Óxido de mercúrio (Hg2O): estrutura, propriedades, usos

O óxido de mercúrio (Hg2O) é um composto químico formado pela combinação de mercúrio e oxigênio. Apresenta-se na forma de um sólido vermelho brilhante, insolúvel em água e solúvel em ácidos. Sua estrutura cristalina é do tipo romboédrica e é conhecido por ser um composto tóxico, podendo causar danos à saúde se inalado ou ingerido.

Em relação às propriedades, o óxido de mercúrio é utilizado em termômetros, barômetros e manômetros devido à sua alta densidade e baixo ponto de congelamento. Além disso, é empregado na fabricação de pilhas e baterias, assim como em processos industriais de galvanização e produção de outros compostos de mercúrio.

No entanto, devido à sua toxicidade, o uso do óxido de mercúrio tem sido cada vez mais regulamentado e substituído por alternativas mais seguras. Seu descarte deve ser feito de forma adequada para evitar danos ambientais e à saúde humana.

Qual a utilidade do óxido de mercúrio?

O óxido de mercúrio (Hg2O) é uma substância de extrema importância devido às suas diversas aplicações em diferentes áreas. Sua estrutura molecular consiste em dois átomos de mercúrio ligados a um átomo de oxigênio, formando um composto sólido de cor vermelha.

Uma das principais propriedades do óxido de mercúrio é a sua capacidade de se decompor em mercúrio metálico e oxigênio quando aquecido, sendo utilizado em termômetros de mercúrio. Além disso, é empregado em processos de síntese química, na fabricação de espelhos e em medicamentos, como o mercúrio cromo amarelo, utilizado em tratamentos dermatológicos.

Os usos do óxido de mercúrio são variados e sua versatilidade o torna um composto químico bastante valorizado em diversas indústrias. Sua ação antisséptica e antimicrobiana também o torna útil em formulações farmacêuticas e em produtos de higiene pessoal, como cremes e pomadas.

Passo a passo para a produção de óxido de mercúrio em laboratório.

Para produzir óxido de mercúrio em laboratório, siga os seguintes passos:

1. Em um béquer, adicione uma pequena quantidade de mercúrio (Hg).

2. Em seguida, adicione ácido nítrico (HNO3) ao mercúrio e aqueça a mistura em um banho-maria.

3. A reação entre o mercúrio e o ácido nítrico irá resultar na formação de nitrato de mercúrio.

4. Continue aquecendo a mistura até que todo o ácido nítrico evapore e reste apenas o nitrato de mercúrio sólido.

Relacionado:  Permanganato de sódio (NaMnO4): propriedades, riscos

5. Por fim, aqueça o nitrato de mercúrio até a decomposição completa, formando o óxido de mercúrio (Hg2O).

O óxido de mercúrio é um composto sólido de cor vermelha, que possui propriedades químicas interessantes. Ele é conhecido por sua toxicidade e deve ser manuseado com cuidado.

Óxido de mercúrio (Hg2O): estrutura, propriedades, usos

O óxido de mercúrio possui uma estrutura cristalina e é insolúvel em água. Ele é utilizado em alguns processos industriais, como na fabricação de alguns tipos de pilhas e baterias. Além disso, o óxido de mercúrio também é utilizado em laboratórios para algumas reações químicas específicas.

Óxido de mercúrio (Hg2O): estrutura, propriedades, usos

O óxido de mercúrio (I), ou óxido de ferro, cuja fórmula química é representado como Hg 2 O, é um composto, em fase sólida, considerado como tóxico e instáveis sob o ponto de vista químico, tornando-se o mercúrio sob a forma elementar e óxido de mercúrio (II).

Existem apenas duas espécies químicas que o mercúrio pode formar quando combinado com o oxigênio, porque esse metal possui apenas dois estados de oxidação (Hg + e Hg 2+ ): óxido de mercúrio (I) e óxido de mercúrio (II). O óxido de mercúrio (II) está em um estado de agregação sólida, sendo obtido em duas formas cristalinas relativamente estáveis.

Óxido de mercúrio (Hg2O): estrutura, propriedades, usos 1

Este composto também é conhecido simplesmente como óxido de mercúrio, portanto somente esta espécie será tratada daqui em diante. Uma reação muito comum que ocorre com esta substância é que, quando submetida a aquecimento, ocorre decomposição, produzindo mercúrio e gás oxigênio em um processo endotérmico.

Estrutura quimica

Sob condições de pressão atmosférica, esta espécie apresenta duas formas cristalinas únicas: uma chamada cinábrio e outra conhecida como montrodita, que é muito raramente encontrada. Ambas as formas se tornam tetragonais acima da pressão de 10 GPa.

A estrutura cinábrica é baseada em células hexagonais primitivas (hP6) com simetria trigonal, cujo eixo helicoidal é orientado para a esquerda (P3 2 21); por outro lado, a estrutura do montrodito é ortorrômbica, baseada em uma grade primitiva que forma planos deslizantes perpendiculares aos três eixos (Pnma).

Por outro lado, duas formas de óxido de mercúrio podem ser distinguidas visualmente, porque uma é vermelha e a outra amarela. Essa distinção de cores é produzida graças às dimensões da partícula, porque as duas formas têm a mesma estrutura.

Para produzir a forma vermelha de óxido de mercúrio, o aquecimento do mercúrio metálico pode ser usado na presença de oxigênio a uma temperatura em torno de 350 ° C, ou o processo de pirólise do nitrato de mercúrio (II) (Hg (NO 3 ) 2 ).

Da mesma forma, para produzir a forma amarela deste óxido, pode-se recorrer à precipitação do íon Hg 2+ na forma aquosa com uma base.

Propriedades

– Possui um ponto de fusão de aproximadamente 500 ° C (equivalente a 773 K), acima do qual sofre decomposição, e uma massa molar ou peso molecular de 216,59 g / mol.

– Está em um estado de agregação sólida em diferentes cores: laranja, vermelho ou amarelo, de acordo com o grau de dispersão.

– É um óxido de natureza inorgânica, cuja proporção de oxigênio é de 1: 1, o que a torna uma espécie binária.

– É considerado insolúvel em amônia, acetona, éter e álcool, além de outros solventes orgânicos.

– Sua solubilidade em água é muito baixa, sendo aproximadamente 0,0053 g / 100 ml na temperatura padrão (25 ° C) e aumentando com o aumento da temperatura.

– É considerado solúvel na maioria dos ácidos; no entanto, a forma amarela mostra maior reatividade e maior capacidade de dissolução.

– Quando o óxido de mercúrio é exposto ao ar, ele sofre decomposição, enquanto sua forma vermelha o faz quando exposto a fontes de luz.

– Quando sujeito a aquecimento à temperatura em que se decompõe, libera gases de mercúrio de alta toxicidade.

– Somente quando aquecido a 300-350 ° C, o mercúrio pode ser combinado com oxigênio a uma taxa econômica.

Usos

É usado como precursor na obtenção de mercúrio elementar, pois sofre processos de decomposição com bastante facilidade; por sua vez, quando em decomposição produz oxigênio em sua forma gasosa.

Da mesma forma, esse óxido de natureza inorgânica é usado como titulante ou agente de titulação do tipo padrão para espécies aniônicas, porque é gerado um composto que tem maior estabilidade que sua forma inicial.

Nesse sentido, o óxido de mercúrio experimenta dissolução quando está em soluções concentradas de espécies básicas, produzindo compostos chamados hidroxocomplexos.

Relacionado:  Sulfato de potássio (K2SO4): propriedades, riscos e usos

Esses compostos são complexos com estrutura M x (OH) y , onde M representa um átomo de metal e os subscritos xyy representam o número de vezes que espécies são encontradas na molécula. Eles são de enorme utilidade em investigações químicas.

Além disso, o óxido de mercúrio (II) pode ser usado em laboratórios para a produção de diferentes sais metálicos; por exemplo, acetato de mercúrio (II), usado em processos de síntese orgânica.

Este composto também é usado, quando misturado com grafite, como material para o eletrodo catódico na produção de baterias de mercúrio e células do tipo elétrico de mercúrio e óxido de zinco.

Riscos

– Esta substância, que manifesta características básicas de maneira muito fraca, é um reagente muito útil para diversas aplicações, como as mencionadas anteriormente, mas ao mesmo tempo apresenta riscos importantes para o ser humano quando exposto a ela.

– O óxido de mercúrio possui uma alta toxicidade, podendo ser absorvido pelo trato respiratório, pois emite gases irritantes quando está na forma de aerossol, além de ser extremamente tóxico se for ingerido ou se for absorvido pela pele quando entrar em contato. Direto com este.

– Este composto causa irritação nos olhos e pode causar danos aos rins que posteriormente levam a problemas de insuficiência renal.

– Quando consumido de uma maneira ou de outra por espécies aquáticas, esse produto químico se acumula neles e afeta o corpo dos seres humanos que os consomem regularmente.

– O aquecimento do óxido de mercúrio causa vapores de mercúrio que apresentam alta toxicidade, além do oxigênio gasoso, aumentando o risco de inflamabilidade; isto é, produzir incêndios e melhorar a combustão nestes.

– Esse óxido inorgânico possui um poderoso comportamento oxidante, produz reações violentas quando entra em contato com agentes redutores e certas substâncias químicas, como cloreto de enxofre (Cl 2 S 2 ), peróxido de hidrogênio (H 2 O 2 ), cloro e magnésio (somente quando aquecido).

Referências

  1. Wikipedia (sf). Óxido de mercúrio (II). Recuperado de en.wikipedia.org
  2. Chang, R. (2007). Química, nona edição. México: McGraw-Hill.
  3. Britannica, E. (sf). Mercúrio Obtido em britannica.com
  4. PubChem (sf). Óxido Mercúrico Recuperado de pubchem.ncbi.nlm.nih.gov
  5. Dirkse, TP (2016). Cobre, prata, ouro e zinco, cádmio, óxidos de mercúrio e hidróxidos. Obtido em books.google.co.ve

Deixe um comentário