Qual é o esqueleto apendicular?

O esqueleto apendicular é a parte do esqueleto humano composta pelos membros superiores e inferiores, além das cinturas escapular e pélvica. Ele é responsável por fornecer suporte e movimento ao corpo, permitindo a locomoção e a realização de diversas atividades do dia a dia. O esqueleto apendicular é composto por ossos longos, curtos e irregulares, que se unem por meio de articulações, ligamentos e músculos, garantindo a sua funcionalidade e resistência.

Quais são os ossos que compõem o esqueleto apendicular humano?

O esqueleto apendicular humano é composto por diversos ossos que formam os membros superiores e inferiores do corpo. Os principais ossos que fazem parte do esqueleto apendicular são a clavícula, escápula, úmero, rádio, ulna, ossos do carpo, metacarpos e falanges, no caso dos membros superiores. Já nos membros inferiores, temos o fêmur, patela, tíbia, fíbula, ossos do tarso, metatarsos e falanges dos dedos dos pés.

Esses ossos são fundamentais para a locomoção, sustentação e realização de diversas atividades do dia a dia. Eles se articulam entre si por meio de articulações, como as juntas, ligamentos e cartilagens, permitindo movimentos complexos e variados.

É importante ressaltar que o esqueleto apendicular humano é essencial para a estruturação e funcionamento do corpo, proporcionando suporte e proteção aos órgãos internos, além de contribuir para a mobilidade e equilíbrio do indivíduo.

Entenda o papel do esqueleto visceral no corpo humano e sua importância fisiológica.

Quando pensamos no esqueleto humano, geralmente nos vem à mente o esqueleto apendicular, composto pelos membros superiores e inferiores, cintura escapular e pélvica. No entanto, existe também o esqueleto visceral, que desempenha um papel fundamental no corpo humano e sua importância fisiológica não deve ser subestimada.

O esqueleto visceral é formado pelos ossos que compõem a caixa torácica e a cavidade abdominal, como as costelas, esterno e os ossos do crânio. Esses ossos protegem os órgãos vitais do corpo, como o coração, pulmões, fígado, estômago e cérebro, garantindo sua integridade e funcionamento adequado.

Além da proteção dos órgãos internos, o esqueleto visceral também desempenha um papel importante na sustentação e movimentação do corpo. Os músculos e ligamentos que estão ligados aos ossos do esqueleto visceral permitem a realização de movimentos essenciais para a nossa sobrevivência, como a respiração, a mastigação e a digestão.

Portanto, é fundamental reconhecer a importância do esqueleto visceral no corpo humano e garantir sua saúde e integridade para manter o bom funcionamento do organismo como um todo.

Relacionado:  Distonia Neurovegetativa: Sintomas, Causas e Tratamento

Divisão do esqueleto do ser humano: conheça as principais partes e suas funções.

O esqueleto humano é dividido em duas partes principais: o esqueleto axial e o esqueleto apendicular. Enquanto o esqueleto axial é responsável por sustentar e proteger os órgãos vitais do corpo, o esqueleto apendicular é composto pelos membros superiores e inferiores, além das cinturas escapular e pélvica.

As principais partes do esqueleto apendicular incluem os ossos dos braços (úmero, rádio e ulna), mãos (carpo, metacarpo e falanges), pernas (fêmur, tíbia e fíbula), pés (tálus, calcâneo e falanges), cintura escapular (clavícula e omoplata) e cintura pélvica (ósso ilíaco, ísquio e púbis).

Cada parte do esqueleto apendicular desempenha um papel crucial no movimento e na locomoção do corpo. Os ossos dos braços e pernas permitem a realização de atividades como pegar objetos e caminhar, enquanto os ossos das mãos e pés são essenciais para a manipulação de objetos e equilíbrio.

Além disso, as cinturas escapular e pélvica conectam os membros superiores e inferiores ao tronco, permitindo a movimentação coordenada do corpo. Portanto, o esqueleto apendicular desempenha um papel fundamental na mobilidade e funcionalidade do ser humano.

Nome do osso que compõe a articulação do quadril no corpo humano.

O osso que compõe a articulação do quadril no corpo humano é o fêmur. O fêmur é o osso mais longo e resistente do corpo, localizado na coxa. Ele se articula com a bacia, formando a articulação do quadril, que é uma das articulações mais importantes para a locomoção e estabilidade do corpo.

Qual é o esqueleto apendicular?

O esqueleto apendicular é uma das duas partes que compõem o esqueleto humano, sendo a outra o esqueleto axial. O esqueleto apendicular é formado pelos membros superiores (braços) e membros inferiores (pernas), juntamente com as cinturas escapular e pélvica. Ele é responsável pela sustentação e movimentação do corpo, permitindo a realização de diversas atividades físicas e funções vitais.

Qual é o esqueleto apendicular?

O esqueleto apendicular é o conjunto de ossos que compõem a parte móvel do esqueleto humano. Formado por 206 ossos, o esqueleto humano é dividido em duas partes, um esqueleto axial ou central, composto por 80 ossos que compõem a cabeça, tórax e coluna, e um esqueleto apendicular formado pelas extremidades superior e inferior.

Relacionado:  Ignác Semmelweis: Biografia e Contribuições (C)

O esqueleto axial tem a função de servir como eixo central do corpo e proteger os órgãos vitais, além de servir de superfície para a inserção dos músculos que permitem a mobilidade do esqueleto apendicular a ele ligado.

Qual é o esqueleto apendicular? 1

Por outro lado, o esqueleto axial é formado pelos 126 ossos remanescentes que se articulam com o eixo central do corpo ou esqueleto axial, para formar as extremidades superior e inferior. Assim, uma das características do esqueleto apendicular é que cada um dos ossos que o compõem é bilateral.

Ele recebe seu nome da palavra “apêndice”, que vem do verbo pendere, que significa “travar”, ou seja, uma estrutura que se desenvolve a partir do seu apego a uma estrutura base ou central.

Como é moldado?

O esqueleto apendicular é composto por 4 ossos que compõem a cintura escapular, 60 ossos para os membros superiores, 2 ossos que formam a cintura pélvica e 60 ossos que formam os membros inferiores.

A pelve é considerada uma estrutura óssea única, mas deve-se levar em consideração que o íleo, o ísquio e o púbis se unem para formar um único osso; Osso coxal

O osso coxal é articulado com o sacro posteriormente e com o osso coxal contralateral anteriormente. Através da anfiartrose chamada “sínfise púbica”, formam a pelve.

Como o esqueleto apendicular é articulado com o esqueleto axial?

A cintura escapular e a cintura pélvica são as estruturas que unem os membros superiores e inferiores ao esqueleto axial, respectivamente.

Extremidades superiores

A única articulação que une verdadeiramente a cintura escapular ao esqueleto axial é a articulação esternoclavicular, também chamada esternocostoclavicular.

Essa articulação une o esterno, a clavícula e a primeira cartilagem costal, através de cápsulas articulares, sinoviais e ligamentares que fortalecem a articulação e limitam sua mobilidade.

O restante dos meios de união é constituído por músculos cuja origem e inserção são encontradas do membro superior ou da cintura escapular (esqueleto apendicular) até a caixa torácica ou coluna vertebral (esqueleto axial) e vice-versa.

Esses músculos são superficiais a profundos o seguinte:

  • Trapézio: suas inserções axiais vão na linha nucal superior e na protuberância occipital externa acima, no ligamento cervical posterior interno e nos processos espinhosos da 7ª vértebra cervical à 11ª vértebra torácica abaixo. Suas inserções apendiculares vão para a clavícula e a escápula.
  • Romboide maior: tem origem nos processos espinhosos das vértebras torácicas 2, 3, 4 e 5 e no ligamento supraespinhal, e é inserido na coluna da escápula.
  • Peitoral maior: consiste em 3 partes, e apenas sua parte abdominal faz parte dos meios de união dos dois esqueletos.
Relacionado:  Ureaplasma Urealyticum: sintomas, contágio e tratamento

As fibras que formam a parte abdominal do peitoral maior se originam nas cartilagens das 7ª, 8ª e 9ª costelas e são inseridas na crista do tubérculo maior do úmero.

  • Peitoral menor: possui três feixes de fibras que se originam nas costelas 3, 4 e 5 e é inserido no processo coracóide da escápula.
  • Serrato anterior: possui três origens distribuídas entre as costelas 1 a 6, e são inseridas no ângulo superior, borda medial e ângulo inferior da escápula.
  • Subclávia: tem origem na primeira cartilagem costal e é inserida na clavícula.
  • Elevador da escápula: suas fibras se originam nos processos transversos das vértebras cervicais 1, 2, 3 e 4 e são inseridas na coluna vertebral da escápula.

Extremidades inferiores

A cintura pélvica, por outro lado, é articulada com o esqueleto axial através da articulação sacroilíaca, que une o osso coxal à coluna vertebral através de ligamentos densos e fortes.

Esses ligamentos têm a função de garantir que a articulação transmita o peso da coluna para os membros inferiores.

Os ligamentos responsáveis ​​pela estabilidade são:

  • sacroilíaco anterior.
  • sacroilíaco posterior.
  • iliolumbares.
  • Sacrocítico
  • sacrospinous.
  • sacrotuberoso

Embora alguns músculos também unam as extremidades inferiores à coluna vertebral, suas funções são fornecer alguma amplitude de mobilidade ao membro inferior ou formar o assoalho pélvico. O resultado é segurar e fixar os órgãos pélvicos e não fixar adequadamente o membro inferior ao eixo central do corpo, como no caso dos membros superiores.

Referências

  1. Atlas de anatomia humana. Frank H. Netter, MD 3ª Edição. Elsevier editorial. Barcelona – Espanha (2003). Placas 340-341, 406-407, 468-469.
  2. Anatomia Humana Alfredo Latarjet Ruiz Liard. Editorial médico pan-americano. (2004) Volume 1.
  3. Corpo visível Quadris, Ombros, Braços e Pernas: Ossos do Esqueleto Apendicular. Recuperado de: visiblebody.com
  4. Conhecimento de saúde da coluna veritas. Anatomia da articulação sacroilíaca. Por Peter F. Ulrich, MD Cirurgião Ortopédico. Atualizado: 11/10/2010. Recuperado de: spine-health.com
  5. Ensine-me anatomia. Articulação esternoclavicular. Ron Sangal 27 de dezembro de 2017. Recuperado de: teachmeanatomy.info

Deixe um comentário