Aqueduto Silvio: características deste canal cerebral

Aqueduto Silvio: características deste canal cerebral 1

O aqueduto de Silvio é um conduto ou canal localizado em uma estrutura do cérebro chamada mesencéfalo e cuja função é transportar, de um ventrículo para outro, o líquido cefalorraquidiano, que atua como um amortecedor e nos protege de inchaços na cabeça, entre Outras funções relevantes para o nosso corpo.

Neste artigo, explicamos o que o aqueduto Silvio, quais são suas características, onde está localizado, quais funções ele executa, como se desenvolve e quais são os principais distúrbios associados ao mau funcionamento dessa estrutura cerebral.

O que é o aqueduto Silvio?

Na neuroanatomia, é conhecido pelo aqueduto Silvio, aqueduto cerebral ou aqueduto do mesencéfalo, ao ducto localizado no cérebro médio, responsável pela conexão do terceiro e quarto ventrículo do cérebro e pelo qual o líquido cefalorraquidiano (LCR) que permeia o cérebro e medula espinhal.

O LCR é uma substância líquida que desempenha funções básicas no sistema nervoso, dentre as quais se destacam: atuar como protetor contra lesões na cabeça; fornecer suporte hidropneumático; eliminar metabólitos residuais do sistema nervoso; e age como um mecanismo homeostático quando certos desequilíbrios hormonais ocorrem no corpo.

Atualmente, a denominação de aqueduto de Silvio está em desuso e, na atual nomenclatura anatômica, o nome que recebe essa estrutura cerebral é aqueduto do mesencéfalo ou, simplesmente, aqueduto cerebral . No entanto, ao longo deste artigo, usaremos o termo aqueduto Silvio para fazer referência a ele.

  • Você pode estar interessado: ” Líquido cefalorraquidiano: composição, funções e distúrbios “

Localização e estrutura

O aqueduto de Silvio é encontrado no mesencéfalo ou mesencéfalo , uma das partes que constituem o tronco cerebral. Essa estrutura cerebral está localizada na protuberância ou ponte de Varolio e abaixo do diencéfalo (composto do tálamo e do hipotálamo, entre outras estruturas) e é integrada pelo teto (ou teto), localizado na parte dorsal; e o tegmento (ou tegumento), localizado logo abaixo do tectum.

O mesencéfalo ou mesencéfalo é constituído por vários núcleos neuronais : a substância periacereuclear cinza, envolvida no processamento da dor ou estímulos ameaçadores; o núcleo vermelho, que controla vários processos motores; e a substância negra, componente dos núcleos basais cujas funções estão relacionadas ao controle motor, aprendizado e mecanismos de recompensa.

O aqueduto de Silvio, como comentamos no início do artigo, é um canal que comunica o terceiro e o quarto ventrículos, em um sistema de quatro cavidades ou ventrículos. Os dois ventrículos laterais estão localizados ao longo dos hemisférios cerebrais e se conectam ao terceiro ventrículo através do orifício interventricular ou Monro.

Em relação ao terceiro ventrículo, deve-se notar que é uma cavidade localizada na linha média do cérebro e é limitada de cada lado pelo tálamo e pelo hipotálamo. Na parte frontal, comunica-se, como comentamos, com os ventrículos laterais e, na parte posterior, com o aqueduto de Silvio.

Por sua vez, o quarto ventrículo é aquele localizado em um nível mais baixo dos quatro ventrículos cerebrais . Estende-se do aqueduto Silvio até o canal central da extremidade superior da medula espinhal, com o qual se comunica através de vários orifícios: os orifícios de Luschka, localizados nas laterais; e o buraco Magendie, localizado no centro e entre os dois buracos de Luschka.

  • Você pode estar interessado: ” Ventrículos cerebrais: anatomia, características e funções “

Recursos e desenvolvimento

O aqueduto de Silvio, como o nome indica, é um canal ou sistema de irrigação do líquido cefalorraquidiano que conecta o terceiro e o quarto ventrículos e que, juntamente com os ventrículos laterais, constituem o sistema ventricular que protege o cérebro, entre outros funções

O desenvolvimento do sistema ventricular ocorre paralelamente ao restante do sistema nervoso central. Os ventrículos cerebrais são derivados do neuroepitélio embrionário. Ambos os ventrículos, como o aqueduto de Silvio e o ducto central da medula espinhal, são revestidos por uma camada epitelial de células cúbicas e cilíndricas, denominada ependimária.

A partir da quinta semana de desenvolvimento embrionário, as vesículas cerebrais são diferenciadas em: telecéfalo, diencéfalo, mesencéfalo, metancéfalo e micelefalia. Essas vesículas são ocas por dentro e mantêm suas cavidades até o desenvolvimento na idade adulta: o que sabemos pelos ventrículos cerebrais.

Na sexta semana, a divisão das vesículas cerebrais é mais clara; o cérebro anterior já se diferenciou em telencéfalo e diencéfalo. O mesencéfalo, por outro lado, não foi dividido e sua maior cavidade se estreita progressivamente nos estágios iniciais, formando o aqueduto de Silvio, que comunica o terceiro com o quarto ventrículo.

O mesencéfalo ou mesencéfalo é a estrutura que sofre menos alterações durante o desenvolvimento, com exceção de sua parte mais caudal. Finalmente, o comprimento que o aqueduto Silvio atinge é de aproximadamente 18 milímetros.

Distúrbios relacionados

A hidrocefalia é um grupo de doenças causadas por um aumento no líquido cefalorraquidiano (LCR) no interior da cavidade craniana. Sua incidência é de 1 ou 2 casos por 1.000 nascimentos e ocorre com maior frequência devido a causas congênitas do que adquiridas. Nos casos em que ocorre hidrocefalia congênita, fatores teratogênicos, desnutrição, toxinas etc. podem influenciar.

Existem três tipos principais de hidrocefalia: comunicante ou não obstrutiva, originados quando a absorção do LCR não é adequada; não comunicantes ou obstrutivos, que ocorrem quando o fluxo do LCR é bloqueado em um ou mais canais que conectam alguns ventrículos a outros; e os normotensos, nos quais é gerado um aumento do LCR nos ventrículos, com um leve aumento na pressão intracraniana.

Um dos distúrbios mais comuns relacionados ao dano ou obstrução do aqueduto Silvio é o conhecido como hidrocefalia devido à estenose congênita do aqueduto (HSAS) . Essa doença, associada a um fenótipo que faz parte do espectro clínico da síndrome L1 ligada ao cromossomo X, causa hidrocefalia obstrutiva grave, geralmente de início pré-natal, que produz sinais de hipertensão intracraniana, abdução do polegar, sintomas de espasticidade e déficit grave. intelectual

Nas crianças, um dos sintomas mais comuns envolve um rápido aumento na circunferência ou no tamanho da cabeça. Também pode haver outros sintomas autonômicos ou somáticos que podem incluir vômitos, irritabilidade, sonhos e convulsões.

Embora as consequências da hidrocefalia variem de paciente para paciente com base na idade, progressão da doença e diferenças individuais na tolerância ao LCR, deve-se notar que a hidrocefalia devido à estenose do aqueduto Silvio representa o final mais grave do espectro e tem um prognóstico pouco lisonjeiro.

Referências bibliográficas:

  • Carlson, BM (2005). Embriologia humana e biologia do desenvolvimento. Elsevier,.
  • López, LP, Pérez, SM e de la Torre, MM (2008). Neuroanatomia Pan-American Medical Ed.

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies