Os 17 tipos de narração e suas características

A narração é uma das formas mais comuns de se contar uma história, sendo utilizada em diversos gêneros literários e audiovisuais. Existem diferentes tipos de narração, cada um com suas próprias características e formas de apresentar os acontecimentos. Neste texto, iremos explorar os 17 tipos de narração e suas particularidades, mostrando como cada um pode influenciar a experiência do leitor ou espectador.

Tipos de narrador: conheça as características de cada um na literatura contemporânea.

Na literatura contemporânea, os tipos de narrador desempenham um papel fundamental na construção das histórias e na relação com o leitor. Existem 17 tipos de narração, cada um com suas características específicas que influenciam a forma como a história é contada e percebida. Vamos conhecer um pouco mais sobre cada um deles.

Narrador em primeira pessoa: Nesse tipo de narração, o narrador é um personagem da história que conta os acontecimentos a partir de sua perspectiva pessoal. Ele utiliza pronomes como “eu” e “meu” para se referir aos eventos e aos outros personagens.

Narrador em terceira pessoa: Aqui, o narrador conta a história de fora, sem participar diretamente dos eventos. Ele pode ter um conhecimento limitado ou ilimitado sobre as ações e pensamentos dos personagens.

Narrador onisciente: Esse tipo de narrador possui conhecimento total sobre os personagens e os acontecimentos da história. Ele pode revelar informações que os próprios personagens não têm acesso, proporcionando uma visão ampla e aprofundada da trama.

Narrador observador: O narrador observador é um espectador dos acontecimentos, sem interferir diretamente na história. Ele relata os eventos de forma imparcial, sem julgamentos ou opiniões próprias.

Narrador participante: Nesse caso, o narrador é um personagem que participa ativamente dos eventos da história. Ele tem uma visão limitada dos acontecimentos, pois só pode relatar o que vivenciou ou presenciou.

Narrador testemunha: O narrador testemunha é aquele que relata os acontecimentos com base no que ouviu de outros personagens. Ele não participa diretamente da ação, mas tem um papel fundamental na transmissão dos fatos.

Narrador em segunda pessoa: Esse tipo de narração é menos comum, mas ainda assim utilizado em algumas obras. Aqui, o narrador se dirige diretamente ao leitor, fazendo com que ele se sinta parte da história.

Narrador não confiável: O narrador não confiável é aquele cujas informações ou interpretações dos fatos podem não ser totalmente verdadeiras. Ele pode distorcer a realidade, omitir informações ou ter uma visão distorcida da história.

Narrador múltiplo: Nesse tipo de narração, a história é contada por vários narradores, cada um trazendo sua própria perspectiva e visão dos acontecimentos. Isso permite ao leitor ter uma visão mais ampla e diversificada da trama.

Narrador intruso: O narrador intruso é aquele que interrompe a história para fazer comentários, reflexões ou críticas sobre os personagens e os eventos. Ele quebra a linearidade da narrativa e promove uma interação mais direta com o leitor.

Narrador em fluxo de consciência: Esse tipo de narração busca reproduzir os pensamentos e emoções do personagem de forma contínua e fragmentada, sem uma estrutura narrativa tradicional. O objetivo é transmitir a experiência subjetiva da mente do personagem.

Narrador extradiegético: O narrador extradiegético está fora da história, mas ainda assim tem conhecimento dos eventos e dos personagens. Ele pode fornecer informações adicionais ou contextualizar os acontecimentos de forma mais ampla.

Narrador intradiegético: Já o narrador intradiegético faz parte da história e conta os eventos a partir de sua própria perspectiva. Ele pode ser um personagem secundário ou até mesmo o protagonista da trama.

Narrador autodiegético: O narrador autodiegético é aquele que narra sua própria história, como se fosse um autorretrato literário. Ele tem um conhecimento privilegiado dos acontecimentos, pois os viveu em primeira mão.

Narrador observador-participante: Esse tipo de narrador mescla características do observador e do participante, acompanhando os eventos de forma imparcial, mas também interagindo com os personagens e a trama de alguma forma.

Narrador epistolar: Por fim, o narrador epistolar é aquele que conta a história por meio de cartas, diários ou outros documentos escritos. Ele permite ao leitor ter acesso direto aos pensamentos e sentimentos dos personagens, sem a mediação de um narrador tradicional.

Agora que conhecemos os 17 tipos de narração e suas características, podemos perceber como cada um deles contribui para a construção de uma história única e envolvente. A escolha do narrador é uma decisão fundamental para o desenvolvimento da trama e para a relação estabelecida

Tipos de narrativa: conheça as principais formas de contar histórias de forma envolvente e cativante.

A narrativa é uma forma poderosa de transmitir mensagens, emocionar o público e criar conexões. Existem diversos tipos de narrativa, cada um com suas características específicas e formas de envolver o leitor ou espectador. Conheça a seguir os 17 tipos de narração mais comuns e suas principais características:

Relacionado:  25 belos poemas sobre a vida

1. Narrativa linear: A história é contada de forma cronológica, seguindo uma sequência lógica de eventos.

2. Narrativa não linear: Os eventos são apresentados fora de ordem cronológica, criando um efeito de suspense e surpresa.

3. Narrativa descritiva: A ênfase está na descrição detalhada de cenários, personagens e emoções.

4. Narrativa dialogada: O diálogo entre personagens é o foco principal da história.

5. Narrativa introspectiva: Explora os pensamentos e sentimentos internos dos personagens.

6. Narrativa interativa: O leitor ou espectador tem a possibilidade de influenciar o desenrolar da história.

7. Narrativa fantástica: Envolvida em elementos sobrenaturais e fantásticos.

8. Narrativa realista: Baseada em situações cotidianas e realistas.

9. Narrativa autobiográfica: O autor narra sua própria história de vida.

10. Narrativa epistolar: A história é contada por meio de cartas trocadas entre personagens.

11. Narrativa de suspense: Mantém o leitor em constante expectativa e tensão.

12. Narrativa de aventura: Repleta de ação, perigos e desafios a serem superados.

13. Narrativa de romance: Foco no desenvolvimento de relações amorosas e emocionais.

14. Narrativa de mistério: O enredo gira em torno da resolução de um mistério ou crime.

15. Narrativa histórica: Ambientada em um período histórico específico, com fatos e personagens reais.

16. Narrativa de ficção científica: Explora temas futuristas, tecnológicos e científicos.

17. Narrativa de comédia: Tem como objetivo divertir e fazer o público rir com situações engraçadas.

Independentemente do tipo de narrativa escolhido, o mais importante é cativar o público e envolvê-lo na história, despertando emoções e reflexões. Cada tipo de narração possui suas próprias características e apelos, tornando a arte de contar histórias ainda mais rica e diversificada.

Quais são os diferentes tipos de narrativas que existem?

Existem diversos tipos de narrativas que podem ser encontradas em livros, filmes, séries, peças de teatro e até mesmo em conversas do dia a dia. Cada tipo de narrativa possui características únicas que a tornam especial e cativante para diferentes públicos. Neste artigo, iremos explorar os 17 tipos de narração mais comuns e suas principais características.

1. Narrativa linear

A narrativa linear é aquela que segue uma ordem cronológica dos eventos, do início ao fim da história. Os acontecimentos são apresentados de forma sequencial, sem saltos temporais significativos.

2. Narrativa não linear

Por outro lado, a narrativa não linear apresenta os eventos de forma não sequencial, podendo haver flashbacks, flashforwards e outros recursos para criar uma estrutura mais complexa e intrigante.

3. Narrativa em primeira pessoa

Neste tipo de narrativa, o narrador é um dos personagens da história, que conta os acontecimentos a partir de sua própria perspectiva. Isso cria uma proximidade maior com o leitor ou espectador.

4. Narrativa em terceira pessoa

Já na narrativa em terceira pessoa, o narrador é um observador externo que conta a história a partir de um ponto de vista externo aos personagens. Isso permite uma visão mais abrangente e objetiva dos acontecimentos.

5. Narrativa omnisciente

A narrativa omnisciente é aquela em que o narrador conhece os pensamentos e sentimentos de todos os personagens, proporcionando uma visão completa e detalhada da história.

6. Narrativa limitada

Por outro lado, na narrativa limitada, o narrador tem acesso apenas aos pensamentos e sentimentos de um ou alguns personagens, criando uma perspectiva mais restrita e focada.

7. Narrativa descritiva

A narrativa descritiva se concentra na descrição detalhada de cenários, personagens e emoções, criando uma atmosfera rica e envolvente para a história.

8. Narrativa dialógica

Neste tipo de narrativa, o diálogo entre os personagens desempenha um papel central na construção da história, revelando suas personalidades, conflitos e relações.

9. Narrativa epistolar

A narrativa epistolar é aquela que é contada por meio de cartas, e-mails, mensagens ou outros documentos escritos, criando uma estrutura diferenciada e intimista.

10. Narrativa de suspense

A narrativa de suspense é aquela que mantém o leitor ou espectador em suspense, criando mistérios, reviravoltas e surpresas ao longo da história.

11. Narrativa de aventura

Neste tipo de narrativa, a ação, a emoção e a adrenalina são elementos-chave, levando os personagens e o público a viverem grandes aventuras e desafios.

12. Narrativa de romance

A narrativa de romance se concentra nas relações amorosas entre os personagens, explorando temas como paixão, desejo, conflitos e superações.

13. Narrativa de fantasia

Neste tipo de narrativa, elementos fantásticos, mágicos e sobrenaturais estão presentes, transportando os personagens e o público para mundos imaginários e incríveis.

14. Narrativa de ficção científica

A narrativa de ficção científica explora temas relacionados à tecnologia, ciência e futuro, criando mundos futuristas e possibilidades inovadoras.

15. Narrativa de terror

A narrativa de terror tem como objetivo assustar e provocar medo no público, explorando o sobrenatural, o desconhecido e o macabro.

16. Narrativa de comédia

A narrativa de comédia tem como objetivo divertir e fazer rir o público, explorando situações engraçadas, personagens caricatos e diálogos humorísticos.

17. Narrativa de drama

A narrativa de drama explora temas sérios, emocionais e conflitos humanos, provocando reflexões e emoções intensas no público.

Em resumo, os diferentes tipos de narrativas oferecem uma variedade de estilos, temas e abordagens que podem cativar e envolver diferentes públicos. Cada tipo de narração possui suas próprias características e qualidades únicas, proporcionando experiências de leitura e audiovisuais diversificadas e enriquecedoras.

Descubra os 7 elementos essenciais que compõem uma narrativa envolvente e cativante.

Uma narrativa envolvente e cativante é essencial para prender a atenção dos leitores e mantê-los interessados do início ao fim. Para alcançar esse objetivo, existem 7 elementos essenciais que compõem uma história de sucesso. Vamos descobrir quais são esses elementos e como eles contribuem para uma narrativa envolvente e cativante.

1. Personagens bem desenvolvidos: Os personagens são peças-chave em uma narrativa, pois são eles que conduzem a história e criam conexões emocionais com os leitores. Personagens tridimensionais, com motivações claras e conflitos internos, são essenciais para manter o interesse do público.

2. Conflito: O conflito é o motor da narrativa, é o que impulsiona a história para a frente e mantém os leitores envolvidos. Seja um conflito interno dos personagens ou um conflito externo com outros personagens ou com o ambiente, é importante que exista uma tensão que mantenha o interesse do público.

3. Enredo bem estruturado: Um enredo bem construído é fundamental para manter os leitores interessados e ansiosos para descobrir o que acontecerá a seguir. A introdução, desenvolvimento e conclusão da história devem estar bem interligados e fluir naturalmente.

4. Ambiente bem descrito: O ambiente onde a história se passa também é um elemento importante para criar uma narrativa envolvente. A ambientação detalhada e vívida ajuda os leitores a se transportarem para o mundo da história e torna a experiência mais imersiva.

5. Diálogos realistas: Os diálogos são essenciais para desenvolver os personagens e avançar a trama. Diálogos bem escritos, que soam naturais e autênticos, ajudam a construir a personalidade dos personagens e a manter o ritmo da narrativa.

6. Narrador confiável: O narrador é quem guia os leitores pela história e influencia a forma como ela é percebida. Um narrador confiável, com uma voz consistente e bem definida, ajuda a criar uma conexão com o público e a manter o interesse ao longo da narrativa.

7. Clímax e resolução: O clímax é o ponto de virada da história, onde as tensões atingem o ápice e os conflitos são resolvidos. Uma resolução satisfatória é essencial para concluir a narrativa de forma cativante e deixar os leitores satisfeitos.

Em resumo, uma narrativa envolvente e cativante é aquela que combina personagens bem desenvolvidos, conflitos interessantes, um enredo bem estruturado, um ambiente bem descrito, diálogos realistas, um narrador confiável e um clímax e resolução satisfatórios. Ao dominar esses 7 elementos essenciais, você estará no caminho certo para criar histórias que prendem a atenção e encantam os leitores.

Os 17 tipos de narração e suas características

Existem diferentes tipos de narração , que foram classificadas levando em consideração os elementos distintivos de cada uma. Por exemplo, de acordo com o comprimento do texto, você pode encontrar romances (que são relativamente longos), romances curtos (de menor extensão), contos (curtos) e micro-descontos (muito curtos), entre outros.

De acordo com a verdade dos fatos, você pode ter narrativas de ficção e narrativas baseadas em eventos reais. Estes podem ser divididos em diferentes categorias ou gêneros.

Os 17 tipos de narração e suas características 1

Entre as narrativas de ficção, destacam-se o suspense psicológico, drama, comédia e ficção científica. Por seu lado, entre as histórias baseadas em fatos reais estão autobiografia, biografia, crônica, entre outras.

Outros tipos de narração são o épico, a fábula, o mito, a lenda, as letras, as lembranças, os diários, a parábola e as notícias.

Lista dos principais tipos de narração

Narração de ficção

A narração de ficção é um tipo de texto que conta eventos originados pela imaginação do autor. Nesse tipo de narração, o autor pode contar com elementos da realidade, que são misturados com elementos ficcionais para criar a obra final.

Narração não-ficcional

A narração não-ficcional conta eventos que realmente aconteceram. Eventos podem ser “adornados” usando recursos literários. No entanto, os fatos narrados não podem ser alterados; caso contrário, deixaria de ser uma narrativa não-ficcional.

História

A história é um dos tipos mais conhecidos de narração. É uma breve narrativa em que eventos que não são muito complexos são apresentados.

Alguns exemplos são ” Os ratos do cemitério “, de Henry Kuttner, ” O vampiro “, de John William Polidori, ” A cidade sem nome ” e ” In the Crypt “, ambos da HP Lovecraft,

Microcount

A microcontagem é uma história muito curta. Geralmente, eles têm apenas um parágrafo. Existem até micro descontos que são apenas uma frase.

Relacionado:  Os 10 principais tópicos para as principais monografias

Um exemplo desse tipo de narração é ” O corpus e o cânone “, de José María Medina:

Perseguido pela Canon, o Corpus chegou a um beco sem saída. “Por que você me assedia?”, Perguntou o Corpus à Canon: “Eu não gosto de você”, acrescentou. “O prazer é meu”, respondeu o ameaçador Canon.

Legend

A lenda é uma história curta que geralmente se baseia em eventos reais, que são exagerados a ponto de deixarem de ter credibilidade.

A maioria das lendas se concentra em um personagem histórico como o rei Arthur ou Joana d’Arc. No entanto, também existem lendas baseadas em lugares particulares, existentes ou imaginários. É o caso das lendas sobre o Triângulo das Bermudas, Atlântida e Ávalon.

Mito

O mito é um conto em que eventos sobrenaturais são narrados. Eles geralmente incluem personagens da mitologia grega e romana, como os deuses do Olimpo.

Um dos mitos mais conhecidos é o do rei Midas, que conseguiu transformar tudo que suas mãos tocavam em ouro.

Fábula

As fábulas são contos caracterizados por apresentar os animais como protagonistas. Nessas histórias, os animais são humanizados, o que significa que são atribuídas habilidades humanas, como falar.

Outro elemento que define esse tipo de história é a presença de uma moral, que é o ensino extraído da fábula.

As fábulas mais famosas são as do filósofo grego Esopo, considerado o pai desse tipo de narrativa.

Parábola

A parábola é uma história contada em prosa ou verso que se baseia em analogias para explicar um princípio. Como fábulas, esse tipo de narração deixa um ensinamento.

Épico

O épico é uma narrativa de grande duração, que geralmente é contada no versículo. O personagem principal desse tipo de história é um herói, cujas qualidades são aprimoradas.

Geralmente inclui elementos imaginários, como magia e deuses. Alguns exemplos do épico são ” A Ilíada ” e ” A Odisséia, atribuídos a Homero.

Diariamente

Os jornais são textos nos quais os eventos que ocorrem diariamente ou em um determinado período de tempo são narrados. Esses textos podem ser fictícios (como “The Falke”) ou reais (como o diário de Anne Frank).

Novel

O romance é uma narração de grande duração, geralmente escrita em prosa. Os eventos incluídos, a maneira de apresentá-los e os personagens são muito mais complexos do que os da história.

Cem anos de solidão “, de Gabriel García Márquez, e ” O nome da rosa “, de Umberto Eco, são alguns exemplos de romances.

Romance curto

O romance curto é um dos tipos mais difíceis de narração, uma vez que pode ser confundido com uma história, pois a duração de ambos é semelhante.

No entanto, a extensão não é o único elemento que deve ser levado em consideração para determinar o que é um romance curto. A complexidade das ações também deve ser levada em consideração. Se os elementos narrados forem complexos, será um romance curto e não uma história.

Alguns exemplos de romances curtos são ” O Pequeno Príncipe”, de Antoine de Saint-Exupéry, e ” Os pratos do diabo “, de Eduardo Liendo.

Notícias

As notícias são textos narrativos e informativos, que podem ser apresentados de forma escrita em jornais, revistas e mídia eletrônica ou oralmente na televisão, rádio e outras mídias audiovisuais.

Cartas

As cartas são textos narrativos que visam garantir a comunicação entre duas partes.

Cante feito

A ação de gesta é um tipo de narração típica da Idade Média, na qual são narradas as aventuras de um personagem heróico. As músicas geralmente aparecem em versos. Um exemplo disso é o ” Poema de Minas Cid ” e ” A música de Rolando “.

Biografia

A biografia é uma das narrativas não-ficcionais mais comuns. Isso consiste em contar a vida de uma pessoa, sem alterar ou modificar os eventos que ocorreram.

Autobiografia

Autobiografia é um tipo de narrativa em que a pessoa que escreve conta a própria vida.

Referências

  1. 6 Tipos de narração. Recuperado em 29 de dezembro de 2017, de nownovel.com
  2. Lista de formas narrativas. Recuperado em 29 de dezembro de 2017, de wikipedia.org
  3. Lista de tipos de narrativas. Recuperado em 29 de dezembro de 2017, de penandthepad.com
  4. Escrita Narrativa e seus tipos. Recuperado em 29 de dezembro de 2017, de slideshare.net
  5. Tipos de narrativas. Recuperado em 29 de dezembro de 2017, de enotes.com
  6. Tipos de técnicas de narrativas. Recuperado em 29 de dezembro de 2017, em education.seattlepi.com
  7. O que é escrita narrativa? Recuperado em 29 de dezembro de 2017, de study.com

Deixe um comentário