Neurônios multipolares: tipos e funcionamento

Os neurônios multipolares são um dos principais tipos de neurônios encontrados no sistema nervoso central. Eles possuem múltiplos prolongamentos chamados dendritos, que recebem os sinais de outras células nervosas, e um único axônio, responsável por transmitir os sinais elétricos para outras células. Os neurônios multipolares desempenham um papel crucial na transmissão de informações no cérebro e na medula espinhal, sendo essenciais para funções como a aprendizagem, a memória e o controle motor. Neste artigo, exploraremos os diferentes tipos de neurônios multipolares e seu funcionamento no sistema nervoso.

Características dos neurônios multipolares: o que são e como funcionam no sistema nervoso.

Os neurônios multipolares são um tipo de neurônio que possui múltiplos prolongamentos chamados dendritos e um único axônio. Esses neurônios são os mais comuns no sistema nervoso e desempenham um papel fundamental na transmissão de sinais nervosos.

Esses neurônios são responsáveis por integrar e transmitir informações no sistema nervoso central. Eles recebem os impulsos nervosos através dos dendritos, que são estruturas ramificadas que se conectam com outros neurônios. Após a integração desses sinais, o neurônio multipolar gera um impulso elétrico que é transmitido ao longo do axônio até chegar às sinapses, onde a comunicação com outros neurônios ocorre.

Uma característica importante dos neurônios multipolares é a sua capacidade de transmitir sinais de forma rápida e eficiente. Isso se deve à presença de bainha de mielina no axônio, que ajuda a acelerar a transmissão dos impulsos nervosos. Além disso, a presença de múltiplos dendritos permite que esses neurônios recebam informações de várias fontes e realizem a integração desses sinais de forma complexa.

Sua estrutura complexa e sua capacidade de transmitir sinais de forma eficiente fazem deles elementos fundamentais para o funcionamento adequado do sistema nervoso.

Tipos de neurônios e suas funções: conheça as principais características e atuações dessas células.

Os neurônios são células fundamentais do sistema nervoso, responsáveis pela transmissão de informações e pela comunicação entre diferentes partes do corpo. Existem diversos tipos de neurônios, cada um com funções específicas que contribuem para o funcionamento adequado do organismo.

Um dos tipos mais comuns de neurônios é o neurônio multipolar, que se caracteriza por possuir múltiplos prolongamentos neuríticos. Esses prolongamentos, chamados dendritos, recebem estímulos de outras células e os transmitem até o corpo celular, onde são integrados e processados. Em seguida, o impulso nervoso é transmitido ao longo do axônio, que se ramifica para se comunicar com outros neurônios ou células do corpo.

Os neurônios multipolares desempenham um papel fundamental na transmissão de informações sensoriais e motoras no sistema nervoso. Eles estão presentes em diversas regiões do cérebro e da medula espinhal, contribuindo para funções como a percepção sensorial, o controle dos movimentos voluntários e a integração de informações complexas.

Relacionado:  Núcleo caudado: características, funções e distúrbios

Além disso, esses neurônios são essenciais para a formação de circuitos neurais e para a plasticidade cerebral, ou seja, a capacidade do cérebro de se adaptar e aprender novas informações. Portanto, os neurônios multipolares desempenham um papel crucial no funcionamento do sistema nervoso e na manutenção da homeostase do organismo.

Classificação funcional dos neurônios: uma análise sobre suas funções no sistema nervoso.

A classificação funcional dos neurônios é essencial para compreender as diferentes funções que desempenham no sistema nervoso. Os neurônios são classificados de acordo com o número de processos que se estendem do corpo celular, sendo os neurônios multipolares um dos tipos mais comuns.

Os neurônios multipolares possuem múltiplos dendritos e um único axônio, sendo encontrados em grande quantidade no cérebro e na medula espinhal. Eles desempenham um papel fundamental na transmissão de sinais elétricos e químicos entre os diferentes neurônios e células do sistema nervoso.

Esses neurônios são responsáveis por integrar as informações recebidas de diversas fontes e transmiti-las de forma coordenada para as células alvo. Eles desempenham um papel crucial na regulação do movimento, na percepção sensorial, na cognição e em outras funções cerebrais.

Seu papel é essencial para o correto funcionamento do organismo e para a manutenção da homeostase.

Características de um neurônio multipolar: o que define essa classificação específica?

Os neurônios multipolares são um tipo de neurônio com características específicas que os diferenciam de outros tipos de neurônios. O que define essa classificação específica é o fato de possuírem vários dendritos e um axônio que se ramifica em diversas direções.

Essa estrutura complexa permite aos neurônios multipolares receberem inputs de múltiplas fontes e transmitirem sinais para diferentes regiões do cérebro ou do corpo. Dessa forma, eles desempenham um papel fundamental na integração de informações e na transmissão de impulsos nervosos.

Além disso, os neurônios multipolares são os mais comuns no sistema nervoso humano, sendo encontrados principalmente no córtex cerebral e no sistema nervoso central. Sua morfologia complexa e sua capacidade de conexão com diversos outros neurônios os tornam essenciais para o funcionamento adequado do cérebro.

Essas características definem sua classificação específica e seu papel crucial no funcionamento do sistema nervoso.

Neurônios multipolares: tipos e funcionamento

Neurônios multipolares: tipos e funcionamento 1

Uma das classificações mais comuns de neurônios é aquela realizada de acordo com sua morfologia; mais particularmente, eles geralmente são divididos de acordo com o número de dendritos e axônios que seu corpo celular apresenta.

Neste artigo, descreveremos as características dos principais tipos de neurônios multipolares, muito mais comuns que os bipolares e pseudounipolares no sistema nervoso central dos seres humanos.

Características dos neurônios multipolares

Os neurônios multipolares são caracterizados principalmente por apresentar um único axônio juntamente com vários dendritos , extensões cuja função principal é a recepção de impulsos sinápticos. Esse tipo de neurônio é especializado na integração de informações de outras células nervosas.

Este tipo de neurônio é o mais numeroso no sistema nervoso central; sua quantidade é muito alta no córtex cerebral, na medula espinhal e nos gânglios (conjuntos de corpos celulares) do sistema nervoso autônomo. Tecnicamente, qualquer neurônio com um axônio e pelo menos dois dendritos é considerado um neurônio multipolar.

Como regra geral, os neurônios multipolares têm um soma com uma forma aproximadamente ovóide. Vários dendritos surgem desse corpo celular que se estende em todas as direções, formando galhos com aparência de emaranhados. Essas árvores dendríticas fazem com que o neurônio tenha uma área maior para receber estímulos nervosos.

Os axônios desse tipo de neurônio são geralmente muito longos, o que facilita a transmissão de impulsos ao longo do sistema nervoso central. Eles são freqüentemente cobertos por células de Schwann, um tipo de neuroglia que forma bainhas de mielina nesta parte do sistema nervoso; Esta substância permite que a transmissão neuronal seja eficiente e rápida.

Os neurónios multipolares pode ser dividido em dois sub-tipos: de classe A e classe B . As do tipo A têm árvores dendríticas ramificadas muito espessas e muitas espinhas dendríticas. Por outro lado, ambas as características são muito menos marcadas nos neurônios multipolares de classe B, que também possuem um soma maior.

Tipos de neurônio multipolar

A seguir, descreveremos três dos tipos mais relevantes e numerosos de neurônios multipolares no organismo humano: células Purkinje, piramidais e Dogiel. Cada um deles tem suas próprias peculiaridades, locais e funções.

1. Células Purkinje

As células de Purkinje estão localizadas no cerebelo, na parte posterior do cérebro, responsáveis ​​pela coordenação e supervisão dos movimentos. A aparência desses neurônios é muito característica devido à densidade de suas árvores dendríticas , o que explica o forte papel da recepção dos impulsos neurais que eles realizam.

2. Células piramidais

As células piramidais ou neurônios motores superiores se originam no córtex motor. Esse tipo de neurônio multipolar transmite potenciais de ação através do trato corticoespinhal para os neurônios motores inferiores da medula espinhal, que permitem o movimento quando sincronizam com as células musculares .

Relacionado:  Neurônios gigantes associados à consciência são descobertos

Além disso, as células piramidais estão fundamentalmente envolvidas na cognição. Essa função está associada às conexões entre os neurônios piramidais e o córtex pré-frontal do cérebro. Também foi levantada a hipótese de seu possível papel no reconhecimento visual de objetos.

3. Células Dogiel

As células de Dogiel são um tipo de neurônio multipolar localizado nos gânglios simpáticos pré-vertebrais. Eles fazem parte do sistema nervoso entérico, que regula o funcionamento do trato gastrointestinal.

Outras classes de neurônios

Os neurônios podem ser classificados de acordo com diferentes critérios. Por exemplo, se os dividimos de acordo com sua função, encontramos os neurônios sensoriais, motores e interneurônios ou neurônios de associação. Da mesma forma, encontramos os neurônios excitatórios, inibitórios e moduladores, se levarmos em conta o tipo de sinapse que eles realizam.

O termo “multipolar” está enquadrado na classificação dos tipos de neurônios de acordo com sua morfologia externa . Mais especificamente, dividindo os neurônios pelo número de extensões (isto é, dendritos e axônios), podemos distinguir entre os neurônios multipolares, bipolares, pseudounipolares, unipolares e anaxônicos.

1. Bipolar

O citoplasma dos neurônios bipolares tem duas extensões; um deles age como um dendrito, recebendo impulsos de outros neurônios, e o segundo desempenhando o papel de axônio, enviando-os. Eles atuam principalmente como neurônios sensoriais e estão localizados nos gânglios espinhais, no nervo vestibulococlear, na retina ou no epitélio olfativo.

2. Unipolar

Nesses neurônios, o axônio e os dendritos se originam de uma única extensão do corpo celular. Eles não existem no organismo humano, embora existam no de outros seres vivos.

  • Você pode estar interessado: ” Neurônios unipolares: características, localização e funções “

3. Pseudounipolar

Os neurônios pseudounipolares são um tipo de neurônio bipolar cujo axônio é dividido em dois pela formação de dendritos e axônio, de modo que eles parecem unipolares, embora não o sejam . Ao contrário dos verdadeiros neurônios unipolares, estes são encontrados no corpo humano.

4. Anaxônico

Dizemos que um neurônio é anaxônico quando não tem axônio ou quando não pode ser distinguido dos dendritos. Células desse tipo atuam principalmente como interneurônios.

Referências bibliográficas:

  • Heise, C. & Kayalioglu, G. (2009). Citoarquitetura da medula espinhal. Em Watson, C., Paxinos, G. e Kayalioglu, G. (Eds.), “A medula espinhal: um texto e um Atlas da Fundação Christopher e Dana Reeve”. San Diego: Elsevier.
  • Lima, D. & Coimbra, A. (1986). Um estudo de Golgi da população neuronal da zona marginal (lâmina I) da medula espinhal do rato. Journal of Comparative Neurology, 244 (1): 53-71.

Deixe um comentário