Quais foram os Tratados da Holanda e Wisconsin?

Os Tratados de Neerlandia e Wisconsin foram dois acordos de paz que encerraram a Guerra dos Mil Dias na Colômbia. Esse conflito, que enfrentou liberais e conservadores, durou três anos e terminou com a vitória deste em 1902.

A guerra começou em outubro de 1899, motivada por uma série de eventos políticos, como a promulgação da constituição centralista de 1886 ou as acusações de liberais sobre a limpeza das eleições. Assim, após algumas tentativas anteriores de insurreição, o conflito eclodiu quando os liberais atacaram Bucaramanga.

Quais foram os Tratados da Holanda e Wisconsin? 1

Encouraçado americano Wisconsin, onde o Tratado de mesmo nome foi assinado – Fonte: http://www.greatwhitefleet.info sob os termos da licença de documentação gratuita GNU

A guerra foi dividida em várias frentes. No centro da Colômbia, os liberais liderados por Uribe Uribe foram superados pelos conservadores. Por esse motivo, começaram as negociações de paz que culminaram na assinatura do Tratado da Holanda em 24 de outubro de 1902.

Por outro lado, os liberais tinham uma posição melhor no Panamá, depois no território colombiano. A intervenção dos EUA, no entanto, os forçou a negociar outro acordo, o Tratado de Wisconsin, assinado em 21 de novembro de 1902.

Guerra dos Mil Dias

A Guerra dos Mil Dias, também chamada de três anos, foi um conflito civil que ocorreu na Colômbia de 17 de outubro de 1899 a 21 de novembro de 1902.

Antes do início da guerra, o país passava por um estágio de grande instabilidade política. Os nacionalistas estavam no governo, uma facção dos conservadores. Era um grupo que havia excluído totalmente o Partido Liberal, um dos mais importantes do país.

Além disso, havia os chamados conservadores históricos, menos beligerantes com os liberais.

Causas do conflito

Segundo os historiadores, a guerra civil de três anos foi causada pelos conflitos que arrastaram o país desde o momento da independência. Entre eles, as difíceis relações entre liberais e conservadores, relações com a Igreja, problemas econômicos ou processos eleitorais suspeitos.

Dentro deste último fator, o eleitoral, a votação de 1885 supôs outro elemento de tensão. Os conservadores conquistaram a vitória, mas os liberais não aceitaram os resultados, considerando que havia fraude.

Isso foi agravado quando o governo aprovou a Constituição de 1886, de natureza centralista e que substituiu a de Rionegro, federalista.

Finalmente, os liberais se levantaram em armas. A primeira batalha ocorreu em Bucaramanga, em novembro de 1899. Um mês depois, eles conseguiram derrotar os conservadores de Peralonso, na que é considerada a maior vitória liberal do conflito.

Após essa vitória, o conflito se espalhou por todo o território, incluindo o Panamá, depois sob soberania colombiana.

Fim da guerra

Como observado, o conflito levou à guerra de guerrilhas, com tropas mal treinadas, mas muito violentas. Sua atuação foi especialmente em áreas rurais.

Os conservadores, apesar de sua superioridade militar, não foram capazes de controlar essas áreas rurais. Embora estivessem vencendo a guerra, ofereceram um acordo em 12 de junho de 1902.

A isto devemos acrescentar a delicada situação do mais importante líder liberal no centro do país, Rafael Uribe Uribe. Depois de não conseguir atingir seus objetivos, ele começou a ser interrogado ao seu lado. Finalmente, ele concordou em começar a negociar com os conservadores.

Holanda e Wisconsin

Embora no Panamá as tropas liberais de Benjamín Herrera avançassem, no centro do país a situação era oposta.

Por essa razão, Uribe Uribe começou a negociar com os conservadores. Apesar disso, ele ainda tentou lançar uma última ofensiva em Tenerife, derrotando a guarnição de lá. Isso lhe permitiu bloquear no canal Magdalena.

No entanto, os conservadores responderam enviando reforços para a área e Uribe ordenou a evacuação da cidade em 2 de outubro.

No dia 13, Uribe Uribe atacou Ciénaga com o objetivo de ter Santa Marta ao seu alcance. Apesar disso, ele logo viu como eles foram bombardeados de um pequeno navio.

Essas últimas campanhas não foram suficientes para mudar o curso da guerra e os conservadores se proclamaram vencedores.

Tratado da Holanda

Os conservadores, por sua posição de força, ofereceram a Uribe Uribe um tratado para acabar com a guerra. O líder liberal aceitou, então representantes de ambos os lados se reuniram para negociar.

O resultado foi o Tratado de Neerlandia, assinado em 24 de outubro de 1902. O nome vem da fazenda homônima em que foram realizadas as negociações e a assinatura final, uma fazenda de banana pertencente ao rico holandês Ernesto Cortissoz.

O acordo incluía a retirada das tropas liberais de Magdalena e Bolívar, bem como a vontade de retornar à vida pacífica. Enquanto isso, o governo ofereceu uma anistia a todos que desarmaram.

Ambos os lados concordaram em mudar a demarcação dos círculos eleitorais, para facilitar uma melhor representação de todas as partes. Da mesma forma, o Tratado incluía a intenção de permitir que os liberais participassem de todas as empresas eleitorais, para garantir uma representação equitativa nos órgãos do governo.

Tratado de Wisconsin

No Panamá, o general Benjamin Herrera, um liberal, estava saindo vitorioso do conflito. Diante disso, o governo colombiano pediu ajuda aos Estados Unidos, claramente interessados ​​na área de construção do Canal.

Roosevelt, presidente americano, respondeu ao pedido colombiano enviando sua marinha para a costa panamenha. Diante disso, Herrera não teve escolha senão concordar em assinar um novo acordo, com cláusulas semelhantes às de Neerlandia.

O Tratado de Wisconsin deve seu nome ao navio de guerra americano que serviu de local para as negociações. A assinatura ocorreu em 21 de novembro de 1902.

Tratado de Chinácota

Embora menos conhecido, havia um terceiro acordo de paz para acabar com a guerra civil na Colômbia. Era o Tratado de Chinácota, assinado no mesmo dia que o de Wisconsin.

Nesse caso, o acordo se concentrou nas hostilidades ocorridas em Santander, uma área na qual ocorreram alguns dos combates mais difíceis.

Consequências

Esses três tratados marcaram o fim da longa guerra civil que havia enfrentado liberais e conservadores na Colômbia. O acordo foi a base para a entrega de armas e para os combatentes voltarem para suas casas.

Embora a coexistência subsequente entre as duas partes diferisse de ser perfeita, a paz duraria quatro décadas.

Lutas até 1903

A assinatura dos Tratados não significava que a paz chegaria a todo o país imediatamente. A falta de comunicação e o afastamento do Panamá fizeram com que grande parte da Colômbia não soubesse o que foi assinado até mais tarde.

Nos meses seguintes, algumas ações violentas ainda ocorreram. Entre as mais destacadas, a execução de Victoriano Lorenzo, por ordem de Pedro Sicard Briceño, em 1903. Essa morte é considerada um dos gatilhos que levaram à independência do Panamá.

Não foi até o início de junho de 1903, quando o governo declarou uma cessação absoluta das hostilidades no país.

Situação após a guerra

Após a guerra, a Colômbia foi devastada e mergulhou em uma grave crise econômica. A situação foi agravada pela separação do Panamá. A dívida causada pelos gastos militares foi um dos gatilhos dessa crise que deixou o país empobrecido.

Referências

  1. Covo, Adeline. A Comissão Histórica e a Guerra dos Mil Dias. Obtido de las2orillas.co
  2. Jaramillo Castillo, Carlos Eduardo. O Tratado de Wisconsin: 21 de novembro de 1902. Obtido de banrepcultural.org
  3. Wikisource Tratado de Wisconsin. Obtido em es.wikisource.org
  4. Minster, Christopher. A Guerra dos Mil Dias. Obtido em thoughtco.com
  5. Liquisearch Guerra dos Mil Dias – Tratados de Neerlandia e Wisconsin. Obtido de liquisearch.com
  6. Os editores da Encyclopaedia Britannica. A Guerra dos Mil Dias. Obtido em britannica.com
  7. Celerier, Luis R. A Guerra dos Mil Dias (1899-1902) – Parte 2. Obtido em panamahistorybits.com

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies