Soma: apresenta peças e funções

Soma é uma estrutura celular presente em organismos eucarióticos que desempenha diversas funções essenciais para a sobrevivência da célula. Neste texto, apresentaremos as principais características e funções da soma, destacando sua importância no funcionamento celular e nos processos biológicos.

Funções e estrutura das partes do neurônio: conheça cada componente e suas atribuições.

Um dos componentes essenciais do neurônio é a Soma, também conhecida como corpo celular. A Soma é responsável por integrar os sinais recebidos pelos dendritos e transmiti-los ao axônio. É no corpo celular que ocorrem processos metabólicos vitais para a célula, como a produção de proteínas e energia.

A Soma é composta por diversas partes, cada uma com funções específicas. Uma das partes mais importantes é o núcleo, que contém o material genético da célula e controla suas atividades. Outro componente fundamental é o citoplasma, onde ocorrem os processos metabólicos necessários para a sobrevivência da célula.

Além disso, a Soma possui organelas como os ribossomos, responsáveis pela síntese de proteínas, e o retículo endoplasmático, que auxilia no transporte de substâncias dentro da célula. Os lisossomos, por sua vez, são responsáveis pela digestão de materiais indesejados.

Conhecer cada componente e suas atribuições é fundamental para compreender o papel do corpo celular no sistema nervoso.

Qual o papel desempenhado pelo neurônio sensorial no sistema nervoso?

Os neurônios sensoriais desempenham um papel fundamental no sistema nervoso, sendo responsáveis por transmitir informações sensoriais do ambiente externo e interno para o sistema nervoso central. Eles são especializados em detectar estímulos como luz, som, temperatura, pressão, dor e outros estímulos sensoriais.

Quando um estímulo é detectado pelo neurônio sensorial, ele gera um impulso elétrico que é transmitido ao longo do axônio até o sistema nervoso central, onde a informação é processada e uma resposta é gerada. Essa resposta pode ser uma ação reflexa imediata ou uma reação mais complexa que envolve outros neurônios e regiões do cérebro.

É importante ressaltar que os neurônios sensoriais são apenas uma das várias tipos de neurônios que compõem o sistema nervoso. Eles trabalham em conjunto com outros tipos de neurônios, como os neurônios motores e os neurônios de associação, para garantir o funcionamento adequado do sistema nervoso e a integração de todas as informações sensoriais recebidas.

Eles são responsáveis por transmitir informações sensoriais para o sistema nervoso central, desempenhando um papel crucial na nossa capacidade de interagir com o ambiente e de nos adaptar a diferentes situações.

Quais são as funções exercidas pelo corpo celular em um organismo?

O corpo celular, também conhecido como soma, é uma parte fundamental das células nervosas, desempenhando diversas funções essenciais para o bom funcionamento do organismo. Uma das principais funções do corpo celular é a de integrar e processar as informações recebidas pelos dendritos, que são estruturas responsáveis por receber os estímulos do ambiente.

Além disso, o corpo celular é responsável pela produção de proteínas essenciais para o funcionamento da célula, como enzimas e neurotransmissores. Essas proteínas são fundamentais para a transmissão de sinais nervosos e para a manutenção da homeostase do organismo.

Relacionado:  Lipogênese: características, funções e reações

Outra função importante do corpo celular é a de abrigar o núcleo da célula, que contém o material genético responsável por controlar as atividades celulares e pela transmissão de informações genéticas para as células filhas.

Sem o corpo celular, as células nervosas não seriam capazes de desempenhar suas funções de forma adequada.

Qual é o papel dos dendritos no sistema nervoso?

Os dendritos são estruturas essenciais no sistema nervoso, desempenhando um papel fundamental na transmissão de sinais neuronais. Localizados na parte receptiva do neurônio, os dendritos são responsáveis por receber os estímulos de outras células nervosas e transmiti-los em direção ao corpo celular, também conhecido como soma.

O soma é a parte principal do neurônio, onde ocorre a integração dos sinais recebidos pelos dendritos. Além disso, o soma contém o núcleo da célula, que é responsável por coordenar as atividades celulares e pela síntese de proteínas necessárias para o funcionamento do neurônio.

Portanto, os dendritos desempenham um papel crucial na comunicação neuronal, ao receber os estímulos do ambiente externo ou de outras células nervosas e transmiti-los em direção ao corpo celular. A integração desses sinais no soma é essencial para a geração de respostas apropriadas do neurônio, permitindo a transmissão eficiente de informações no sistema nervoso.

Soma: apresenta peças e funções

Soma: apresenta peças e funções

O soma , corpo celular, soma ou pericarion é a porção central dos neurônios, onde são encontrados o núcleo, o citosol e as organelas citosólicas. Os neurônios são compostos de quatro regiões fundamentais: o soma, os dendritos, o axônio e os terminais pré-sinápticos.

Portanto, o corpo neuronal é uma parte do neurônio e dele derivam as extensões dendríticas e o axônio.

O soma ou corpo celular tem vários tamanhos e formas. Os neurônios do sistema nervoso central , por exemplo, têm um corpo celular poligonal e superfícies côncavas que separam várias extensões celulares, enquanto os neurônios dos gânglios da raiz dorsal têm corpos redondos.

Soma, dendritos e axônio

O soma  ou corpo celular é o centro metabólico de um neurônio. É a área volumosa dos neurônios e a que contém, proporcionalmente, o maior citoplasma. Dendritos e um projeto axônico do soma.

Os dendritos são extensões finas e funções especializadas ramificadas estão recebendo estímulos de axônios de outros neurônios, células sensoriais ou outros dendritos. Essa informação recebida na forma de estímulos elétricos é transmitida ao corpo celular.

O axônio é uma extensão ramificada única de diâmetro e comprimento variáveis, que pode ter até um metro (1 m) de comprimento, como o axônio dos neurônios motores que fornecem os músculos do pé. O axônio conduz informações do pericarion para outros neurônios, músculos ou glândulas.

Características do soma

Nos organismos vertebrados , o corpo das células nervosas ou soma é encontrado na substância cinzenta do sistema nervoso central ou nos gânglios. A substância branca do sistema nervoso é composta de fibras nervosas, que são as extensões de neurônios do corpo.

Existem diferentes tipos de neurônios e diferentes formas e tamanhos de corpos ou somas neurais. Assim, os corpos são descritos:

– fusiforme

Estrelado

– piramidal e

Volta

Os neurônios fazem conexões entre si e com vários órgãos e sistemas. Essas conexões não têm continuidade anatômica e são chamadas de ” sinapses “.

A conexão entre neurônios é feita pelo contato do axônio de um neurônio com o corpo de outro neurônio, com os dendritos e, às vezes, com o axônio de outro neurônio. Portanto, essas conexões são nomeadas como axossomáticas, axodendríticas ou axoaxônicas, respectivamente.

O soma integra todos os sinais elétricos e emite uma resposta através do axônio que, dependendo do tipo de neurônio, irá para outro neurônio, um músculo ou uma glândula.

Partes do soma

– O corpo neuronal possui uma membrana semelhante à membrana de outras células do corpo, um núcleo e o citosol perinuclear (ao redor do núcleo).

– O núcleo é grande e redondo e geralmente está localizado no centro do soma. Possui cromatina dispersa e um nucléolo bem definido.

– No citosol existem inclusões como grânulos de melanina , lipofuscina e gotículas de gordura . Há também o retículo endoplasmático rugoso, com cisternas abundantes dispostas em grupos paralelos e polirribossomos dispersos, e alguns lisossomos e peroxissomos .

Quando as cisternas do retículo endoplasmático rugoso e dos polirribossomos são coradas com corantes básicos, elas são vistas ao microscópio óptico como “aglomerados basofílicos”, chamados corpos de Nissl .

Estes são observados no soma, exceto na área onde o axônio ou monte de axônios surge , e nos dendritos .

– Distribuídos no corpo, nos dendritos e no axônio, existem numerosos fragmentos do retículo endoplasmático liso que formam as cisternas hipolemais . Essas cisternas continuam com o retículo endoplasmático rugoso no corpo celular.

– No soma há também um complexo Golgi justuxucuclear bastante proeminente, com cisternas típicas de células que secretam proteínas.

– O citosol do soma, dendritos e axônio também contém muitas mitocôndrias, no entanto, estas são mais abundantes no terminal axonal.

Quando os neurônios são preparados com impregnação com prata, o citoesqueleto neuronal é observado ao microscópio óptico.

É constituído por neurofibrilas de até 2 µm de diâmetro que atravessam o soma e se estendem em suas extensões. Neurofibrilas são compostas de três estruturas diferentes: microtúbulos, neurofilamentos e microfilamentos.

Recursos

Inclusões citoplasmáticas

A melatonina é um derivado da di-hidroxifenilalanina ou da metildopa. Dá a certos neurônios uma cor enegrecida, especialmente os neurônios do “núcleo coeruleus” e da substância negra, onde essas inclusões citoplasmáticas são muito abundantes.

Também é encontrado, embora em menor grau, nos núcleos motores dorsais do vago e na medula espinhal, bem como nos gânglios simpáticos do sistema nervoso periférico .

Relacionado:  Hematopoiese: fases e funções

O papel dessas inclusões citoplasmáticas não é muito claro, pois acredita-se que seja um produto acessório da síntese de dois neurotransmissores, dopamina e noradrenalina, que compartilham o mesmo precursor.

A lipofuscina é um pigmento amarelado que aparece no citoplasma neuronal dos idosos. Aumenta com a idade e seu acúmulo pode afetar a função celular.

As gotas de gordura não aparecem com muita frequência no citoplasma neuronal, mas podem ser o produto de um defeito metabólico ou talvez sejam usadas como reserva de energia.

Testemunho 

O núcleo contém cromatina, que é o material genético da célula (DNA, ácido desoxirribonucleico). O nucléolo é o centro da síntese de RNA e nucleoplasma, que inclui macromoléculas e partículas nucleares que participam da conservação do neurônio.

O núcleo possui todas as informações necessárias para a síntese de todas as substâncias que o neurônio precisa fabricar para sua função e manutenção, especialmente para a síntese de todas as proteínas funcionais e estruturais.

Organelas

O retículo endoplasmático liso possui funções relacionadas ao manejo do cálcio. O retículo endoplasmático rugoso, juntamente com o complexo de Golgi e os polirribossomos, tem funções relacionadas à síntese de proteínas, tanto estruturais quanto aquelas que devem ir ao citoplasma.

Modificações pós-transcricionais de proteínas também ocorrem no retículo endoplasmático rugoso, como dobragem, glicosilação e adição de diferentes grupos funcionais, etc. Além disso, os lipídios integrais das membranas são sintetizados.

Os lisossomos são organelas polimórficas que contêm pelo menos 40 tipos diferentes de hidrolases ácidas. Essas enzimas ajudam a digerir macromoléculas, microorganismos fagocitados, detritos celulares e até organelas senescentes.

As mitocôndrias são as organelas responsáveis ​​pela fosforilação oxidativa para a produção de ATP (trifosfato de adenosina), uma molécula de alta energia que a célula utiliza para sua função. É o local onde ocorre a respiração celular, onde o oxigênio extraído do ambiente é consumido.

Citoesqueleto

As proteínas que compõem as neurofibrilas têm funções estruturais e de transporte, permitindo o transporte de substâncias do soma para o terminal axonal e deste para o soma. Em outras palavras, é o sistema de frascos do neurônio.

Assim, a partir das linhas anteriores, entende-se que o soma ou corpo celular é, como qualquer célula, um complexo sistema interconectado de organelas, membranas, proteínas e muitos outros tipos de moléculas, cuja função fundamental tem a ver com a transmissão e recepção de estímulos. nervoso em vertebrados.

Referências

  1. Alberts, B., Bray, D., Hopkin, K., Johnson, AD, Lewis, J., Raff, M., … & Walter, P. (2013). Biologia celular essencial. Garland Science.
  2. Bear, MF, Connors, BW e Paradiso, MA (Eds.). (2007). Neurociência (Vol. 2). Lippincott Williams e Wilkins.
  3. Gartner, LP e Hiatt, JL (2012). Atlas de cores e texto da histologia. Lippincott Williams e Wilkins.
  4. Kandel, ER, & Squire, LR (2001). Neurociência: Quebrando barreiras científicas ao estudo do cérebro e da mente.
  5. Squire, L., Berg, D., Bloom, FE, Du Lac, S., Ghosh, A. e Spitzer, NC (Eds.). (2012). Neurociência fundamental. Academic Press.

Deixe um comentário