O que é hegemonia cultural ou cultura hegemônica?

A hegemonia cultural ou cultura hegemônica se refere à ação de transformar uma cultura dominante em relação aos outros. Essa cultura é considerada a única aceita em uma determinada sociedade.

Hegemonia é uma palavra que deriva do grego e significa “ser o guia”, “liderar” ou “ser o chefe”. Sua origem do verbo eghemoneno também é contemplada , cujo significado é “guia” ou “chumbo”.

O que é hegemonia cultural ou cultura hegemônica? 1

Desse verbo também deriva “governar” ou “estar na vanguarda”, que pode ser associado ao político e ao militar.

Este termo pode ser usado em diferentes situações. Por exemplo, um grupo de nações pode exercer hegemonia porque são importantes poderes econômicos, políticos ou militares.

O que ele consegue com isso é exercer essa influência sobre outros territórios. Quando se fala em hegemonia mundial, refere-se à dominação do mundo propiciada por uma nação.

Hegemonia cultural

Este termo foi desenvolvido por Antonio Gramsci, jornalista, escritor, filósofo, pedagogo e político do início do século XX. O objetivo era estudar as diferentes classes sociais e sua estrutura.

Gramsci sugeriu que os modelos de sociedade foram impostos por uma classe dominante; É uma hegemonia cultural poderosa ou rica.

Antonio Gramsci diferencia hegemonia do domínio. A primeira é descrita como uma expressão dominante, mas de um contexto social, cultural e político. Por seu lado, o domínio o expressa como algo restritivo em tempos de crise.

Atualmente, a hegemonia cultural estabelece um sistema de valores e crenças formais e estruturados. Constitui um conceito universal e um panorama de classes.

Hegemonia de um grupo social

A hegemonia de qualquer grupo social é a influência que gerou em outros grupos sociais. Através dessa hegemonia, um traço de poder, influência e hierarquia é adicionado.

Relacionado:  Cartum político: definição, história, características, exemplos

Quando Gramsci reitera a necessidade de criar uma hegemonia alternativa, ele entende que, com o progresso de diferentes sociedades, era inútil continuar com os mesmos tipos de luta.

A realidade de qualquer hegemonia é que, apesar de definida como dominante, não é exclusivamente.

A alternativa cultural ou política constitui um elemento importante na sociedade. Uma alternativa ou algo oposto pode até moldar um processo hegemônico.

A contracultura é um movimento cultural e social que se caracteriza por se opor aos valores ideológicos propostos pela sociedade.

Assim, a cultura alternativa, a contracultura ou a cultura de oposição estão ligadas ao hegemônico. Daí a amplitude da hegemonia cultural.

Pode-se dizer que a cultura que domina gera, e ao mesmo tempo limita, suas próprias características de contracultura.

Referências

  1. Wikipedia (2016). Hegemonia cultural 2017, do site Wikipedia.org: wikipedia.org
  2. Federico Polleri. (2014). A hegemonia cultural. 2017, a partir de gramasci.org.ar Site: gramascilogias.com
  3. Manuel Fernandez Cuesta. (2013). Gramsci e a nova hegemonia cultural. 2017, a partir de eldiario.es Site: eldiario.es
  4. Eugenio Enrique Cortés Ramírez. (2014). Por que a hegemonia como método? Na hegemonia cultural hoje (28). Pensamento Atual Universidade da Costa Rica

Deixe um comentário