Mulheres abusadas psicologicamente: perfil e sintomas

As mulheres abusadas psicologicamente são aquelas que sofrem violência emocional, manipulação e controle por parte de seus parceiros ou familiares. Este tipo de abuso muitas vezes passa despercebido, pois não deixa marcas físicas visíveis, mas pode causar danos emocionais e psicológicos profundos. Neste artigo, iremos discutir o perfil das mulheres que são vítimas de abuso psicológico, bem como os sintomas e consequências dessa forma de violência.

Consequências do abuso emocional: impactos devastadores na saúde mental e bem-estar.

As consequências do abuso emocional podem ser devastadoras para a saúde mental e bem-estar das mulheres que vivenciam essa forma de violência. O abuso psicológico pode deixar cicatrizes profundas que afetam não apenas a vida cotidiana da vítima, mas também sua saúde a longo prazo.

Em primeiro lugar, as mulheres abusadas psicologicamente podem desenvolver problemas de saúde mental, como depressão, ansiedade e transtorno de estresse pós-traumático. Esses distúrbios podem se manifestar de diversas formas, desde ataques de pânico até pensamentos suicidas, e requerem acompanhamento psicológico para serem tratados adequadamente.

Além disso, o abuso emocional pode afetar a autoestima e a autoconfiança da vítima, levando-a a se sentir desvalorizada e incapaz de tomar decisões por conta própria. Isso pode resultar em um ciclo de dependência emocional do agressor, tornando ainda mais difícil para a mulher buscar ajuda e se libertar da situação de abuso.

Outra consequência do abuso psicológico é o isolamento social da vítima, que pode se sentir envergonhada ou culpada pelo que está passando. Isso dificulta ainda mais a busca por apoio de amigos, familiares e profissionais especializados, o que pode prolongar o sofrimento da mulher e impedir sua recuperação.

É fundamental conscientizar a sociedade sobre essa realidade e oferecer suporte e proteção às mulheres que estão passando por essa situação, para que possam se recuperar e reconstruir suas vidas de forma saudável e segura.

Entendendo e identificando os sinais da violência psicológica: um guia completo para todos.

As mulheres abusadas psicologicamente muitas vezes sofrem em silêncio, sem saberem ao certo que estão sendo vítimas de violência. É importante entender e identificar os sinais desse tipo de abuso para poder ajudar quem está passando por essa situação.

A violência psicológica pode se manifestar de diversas formas, como humilhações constantes, controle excessivo, isolamento social, ameaças, entre outros. Muitas vezes, as vítimas não conseguem identificar esses comportamentos como abusivos, o que torna ainda mais difícil buscar ajuda.

Para identificar os sintomas de uma mulher abusada psicologicamente, é importante prestar atenção em mudanças de comportamento, como ansiedade, depressão, baixa autoestima, isolamento, entre outros. Além disso, é fundamental observar o relacionamento da vítima com o agressor, identificando padrões de controle e manipulação.

É essencial que a sociedade esteja atenta a esses sinais e ofereça apoio às vítimas, ajudando-as a sair desse ciclo de violência. A conscientização e o combate à violência psicológica são fundamentais para garantir a segurança e o bem-estar das mulheres.

Principais causas da violência psicológica: uma análise detalhada sobre seus fatores desencadeantes.

Mulheres abusadas psicologicamente muitas vezes sofrem em silêncio, sem saber como lidar com a situação. A violência psicológica pode ser tão devastadora quanto a violência física, deixando marcas profundas na vítima. Mas quais são as principais causas desse tipo de violência?

Uma das principais causas da violência psicológica é o desequilíbrio de poder na relação, onde uma pessoa exerce controle sobre a outra de forma abusiva. Isso pode acontecer devido a questões de gênero, como a perpetuação de estereótipos machistas que colocam as mulheres em uma posição de submissão. Além disso, traumas do agressor, como experiências de abuso na infância, podem levar a comportamentos violentos.

Problemas de saúde mental também podem ser uma causa da violência psicológica, já que indivíduos com distúrbios psicológicos podem ter dificuldade em controlar suas emoções e agir de forma abusiva. O uso de álcool e drogas também pode desencadear comportamentos agressivos, intensificando a violência psicológica.

Relacionado:  Pessoas tóxicas: 19 características e como tratar

Além disso, a falta de educação emocional e habilidades de comunicação pode contribuir para a violência psicológica, já que os agressores muitas vezes não sabem como expressar suas emoções de forma saudável. A falta de empatia e respeito pelo outro também é um fator importante, pois os agressores não conseguem reconhecer o impacto de suas palavras e ações na vítima.

É importante identificar as causas da violência psicológica para poder combatê-la de forma eficaz. A conscientização sobre esses fatores desencadeantes é essencial para ajudar as mulheres abusadas psicologicamente a romperem o ciclo de violência e buscarem ajuda para se recuperarem dos traumas causados por essa forma de abuso.

O impacto da violência psicológica na vida da vítima: reflexos e consequências devastadoras.

O impacto da violência psicológica na vida da vítima é profundo e duradouro. Mulheres que são abusadas psicologicamente enfrentam uma série de reflexos e consequências devastadoras em sua saúde mental e emocional.

Uma das principais consequências da violência psicológica é a baixa autoestima. As vítimas são constantemente desvalorizadas e humilhadas, o que faz com que comecem a acreditar nas palavras do agressor e a se sentir inferiores. Isso pode levar a problemas como depressão e ansiedade.

Além disso, a violência psicológica pode causar isolamento social. As vítimas muitas vezes se afastam de amigos e familiares, pois são manipuladas pelo agressor para acreditar que só têm ele como apoio. Isso pode resultar em solidão e falta de suporte emocional.

Outro reflexo comum da violência psicológica é a culpa. As vítimas muitas vezes se culpam pelo abuso que estão sofrendo, acreditando que merecem o tratamento que recebem. Isso pode levar a um ciclo de autodestruição e auto sabotagem.

É importante que as mulheres que estão passando por esse tipo de abuso busquem ajuda e apoio para que possam se recuperar e reconstruir suas vidas.

Mulheres abusadas psicologicamente: perfil e sintomas

As mulheres maltratadas psicologicamente muitas vezes mostram uma série de sinais que podem ser detectados por serviços profissionais ou sociais tomar as medidas necessárias. Esses sinais podem ajudá-lo a saber se você sofre algum tipo de abuso por seu parceiro.

Mulheres agredidas podem sofrer os sintomas da síndrome de estresse pós-traumático, que pode ocorrer tanto com violência física quanto psicológica. Embora não haja marcas no corpo que indiquem que uma mulher esteja sendo maltratada, há sintomas ou comportamentos que manifestam que essas mulheres sofrem de algum tipo de abuso psicológico.

Mulheres abusadas psicologicamente: perfil e sintomas 1

Outro aspecto a ser levado em consideração é que o abuso psicológico não ocorre apenas nos relacionamentos, mas também na amizade ou em outras áreas como o trabalho. No entanto, embora neste artigo eu vou focar no abuso psicológico contra mulheres em relacionamentos heterossexuais, há características que se repetem em outras circunstâncias em que a manipulação ocorre.

11 traços apresentados por mulheres abusadas psicologicamente por seus parceiros

1- Eles têm baixa auto-estima

Pessoas que sofrem algum tipo de abuso geralmente têm uma situação de baixa auto-estima.É um dos sinais mais claros que indicam que pode haver algum tipo de abuso psicológico no relacionamento.

O agressor usa o amor do próprio parceiro em seu benefício, estabelece uma dinâmica de controle e abuso, seja através de insultos, desprezo ou com outras técnicas de manipulação, que fazem com que a mulher desvalorize cada vez mais. Por exemplo, iluminação de gás.

Ao fazê-los acreditar que são superiores a eles, eles criam um vínculo de dependência. Quanto menos auto-estima, menos capazes eles se veem saindo desse relacionamento.

Uma investigação de 1999 de Sackett e Saunders publicada em Violence and Victims reconhece que os abusos físicos e psicológicos contribuem para a baixa auto-estima ou até para o desenvolvimento de depressão.

2- Eles se culpam

A manipulação e a baixa auto-estima derivada disso ajudam as mulheres agredidas a se sentirem culpadas pelas ações ou pelo modo de agir que o agressor tem.

Relacionado:  O que é bem-estar socioafetivo?

Eles tendem a justificar suas ações na frente dos outros, mesmo que o comportamento dessa pessoa seja claramente insignificante e injustificável.A culpa é comum em vítimas de algum tipo de violência.

Um estudo de Barnett e Martinez (1996) publicado no Journal of Interpersonal Violence mostra que as mulheres que sofreram algum tipo de abuso experimentam um sentimento maior de culpa do que aquelas que não sofreram nenhum tipo de violência.

Outro artigo de Cascardi e O’Leary publicado em 1992 no Journal of Family Violence afirma que se culpar é um dos sintomas da depressão.

3- Eles mostram um humor triste

A violência psicológica pode gerar uma depressão para a pessoa que a sofre, enquanto a situação de abuso permanece mais tarde.

Vários estudos confirmaram que a depressão é um dos efeitos mais comuns em mulheres que sofreram abuso.

4- No relacionamento com os outros, eles tendem a desconfiar

Desconfiança e insegurança podem denotar que essa mulher está sofrendo algum tipo de abuso, seja psíquico ou físico.

O medo desempenha um papel fundamental em situações de abuso.As mulheres que sofrem abuso psicológico temem represálias que seu parceiro possa ter com elas se não agirem como ele gostaria.

Além disso, uma das técnicas de manipulação mais comuns para controlar a vítima é o isolamento da vítima. A pessoa abusada sente-se cada vez mais sozinha e dependente do agressor. Portanto, ela também acha que ninguém pode ajudá-la.

5- Eles têm medo das reações de seus parceiros

A desconfiança de que falo na seção anterior tem a ver com algo muito comum em mulheres que sofrem abuso psicológico por seus parceiros, medo.

Eles acreditam que, se conseguirem se comportar como os agressores querem, algo praticamente impossível, garantirão que não reprimirão suas ações, não os desprezarão ou os insultarão. Para fazer isso, eles tentam agradá-los ou fazem todo o possível para evitar conflitos.

Por exemplo, se seu parceiro estiver com raiva ou insultando você porque você está namorando seus amigos, a mulher que sofre com essa manipulação deixará de namorar seus amigos antes de enfrentar ou abandonar esta situação.

6- Eles são submissos aos seus parceiros

Esse medo, como eu disse antes, os leva a se comportar como seus agressores querem.

Todas as suas ações estão destinadas a agradá-los e conceder-lhes as demandas que eles exigem em todos os momentos. A maioria das mulheres que sofrem abuso acredita que, ao se adaptarem a seus parceiros, conseguirão acabar com o conflito, criar uma situação de paz e finalmente ser felizes.

No entanto, essa submissão afeta ainda mais sua baixa auto-estima, degenerando em um estado de depressão. Ao se tornarem submissos, eles param de se comportar como são. Eles se transformam em outra pessoa, abandonando a personalidade que tinham antes de começar a sofrer esse abuso psicológico.

Valerie Nash Chang, em seu livro Acabei de me perder: abuso psicológico de mulheres no casamento , coleta os testemunhos de várias mulheres que sofreram abuso de seus parceiros durante o casamento. Há uma que chama minha atenção especialmente e que explica perfeitamente esse comportamento. É o seguinte fragmento:

«Penso que poderia ser a esposa que ele quer, mas quando tento fazê-lo perco-me tanto que fico deprimido. Se eu tentar me entender, ele diz que estou sendo egoísta e vai embora. Não importa o que eu faça, acabo deprimido. (Professor de 40 anos) ».

7- Ocultar informações de familiares e amigos

Outro dos sinais que podem ser observados em mulheres que sofrem de algum tipo de abuso psicológico é a informação que elas dizem sobre seu relacionamento.

Às vezes, aqueles que sofrem abuso psicológico não contam tudo o que acontece com eles.Isso pode ser por vários motivos:

– Eles temem que seus parceiros descubram o que estão falando e retaliam contra eles.

Relacionado:  Como deixar seu parceiro sem prejudicá-lo: 8 dicas

– Eles não confiam nos que os rodeiam, acreditam que aqueles que os escutam podem pensar que são loucos ou até contar ao agressor.

– Outra razão pela qual eles não contam todos os detalhes do que vivem pode ser uma vergonha.

7- Eles têm vergonha de si mesmos

Essa característica está intimamente relacionada ao sentimento de culpa.

Mulheres que sofreram violência de seus parceiros podem se sentir responsáveis ​​por permitir tais abusos. Algo que os faz sentir vergonha de si mesmos.

Carol A. Lambert, em seu livro Mulheres com Parceiros Controladores: Retirando sua vida de um parceiro manipulador ou abusivo , coleta algumas das características de mulheres que estão se recuperando de algum tipo de abuso por parte de seus parceiros. Entre eles, está o sentimento de vergonha.

Uma resposta que o autor descreve como normal quando algum tipo de dano é sofrido, mas que é superada quando se compreende que a única pessoa responsável pelo abuso é o agressor.

8- Eles são inseguros sobre suas ações

Vergonha, medo e desconfiança fazem essas mulheres se comportarem de maneira insegura.Eles têm medo das consequências que suas palavras ou ações podem ter.

Essa insegurança também se manifesta através da comunicação não-verbal. Por exemplo, se eles abaixam os olhos enquanto falam, diminuem o tom de voz ou parecem indescritíveis ou desejam terminar a conversa.

9- Eles relutam

Mulheres abusadas psicologicamente gradualmente se abandonam.Eles se concentram tanto em agradar a pessoa que os abusa, que se esquecem.

Eles geralmente não se consertam fisicamente, em muitas ocasiões, porque não se sentem bonitos com nada. Steven Stony aponta em um artigo da PsychologyToday alguns exemplos de manipulação que podem afetar essa relutância, intimamente relacionada à perda de auto-estima. Por exemplo, os agressores podem dizer frases como “não gaste muito em roupas, nada combina com você”.

Eles quase nunca sentem vontade de fazer coisas diferentes, como sair para beber com um grupo de amigos.

10- Eles estão sempre alertas

O medo de seus agressores os faz permanecer em um estado de vigilância constante.Chegam a pensar que seus agressores os controlam o tempo todo, e tendem a fugir de situações que sabem que não gostam deles.

Essa atenção tem a ver com a manipulação que os agressores exercem, por exemplo, através do telefone, mantendo-os localizados o tempo todo e reagindo furiosamente se não conseguirem entrar em contato com eles.

11- Eles tendem a estar estressados ​​e cansados

Essa situação de estar constantemente alerta, juntamente com outros fatores, como medo ou medir todas as ações para evitar que seu parceiro fique com raiva, gera estresse e ansiedade.

Eles podem sofrer de problemas de insônia como resultado dessa preocupação excessiva, que tem repercussões em outros sintomas físicos, como fadiga e um mal-estar geral.

Referências

  1. Barnett, O., Martinez, T. & Keyson, M .. (1 de junho de 1996). A relação entre violência, apoio social e auto-culpa em mulheres agredidas. Journal of Interpersonal Violence, 11, 221-233.
  2. Cascardi, M. & O’Leary, KD Sintomatologia depressiva, auto-estima e culpa em mulheres agredidas. Journal of Family Violence (1992) 7: 249. doi: 10.1007 / BF00994617
  3. Lambert, C .. (2016). Mulheres com parceiros controladores: recuperando sua vida de um parceiro manipulador ou abusivo. Oakland: Publicação nova dos Harbingers, Inc.
  4. Nash, V. (1996). Acabei de me perder: abuso psicológico de mulheres no casamento. Westport, Connecticut, Londres. Greenwood Publishing Group.
  5. Miller, DT e Porter, CA (1983). Auto-culpa em vítimas de violência. Jornal de Assuntos Sociais, 39 (2), 139-152. doi: 10.1111 / j.1540-4560.1983.tb00145.x
  6. Escritório de Saúde da Mulher, Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos EUA
  7. Sackett, L. & Saunders, D. (1999). O impacto de diferentes formas de abuso psicológico em mulheres agredidas. Violência e vítimas, 14, 105-117.

Deixe um comentário