender as características e exemplos de mercadorias excluídas para evitar problemas legais e prejuízos financeiros.

Passo a passo da classificação fiscal de produtos: entenda o processo de classificação.

A classificação fiscal de produtos é um processo essencial para determinar a tributação e as regulamentações que se aplicam a determinados produtos. Para realizar essa classificação, é necessário seguir um passo a passo que envolve a análise das características do produto e a consulta da NCM (Nomenclatura Comum do Mercosul).

O primeiro passo é identificar as características do produto, como sua composição, função, forma de apresentação e utilização. Essas informações são fundamentais para determinar a classificação correta do produto. Em seguida, é preciso consultar a NCM, que é um sistema de códigos utilizado para identificar os produtos e suas respectivas alíquotas de impostos.

Após identificar o código NCM do produto, é necessário verificar se ele se enquadra em alguma das exceções ou exclusões previstas na legislação. Existem mercadorias que são excluídas de determinadas tributações ou que possuem tratamentos específicos, como isenção de impostos.

Por fim, é importante revisar a classificação fiscal do produto periodicamente, pois as normas e regulamentações podem sofrer alterações ao longo do tempo. Manter-se atualizado é fundamental para evitar problemas com a fiscalização e garantir o correto recolhimento de impostos.

Mercadorias excluídas: características e exemplos

As mercadorias excluídas são aquelas que não estão sujeitas a determinadas tributações ou que possuem tratamentos diferenciados. Essas exclusões podem ocorrer por diversos motivos, como incentivos fiscais, acordos internacionais ou políticas de governo.

Alguns exemplos de mercadorias excluídas são os medicamentos, os alimentos básicos, os livros e os produtos destinados à exportação. Esses produtos geralmente recebem tratamentos tributários diferenciados, como isenção de impostos ou alíquotas reduzidas.

É importante ressaltar que as mercadorias excluídas devem ser devidamente identificadas e classificadas de acordo com a legislação vigente. Caso contrário, a empresa pode estar sujeita a penalidades e autuações fiscais.

Critérios para verificar enquadramento de mercadoria na substituição tributária do ICMS.

Para verificar o enquadramento de uma mercadoria na substituição tributária do ICMS, é necessário seguir alguns critérios estabelecidos pela legislação tributária. Primeiramente, é importante verificar se a mercadoria está prevista na lista de produtos sujeitos à substituição tributária, que é atualizada periodicamente pelos órgãos competentes. Além disso, é necessário analisar se a mercadoria possui características que a enquadrem na substituição tributária, como por exemplo, se ela é passível de fracionamento, se possui alta relevância econômica, entre outros.

Outro critério importante a ser considerado é a classificação fiscal da mercadoria, que deve estar de acordo com a Nomenclatura Comum do Mercosul (NCM) e a legislação estadual. Além disso, é fundamental verificar se a mercadoria se enquadra nas hipóteses de incidência da substituição tributária, como por exemplo, se ela é destinada ao consumidor final ou se possui um valor significativo de arrecadação de ICMS.

Relacionado:  Sistema Regulatório: Classificação e Exemplos

É importante ressaltar que a correta verificação do enquadramento da mercadoria na substituição tributária é essencial para evitar problemas fiscais e garantir o cumprimento das obrigações tributárias. Portanto, é fundamental contar com o auxílio de profissionais especializados para realizar essa análise de forma adequada e garantir a conformidade com a legislação vigente.

Quais itens possuem selo de qualidade ST?

Os itens que possuem o selo de qualidade ST são aqueles que atendem aos critérios estabelecidos pelo Instituto de Qualidade ST. Este selo é concedido a mercadorias que passam por um rigoroso processo de avaliação e são consideradas de alta qualidade. Algumas das características que os produtos devem ter para receber o selo ST incluem durabilidade, segurança, eficiência e sustentabilidade.

Alguns exemplos de mercadorias que podem receber o selo de qualidade ST são eletrodomésticos, produtos eletrônicos, móveis, utensílios domésticos e materiais de construção. Estes produtos são submetidos a testes rigorosos para garantir que atendam aos padrões de qualidade estabelecidos pelo Instituto ST.

É importante ressaltar que o selo de qualidade ST é um indicativo de confiança para os consumidores, pois garante que estão adquirindo produtos de alta qualidade e segurança. Portanto, ao buscar por produtos com o selo ST, os consumidores podem ter a certeza de estar fazendo uma escolha consciente e segura.

Quais CFOPs serão eliminados a partir de 2023?

Segundo as novas regras estabelecidas, a partir de 2023 serão eliminados os CFOPs referentes a mercadorias excluídas da legislação tributária. Isso significa que algumas categorias de produtos não serão mais contempladas pelos códigos fiscais de operações e prestações.

Entre os CFOPs que serão eliminados estão aqueles relacionados a mercadorias consideradas obsoletas, impróprias para comercialização ou que não se enquadram mais nas normas vigentes. Essa medida visa simplificar o sistema tributário e tornar mais eficiente a classificação das operações comerciais.

É importante ressaltar que a exclusão dos CFOPs não significa que essas mercadorias deixarão de existir, apenas que não serão mais categorizadas de acordo com os códigos fiscais específicos. Empresas e profissionais da área tributária devem estar atentos a essas mudanças para garantir a correta classificação das operações e evitar problemas com a fiscalização.

Portanto, é fundamental estar atualizado sobre as alterações nas normas tributárias e ficar atento às informações divulgadas pelos órgãos competentes. A eliminação dos CFOPs relacionados a mercadorias excluídas é mais um passo rumo à simplificação e modernização do sistema tributário brasileiro.

Mercadorias excluídas: características e exemplos

Os itens excluídos são produtos que não causam o imposto o valor acrescentado (IVA). Portanto, esses produtos não estão sujeitos ao imposto sobre vendas. Como eles não estão sujeitos ao referido imposto, ele não deve ser declarado, pois a pessoa que os vende não é responsável por esse imposto.Por outro lado, os produtos excluídos são todos os produtos que a lei classificou expressamente como tal.

O fabricante desses produtos excluídos não é responsável por declarar o IVA. Portanto, o IVA que esse produtor deve pagar a seus fornecedores pela compra de matérias-primas para a produção dessas mercadorias deve ser transferido diretamente como uma quantia adicional ao custo do produto.

Mercadorias excluídas: características e exemplos 1

Fonte: pixabay.com

As empresas que vendem apenas esses tipos de produtos simplesmente não terão nenhum tipo de responsabilidade com relação ao imposto sobre vendas.No entanto, se venderem qualquer propriedade onerada ou isenta, eles se tornarão responsáveis ​​pelo IVA, para que a maioria de seus produtos comercializados seja excluída do IVA.

Caracteristicas

Mercadorias excluídas, no momento da importação ou venda, não causam IVA. A comercialização e / ou produção desses produtos não responsabiliza o vendedor por esse imposto.

Para saber se um serviço ou produto está excluído do IVA, é necessário determinar se é explicitamente dentro dos serviços e bens que a lei classificou expressamente como excluído.

Portanto, se algum produto não estiver nessa lista legal, significa que é um ativo tributado como conseqüência.

Diferença com ativos isentos

Se uma pessoa não é responsável pelo imposto sobre vendas, ela não precisa declarar o IVA. Como resultado, também não pode exigir que o IVA pago pelas compras feitas seja descontado.

Portanto, qualquer valor pago pelo IVA deve ser considerado como um valor maior que o custo ou despesa do bem ou serviço adquirido. Nesse caso, isso pode ser deduzido na declaração de imposto de renda. No entanto, não pode ser descontado na declaração de IVA, pois você não precisa declará-la.

Por conseguinte, a diferença entre os produtos isentos e os produtos excluídos é que os produtos isentos, cuja taxa de pagamento do IVA é de 0%, são realmente produtos tributados, dando assim o direito de deduzir o IVA pelas compras efetuadas .

Por outro lado, mercadorias excluídas não produzem IVA. Por esse motivo, os valores pagos pelo IVA não podem ser descontados, resultando em que não há o direito de devolver o imposto sobre o valor agregado.

Exemplos

Os artigos indicados abaixo foram tomados como exemplo do estatuto fiscal nacional na legislação colombiana, de acordo com os artigos 424 e 476. Cada país terá em sua legislação correspondente a enumeração dos bens excluídos que contemplou.

Mercadorias excluídas

– Animais das espécies de cabras, suínos ou ovinos, galinhas, gansos ou perus que estão vivos.

– Produtos compostos por elementos naturais do leite e produtos alimentícios feitos à mão à base de leite.

Mel natural.

– Legumes frescos ou refrigerados.

– Grãos de café não torrados e grãos de cacau crus.

– Pão cozido ou assado e feito principalmente à base de farinha de cereais.

– Água, incluindo água mineral gaseificada e água artificial ou natural.

– Frutas frescas, como banana, figo, abacaxi, abacate, goiaba, manga, uva, melão, melancia, mamão, maçã, pera, damasco, cereja, pêssego, entre outros.

– Coentro, trigo, linho, nabo, girassol, amêndoa, noz, algodão, mostarda, gergelim, mamona, melão, sementes de açafrão para plantio.

– Milho, arroz, aveia, soja, sorgo, copra, amendoim, para plantio.

– Enxofre de qualquer tipo.

– Gás natural em estado gasoso e liquefeito, gás propano para uso doméstico e gás butano em estado gasoso.

Relacionado:  Contratação direta: situação na Colômbia, processo, exemplos

– Energia elétrica.

Antibióticos.

– Fertilizantes de origem vegetal ou animal, química ou mineral.

– Inseticidas, fungicidas, rodenticidas e outros anti-roedores, herbicidas.

– borracha natural.

– Pneus dos tipos utilizados em máquinas florestais ou agrícolas e em veículos.

– Redes desenvolvidas para pesca.

– Pressione papel em folhas ou bobinas.

– Moedas legais.

– Tijolos para construção e blocos de argila, de calicanto e à base de cimento.

– Aparelhos e máquinas para a preparação de alimentos para animais.

– Tratores para uso agrícola.

– Máquinas para classificação ou limpeza de frutas, ovos ou outros produtos agrícolas.

– Sistemas de irrigação por aspersão ou gotejamento. Gotejadores e aspersores para sistemas de irrigação.

– Cadeiras de rodas e outros veículos para inválidos, bem como seus acessórios e peças.

– Dispositivos e artigos ortopédicos, incluindo bandagens e cintas médico-cirúrgicas.

– Colorir e escrever lápis.

– Vidro e lentes de contato para óculos.

Serviços excluídos

– Serviços hospitalares, médicos, laboratoriais e clínicos, odontológicos e de saúde humana. Essa exclusão descarta cirurgias plásticas diferentes de cirurgias cosméticas funcionais ou restauradoras e tratamentos de beleza.

– Serviços educacionais prestados por entidades de educação pré-escolar, primária, secundária, especial e superior, registradas como tal nas respectivas instituições do governo nacional.

– O serviço de transporte público, fluvial, marítimo e terrestre de pessoas no território nacional e o de transporte internacional e nacional internacional ou nacional de frete, aéreo, fluvial, marítimo e terrestre, público ou privado.

– O transporte aéreo nacional de passageiros com origem ou destino para rotas nacionais, onde um transporte terrestre organizado não coexiste.

– Serviços públicos de energia, bem como energia baseada em gás ou outros materiais.

– A água usada para fornecer o serviço público de esgoto e aqueduto, serviços públicos de coleta de lixo e também serviços de sanitários públicos.

– Serviços de alimentação, contratados com recursos públicos, a serem utilizados pelo sistema penitenciário, pela educação pública, assistência social, polícia nacional, forças militares, centros geriátricos públicos, cantinas comunitárias e hospitais públicos.

– O serviço de aluguel de imóveis para habitação e o aluguel de espaços para exposições de artesanato e exposições nacionais, incluindo eventos culturais e artísticos.

– Retornos financeiros e juros sobre operações de crédito.

– Bilhetes de entrada para eventos esportivos e culturais, incluindo recreação familiar e musical, para o cinema e também exposições de cavalos, touros e cães.

– Serviços funerários, enterro e exumação de cadáveres, cremação, manutenção e também aluguel de mausoléus e sepulturas.

– Compra de licenças de software para desenvolver comercialmente conteúdo digital.

– Fornecimento de computação em nuvem, páginas da web e servidores ou hospedagem.

Referências

  1. Herói do Curso (2019). Bens e serviços excluídos e isentos de IVA. Retirado de: coursehero.com.
  2. Gerencie (2017). Diferença entre mercadorias excluídas e isentas no imposto sobre vendas. Retirado de: gerencie.com.
  3. Gerencie (2017). Bens excluídos do imposto sobre vendas. Retirado de: gerencie.com.
  4. Estatuto Tributário Nacional (2019). Art. 424. Ativos que não causam o imposto. Retirado de: statuto.co.
  5. Atualização (2019). Mercadorias excluídas do IVA. Retirado de: actualicese.com.

Deixe um comentário