Resistência à mudança organizacional: gestão, causas e técnicas

A resistência à mudança organizacional está mostrando membros da oposição de uma organização para mudar formas de trabalho, equipes, valores, objetivos, estrutura organizacional, entre outros processos organizacionais. É um fenômeno comum e que pode ser gerenciado de forma eficaz.

O gerenciamento de mudanças é uma das tarefas mais importantes que você pode executar no departamento de Recursos Humanos de uma empresa para evitar perdas econômicas e facilitar o bem-estar no trabalho.

Resistência à mudança organizacional: gestão, causas e técnicas 1

Nos últimos anos, muitas organizações adotaram a virtualização

Quebrar ou mudar hábitos é extremamente difícil, mesmo que não envolva substâncias viciantes, como a nicotina. Dietas não funcionam porque envolvem mudanças de hábitos.

Você já tentou mudar os hábitos do seu filho e não pode? Você já tentou implementar uma nova tecnologia em sua equipe de trabalho, mas reclama? Os princípios básicos das causas e o desenvolvimento do fenômeno são os mesmos nos dois casos.

Por que a mudança é necessária?

A mudança é necessária constantemente e ainda mais, para que o mundo mude tão rapidamente. Refiro-me a mudanças de atitudes, comportamentos, cultura, estrutura organizacional ou sistemas de trabalho, dependendo da situação em que você se encontra.

Em uma empresa / organização, os funcionários / funcionários podem resistir à mudança de maneiras de agir, metodologias, horários, costumes, etc. E fora da organização, em sua vida comum, as pessoas também resistem.

Nos dois casos, a mudança é necessária; Uma empresa precisa se reestruturar para ser mais competitiva ou uma pessoa precisa mudar hábitos para progredir, melhorar sua saúde ou alcançar novos objetivos.

Resistência à mudança organizacional: gestão, causas e técnicas 2

Isso não é porque as pessoas são teimosas (na realidade também), mas porque o ser humano é um animal de costumes. Tende a se acostumar, controlar o ambiente e novas situações tendem a causar ansiedade.

Um exemplo de extrema resistência é o do adolescente mimado que, de um dia para o outro, começa a educar-se adequadamente: ele é convidado a colaborar em casa, a estudar, a ter obrigações …

O que acontece se você não fez nada antes? Provavelmente se torna agressivo ou foge. É o mesmo com adultos ou funcionários: a reação a uma mudança pode ser evitar, agressividade, desafio, hostilidade, sabotagem …

Causas de resistência à mudança

Resistência à mudança organizacional: gestão, causas e técnicas 3

Na verdade, não. Existem diferenças individuais ou fatores de disposição associados à mudança. Algumas pessoas parecem abraçar a mudança, na verdade elas prosperam nela, outras a rejeitam completamente.

Relacionado:  Inventário Periódico: Recursos, Vantagens, Desvantagens

Isso pode ser devido a um traço de personalidade chamado “abertura mental” (aqueles que mais pontuam nesse traço são mais propensos a aceitar novas situações) ou a um hábito simples (uma pessoa que está acostumada a mudar comportamentos ou situações terá que ter menos desempenho esforço que não seja).

Mudança causa ansiedade em uma situação incerta; A pessoa percebe seu senso de segurança e prefere não deixar seu status quo.

Dependendo da situação e de alguns aspectos que comentei e comentarei, a alteração que você deseja fazer será mais fácil ou mais complicada. E também tenha em mente que, em muitas ocasiões, o mero ato de perseverar é a coisa mais importante.

Estes são os estágios que geralmente passam:

Resistência à mudança organizacional: gestão, causas e técnicas 4

Os jovens parecem mais felizes em mudar do que os idosos, sem dúvida porque têm menos hábitos adquiridos por anos ou menos a perder.

Não está claro se a inteligência e a educação afetam as atitudes de uma pessoa em relação à mudança e sua aceitação. É uma suposição razoável que pessoas mais inteligentes devam estar mais predispostas a aprender coisas novas e ver as mudanças necessárias.

Traços de personalidade

Os psicólogos descobriram vários tipos de fatores de personalidade que eles acreditam estar relacionados à mudança:

Resistência à mudança organizacional: gestão, causas e técnicas 5

Neuroticismo / equilíbrio emocional

Neuróticos são propensos a ansiedade e depressão. Eles vêem ameaça e perigo em toda parte. Eles são hiper vigilantes contra possíveis ameaças.

A mudança os afeta inevitavelmente mais, porque eles se preocupam mais com o que isso significa, o que precisam fazer e como vão lidar.

Pelo contrário, pessoas emocionalmente equilibradas controlam e aceitam bem as mudanças.

Autoeficácia

Algumas pessoas acreditam que são capitães de seu próprio navio, donos de seu destino. Eles controlam seu destino e são eficazes. Eles diferem das pessoas que acreditam que a chance ou o destino influenciam tudo. Pessoas com mais auto-eficácia gerenciam melhor as mudanças.

Tolerante à ambiguidade

Algumas pessoas se sentem ameaçadas pela falta de clareza e incerteza. Eles gostam que as coisas sejam claras, previsíveis e ordenadas.

Mesmo em um ambiente de trabalho caprichoso e instável, eles se esforçam para evitar incertezas através do uso de regras e rituais. Quanto menos tolerante a ambiguidade alguém é, mais fácil parecerá aceitar a mudança.

Relacionado:  Funções administrativas de uma empresa: importância e exemplos

Outros fatores

Além disso, existem outros fatores pessoais e organizacionais que tornam mais propensos a alterações ou não:

– Uma cultura, personalidade ou educação que promova o risco facilita muito a mudança. Se você nunca incentivou seus funcionários, seus filhos ou a si mesmo a mudar, não espere que de repente seja simples.

– Uma atitude positiva em relação ao fracasso facilita muito as mudanças. Algumas pessoas não se comprometem a mudar simplesmente porque têm medo de falhar. Embora nos EUA as pessoas que correm riscos e fracassem sejam valorizadas, na Espanha é algo que é evitado e do que as pessoas têm vergonha.

– Se grandes alterações são necessárias, elas tendem a resistir mais.

– Quando a alteração não foi comunicada ou é repentina.

– Se os motivos são desconhecidos, há mais resistência. Como se houvesse ambiguidade, isto é, não está claro o que é esperado que mude.

– Se a mudança ameaçar o status quo, poder, controle, autonomia ou emprego.

– Quando a mudança ameaça o colapso dos relacionamentos pessoais.

O que torna a mudança mais responsiva?

  • Personalidade
  • Que as informações ou alterações apresentadas coincidem com os valores, crenças e atitudes da pessoa.
  • Que um benefício é percebido na mudança.
  • A mudança gradual torna mais fácil.

Como gerenciar a mudança?

Resistência à mudança organizacional: gestão, causas e técnicas 6

Apenas entendendo e sabendo que essa reação de resistência é muito provável, você terá dado um grande passo.No entanto, não basta, também é necessário que você entenda quais serão essas fontes de resistência em cada situação e desenvolva uma estratégia para combatê-las.

Primeiro, você precisará saber:

1-Que mudanças você fará: em sua equipe de trabalho, seu filho …

2-O que essas mudanças significam, como será o impacto. Eles terão que mudar horários, atitudes, modos de trabalhar, hábitos …?

3-Como eles vão reagir? Isso é muito importante porque permite que você pense no que pode fazer depois dessa reação. Isso diminuirá a produtividade? A equipe / pessoa se tornará violenta?

Depois, explicarei melhor as causas, que causam mais ou menos resistência e técnicas ou comportamentos pelos quais você pode se orientar.

Técnicas / sugestões para mudar

N Participar de pessoas: você pode passar um tempo com as pessoas afetadas e pedir sua opinião, dependendo de seus critérios, de quais condições você permite negociar ou não. Se a pessoa se sentir participante, o responsável e a autonomia serão mais motivados.

Relacionado:  Manual de Procedimentos de uma Empresa: Para que serve, Desenvolvimento

– Fornece controle: as pessoas tendem a ser motivadas quando têm controle, autonomia e responsabilidade para enfrentar situações.

-Se você fizer isso e se comunicar pouco a pouco: não quero dizer que você está implementando a mudança há anos, mas se você puder implementar gradualmente mudanças que não envolvam grande estresse para as pessoas. Dessa forma, será mais fácil para eles e eles terão mais tempo para adaptação e habituação à nova situação / rotina.

– Comunique a mudança: ao lado do ponto anterior, você pode comunicar gradualmente a mudança. Você pode fazer isso pessoalmente e sempre de forma assertiva. Você pode conversar empregado por funcionário ou com líderes de equipe ou conversar com seu filho: “Você é mais velho e responsável e pode começar a ajudar”.

– Explique o motivo da alteração: se você fornecer motivos, é mais fácil aceitar.

– Faça com que eles saibam as consequências positivas o que há para eles na mudança?: Uma pequena proporção da resistência é eliminada se a pessoa entender que a mudança o beneficiará.

– Escute as objeções (acertos) para mudar e tente resolvê-las: ajude as pessoas a superar as barreiras que precisam para se adaptar à nova situação. Se eles estão empregados interessados ​​e dispostos, será mais fácil. Mas se for adolescente, você terá que ser mais paciente e democrático: seja rigoroso, mas recompensa quando você merece.

– Descubra quais benefícios da mudança podem resolver seus problemas. Uma mudança de rotina pode economizar tempo, melhorar a produtividade, aumentar a responsabilidade …

-Veja comentários e recompensas: se você perceber que o grupo ou a pessoa está progredindo e se adaptando, comunique o que está fazendo bem e incentive-o. Se você esperar mais, também comunique assertivamente.

Você já tentou isso? Qual é o seu caso? Comente abaixo. Interessa-me!

Conteúdo relacionado:

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies