Países do terceiro mundo: características e exemplos

Os países do terceiro mundo, também conhecidos como países em desenvolvimento, são nações que possuem características socioeconômicas e políticas que os colocam em uma posição de desvantagem em relação aos países desenvolvidos. Essas nações enfrentam desafios como pobreza, desigualdade social, instabilidade política, falta de acesso a serviços básicos e baixo desenvolvimento econômico.

Alguns exemplos de países do terceiro mundo incluem países da África Subsaariana, América Latina, Ásia e Oriente Médio, como Nigéria, Haiti, Afeganistão, Bangladesh e muitos outros. Esses países frequentemente dependem de ajuda externa e enfrentam dificuldades para alcançar um desenvolvimento sustentável e uma melhoria na qualidade de vida de suas populações.

Características principais dos países do Terceiro Mundo em destaque.

Os países do Terceiro Mundo são caracterizados por uma série de elementos que os distinguem dos países desenvolvidos. Uma das principais características é o baixo índice de desenvolvimento humano, que se reflete em indicadores como baixa expectativa de vida, alta taxa de mortalidade infantil e baixo acesso à educação e saúde de qualidade. Além disso, esses países costumam apresentar altos níveis de pobreza e desigualdade social, com grande parte da população vivendo abaixo da linha da pobreza.

Outra característica marcante dos países do Terceiro Mundo é a dependência econômica de países mais desenvolvidos, seja por meio de empréstimos internacionais ou pela exportação de matérias-primas a preços baixos. Essa relação desigual muitas vezes contribui para a manutenção do subdesenvolvimento e a perpetuação do ciclo de pobreza.

Além disso, os países do Terceiro Mundo costumam enfrentar desafios relacionados à instabilidade política, corrupção, falta de infraestrutura e de serviços básicos, como água potável e saneamento. Esses fatores dificultam o desenvolvimento sustentável e a melhoria da qualidade de vida da população.

Alguns exemplos de países do Terceiro Mundo incluem Moçambique, Haiti, Guiné-Bissau e Madagascár. Essas nações enfrentam inúmeros desafios em diferentes áreas e buscam formas de superar as adversidades para alcançar um desenvolvimento mais equitativo e sustentável.

Qual foi a definição de país de Terceiro Mundo ao longo da história moderna?

A definição de país de Terceiro Mundo ao longo da história moderna tem evoluído ao longo do tempo. Inicialmente, o termo surgiu durante a Guerra Fria para descrever os países que não se alinhavam nem com o bloco capitalista liderado pelos Estados Unidos, nem com o bloco comunista liderado pela União Soviética. Esses países eram frequentemente caracterizados por sua economia subdesenvolvida, baixo Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) e altos níveis de pobreza.

Ao longo dos anos, o conceito de Terceiro Mundo foi se expandindo para incluir não apenas aspectos políticos e econômicos, mas também sociais e culturais. Países do Terceiro Mundo passaram a ser vistos como nações em desenvolvimento, enfrentando desafios como falta de acesso a serviços básicos, desigualdade social e instabilidade política.

Hoje em dia, o termo “país de Terceiro Mundo” é menos utilizado, sendo substituído por expressões como “país em desenvolvimento” ou “país emergente”. No entanto, as características que definem esses países ainda são as mesmas: economia frágil, altos níveis de pobreza, baixo acesso a serviços básicos, entre outros.

Alguns exemplos de países do Terceiro Mundo incluem Haiti, Afeganistão, Sudão e Madagáscar. Essas nações enfrentam desafios significativos em termos de desenvolvimento humano e econômico, mas estão trabalhando para superar essas dificuldades e melhorar a qualidade de vida de seus cidadãos.

Explorando os três mundos: físico, mental e espiritual em uma jornada reveladora.

Explorar os três mundos – físico, mental e espiritual – pode ser uma jornada profundamente reveladora e transformadora. Cada um desses mundos possui suas próprias características distintas e impacta diretamente nossa experiência de vida.

No mundo físico, estamos conectados ao nosso corpo e ao ambiente ao nosso redor. É onde experimentamos sensações, emoções e interações tangíveis. Cuidar da nossa saúde física e bem-estar é fundamental para uma vida equilibrada. Exemplos de práticas que podem nos ajudar a explorar esse mundo incluem exercícios físicos, alimentação saudável e contato com a natureza.

O mundo mental é onde habitam nossos pensamentos, crenças e padrões de comportamento. É importante cultivar uma mente saudável e positiva, buscando o autoconhecimento e a autotransformação. Práticas como meditação, leitura e terapia podem nos ajudar a expandir nossa consciência e compreender melhor a nós mesmos e ao mundo ao nosso redor.

Relacionado:  5 Alfândegas da Região Orinoquía (Colômbia)

Já o mundo espiritual nos conecta com algo maior do que nós mesmos, seja através da religião, da meditação, da arte ou de outras práticas espirituais. Explorar nossa espiritualidade pode nos trazer uma sensação de propósito e significado, além de nos ajudar a lidar com desafios e incertezas da vida.

Portanto, ao explorar os três mundos – físico, mental e espiritual – podemos nos abrir para novas perspectivas, descobertas e transformações. É uma jornada que nos convida a nos conhecermos mais profundamente e a vivermos de forma mais plena e autêntica.

Diferenças entre países capitalistas de primeiro e Terceiro Mundo: características distintas em destaque.

Os países do terceiro mundo são caracterizados por uma série de diferenças em relação aos países capitalistas de primeiro mundo. Uma das principais diferenças está na distribuição de renda, onde nos países de primeiro mundo a desigualdade costuma ser menor, enquanto nos países do terceiro mundo a desigualdade é mais acentuada. Além disso, nos países do terceiro mundo, a pobreza e a falta de acesso a serviços básicos como saúde e educação são mais comuns.

Outra diferença marcante é a infraestrutura, nos países de primeiro mundo a infraestrutura costuma ser mais desenvolvida, com melhores estradas, transportes públicos e serviços de comunicação. Já nos países do terceiro mundo, a infraestrutura pode ser precária e inadequada, dificultando o desenvolvimento econômico e social.

Além disso, nos países do terceiro mundo, a corrupção e a instabilidade política podem ser mais prevalentes, o que impacta negativamente o desenvolvimento econômico e social. Por outro lado, nos países de primeiro mundo, a estabilidade política e institucional costuma ser maior, contribuindo para um ambiente mais favorável aos negócios e ao investimento.

Em resumo, as diferenças entre países capitalistas de primeiro e terceiro mundo são evidentes em diversos aspectos, desde a distribuição de renda até a infraestrutura e estabilidade política. Essas diferenças refletem as disparidades existentes entre os países desenvolvidos e em desenvolvimento, destacando a necessidade de políticas e ações que promovam o desenvolvimento sustentável e a redução das desigualdades.

Países do terceiro mundo: características e exemplos

Entre os principais países do terceiro mundo ou terceiro mundo , destacam-se Madagascar, Togo, Etiópia, Haiti, Iêmen, Camboja, Afeganistão, Panamá, Costa Rica, Venezuela, Paraguai, Colômbia e Argélia, entre outros.

Atualmente, é menos frequente o uso de termos países do terceiro mundo ou países do terceiro mundo, que por muitos anos foram usados ​​para se referir a países subdesenvolvidos ou em desenvolvimento e que posteriormente se tornaram depreciativos.

Países do terceiro mundo: características e exemplos 1

Nos países do terceiro mundo, as taxas de pobreza são altas. Fonte: pixabay.com

O termo “terceiro mundo” surgiu para denominar nações que não haviam desenvolvido economicamente o sistema capitalista (primeiro mundo) nem eram parte dos países sob sistema comunista que formaram a União Soviética (segundo mundo).

Quando o último desapareceu, o termo começou a ser inadequado, mas a história recente de cada país nos obrigou a repensar quais nações eram consideradas dentro ou fora desse grupo, com base nas características que os países de cada categoria deveriam ter.

Dizem que o primeiro a usar essa denominação foi o sociólogo francês Alfred Sauvy em uma publicação na revista L’Observateur em 1952, intitulada “Três mundos, um planeta”. Lá ele se localizou nos países do terceiro mundo da Ásia, África e América Latina, referindo-se ao terceiro Estado da Revolução Francesa.

Coincidiu então que os países localizados ao sul do planeta tinham condições políticas e econômicas muito semelhantes, de modo que o termo poderia se referir tanto à localização geográfica quanto à geopolítica ou a níveis de desenvolvimento econômico.

Portanto, é cada vez mais difícil localizar um país como um terceiro mundo, pois as condições de cada um mudaram, dificultando agrupá-los em uma única categoria; no entanto, ainda estão sendo feitas tentativas para enumerar e delimitar as características que eles devem ter.

Caracteristicas

Países do terceiro mundo: características e exemplos 2

A importância do termo é seu objetivo final: os países dessa categoria recebem apoio de todos os tipos de outros países. A política internacional atual procura criar estratégias para reduzir a desigualdade, concentrando-se nos países considerados de terceiro mundo.

Abaixo detalhamos as características mais destacadas dos países que pertencem a essa categoria:

Pouco avanço tecnológico

Nos países do terceiro mundo, os poucos avanços tecnológicos existentes são geralmente introduzidos por empresas estrangeiras ou outros países que possuem atividades econômicas.

Somente pessoas relacionadas a essas atividades têm acesso à tecnologia, enquanto a maioria da população não a conhece completamente.

Isso não se refere apenas à tecnologia da comunicação, mas também à tecnologia em todas as áreas da vida, como transporte, infraestrutura, saúde, serviços básicos e educação, entre outras, que afetam diretamente a qualidade de vida de seus habitantes.

Baixo nível de industrialização

Como conseqüência do pouco avanço tecnológico e dos baixos níveis educacionais, pode-se dizer que a chamada Revolução Industrial dificilmente passou por esses países.

Seus sistemas de produção permanecem precários e ineficientes, tanto no campo tecnológico quanto em termos de processos ou técnicas. Isso geralmente causa desperdício, uso indevido ou baixa produtividade dos recursos naturais que esses países possuem.

Economia dependente da exportação de produtos agrícolas e matérias-primas

Como seus processos de produção são bastante obsoletos e a pouca tecnologia neles geralmente é de agentes externos (empresas estrangeiras e outros países), sua economia é baseada principalmente em produtos primários, porque eles não têm o conhecimento ou os métodos necessários para processá-los.

O valor desses produtos primários é decidido pelo mercado das grandes empresas que os compram e os países que os produzem podem falar pouco sobre eles. Isso os torna economicamente dependentes desses agentes, que, por sua vez, são os que geralmente investem nessa produção.

Aumento da dívida externa

Uma das características determinantes desses países é geralmente a dívida externa, considerada um círculo vicioso do qual muito poucos podem sair.

Ao confiar em outros países ou empresas estrangeiras, tanto para investimento quanto para negociação ou troca de seus produtos, elas são prejudicadas em quase todos os seus acordos.

Eles precisam tomar emprestado para obter a tecnologia e o conhecimento necessários para suas atividades produtivas, mas após implementá-los, eles não recebem o suficiente para que seus produtos cubram o investimento feito; É por isso que sua dívida aumenta todos os dias e seu produto interno bruto diminui proporcionalmente.

Crescimento populacional considerável

Geralmente nesses países, há um crescimento populacional desatualizado, o que, por sua vez, leva a uma alta taxa de mortalidade infantil.

Para controlar isso, foram criadas políticas que buscam reduzir a taxa de natalidade, desde a distribuição de métodos contraceptivos gratuitos até a imposição de sanções para quem tem mais filhos do que os legalmente permitidos.

A razão para interromper o aumento das taxas de natalidade nesses países é que, como há mais população, os recursos que são escassos devem ser distribuídos entre mais pessoas, correspondendo menos a cada um. Quando há mais pessoas do que recursos disponíveis, fala-se de superpopulação, uma característica comum no terceiro mundo.

Instabilidade política

Historicamente, até recentemente, países do terceiro mundo costumavam ser colônias de outros países. As nações que os colonizaram estabeleceram fronteiras e diferenças políticas entre eles, causando conflitos que ainda existem hoje.

Nesse tipo de país, a ditadura é normal e a democracia, escassa; golpes, corrupção, conflitos armados, violência e rebeliões ou guerras civis são muito comuns por razões que vão do religioso ao econômico. Isso aumenta a má situação desses países e dificulta sua superação econômica.

Deficiência nos sistemas de saúde e educação

Baixos níveis econômicos e superpopulação dificultam a existência de um sistema ótimo de saúde e educação para todos os habitantes.

Isso traz como conseqüência que em muitos desses países existem doenças praticamente extintas em outros, que as taxas de analfabetismo são tão altas e que o acesso à educação é muito baixo.

As epidemias são bastante frequentes nos países do terceiro mundo, tanto pela falta de suprimentos médicos (como vacinas e antibióticos, entre outros) quanto pela falta de sistemas que disponibilizem os poucos suprimentos em todo o país.

Baixos padrões de qualidade de vida

Além dos problemas políticos, tecnológicos, econômicos, de saúde e educação, a qualidade de vida das pessoas que vivem em um país do terceiro mundo é severamente afetada pela quase inexistência de direitos trabalhistas.

Como resultado da globalização, as grandes empresas transnacionais transferem parte de seu processo produtivo para esses países por causa da mão-de-obra barata (principalmente não qualificada), que inclui trabalho infantil e exploração do trabalho, que costuma ser considerada escravidão.

Relacionado:  Comida típica de Medellín: os 5 pratos típicos mais populares

Também está incluído neste recurso o acesso nulo ou pouco aos recursos necessários, como água potável, alimentos, eletricidade e informações, entre outros, devido à falta de sistemas de distribuição adequados ou à poluição ou mudança climática que os afetou.

Tudo isso aumenta a taxa de mortalidade todos os dias e diminui a expectativa de vida de sua população.

Elevada taxa de pobreza

Outra das principais características dos países do terceiro mundo são os altos níveis de pobreza, cujas causas são consideradas externas e internas.

Diferentes organizações internacionais e não-governamentais tentam implementar ações para reduzir esses níveis, mas a desigualdade nesses países permanece abismal.

Uma pequena parte da população concentra quase todo o poder econômico e político, constituindo a elite ou a classe alta, enquanto o restante vive em condições de vida precárias que são consideradas extrema pobreza ou pobreza (ou seja, baixa classe social). É por isso que a ausência de uma classe de mídia social é comum.

O produto interno bruto (PIB) ou a renda per capita desses países é geralmente o mais baixo do mundo e geralmente está em declínio.

Exemplos

-Unlist

Os termos “países do terceiro mundo” ou “países do terceiro mundo” foram substituídos por países em desenvolvimento, em desenvolvimento ou subdesenvolvidos, que cumprem as características mencionadas em maior ou menor grau sem serem devidos a um desastre natural inevitável, mas a razões históricas (sociais, políticas ou econômicas) delas.

Com a medição do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), a Organização das Nações Unidas (ONU) leva em consideração como países subdesenvolvidos aqueles com as taxas mais baixas.

Para essa medida, considera-se a expectativa de vida ao nascer, a taxa de alfabetização de adultos, as taxas de matrícula em três níveis de educação e o PIB per capita de cada país. A ONU designou como países menos desenvolvidos o seguinte:

África

Angola.

– Burkina faso.

Benin.

Burundi.

– Comores.

Chad.

Etiópia.

Eritreia.

Guiné.

Gâmbia.

– Guiné-Bissau.

Libéria.

– Lesoto

Madagáscar.

Mali.

– Malawi

– Mauritânia.

– Nigéria

Moçambique.

– República Unida da Tanzânia.

– República Democrática do Congo,

– São Tomé e Príncipe.

Ruanda.

– República Centro-Africano.

– Senegal

Somália.

– Serra Leoa.

Sudão.

– Sudão do Sul.

– Uganda

– Zâmbia.

– Ir.

Djibuti.

América

– Haiti

Ásia e Oceania

– Bangladesh

– Afeganistão

Butão.

Birmânia.

Kiribati.

Camboja.

Iêmen.

– Ilhas Salomão.

– República Democrática Popular do Laos.

– Nepal

– Timor Leste.

Vanuatu.

Tuvalu.

-Outros países considerados terceiro mundo

África

Gabão.

Argélia.

América

Belize.

– Costa Rica.

Colômbia.

Cuba.

– O salvador.

– Equador.

Nicarágua.

Venezuela.

– Paraguai.

– Panamá

– Peru

– Uruguai

– República Dominicana.

Ásia e Oceania

Mongólia.

– Arábia Saudita.

– Iraque

– Síria

– Irã.

Referências

  1. «Terceiro mundo» (sd) na história do século XX. Recuperado em 19 de maio de 2019 da História do século XX: historiasiglo20.org
  2. «Terceiro Mundo» (nd) no EcuRed. Recuperado em 19 de maio de 2019 de EcuRed: ecured.cu
  3. Viller Pintado, A. «O Terceiro Mundo: características e causas» (novembro de 2013) em iHistoriArte. Recuperado em 19 de maio de 2019 de iHistoriArte: ihistoriarte.com
  4. “O velho conceito de ‘Terceiro Mundo’ está desatualizado, diz Zoellick” (abril de 2010) no Banco Mundial. Recuperado em 19 de maio de 2019 do Banco Mundial: bancomundial.org
  5. Montoya, J. «Países subdesenvolvidos: conceito, características e lista de exemplos» (s) em Atividades Econômicas. Retirado em 19 de maio de 2019 de Atividades econômicas: actividadeseconomicas.org
  6. «Lista dos países menos desenvolvidos» (dezembro de 2018) nas Nações Unidas. Retirado em 19 de maio de 2019 das Nações Unidas: un.org
  7. “Países subdesenvolvidos. Lista completa ”(fevereiro de 2018) em Finanças. Recuperado em 19 de maio de 2019 de De Finanzas: definanzas.com
  8. “O que é o Índice de Desenvolvimento Humano – IDH e o que ele mede?” (Sf) no Ministério da Economia e Finanças do Peru. Recuperado em 19 de maio de 2019 do Ministério da Economia e Finanças do Peru: mef.gob.pe

Deixe um comentário