As 13 doenças mais comuns da desnutrição

A desnutrição é um problema de saúde pública que afeta milhões de pessoas em todo o mundo, especialmente em países em desenvolvimento. As consequências da desnutrição vão além da simples falta de nutrientes, podendo causar uma série de doenças e complicações graves. Neste contexto, conhecer as 13 doenças mais comuns associadas à desnutrição é fundamental para a prevenção e tratamento adequados desses problemas de saúde.

Doenças relacionadas à desnutrição: conheça os principais problemas de saúde causados pela falta de nutrientes.

A desnutrição é um problema grave que afeta milhões de pessoas em todo o mundo. A falta de nutrientes essenciais no organismo pode desencadear uma série de doenças e complicações de saúde. Conheça agora as 13 doenças mais comuns causadas pela desnutrição.

1. Anemia: A falta de ferro na dieta pode levar à anemia, uma condição que causa fadiga, fraqueza e palidez.

2. Beribéri: A deficiência de vitamina B1 pode causar beribéri, uma doença caracterizada por fraqueza muscular, dormência e problemas cardíacos.

3. Cegueira noturna: A falta de vitamina A pode levar à cegueira noturna, dificultando a visão em ambientes com pouca luz.

4. Escorbuto: A ausência de vitamina C na dieta pode causar escorbuto, uma doença que provoca sangramento nas gengivas, fraqueza e dores articulares.

5. Raquitismo: A falta de vitamina D pode resultar em raquitismo, uma condição que enfraquece os ossos e causa deformidades ósseas.

6. Desenvolvimento cognitivo prejudicado: A desnutrição pode afetar o desenvolvimento cognitivo, causando dificuldades de aprendizagem e problemas de memória.

7. Deficiência imunológica: A falta de nutrientes pode comprometer o sistema imunológico, tornando o organismo mais suscetível a infecções e doenças.

8. Retardo no crescimento: Crianças desnutridas podem apresentar um retardo no crescimento físico e desenvolvimento motor.

9. Perda de massa muscular: A desnutrição pode levar à perda de massa muscular, causando fraqueza e dificuldade de locomoção.

10. Queda de cabelo: A falta de certos nutrientes na dieta pode resultar em queda de cabelo e problemas de pele.

11. Problemas digestivos: A desnutrição pode causar problemas digestivos como diarreia, constipação e irritação intestinal.

12. Fragilidade óssea: A falta de cálcio e vitamina D pode tornar os ossos mais frágeis e propensos a fraturas.

13. Problemas cardíacos: A desnutrição pode afetar o funcionamento do coração, aumentando o risco de doenças cardiovasculares.

Portanto, é fundamental manter uma alimentação equilibrada e rica em nutrientes para prevenir essas e outras doenças relacionadas à desnutrição. Consulte um nutricionista para saber como garantir uma dieta saudável e balanceada.

Tipos de desnutrição: conheça os 3 principais.

A desnutrição é um problema de saúde pública que afeta milhões de pessoas em todo o mundo. Ela pode se manifestar de diversas formas, sendo importante conhecer os principais tipos para identificar e tratar adequadamente. Abaixo, apresentamos os 3 tipos mais comuns de desnutrição:

Desnutrição energético-protéica: Este tipo de desnutrição ocorre quando há deficiência de calorias e proteínas na alimentação. Isso pode levar a perda de peso, enfraquecimento dos músculos, comprometimento do sistema imunológico e dificuldade de cicatrização de feridas.

Desnutrição calórica: Neste caso, a pessoa consome menos calorias do que o necessário para manter suas funções vitais. Isso pode resultar em cansaço constante, fraqueza, tonturas, desmaios e dificuldade de concentração.

Desnutrição de micronutrientes: Também conhecida como desnutrição oculta, este tipo ocorre quando há deficiência de vitaminas e minerais essenciais no organismo. Isso pode causar problemas de visão, enfraquecimento dos ossos, anemia, entre outros sintomas.

É importante ressaltar que a desnutrição pode ser prevenida e tratada com uma alimentação adequada e equilibrada, rica em nutrientes essenciais. Caso suspeite de desnutrição, é fundamental buscar a orientação de um profissional de saúde para receber o diagnóstico correto e o tratamento adequado.

Principais causas da desnutrição no Brasil: um panorama detalhado e preocupante.

A desnutrição é um problema grave que afeta milhões de pessoas em todo o mundo, inclusive no Brasil. Existem várias causas que contribuem para esse cenário preocupante, e é importante compreender as principais para buscar soluções eficazes.

Uma das principais causas da desnutrição no Brasil é a falta de acesso a uma alimentação adequada e nutritiva. Muitas famílias não têm condições financeiras para comprar alimentos de qualidade, o que acaba resultando em uma dieta pobre em nutrientes essenciais como vitaminas e minerais.

Além disso, a falta de informação sobre a importância de uma alimentação balanceada também é um fator que contribui para a desnutrição. Muitas pessoas não sabem quais são os alimentos mais saudáveis e como montar um prato equilibrado, o que acaba levando a escolhas alimentares inadequadas.

Relacionado:  Os 15 melhores alimentos para aumentar as nádegas (naturais)

Outro fator importante é a falta de políticas públicas eficazes para combater a desnutrição. O governo muitas vezes não investe o suficiente em programas de alimentação e educação nutricional, o que acaba deixando a população vulnerável à desnutrição.

Além disso, a desigualdade social e a falta de acesso a serviços básicos como saúde e educação também contribuem para a desnutrição no Brasil. Pessoas em situação de vulnerabilidade têm mais chances de sofrer com a falta de alimentos e de cuidados médicos adequados, o que acaba agravando o problema da desnutrição.

É fundamental que medidas sejam tomadas para combater essa realidade preocupante e garantir que todos tenham acesso a uma alimentação saudável e nutritiva.

Qual é o tipo de desnutrição mais preocupante em termos de gravidade?

A desnutrição é um problema grave que afeta milhões de pessoas em todo o mundo. Entre as diversas doenças causadas pela desnutrição, algumas são mais comuns e preocupantes do que outras. Mas qual é o tipo de desnutrição mais preocupante em termos de gravidade?

De acordo com especialistas, a desnutrição grave, também conhecida como desnutrição aguda, é o tipo mais preocupante. Esse tipo de desnutrição ocorre quando o corpo não recebe os nutrientes necessários para funcionar adequadamente. Como resultado, a pessoa pode apresentar sintomas graves como perda de peso, fraqueza extrema e problemas de saúde sérios.

Entre as 13 doenças mais comuns causadas pela desnutrição, a desnutrição grave se destaca pela sua gravidade e pelas suas consequências para a saúde. Por isso, é fundamental prevenir e tratar esse tipo de desnutrição com urgência, a fim de evitar complicações e garantir a saúde e o bem-estar das pessoas afetadas.

Portanto, é importante estar atento aos sinais e sintomas da desnutrição grave e buscar ajuda médica o mais rápido possível. Com a devida atenção e cuidado, é possível prevenir e tratar essa condição, garantindo uma melhor qualidade de vida para aqueles que sofrem com ela.

As 13 doenças mais comuns da desnutrição

As doenças de desnutrição mais comuns são diabetes, obesidade, osteoporose, anemia, doença cardíaca coronária, câncer, beribéri, pressão alta, bócio e cárie.

Você pode ter lido em muitas ocasiões os benefícios de uma boa dieta, mas raramente mencionou os riscos que podem ocorrer. Os efeitos e, portanto, os problemas podem ser múltiplos.

As 13 doenças mais comuns da desnutrição 1

Os especialistas aconselham uma dieta variada onde são adquiridas vitaminas e nutrientes necessários para o bom funcionamento do corpo. Anemia ou diabetes são apenas algumas das doenças que mencionamos que ocorrem devido à falta de nutrição ideal.

A seguir, analisaremos em uma lista as diferentes doenças nutricionais existentes, como preveni-las e, acima de tudo, como tratá-las.

Doenças causadas por má alimentação

-Diabetes

Nomeado cientificamente sob o nome de Diabetes Mellitus, é uma alteração hormonal na qual ocorre uma lesão nas ilhotas de Langerhans do pâncreas, causando problemas na secreção de insulina.

Tudo isso resulta em hiperglicemia, nosso rim precisando de uma quantidade maior de água para manter o açúcar em solução.

Ao falar sobre esta doença, dois tipos devem ser enfatizados:

  • Diabetes tipo 1 : comum em adolescentes ou adultos jovens. Ocorre uma falta de insulina e a glicose se acumula na corrente sanguínea. Dessa maneira, o corpo não pode usá-lo para obter a energia necessária. Este tipo de diabetes pode ocorrer devido a uma infecção alimentar.
  • Diabetes tipo 2 : é o diabetes mais agressivo. É uma doença crônica que faz com que nossos níveis de glicose no sangue permaneçam sempre em níveis elevados. Esta doença se desenvolve há anos em nosso corpo.

Como evitá-lo?

O excesso de peso é uma das principais causas desta doença, uma vez que a gordura dificulta o uso de insulina pelo organismo. Para fazer isso, basta fazer uma ingestão saudável e combinar com o exercício físico para reduzir as chances de sofrer uma alta porcentagem.

-Doença coronária

A doença cardíaca coronária consiste em um estreitamento dos vasos sanguíneos, dificultando o transporte de oxigênio e sangue para o coração. Isto é devido ao consumo constante usual de gorduras saturadas. Estes estão posicionados como um dos menos benéficos para o nosso corpo e, dessa forma, obstruem o fluxo que atravessa nossos vasos sanguíneos.

Como evitá-lo?

Devemos evitar a ingestão de alimentos que contenham quantidades abundantes de gordura saturada. Isso é especialmente estabelecido em animais, que devemos consumir de maneira mais moderada e em níveis mais baixos.

Relacionado:  10 excelentes benefícios do caviar para a saúde

-Osteoporose

Novamente, as gorduras fazem com que esta doença se desenvolva amplamente no corpo do ser humano. Além desses, também vemos como açúcares e carnes são consequências da osteoporose.

Como evitá-lo?

Se você deseja minimizar o risco de sofrer com esse tipo de doença, é recomendável adicionar alimentos como peixe, grãos ou laticínios que fornecem cálcio. Tudo isso evitando alimentos processados.

-Anemia

Essa doença faz com que nosso sangue se transforme em perda de glóbulos vermelhos de uma maneira que não permita tempo para substituir os novos. É mais comum em mulheres entre a puberdade e a menopausa.

É comum porque as mulheres perdem sangue durante a menstruação e, de fato, quase 50% das mulheres grávidas sofrem de anemia. Sua principal causa é a falta de alimentos ricos em ferro.

Como evitá-lo?

Existem várias maneiras de prevenir esta doença, mas a principal é a ingestão de alimentos que contêm grandes quantidades de ferro, vitaminas A (vegetais verdes) e C (entre as quais encontramos frutas cítricas e tomates), bebemos água limpa ou evitamos beber líquidos como café ou chá preto, pois essas bebidas impedem o corpo de absorver ferro.

-Câncer

Todos nós conhecemos o câncer e sabemos que diferentes tipos podem se desenvolver em nosso corpo. Mas aqueles que são especialmente relacionados nutricionalmente são os do cólon e do estômago.

Como evitá-lo?

Realizar uma dieta saudável correta, onde o excesso de gorduras não entra em jogo demais e, ao contrário, é necessário um alto teor de fibras.

-Beriberi

O beribéri é produzido devido à falta de vitamina B, uma das mais importantes para ajudar nosso corpo a converter os alimentos que ingerimos em energia.

Aparece principalmente quando há um alimento principal que é o grão ao qual a camada de força foi removida ou, diretamente, uma raiz que carrega amido. Isso leva a fraquezas visíveis nas pernas e inchaço em diferentes partes do corpo.

É mais comum em mulheres que caem entre a puberdade e a menopausa (da mesma maneira que ocorre a anemia), podendo transmitir hereditárias.

Como evitá-lo?

Comer alimentos ricos em tiamina (contém vitamina B), entre os quais podemos encontrar carnes, peixes ou cereais, além de laticínios, como leite ou ovo.

-Hipercolesterolemia

A hipercolesterolemia leva nosso corpo a apresentar níveis elevados de colesterol, danificando as artérias e levando ao aparecimento de aterosclerose, um sintoma que pode causar um infarto ao longo do tempo. A ingestão abundante de alimentos de origem animal (como carne, ovos, leite etc.) pode nos levar a tais extremos.

Como evitá-lo?

A introdução em nossa dieta de grandes quantidades de fibras, como diferentes tipos de frutas e vegetais, peixe azul, nozes e grãos integrais, seria conveniente.

-Osteomalácia e raquitismo

Osteomalácia e raquitismo ocorrem em adultos e crianças, respectivamente, e são causados ​​pela deficiência de vitamina D, cálcio e fosfato, contribuindo para a não regulação dos níveis de cálcio e fosfato em nosso corpo.

Essas duas doenças levam a uma fraqueza nos ossos, amolecendo-os e transportando essa falta para os músculos.

Como evitá-lo?

A vitamina D é essencial para ajudar a prevenir essas doenças. Para introduzi-lo em nossa dieta, é essencial que tomemos laticínios, alimentos fortificados e vegetais.

-Drop

A gota ocorre quando carne vermelha, bebidas açucaradas (como sucos comerciais ou bebidas energéticas) ou bebidas alcoólicas são ingeridas em excesso.

Isso ocorre de uma maneira que aumenta a quantidade de ácido úrico no sangue devido a esses alimentos. Seus sinais são fortes dores nas articulações, como joelhos e pés.

Como evitá-lo?

A conhecida doença de Napoleão Bonaparte poderia ser evitada com uma ingestão adequada de carne, legumes, legumes e, claro, frutas.

-Goiter

O bócio faz com que a glândula tireóide inche no pescoço. Isto é devido à falta de iodo em nosso corpo. Segundo o New York Times, pode haver um retardo mental no QI de 10 a 15 pontos.

Como evitá-lo?

Coma frutos do mar, como peixes e mariscos, e outros como algas.

-Caries

As cáries são o terror das crianças, e principalmente dos pais. A causa do aparecimento de cárie está intimamente relacionada ao consumo de açúcar na maior medida possível, embora carboidratos e gorduras o ajudem. Da mesma forma, a higiene bucal desempenha um papel transcendental.

Relacionado:  Os 30 alimentos com mais cálcio (não lácteos)

Como evitá-lo?

É suficiente com um grande controle majoritário sobre as quantidades de açúcar ingeridas. Depois disso, a limpeza dentária também ajudará a reduzir a probabilidade de desenvolvimento de diferentes cáries.

-Hipertensão arterial

Semelhante à hipercolesterolemia. A hipertensão é a elevação da pressão arterial, criando assim uma circulação sanguínea incorreta. Como resultado, ataques cardíacos ou embolias podem ocorrer. Isto é devido aos excessos de diferentes tipos de gorduras e sais em nossa dieta diária.

Como evitá-lo?

Diferentes tipos de dietas foram criadas, como as Abordagens Dietéticas para Parar a Hipertensão Arterial, baseadas na redução de sódio e na contribuição de nutrientes e fibras com alimentos ricos em potássio, cálcio e magnésio.

-Obesidade

Sem dúvida, a obesidade é uma das principais doenças causadas por má alimentação. A ingestão abundante de alimentos nos leva a um aumento desproporcional da massa corporal em níveis elevados.

Isto é especialmente devido a alimentos ricos em gordura, açúcares e diferentes tipos de leveduras. Além de ser uma doença de má nutrição, é um dos principais problemas da cultura ocidental que busca erradicar e crescer aos trancos e barrancos.

Como evitá-lo?

A prevenção desta doença é simples. Basta tomar uma dieta completa e variada e combiná-la com exercícios físicos para não empalidecer problemas relacionados ao sobrepeso e obesidade.

Problemas relacionados à perda de peso

Esta seção tem como objetivo falar sobre problemas relacionados à perda de peso, mas ainda não é uma conseqüência da má nutrição.

Tais como bulimia ou anorexia levam nosso corpo a extremos perto da morte devido à falta de uma boa rotina ou de uma dieta que nos mantenha saudáveis.

-Anorexia

A anorexia é um distúrbio alimentar que faz com que nosso peso diminua até chegarmos a um estado doente. É uma diminuição progressiva dos quilos em que o paciente pensa que vai ganhar peso facilmente, vendo-se com excesso de peso quando realmente não está.

Isso, além de um processo mental e social, é um processo de eliminação de carboidratos, posteriormente de gorduras, proteínas e, posteriormente, atingindo a negação de líquidos.

Como tratá-lo?

Em primeiro lugar, procurar um psicólogo para realizar o distúrbio dessa maneira a partir de um ponto psíquico. Depois de resolver esse primeiro obstáculo, o problema deve ser abordado do ponto de vista nutricional.

Esse processo é chamado de feedback e deve-se tentar integrar os diferentes nutrientes necessários ao nosso corpo de maneira gradual e progressiva, para que o paciente possa adaptar a rotina de ingestão pouco a pouco.

-Bulimia

A bulimia é outro distúrbio psicológico e nutricional relacionado à obsessão pelo excesso de peso e a consequente busca por sua perda. Nesse sentido, as pessoas que sofrem dessa doença, diferentemente dos anoréxicos, sentem uma atração contínua ansiosa por comer continuamente.

A solução que eles buscam contra o sentimento contraditório de querer comer e não querer ganhar peso é o vômito auto-induzido, como forma de se autopunir por comer. Também o uso de laxantes é geralmente usado, embora em menor grau. Há também casos de pacientes que realizam exercícios físicos até a exaustão.

Como tratá-lo?

O tratamento baseia-se principalmente na psicoterapia (bem como na anorexia) tratada por especialistas e no uso de diferentes tipos de medicamentos, a fim de evitar vômitos diferentes e tentar normalizar seu processo metabólico interno para que ele seja realizado. Ingestão adequada de calorias por dia.

-Depressão

Como já vimos antes, a má nutrição pode levar a várias doenças, mas há uma que merece menção especial: depressão.

Embora possa parecer uma mentira, uma baixa ingestão de alimentos pode levar à queda de diferentes depressões. Isto é devido à grande multidão de desequilíbrios que ocorrem em nosso corpo e que fazem a falta de nutrientes não nos permite carburar física e psicologicamente da maneira desejada.

Sabemos com antecedência que alimentos como os que já foram preparados e, principalmente, o fast food são as principais causas de uma baixa ingestão de vitaminas, minerais e gorduras nocivas ao organismo.

Isso pode ser combatido com o uso correto dos nutrientes necessários para o nosso corpo. Para fazer isso, os alimentos devem se basear em diferentes pilares que equilibrarão nossa dieta.

Entre eles, vemos frutas, vegetais, proteínas e carboidratos na quantidade adequada. Isso nos fará seguir uma dieta que aumenta nosso humor e anula os sintomas depressivos.

Deixe um comentário