Análise de fornecimento: O que consiste e como é feito

A análise de fornecimento é uma prática fundamental para as organizações que desejam garantir um fluxo contínuo de materiais e serviços necessários para a operação do negócio. Consiste em avaliar e monitorar os fornecedores em relação a diversos critérios, como qualidade, custo, prazo de entrega e conformidade com normas e regulamentos. A análise de fornecimento é feita por meio da coleta e análise de dados sobre os fornecedores, bem como de feedbacks de clientes e de avaliações de desempenho. Essa prática ajuda as empresas a identificar fornecedores confiáveis e a tomar decisões estratégicas para garantir a eficiência e a eficácia da cadeia de suprimentos.

Entenda a importância da análise de fornecedores para sua empresa.

A análise de fornecedores é um processo fundamental para qualquer empresa que deseja garantir a qualidade dos produtos e serviços que oferece aos seus clientes. A escolha de fornecedores confiáveis e de alta qualidade é essencial para manter a reputação da empresa e garantir a satisfação dos clientes.

Quando uma empresa realiza a análise de fornecedores, ela avalia diversos aspectos, como a qualidade dos produtos ou serviços fornecidos, os prazos de entrega, os preços praticados e a reputação da empresa fornecedora no mercado. Essa análise permite identificar possíveis riscos e garantir que a empresa está fazendo parcerias com fornecedores que atendam aos padrões de qualidade estabelecidos.

Um erro comum que as empresas cometem é não realizar uma análise adequada de seus fornecedores, o que pode resultar em produtos de baixa qualidade, atrasos nas entregas e até mesmo problemas legais. Por isso, é essencial que as empresas invistam tempo e recursos na análise de fornecedores, a fim de garantir a excelência em seus produtos e serviços.

Além disso, a análise de fornecedores também pode ajudar as empresas a identificar oportunidades de melhoria e inovação. Ao avaliar constantemente os fornecedores e buscar novas parcerias, as empresas podem encontrar novas soluções e tecnologias que as ajudem a se destacar no mercado e a oferecer produtos e serviços cada vez melhores aos clientes.

Em resumo, a análise de fornecedores é um processo essencial para qualquer empresa que deseja garantir a qualidade de seus produtos e serviços, bem como sua reputação no mercado. Investir na análise de fornecedores pode trazer diversos benefícios para a empresa, como a redução de riscos, a identificação de oportunidades de melhoria e a garantia da satisfação dos clientes.

Processo de avaliação dos fornecedores: passo a passo para garantir a qualidade dos produtos.

Quando se trata de garantir a qualidade dos produtos que uma empresa oferece, o processo de avaliação dos fornecedores desempenha um papel fundamental. Este processo envolve uma série de etapas que visam garantir que os produtos adquiridos atendam aos padrões de qualidade estabelecidos pela empresa. Vamos analisar o passo a passo deste processo para entender como ele é feito e como pode contribuir para a melhoria da qualidade dos produtos.

O primeiro passo no processo de avaliação dos fornecedores é a identificação dos potenciais parceiros de negócios. Isso pode ser feito por meio de pesquisas de mercado, recomendações de outras empresas ou até mesmo por meio de feiras e eventos do setor. Uma vez identificados, é importante realizar uma análise detalhada dos fornecedores em potencial para avaliar sua capacidade de atender às demandas da empresa.

O próximo passo é a qualificação dos fornecedores, que envolve a análise de diversos critérios, como capacidade produtiva, qualidade dos produtos, prazos de entrega, entre outros. Essa etapa é fundamental para garantir que os fornecedores escolhidos sejam capazes de atender às necessidades da empresa de forma eficiente e eficaz.

Após a qualificação dos fornecedores, é importante estabelecer indicadores de desempenho para monitorar a qualidade dos produtos fornecidos e a performance dos fornecedores ao longo do tempo. Esses indicadores podem incluir métricas como taxa de defeitos, prazos de entrega, satisfação do cliente, entre outros.

Por fim, é essencial realizar auditorias periódicas nos fornecedores para garantir que eles estejam cumprindo com os padrões de qualidade estabelecidos pela empresa. Essas auditorias podem ser feitas de forma presencial ou por meio de questionários e relatórios de desempenho.

Relacionado:  Custo direto: características, benefícios e exemplos

Em resumo, o processo de avaliação dos fornecedores é fundamental para garantir a qualidade dos produtos oferecidos por uma empresa. Ao seguir esses passos e estabelecer um sistema de monitoramento contínuo, as empresas podem garantir que estão trabalhando com fornecedores confiáveis e capazes de atender às suas necessidades de forma consistente e eficiente.

Significado da análise pelo fornecedor: entendendo o papel e responsabilidades na cadeia de suprimentos.

O fornecedor desempenha um papel fundamental na cadeia de suprimentos, sendo responsável por fornecer os produtos ou serviços necessários para a empresa. A análise pelo fornecedor consiste em avaliar a capacidade e desempenho do fornecedor, garantindo que este seja capaz de atender às necessidades da empresa de forma eficiente e eficaz.

Essa análise envolve a avaliação de diversos fatores, como qualidade dos produtos, prazos de entrega, preços competitivos, entre outros. O objetivo é garantir que o fornecedor atenda aos padrões e requisitos da empresa, contribuindo para o sucesso e competitividade no mercado.

Além disso, o fornecedor também possui responsabilidades na cadeia de suprimentos, como garantir a disponibilidade dos produtos, manter a qualidade e cumprir os prazos estabelecidos. Por isso, é essencial que a análise pelo fornecedor seja realizada de forma rigorosa e contínua, visando garantir a eficiência e eficácia da cadeia de suprimentos.

Passo a passo para realizar uma análise de fornecedores eficiente.

Realizar uma análise de fornecedores eficiente é fundamental para garantir a qualidade dos produtos e serviços que sua empresa oferece aos clientes. Neste artigo, vamos apresentar um passo a passo para te ajudar nesse processo.

1. Definição de critérios de avaliação:

O primeiro passo para realizar uma análise de fornecedores eficiente é definir os critérios de avaliação que serão utilizados. É importante considerar fatores como qualidade dos produtos, prazos de entrega, preços competitivos, atendimento ao cliente, entre outros.

2. Coleta de informações:

Com os critérios de avaliação estabelecidos, o próximo passo é realizar a coleta de informações sobre os fornecedores. Isso pode ser feito por meio de pesquisas de mercado, referências de outras empresas, análise de documentos e até mesmo visitas às instalações dos fornecedores.

3. Análise e comparação dos fornecedores:

Após a coleta de informações, é hora de analisar e comparar os fornecedores de acordo com os critérios estabelecidos. Neste momento, é importante avaliar não apenas o preço, mas também a qualidade dos produtos, a reputação da empresa, a capacidade de atender às demandas da sua empresa, entre outros fatores.

4. Negociação e formalização de contratos:

Uma vez que os fornecedores tenham sido analisados e comparados, é hora de negociar os termos do contrato. Neste momento, é importante estabelecer cláusulas que garantam a qualidade dos produtos e serviços, prazos de entrega, formas de pagamento, entre outros detalhes importantes.

5. Monitoramento e avaliação contínua:

Por fim, é fundamental manter um processo de monitoramento e avaliação contínua dos fornecedores. Isso garantirá que os padrões de qualidade estabelecidos sejam mantidos ao longo do tempo e permitirá fazer ajustes quando necessário.

Seguindo esse passo a passo, sua empresa poderá realizar uma análise de fornecedores eficiente e garantir que os produtos e serviços oferecidos aos clientes sejam de alta qualidade e atendam às expectativas do mercado.

Análise de fornecimento: O que consiste e como é feito

A análise da oferta visa estabelecer as condições e quantidades de um bem ou serviço que se destina a ser vendido no mercado. A oferta é a quantidade de produtos disponibilizados ao público consumidor (mercado) em determinadas quantidades, preços, horários e locais.

A análise da oferta permite avaliar pontos fortes e fracos e implementar estratégias para melhorar a vantagem competitiva. Uma revisão histórica, atual e futura da oferta deve ser feita para estabelecer quantos bens os concorrentes entregaram, quantos estão entregando e quantos podem oferecer ao mercado.

Relacionado:  Desembolso: características, para que serve e exemplo

Análise de fornecimento: O que consiste e como é feito 1

As condições sob as quais a oferta é tratada também devem ser analisadas, a fim de ter os elementos mínimos necessários para estabelecer as possibilidades que o bem ou serviço do projeto terá, dependendo da concorrência existente.

Em que consiste?

A análise da oferta visa determinar a quantidade do bem que os produtores, constituídos em competição, podem oferecer ao mercado, bem como as condições sob as quais eles estariam dispostos a fazer a oferta.

Estudar a oferta de um produto é analisar a concorrência que deve ser enfrentada. Quanto mais conhecimento for obtido dos concorrentes, melhores elementos de julgamento estarão disponíveis para projetar estratégias de marketing que aumentem o sucesso de tais produtos no mercado.

Fatores que determinam a oferta

A análise da oferta deve levar em consideração os fatores que a determinam e que condicionam as quantidades oferecidas. Esses fatores são:

Preço do produto

A quantidade oferecida de um produto cresce de acordo com seu aumento de preço. Preços mais altos geram lucros mais altos, tornando-os mais interessantes para os licitantes. No entanto, os consumidores podem diminuir a quantidade demandada, gerando um excesso de oferta.

Isso cria forte concorrência, fazendo com que o preço diminua até atingir um ponto de equilíbrio com um determinado preço.

Se o preço do produto for reduzido, as quantidades oferecidas serão reduzidas e a demanda aumentará. Isso pode levar a aumentos de preços a um novo equilíbrio.

Tecnologia

A incorporação de tecnologia leva à redução de custos e aumentos na quantidade produzida, uma vez que é alcançada maior eficiência.

Disponibilidade de insumos e seus preços

Quando os suprimentos são escassos, a quantidade de bens produzidos é limitada. Da mesma forma, se o preço subir, haverá um aumento no custo do produto do qual faz parte.

Intrusão no mercado

Ao aplicar subsídios e impostos, o Estado interrompe o fornecimento de produtos. Qualquer imposto aumenta os custos e, consequentemente, a oferta é contratada. Um subsídio cria o efeito oposto: reduz o custo de produção e aumenta a oferta.

Concorrência

À medida que o número de empresas em um setor aumenta, cada uma delas tende a diminuir sua oferta.

Ambiente competitivo

Um concorrente direto é qualquer empresa que comercializa um produto semelhante ao nosso na mesma área geográfica. Um concorrente indireto é a empresa que oferece um produto diferente ou substituto em relação ao nosso.

Por exemplo, existe uma concorrência indireta entre um fabricante de manteiga e um fabricante de margarinas que eles vendem para os mesmos clientes. Existe também uma concorrência indireta entre o fabricante de óculos que concorre indiretamente com os fabricantes de lentes de contato.

O ambiente competitivo para a análise da oferta pode ser um dos seguintes:

Oferta competitiva

Os licitantes estão em livre concorrência. O número de licitantes do mesmo artigo é tal que sua participação no mercado é determinada pela qualidade, preço e serviço oferecido ao consumidor.

Oferta oligopolista

Alguns licitantes dominam o mercado e determinam a oferta e os preços. Um exemplo é o mercado de carros novos.

Oferta de monopólio

Existe apenas um oferente do serviço ou produto. Ele domina o mercado implementando completamente preço, qualidade e quantidade. O caso clássico são os monopólios estatais.

Como é a análise da oferta?

Isso é feito através das seguintes etapas:

– Colete informações de fontes primárias.

– Colete informações de fontes secundárias.

– Analise as informações da oferta.

– Determinar a posição competitiva.

Coletar informações de fontes primárias

É necessário conhecer os elementos quantitativos e qualitativos que influenciam a oferta. A pesquisa de mercado é realizada com os consumidores, por meio de grupos de discussão e questionários, fornecendo informações valiosas sobre a oferta.

Respostas a perguntas como estas devem ser obtidas:

Relacionado:  Ações comuns: características, tipos, avaliação, exemplos

– Quem são os principais concorrentes?

– Qual é a gama de produtos e serviços oferecidos?

– Os concorrentes são lucrativos? Eles estão expandindo ou reduzindo?

– Há quanto tempo você trabalha?

– Quais são os atributos positivos e negativos de acordo com os clientes?

– Como os clientes atuais nos veem em comparação com a concorrência?

– Como você pode diferenciar a empresa dos concorrentes?

– Qual é a sua estratégia de marketing e promoção?

– Quais são suas estruturas de preços?

– Eles operam na mesma área geográfica?

– Qual é a sua porcentagem de participação de mercado?

– Qual é o seu volume de vendas?

Coletar informações de fontes secundárias

Fontes secundárias contêm informações relacionadas aos concorrentes para uma finalidade e estão disponíveis para acesso público. Exemplos disso são livros, artigos publicados em revistas e folhetos de vendas.

Os relatórios de marketing também são considerados fontes secundárias, assim como todo o conteúdo que pode ser encontrado na Internet.

Outras fontes secundárias são:

– Publicidade, que mostra o preço e as informações dos produtos e também fornece um indicador do plano promocional da competição.

– Relatórios anuais, que oferecem informações financeiras, incluindo volume de vendas, aumento de receita e participação total de mercado.

– A própria força de vendas.

– Observação direta de produtos nas lojas.

Analise as informações da oferta

Depois que todas as informações da oferta são coletadas, elas são analisadas para estabelecer informações sobre produtos e estratégias de marketing e para identificar os pontos fortes e fracos da concorrência.

A posição competitiva de um produto ou serviço é determinada pelo seu preço e quão difere da concorrência.

É feita uma lista com os atributos do produto em ordem de importância e é preparada uma tabela comparativa que mostra se cada um dos concorrentes os possui ou não.

Determinar a posição competitiva

Por fim, o produto é avaliado com o da concorrência. Como o produto se compara ao do concorrente mais próximo? Quais atributos são exclusivos para cada produto?

Quanto mais atributos únicos o produto tiver, mais forte será a posição competitiva no mercado.

Exemplo

A gerência de logística da empresa XYZ está solicitando a seus fornecedores uma cotação para a compra do suprimento ABC, necessário para a produção de embalagens. Esta cotação deve incluir pelo menos as seguintes informações:

– preço de fornecimento.

– Prazo de entrega em dias.

– Dias de crédito para pagar.

As cotações são recebidas de três fornecedores. Com essas informações, é feita a seguinte tabela de avaliação de preços para o suprimento ABC:

Análise de fornecimento: O que consiste e como é feito 2

O gerente de logística deve selecionar o licitante de quem esse suprimento será comprado, com base nas seguintes considerações:

– O preço é o atributo mais importante, pois é essencial para a empresa gerar a maior lucratividade na venda das embalagens.

– O tempo de existência do suprimento ABC no estoque será de 15 dias.

– A capacidade financeira da empresa é muito solvente.

Ao analisar a oferta na tabela, o gerente escolhe o fornecedor de AA por oferecer o melhor preço, com um prazo de entrega inferior a 15 dias após a existência do fornecimento e oferecendo um prazo de pagamento competitivo.

Referências

  1. Bacca Urbina (1990). Estudo de mercado, parte II, capítulo 2.6. Avaliação de projetos. McGraw-Hill 2nd. Edição
  2. Susan MaGee (2018). Como conduzir e preparar uma análise competitiva. Fundação Edward Lowe. Retirado de: edwardlowe.org.
  3. Michael Kerr (2018). Como escrever uma análise de mercado. Bplans Começar um negócio fácil. Retirado de: articles.bplans.com.
  4. Soledad Orjuela Córdova, Paulina Sandoval Medina (2002). Guia de estudo de mercado para avaliação de projetos. Universidade do Chile. Faculdade de ciências econômicas e administrativas. Retirado de: emprendeunefa.files.wordpress.com
  5. Raymond Hehman (1984). Desenvolvimento e execução de estratégias de marketing. Norma Publishing. Segunda reimpressão 1991.

Deixe um comentário