Os 10 Temas de Romantismo Mais Frequentes

Os temas do romantismo são caracterizados pela reivindicação da liberdade do artista, pela exaltação de emoções e sentimentos (contra o raciocínio do período anterior) ou pela busca de imaginação e criatividade.

O romantismo é um movimento artístico e ideológico que começou na Alemanha no final do século XVIII e se estendeu até meados do século XIX. O termo “romantismo” é creditado ao poeta alemão Friedrich Schegel, que o usou para descrever literatura “que expressa sentimentos de uma maneira imaginativa”.

Os 10 Temas de Romantismo Mais Frequentes 1

«O caminhante no mar das nuvens» de Caspar Friedrich

Esse movimento surge como uma reação contra as ideologias conservacionistas e ortodoxas das sociedades européias.

O romantismo, como qualquer outro movimento artístico, rejeita os movimentos imediatos que o precederam, o neoclassicismo e o racionalismo francês, e apropria-se de elementos de outros períodos artísticos. Nesse sentido, artistas românticos procuravam imitar gregos e romanos.

Você também pode gostar desta lista de autores de romantismo .

Principais temas do romantismo

1 – Sentimentos e emoções

Sentimentos e emoções são os principais tópicos discutidos no romantismo, que têm precedência sobre a lógica e os fatos. É por isso que os produtos do romantismo são um reflexo das emoções íntimas do autor.

2 – Imaginação

A imaginação foi a faculdade mais preciosa durante o período romancista, que prevaleceu sobre a razão, uma vez que foi considerada a faculdade que permitia interpretar os símbolos que a natureza fornecia.

3 – Inocência e sabedoria da infância

A infância é vista como a idade de ouro, enquanto a maturidade é o estágio de decepção, traição e corrupção. Os românticos foram os primeiros a empregar crianças como “indivíduos”, idealizados como uma fonte de sabedoria proibida aos adultos.

Nos romances pertencentes a esse período, as crianças desempenham um papel importante, representando a inocência e que os autores românticos anseiam. Da mesma forma, as crianças refletem o estágio da vida que falta em “conflitos”, que é perdido quando cresce.

4 – Natureza

A natureza é um tópico de grande relevância no romantismo. Para artistas românticos, a natureza é uma fonte de beleza e, da mesma forma, é o meio pelo qual o “espírito” do universo se manifesta.

Nas representações artísticas desse período, a natureza adquiriu diferentes conotações: às vezes lhe foram atribuídos poderes de cura; Em outros casos, era uma fonte de inspiração e imagens.

Também poderia ser apresentado como um refúgio das construções artificiais da civilização, como a sociedade e a política. No entanto, o papel mais importante da natureza foi o de representar o humor do autor, um tópico sobre o qual ele se aprofundará no próximo ponto.

5 – Representação do eu através de elementos externos

O “eu” interno do artista é representado através dos elementos externos que o cercam. Nesse sentido, a natureza é frequentemente o espelho no qual o artista se reflete. Por exemplo, uma noite escura e chuvosa pode representar uma alma atormentada; enquanto um riacho com passarinhos esvoaçantes transmite uma sensação de paz e harmonia.

6 – Nostalgia

Esse movimento foi influenciado pela teoria da evolução e uniformidade, que afirmava que “o passado é a chave do presente”. Nesse sentido, as obras do romantismo refletem a nostalgia do passado ou do que não poderia ser.

Em vez de apreciar o aqui e agora, os artistas da época valorizam mais os elementos e valores perdidos, bem como as realidades alternativas que estão além de seu alcance.

Parte dessa nostalgia, pode-se observar no desejo de retornar às características da arte grega e romana.

Da mesma forma, os românticos perderam a sensibilidade da Idade Média e os elementos narrativos desse período; de fato, a palavra “romantismo” vem do termo “romance”, prosa medieval ou narração de verso que contava eventos heróicos.

7 – Rejeição de sistemas absolutistas

Artistas românticos rejeitaram sistemas absolutistas como religião, política e filosofia.

Essa rejeição foi o resultado da Revolução Francesa (1789), um movimento contra a aristocracia social e normas políticas. Em vez disso, eles argumentaram que cada indivíduo deveria criar um sistema de sua própria vida.

8 – Individualismo

No romantismo, o indivíduo importa mais que as sociedades. A consciência individual e, acima de tudo, a imaginação individual são temas de destaque na arte romântica. É por isso que as obras deste período estão repletas de cenas de introspecção, que favorecem o caráter individualista.

Curiosamente, muitos artistas se recusaram a exibir suas obras nos grandes salões acadêmicos, reivindicando sua própria arte na forma de manifestos e obras de arte que quebraram os cânones anteriores.

Da mesma forma, os artistas do período alegaram que as experiências pessoais e individuais os guiavam para o isolamento espiritual, um estado favorito para produzir uma obra.

9 – Beleza

Em termos gerais, o romantismo buscava refletir a beleza: por um lado, mostravam a beleza dos indivíduos através das emoções, pois a capacidade de sentir embeleza as pessoas; por outro lado, mostraram a beleza da natureza, usando-a como meio de expressar sentimentos.

10 – Elementos diários e exóticos

Os artistas desse período incluíam em suas obras elementos da vida cotidiana, como o folclore do país e personagens realistas, que usavam uma linguagem cheia de coloquialismos.

Ao mesmo tempo, elementos exóticos ou fantásticos que se opunham aos mencionados acima foram incluídos, dando origem a uma combinação paradoxal.

Da mesma forma, elementos góticos que inspiraram o terror foram incorporados. Exemplos disso são: “A lenda do cavaleiro sem cabeça”, de Washington Irving, “Frankenstein”, de Mary Shelly, e os contos dos irmãos Grimm.

Principais artistas do movimento romantismo

  • Na literatura : os irmãos Jakob e Wilhem Grimm se destacam, famosos por seus contos fantásticos; Johann Wolfgang Von Goethe, cujo romance “Las cuitas del joven Werther” é uma das maiores representações do romantismo; Mary Shelley, autora de Frankenstein; Victor Hugo, autor de “Los miserables”; e os poetas John Keats (britânico) e Gustavo Adolfo Bécquer (espanhol).
  • Na pintura: William Turner e John Constable.
  • Na música : Beethoven, Joseph Villegas, Franz Schubert, Franz Liszt, Felix Mendelssohn, Frédéric Chopin, Hector Berlioz, Richard Strauss, entre outros.

Referências

  1. Branco, Craig. Romantismo Recuperado em 14 de março de 2017, de: cursosite.uhcl.edu.
  2. Poesia Romântica Recuperado em 14 de março de 2017, de: crossref-it.into.
  3. Romantismo Recuperado em 14 de março de 2017, de: hawaii.edu.
  4. Características do romantismo. Retirado em 14 de março de 2017, de: readwritethink.org.
  5. Período Romântico (1796-1832) na literatura inglesa. Recuperado em 14 de março de 2017, de: ocw.nctu.edu.tw.
  6. Romantismo Recuperado em 14 de março de 2017, de: newworldencyclopedia.com.
  7. Características da literatura romântica. Recuperado em 14 de março de 2017, de: sturgeonenglish.com.

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies