Gráfico de barras: características, para que serve, exemplos

O gráfico de barras é uma representação visual de dados que utiliza barras retangulares para mostrar a comparação entre diferentes categorias. Ele é uma ferramenta muito útil para visualizar e analisar informações de forma clara e eficiente.

Este tipo de gráfico é amplamente utilizado em diversas áreas, como estatística, economia, marketing, entre outros, para apresentar dados de forma simples e fácil de entender. Ele permite identificar rapidamente padrões, tendências e diferenças entre os grupos de dados.

Alguns exemplos de uso do gráfico de barras incluem a comparação de vendas de diferentes produtos, a análise de desempenho de alunos em uma escola, a apresentação de resultados de pesquisas de opinião, entre outros.

Exemplos de gráficos de barras: como são e quando usar essa representação visual.

Os gráficos de barras são uma forma eficaz de representar visualmente dados numéricos. Eles consistem em barras horizontais ou verticais que representam a quantidade ou valor de cada categoria. Cada barra é proporcional ao valor que ela representa, facilitando a comparação entre diferentes categorias.

Essa representação visual é muito útil para comparar quantidades ou valores de diferentes categorias, identificar tendências e padrões, e destacar diferenças significativas. Os gráficos de barras são amplamente utilizados em diversos contextos, como em relatórios, apresentações, artigos científicos e até mesmo em materiais educacionais.

Um exemplo simples de gráfico de barras é a representação do faturamento mensal de uma empresa ao longo de um ano. Cada barra representa o faturamento de um mês específico, permitindo uma fácil visualização das variações ao longo do tempo. Outro exemplo é a comparação de vendas de diferentes produtos em uma loja, onde cada barra representa as vendas de um produto específico.

Eles são amplamente utilizados em diversos contextos e são uma forma eficaz de comunicar informações de forma clara e objetiva.

Importância e função do gráfico de barras na representação visual de dados estatísticos.

A representação visual de dados estatísticos por meio de gráficos é uma ferramenta fundamental para facilitar a compreensão e interpretação das informações apresentadas. Dentre os diversos tipos de gráficos disponíveis, o gráfico de barras se destaca por sua simplicidade e eficácia na visualização de dados comparativos.

A importância do gráfico de barras está relacionada à sua capacidade de tornar os dados mais acessíveis e claros para o público em geral. Através das barras que representam as informações, é possível identificar rapidamente diferenças e tendências, facilitando a análise e tomada de decisões.

A função do gráfico de barras é apresentar de forma visual e organizada os dados estatísticos, permitindo uma comparação direta entre diferentes categorias ou períodos. Além disso, ele é útil para destacar padrões, tendências e outliers nos dados, auxiliando na identificação de informações relevantes.

Um exemplo clássico de utilização do gráfico de barras é a comparação de vendas de produtos ao longo de um determinado período. Ao representar cada produto por uma barra e comparar as alturas das barras, é possível identificar quais produtos tiveram melhor desempenho em vendas e em qual período isso ocorreu.

Quais são os atributos que compõem um gráfico e sua importância na representação visual?

Os gráficos são ferramentas visuais poderosas que auxiliam na representação de dados de forma clara e eficaz. Eles são compostos por diversos atributos que contribuem para a sua compreensão e interpretação, tais como título, eixos, legendas, escalas, cores e formas. Cada um desses elementos desempenha um papel fundamental na construção do gráfico e na transmissão da informação de maneira objetiva.

Relacionado:  O que é classificação nas estatísticas? (Com exemplos)

O título do gráfico fornece uma descrição sucinta do conteúdo que está sendo apresentado, ajudando o leitor a entender o contexto dos dados. Os eixos são responsáveis por indicar as variáveis representadas no gráfico, permitindo a visualização das relações entre elas. As legendas explicam o significado das cores, símbolos ou linhas utilizadas no gráfico, facilitando a sua interpretação.

As escalas são essenciais para garantir a precisão na representação dos dados, permitindo a comparação entre diferentes valores. As cores são utilizadas para destacar informações importantes e diferenciar categorias, tornando o gráfico mais atrativo e fácil de entender. As formas, por sua vez, podem ser utilizadas para representar diferentes tipos de dados, como barras, linhas ou pontos.

A importância desses atributos na representação visual dos gráficos está relacionada à sua capacidade de simplificar informações complexas, tornando-as acessíveis e compreensíveis para um público amplo. Um gráfico bem construído pode facilitar a identificação de tendências, padrões e relações entre os dados, auxiliando na tomada de decisões e na comunicação eficaz de resultados.

Portanto, ao criar ou interpretar um gráfico, é essencial considerar cuidadosamente cada um desses elementos para garantir a sua eficácia na transmissão da informação.

Aplicações do gráfico de barras em diferentes contextos e situações específicas.

O gráfico de barras é uma ferramenta visual amplamente utilizada em diferentes contextos e situações específicas. Sua principal característica é a representação dos dados por meio de barras retangulares, facilitando a comparação entre diferentes categorias.

Uma das aplicações mais comuns do gráfico de barras é na apresentação de dados estatísticos, como por exemplo, a comparação de vendas de diferentes produtos ao longo de um período de tempo. Nesse contexto, o gráfico de barras permite uma visualização rápida e clara das informações, facilitando a identificação de tendências e padrões.

Além disso, o gráfico de barras também é amplamente utilizado em pesquisas de opinião, onde as respostas dos entrevistados são categorizadas em diferentes grupos e apresentadas de forma visual. Isso facilita a análise dos dados e a identificação de padrões de comportamento.

Outra aplicação importante do gráfico de barras é na representação de dados geográficos, como a distribuição de uma determinada variável em diferentes regiões. Nesse caso, as barras podem ser utilizadas para representar a quantidade ou a proporção de um determinado fenômeno em cada localidade.

Gráfico de barras: características, para que serve, exemplos

Gráfico de barras: características, para que serve, exemplos

Um gráfico de barras , também chamado de diagrama de barras, é uma maneira de representar dados, valores ou frequências relacionados entre si, usando barras verticais ou horizontais. O comprimento destes é proporcional à magnitude que eles representam.

Os gráficos de barra são muito úteis, não apenas porque permitem apreciar rapidamente as tendências das variáveis, mas também porque são fáceis de construir e interpretar.

Por exemplo, temos o gráfico acima, que mostra os lucros de uma loja ao vender um determinado produto, durante os primeiros 6 meses do ano. A tendência é ascendente, conforme indicado pela seta.

O que possui um gráfico de barras?

Para ser útil, o gráfico precisa ter:

Relacionado:  Quasivariância: fórmula e equações, exemplos, exercício

Um título: é muito importante um cabeçalho em um local visível, que descreva brevemente o que está sendo comparado.

Categorias discretas em um dos eixos : que no exemplo correspondem aos meses do ano, representados diretamente com seus nomes no eixo horizontal. Observe que não há escala para as categorias e a largura de todas as barras é a mesma.

Além disso, as barras são separadas, apontando para o fato de que as categorias são discretas. Isso significa que eles não têm valores infinitos em um determinado intervalo finito.

Magnitude numérica no outro eixo : no exemplo, elas correspondem ao lucro por mês para as vendas indicadas em $ e estão no eixo vertical. Este é outro ponto muito importante, pois as unidades devem ser cuidadosamente especificadas. Além disso, no eixo vertical, há uma escala, que neste caso varia de US $ 1000 a US $ 1000.

Tamanho adequado : o gráfico precisa ser fácil de visualizar, gráficos muito pequenos não são bem interpretados.

Para que serve um gráfico de barras?

Os gráficos de barra permitem visualizar rapidamente tendências e comportamentos.

Eles são muito fáceis de fazer, tanto à mão, que não são mais estilizados, como nas planilhas do Excel e em software especializado. Com eles, você pode contrastar muitos tipos de dados: nominal ou numérico.

Os dados nominais são informativos, por exemplo, meses do ano, dias, estado civil, cores, país de nascimento, nome dos sujeitos das várias carreiras e muito mais.

Os dados numéricos podem ser classificados, classificados, agrupados ou quantificados de alguma forma. Valores negativos também são suportados, se necessário e, nesse caso, a barra estaria abaixo do eixo horizontal.

Tipos e exemplos de gráficos de barras

No exemplo dado no início, um dos tipos de gráficos de barras mais usados ​​foi mostrado, como o gráfico de barras vertical.

No entanto, os gráficos de barra têm mais versatilidade, portanto, podem ser criados de outras maneiras, seguindo os princípios básicos descritos.

Por exemplo, as barras podem ser horizontais e podem até representar várias categorias simultaneamente. Abaixo estão vários exemplos.

Gráficos de barras horizontais

Nesse tipo de gráfico, o comprimento horizontal da barra indica a magnitude da categoria representada. É vantajoso que os nomes dos dados nominais sejam muito longos para serem colocados no pé de uma barra vertical.

Eles também são adequados quando os números são grandes, se houver mais de 10 barras ou simplesmente o espaço disponível não for suficiente para criar um gráfico de barras vertical.

A seguir, temos um bom exemplo neste gráfico de porcentagens de eletricidade obtidas pela energia eólica em 15 estados dos Estados Unidos, que geralmente aproveitam essa fonte de energia.

Desta vez, a escala está no eixo horizontal, mas também as porcentagens individuais foram colocadas diretamente em cada barra, para facilitar a análise.

Também é observado que as barras começam com as mais longas e depois diminuem.

Essa é a maneira apropriada de apresentar os dados, já que você quase sempre deseja destacar o maior valor, por um lado, e o menor, por outro, embora os dados nem sempre sejam adequados.

Relacionado:  Probabilidade condicional: fórmula e equações, propriedades, exemplos

Neste exemplo, o estado com a maior porcentagem de eletricidade gerada pelo vento é Dakota do Sul e o menor é Montana, fechando o gráfico.

Gráficos de barras agrupados

Quando existem várias categorias para comparar com uma certa magnitude numérica, não há problema em atribuir uma barra a cada categoria, que geralmente se distingue por uma cor ou sombreamento específico. Dessa maneira, os subconjuntos da categoria são representados.

Neste gráfico, uma chave deve ser adicionada para reconhecer rapidamente qual barra está atribuída a uma determinada categoria. Essa chave deve estar em um local visível, que pode estar dentro do próprio gráfico ou abaixo do eixo horizontal.

Os gráficos de barras agrupados podem ser apresentados vertical ou horizontalmente, dependendo dos requisitos de espaço.

No entanto, deve-se tomar cuidado para não incluir muitos subgrupos ou subcategorias, pois, caso contrário, a análise se torna difícil e o objetivo original, que é fornecer informações, é perdido.

Gráfico de barras empilhadas

Os subgrupos também são representados nesse tipo de gráfico, mas, em vez de usar barras separadas, a mesma barra é usada. Um subgrupo é colocado em cima de outro se a barra estiver na vertical ou ao lado dela se estiver na horizontal.

A altura ou o comprimento da barra é o valor numérico atribuído a toda a categoria e a contribuição de cada subcategoria é indicada na barra segmentada, em valores absolutos ou em porcentagens.

Os gráficos de barras empilhadas são muito úteis para comparar o efeito de cada subgrupo no total da categoria. No entanto, algumas vezes os valores de cada subgrupo não são indicados e o observador precisa encontrá-los usando a escala graduada no eixo correspondente. Às vezes isso pode ser complicado.

Como no exemplo anterior, não é conveniente segmentar a barra excessivamente, pois confunde o leitor. O máximo recomendado é de 5 subgrupos.

A seguir, um exemplo com duas variáveis ​​e dados hipotéticos.

Histograma

Finalmente, temos o histograma, uma representação que também utiliza as barras e é amplamente usada em estatística descritiva. Eles são muito úteis porque indicam a maneira pela qual uma população é distribuída.

Em um histograma simples, as frequências são colocadas no eixo vertical, enquanto os valores ou intervalo de valores que a variável utiliza estão no eixo horizontal. A altura da barra é a frequência em questão, enquanto a largura acompanha o valor ou o intervalo de valores da variável.

Por exemplo, a faixa de valores pode ser a faixa etária das crianças, organizada da seguinte forma: 0 a 6 anos, 6 a 12 anos, 12 a 18 anos e valores numéricos como altura média, peso ou outro podem estar no eixo vertical. .

No histograma da figura a seguir, optamos por dividir uma população de 18 pessoas que foram submetidas a um exame de sangue no colesterol HDL.

A faixa de valores de colesterol está entre 40 e 70 mg / dL e a população foi agrupada em 6 categorias. A barra mais longa, com 6 pessoas, tem um valor entre 50 e 55 mg / dL de colesterol HDL no sangue.

Referências

  1. IBM Knowledge Center. Definição de um gráfico de barras. Recuperado de: ibm.com
  2. UNAM. Gráficos de barras. Recuperado de: asesorias.cuautitlan2.unam.mx.
  3. Universidade de Leicester. Gráficos de barra. Recuperado de: www2.le.ac.uk.
  4. Wikipedia. Gráfico de barras. Recuperado em: eu.wikipedia.org.
  5. Wikipedia. Histograma. Recuperado de: es.wikipedia.org.

Deixe um comentário