Motivação escolar: causas, efeitos e atividades

Motivação escolar: causas, efeitos e atividades

motivação escolar  é um processo interno pelo qual os alunos sentem um desejo independente de aprender, melhorar notas, aumentar seus conhecimentos e geralmente estabelecer metas relacionadas ao contexto educacional. Esse é um dos fatores mais importantes para obter bons resultados acadêmicos.

A essência da motivação em qualquer contexto é a presença de grande energia para agir e a presença de comportamentos relacionados ao alcance de metas. Quando um aluno está motivado, ele não apenas realiza o mínimo, mas também procura maneiras de expandir seu leque de ações, a fim de obter melhores resultados.

O estudo da motivação escolar é um dos campos de maior preocupação para os psicólogos da educação, uma vez que na maioria dos países desenvolvidos o abandono escolar aumenta cada vez mais e os resultados acadêmicos pioram a cada geração. Por esse motivo, existem muitos estudos relacionados a esse tópico que buscam esclarecer como aumentar a motivação para estudos.

Hoje conhecemos uma infinidade de fatores que podem influenciar a presença ou ausência de motivação escolar. Neste artigo, veremos alguns dos mais importantes, além de estudar os efeitos de baixos níveis de motivação e as maneiras mais eficazes de aumentá-lo.

Causas da falta de motivação

A motivação escolar é um fenômeno psicológico complexo e, como tal, não é fácil apontar para um único fator que a constrói ou destrói. Pelo contrário, existem inúmeras causas que podem levar o aluno a se apaixonar pelo que está fazendo ou, inversamente, a ter uma motivação muito baixa.

– Falta de controle

Um dos fatores que mais influencia a presença de motivação é o sentimento de que controlamos nossos próprios objetivos, o ritmo com que trabalhamos neles e a direção em que avançamos. Infelizmente, nos contextos educacionais tradicionais, esse senso de controle é praticamente inexistente.

Nos sistemas educacionais modernos, os alunos precisam seguir um itinerário de treinamento imposto externamente, além de cumprir os objetivos escolhidos pelos professores ou pela escola em que estudam. Pesquisas a esse respeito mostram que isso reduz bastante a motivação.

– Presença de reforços e punições

De acordo com as pesquisas mais recentes nesse campo, existem basicamente dois tipos de motivação: extrínseca (causada por fatores externos à pessoa) e intrínseca (criada por fatores internos). Embora ambos possam ser úteis, o intrínseco geralmente é muito mais eficaz na consecução de objetivos e permanece mais tempo.

Relacionado:  Desenvolvimento cognitivo na adolescência: características, alterações cognitivas

No contexto educacional tradicional, o fator que mais afeta a maioria dos estudantes é a presença de reforços (boas notas) e punições (suspensas) com base em seu comportamento. Isso não é muito eficaz na criação de motivação interna da escola e, de fato, pode ser um impedimento para sua aparência.

– Falta de aplicabilidade

Outro dos fatores mais importantes para o surgimento da motivação escolar é a presença do que é conhecido como “aprendizado significativo”. Esse fenômeno refere-se à aquisição de conhecimentos ou habilidades que podem ser úteis para o aluno em sua vida cotidiana ou que podem se relacionar com suas experiências anteriores.

Infelizmente, em contextos educacionais tradicionais, não é muito comum que ocorra um aprendizado significativo. Esse fator, somado aos anteriores, faz com que a maioria dos alunos não apresente grande motivação ou desejo de aprender.

Tipos de motivação escolar

Motivação extrínseca

Nesse caso, pretende-se receber um determinado prêmio externo ou talvez evitar algo, pois a ação é realizada esperando algo de fora, como um prêmio.

Por exemplo, quando uma criança realiza uma tarefa escolar para obter uma nota mais alta dos professores ou para recompensá-la, deixando-a sair antes do recreio.

Motivação intrínseca

É sobre esse objetivo que o aluno define seu próprio sentimento em relação a algo. Desta vez, não depende de nada externo, apenas da competição e de um objetivo pessoal estabelecido pela pessoa, às vezes para aprimoramento pessoal.

Por exemplo, é essa motivação que surge para um prazer, como é o caso de saber os nomes dos personagens de uma série de televisão. Como podemos ver, o aluno não espera uma recompensa, ele faz isso por seu próprio interesse.

Efeitos na aprendizagem

Já vimos alguns dos fatores mais importantes que fazem com que a maioria dos alunos tenha um baixo nível de motivação escolar. Mas o que isso realmente significa? É realmente tão importante que os alunos se sintam motivados e ansiosos para enfrentar seus desafios educacionais?

Relacionado:  Diagnóstico educacional: tipos, como é feito e exemplo

Pesquisas a esse respeito parecem esclarecer: a falta de motivação escolar pode causar todos os tipos de efeitos adversos nos resultados dos alunos, bem como em seu estado emocional. Portanto, é essencial melhorar esse fator de alguma forma.

Problemas escolares

Entre outras coisas, a baixa motivação escolar explica em grande parte fenômenos como abandono escolar, maus resultados educacionais, comportamento inadequado nas salas de aula e dificuldades de compreensão. Um aluno que não estiver motivado terá muita dificuldade em prestar atenção e, como conseqüência, não adquirirá o conhecimento necessário.

Problemas psicológicos

Por outro lado, alguns especialistas acreditam que uma motivação escolar muito baixa pode acabar causando problemas mais sérios. Para alguns estudantes, ter que passar grande parte do dia fazendo algo que não os motiva pode levar a uma baixa auto-estima, dificuldade de concentração, atitudes rebeldes, depressão e um sentimento de falta de controle sobre a própria vida.

Como aumentar a motivação da escola?

Os efeitos da falta de motivação escolar podem ser realmente adversos para os alunos que sofrem com isso. Portanto, nas últimas décadas, especialistas em motivação tentaram encontrar maneiras de melhorar artificialmente esse fator psicológico nos estudantes.

Como já vimos, não existe um elemento único que explique por que um aluno tem mais ou menos motivação para estudar. Portanto, também não é possível encontrar uma solução única que elimine esse problema para todos os alunos. No entanto, foram encontradas algumas ferramentas que podem contribuir para resolvê-lo, pelo menos em parte.

Objetivos claros e de curto prazo

Por um lado, verificou-se que a presença de objetivos mais claros e de curto prazo na aprendizagem pode ajudar a aumentar a motivação extrínseca dos alunos, o que pode aliviar um pouco os efeitos da falta de motivação intrínseca. Recomenda-se que os professores deixem claro o que estão tentando alcançar o tempo todo, para que os alunos sintam que têm mais controle.

Relacionar o conteúdo com a vida cotidiana

Por outro lado, os especialistas em educação recomendam tentar relacionar o conteúdo estudado em sala de aula com as preocupações mais típicas dos alunos no seu dia a dia.

Relacionado:  Como prevenir o abuso infantil: 10 soluções e estratégias

Isso pode aumentar a presença de aprendizado significativo, o que, por sua vez, teria um impacto muito significativo na motivação da escola.

Estratégias para melhorar a motivação

O professor pode encontrar situações em que ele deve intervir através de uma melhoria na motivação do aluno. Abaixo, apresentamos uma série de estratégias nas quais você pode trabalhar:

– Reforce os alunos quando eles mostram comportamentos positivos.

– Definir prêmios para alcançar objetivos de curto, médio ou longo prazo.

– Tornar as aulas participativas, inclusivas e tolerantes. O aluno pode participar sem meios para receber críticas ou ridículo.

– Eliminar as críticas negativas a outros do diálogo no trabalho em grupo.

– Use o trabalho em grupo como um meio para todos colaborarem igualmente.

– Avaliar de maneira positiva o relacionamento dos membros dos grupos e as características de cada um, fortalecendo o bom trabalho.

– Analise as causas de possíveis falhas e sucessos da sorte.

– Atribuir significado a todo aprendizado, pois o aprendizado significativo implica aprendizado mais rápido.

– Adapte a aprendizagem a todos os níveis, sem ignorar os níveis mais baixos, pois eles exigem mais atenção e maior motivação.

– Use o uso da tomada de decisão, facilitando a autonomia do aluno e o trabalho em grupo.

– Use o diálogo como a principal ferramenta na sala de aula, pois é a melhor técnica para aumentar a motivação e a auto-estima.

Referências

  1. “Motivação: a chave para o sucesso acadêmico” em: Reading Rockets. Retirado em: 12 de abril de 2020 de Reading Rockets: readingrockets.org.
  2. “Motivação na educação: o que é necessário para motivar nossos filhos” em: Psicologia positiva. Retirado em: 12 de abril de 2020 de Positive Psychology: positivepsychology.com.
  3. “Uma nova maneira de ver a motivação nas escolas” em: Humanutopia. Retirado em: 12 de abril de 2020 de Humanutopia: humanutopia.com.
  4. “Motivar os alunos” em: Ensinar. Retirado em: 12 de abril de 2020 de Teach: teach.com.
  5. “8 fatores que afetam a motivação dos alunos na educação” em: Construído por mim. Retirado em: 12 de abril de 2020 de Built By Me: builtbyme.com.

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies