Os 9 tipos mais importantes de padrões

Os padrões são elementos essenciais na área de design e arquitetura, pois ajudam a organizar e estruturar informações de forma clara e eficiente. Existem diversos tipos de padrões, cada um com sua função específica e aplicação prática. Neste artigo, vamos explorar os 9 tipos mais importantes de padrões, desde padrões de projeto até padrões de comportamento, e como eles podem ser utilizados para melhorar a qualidade e a consistência de projetos em diversas áreas.

Descubra os 9 perfis comportamentais mais comuns e suas características distintas.

Os perfis comportamentais são padrões de comportamento que nos ajudam a entender melhor as pessoas ao nosso redor. Existem 9 tipos principais de perfis comportamentais, cada um com suas próprias características distintas. Conhecer esses perfis pode facilitar a comunicação e a interação com os outros.

1. O perfil Dominante é caracterizado por ser assertivo, determinado e focado em resultados. São pessoas que gostam de liderar e tomar decisões rápidas. Eles tendem a ser competitivos e desafiadores.

2. O perfil Influente é extrovertido, entusiasta e sociável. São ótimos em motivar os outros e em criar um ambiente positivo. São comunicativos e adoram estar no centro das atenções.

3. O perfil Estável é calmo, paciente e leal. São pessoas que priorizam a harmonia e a estabilidade. São bons ouvintes e buscam manter relações duradouras.

4. O perfil Conformista é organizado, detalhista e preciso. São perfeccionistas e gostam de seguir regras e procedimentos. São confiáveis e responsáveis.

5. O perfil Analítico é lógico, crítico e objetivo. São pessoas que valorizam a precisão e a racionalidade. São bons em resolver problemas complexos e em analisar informações.

6. O perfil Comunicativo é expressivo, criativo e emocional. São pessoas que se comunicam de forma assertiva e envolvente. São artísticos e gostam de expressar suas emoções.

7. O perfil Cooperativo é solidário, empático e colaborativo. São pessoas que se preocupam com o bem-estar dos outros e buscam sempre ajudar. São bons em trabalhar em equipe.

8. O perfil Assertivo é confiante, decisivo e autoconfiante. São pessoas que sabem o que querem e lutam por seus objetivos. São determinados e não têm medo de desafios.

9. O perfil Visionário é criativo, inovador e imaginativo. São pessoas que pensam fora da caixa e têm ideias revolucionárias. São visionários e inspiram os outros com sua visão de futuro.

Ao reconhecer esses 9 perfis comportamentais, podemos melhorar nossas relações interpessoais e criar um ambiente mais harmonioso e produtivo. Cada pessoa é única e possui uma combinação desses perfis, o que torna a convivência ainda mais interessante e enriquecedora.

Conheça os 9 tipos de personalidade do eneagrama em detalhes agora mesmo!

O Eneagrama é uma ferramenta de autoconhecimento que divide a personalidade humana em 9 tipos principais, cada um com características e padrões de comportamento específicos. Conhecer esses tipos pode nos ajudar a compreender melhor a nós mesmos e aos outros, facilitando o desenvolvimento pessoal e interpessoal.

O Tipo 1, conhecido como o Perfeccionista, é caracterizado pela busca incessante pela perfeição e pela justiça. São pessoas responsáveis, críticas e autoexigentes.

O Tipo 2, ou o Prestativo, é empático, generoso e atencioso com os outros, muitas vezes colocando as necessidades alheias acima das suas próprias.

O Tipo 3, o Bem-Sucedido, é ambicioso, motivado e focado em alcançar metas e objetivos. São competitivos e buscam constantemente o reconhecimento e a admiração dos outros.

O Tipo 4, o Individualista, é criativo, sensível e emocional. Valorizam a autenticidade e a expressão pessoal, muitas vezes se sentindo únicos e diferentes dos demais.

O Tipo 5, o Observador, é intelectual, reservado e independente. São curiosos e buscam constantemente conhecimento e compreensão do mundo ao seu redor.

O Tipo 6, o Leal, é leal, responsável e preocupado com a segurança. São pessoas que buscam estabilidade e proteção, muitas vezes sendo cautelosos e desconfiados.

O Tipo 7, o Entusiasta, é extrovertido, alegre e otimista. São pessoas que buscam constantemente novas experiências e evitam conflitos e situações negativas.

O Tipo 8, o Desafiador, é assertivo, poderoso e dominante. São líderes naturais, que não têm medo de confrontar os outros e defender suas opiniões.

O Tipo 9, o Pacificador, é pacífico, conciliador e complacente. São pessoas que buscam a harmonia e evitam conflitos, muitas vezes se adaptando às vontades e necessidades dos outros.

Cada um desses tipos possui suas próprias virtudes e desafios, e é importante reconhecer que todos temos um pouco de cada um deles em nós. Ao conhecer os 9 tipos de personalidade do eneagrama, podemos nos tornar mais conscientes de nossos padrões de comportamento e buscar um equilíbrio saudável entre eles.

Relacionado:  Chauvinismo: características e causas desse fenômeno psicológico

Qual é o eneatipo menos comum do eneagrama?

O eneatipo menos comum do eneagrama é o tipo 5, conhecido como o Investigador. Este tipo de personalidade representa cerca de 5-6% da população. Os Investigadores são caracterizados pela sua busca constante por conhecimento, sua tendência a se isolarem e sua necessidade de privacidade. Eles são observadores perspicazes e analíticos, muitas vezes preferindo observar e aprender em vez de interagir com os outros.

Os Investigadores valorizam a independência e a autonomia, muitas vezes se retirando para seus próprios mundos internos para evitar demandas emocionais externas. Eles são altamente racionais e lógicos, tendo uma capacidade excepcional de analisar informações e resolver problemas complexos. No entanto, podem ter dificuldade em lidar com suas emoções e em se conectar emocionalmente com os outros.

Por serem menos comuns, os Investigadores muitas vezes se sentem deslocados e incompreendidos em um mundo que valoriza mais a extroversão e a interação social. No entanto, quando encontram pessoas que valorizam sua inteligência e profundidade, os Investigadores podem se tornar parceiros extremamente leais e confiáveis.

Maneiras de lidar com o Enneagrama tipo 9 para uma convivência harmoniosa.

O Enneagrama tipo 9 é conhecido por sua natureza pacífica e harmoniosa, buscando evitar conflitos e manter a paz em suas relações. No entanto, existem maneiras de lidar com esse tipo de personalidade para garantir uma convivência equilibrada e saudável.

Uma das principais estratégias para lidar com um tipo 9 é valorizar sua opinião e dar-lhe espaço para expressar suas necessidades. Os 9s tendem a se desvalorizar e se colocar em segundo plano, então é importante encorajá-los a se manifestar e a compartilhar o que estão sentindo.

Além disso, ser paciente e empático com o tipo 9 é essencial. Eles podem demorar para tomar decisões e expressar seus sentimentos, por isso é importante demonstrar compreensão e apoio durante esse processo.

Outro aspecto importante na convivência com um tipo 9 é estabelecer limites claros. Como eles tendem a se adaptar aos desejos dos outros para evitar conflitos, é fundamental definir limites saudáveis e respeitar suas próprias necessidades para manter um equilíbrio na relação.

Por fim, incentivar ações assertivas e autoexpressão pode ajudar o tipo 9 a se sentir mais confiante e empoderado em suas relações. Encoraje-os a defender suas opiniões, assumir responsabilidades e expressar suas emoções de forma saudável.

Ao aplicar essas estratégias e compreender as características do Enneagrama tipo 9, é possível construir relações mais harmoniosas e significativas com indivíduos desse perfil de personalidade.

Os 9 tipos mais importantes de padrões

Os 9 tipos mais importantes de padrões 1

As normas existem em todas as sociedades e culturas. Esses são padrões de comportamento que guiam nosso comportamento, um tipo de regras explícitas ou implícitas que nos ajudam a entender como agir em diferentes situações.

Mas há muitas maneiras pelas quais os padrões são expressos. Neste artigo , conheceremos 9 tipos de padrões de acordo com três parâmetros de classificação : seu tipo de indicação, seu grau de formalidade e seu escopo. Conheceremos as características de cada tipo e quais sanções acarretam sua não conformidade.

Quais são as regras?

As regras são diretrizes ou regras de comportamento, que nos dizem como devemos agir e como não, em que áreas . Ou seja, de certa forma eles regulam o que é lícito e o que não é “, o que pode ser feito e o que não é”. É por isso que eles têm um componente ético implícito.

Eles são um tipo de acordo que aceitamos quando entramos em uma área específica (por exemplo, em uma escola, em uma igreja, em um clube …). Existem diferentes tipos de padrões de acordo com os critérios ou parâmetros que usamos para classificá-los.

Além disso, as normas estão evoluindo ao longo dos tempos, estão mudando; Em diferentes culturas, também existem diferentes tipos de regras (mais flexíveis, mais rígidas, mais restritas …). Ou seja, que a cultura, às vezes e em que áreas, tem um peso importante na elaboração dos diferentes tipos de normas.

Funções

As funções mais destacadas dos diferentes tipos de normas são: por um lado, elas servem para que haja algum controle na sociedade; Além disso, eles regulam o comportamento e nos dizem como se comportar em certos contextos quando não sabemos muito bem como agir.

Relacionado:  Como superar a vergonha: 5 dicas

Por outro lado, eles permitem estabelecer uma “unidade de medida” para avaliar e avaliar o comportamento das pessoas. Além disso, outra de suas funções é que elas ajudam a atender às necessidades que temos na sociedade e podem evitar conflitos sociais importantes.

Principais tipos de padrões

Podemos classificar os diferentes tipos de padrões de acordo com três parâmetros diferentes que veremos.

1. De acordo com o seu grau de formalidade

Nesse sentido, as regras podem ser formais ou informais:

1.1 Regras formais

Regras formais são geralmente apresentadas por escrito (ou por um símbolo, dependendo do contexto). Por exemplo, uma regra formal seria “proibida de comer no ônibus” ou “o funcionário deve avisar que ele deixa o trabalho com pelo menos 15 dias de antecedência”.

Essas são regras acordadas e comunicadas formalmente (com mais ou menos formalidade). Além disso, esse tipo de norma geralmente contempla a consequência negativa que implica o não cumprimento da referida norma.

1. 2. Regras informais

Por outro lado, normas informais são normas tácitas ; isto é, não é necessário que sejam expressos ou declarados explicitamente, pois são normas que são entendidas ou pressupostas pelo contexto. Esses tipos de regras as pessoas as aceitam implicitamente.

Por exemplo, normas informais seriam: “não grite na igreja”, “não fique nu na rua” ou “não bata na escola”.

2. De acordo com o seu tipo de indicação

Dependendo do tipo de indicação ou conduta a ser seguida (ou não seguida) estabelecida pela norma, encontramos dois tipos de normas, que veremos abaixo. Ou seja, a regra proíbe um comportamento ou indica um comportamento a seguir? Vamos ver a diferença.

2.1 Regras prescritivas

As normas prescritivas indicam comportamentos que devem ser seguidos. Ou seja, eles estabelecem padrões de comportamento apropriados ou adequados . Por exemplo: “tomar banho antes de entrar na piscina”, “manter o silêncio dentro da biblioteca” ou “fechar a porta depois de sair”.

2.2 Regras proscritivas

Por outro lado, as normas proscritivas indicam comportamentos a serem evitados, comportamentos que não podem ser realizados; isto é, é mais sobre proibições . É por isso que eles geralmente são menos flexíveis.

Por exemplo, as regras proscritivas podem ser: “não pise na grama”, “não fume” ou “não tome banho na praia com uma bandeira vermelha”.

3. De acordo com seu escopo

De acordo com o terceiro parâmetro de classificação, seu escopo, podemos encontrar 5 tipos de padrões:

3.1 Normas sociais

As normas sociais são “pactos” obrigatórios que devemos seguir quando estamos na sociedade (na rua, em locais públicos …), e que foram acordados na época de maneira espontânea. Ou seja, são normas que surgiram inicialmente assim, pensando no respeito entre as pessoas.

Sua função é garantir uma boa convivência entre os cidadãos . O não cumprimento de qualquer uma delas geralmente implica uma sanção para o cidadão, mas essa sanção é social, não legal (por exemplo, exclusão social). Um exemplo seria não pisar na grama dos parques ou sujar o espaço público; O não cumprimento é muito provável que gere rejeição pelos cidadãos.

Algumas normas sociais serviram de base para o desenvolvimento de normas legais pelo Estado. Ou seja, eles derivaram de normas sociais. Esses tipos de normas são diferentes em cada cultura.

3.2 Normas religiosas

Esse tipo de normas tem a ver, como o próprio nome indica, com uma corrente ou filosofia religiosa específica. Ou seja, cada religião estabelece seus padrões e eles se referem ao que um crente dessa religião deve ou não fazer. Eles se relacionam muito com a moral e a ética , já que costumam se referir ao “bem e ao mal”.

Na religião cristã, por exemplo, o fato de quebrar certas normas religiosas implica um pecado. Por outro lado, sua violação está relacionada a mais uma sanção de tipo espiritual (por exemplo: reze o número “X” de orações do Pai Nosso ou reze a Virgem Maria).

Relacionado:  60 perguntas para conhecer seus amigos mais e melhor

Essas sanções obviamente variam de uma religião para outra e de uma cultura para outra. Além disso, a severidade do pecado também influenciará, mesmo falando em “ir para o inferno” no caso de violar normas religiosas mais graves. Podemos encontrar normas religiosas escritas na Bíblia (no caso da tradição cristã), em textos ou documentos sagrados, etc.

  • Você pode estar interessado: ” Tipos de religião (e suas diferenças de crenças e idéias) “

3.3 Regulamentos legais ou legais

Seguindo os tipos de padrões de acordo com seu escopo, encontramos padrões legais ou legais. Estes são os padrões “oficiais” em cada cidade ou país ; A conformidade é obrigatória para todos. Eles orientam e governam como devemos nos comportar cidadãos (comportamento civil). Essas são regras que devem ser escritas e refletidas em algum documento legal.

Essas regras são estabelecidas pelas instituições legais e judiciais que regulam a sociedade. O não cumprimento das mesmas implica certos tipos de sanções. Essas sanções podem ser administrativas (multas) ou criminais (prisão, antecedentes …). Eles são um tipo de normas que permitem evitar que grandes infortúnios aconteçam dentro da sociedade (por exemplo, imprudências graves, assassinatos …).

Eles têm muito a ver com normas sociais e com o que é “bom” e o que é “ruim” dentro de uma sociedade. É por isso que eles nos dizem e definem como agir e como não fazê-lo, e permitem “controlar” o bem-estar e a tranquilidade dos cidadãos, negócios, empresas, etc.

3.4 Padrões morais

Moralidade refere-se ao comportamento humano que é “bom” e que é “ruim” . De certa forma, a moral permite julgar o comportamento das pessoas na sociedade. É por isso que normas morais têm muito a ver com ética, uma disciplina mais global que moral, que valoriza o comportamento humano na sociedade.

A ética também tenta entender e estudar as relações entre o bem e o mal, o comportamento humano e a moral. Assim, normas morais estão relacionadas a convênios ou convenções sociais sobre o que é ético (correto) e o que não é. Esses são tipos de normas que os direitos humanos , o respeito e a dignidade têm (ou deveriam ter) em particular .

As normas morais geralmente são normas implícitas de concordância e conformidade tácita, que não são escritas em lugar algum. Eles têm a ver especialmente com relacionamentos com outras pessoas e, às vezes, são um pouco subjetivos (por exemplo, as normas morais podem ser: “não namorar o ex-parceiro da minha irmã” ou “não contar mentiras para as pessoas que amo” )

Seu fracasso está relacionado a uma sanção mais espiritual ou de consciência , como culpa ou remorso. Ou seja, a pena tem mais a ver consigo mesma. Às vezes, normas morais estão relacionadas a normas religiosas, como já vimos, uma vez que ambas compartilham aspectos da consciência pessoal e do remorso.

  • Você pode estar interessado: ” Os 10 tipos de valores: princípios que governam nossas vidas “

3.5 Padrões de protocolo

Também chamado de “regras de etiqueta”, esses tipos de regras indicam como devemos nos vestir em uma festa, como devemos nos comportar e comer em um restaurante chique, etc. Ou seja, eles têm mais a ver com elegância e bom comportamento em contextos com alto nível econômico, alta demanda ou onde é importante manter uma boa reputação.

Assim, são regras que se aplicam em certos contextos sociais (jantares, festas, casamentos …), especialmente em cenários com muito “cache” ou com pessoas de altos cargos e responsabilidades (por exemplo, realeza, políticos …).

Eles incluem, à medida que aceleramos: a maneira de se vestir, a maneira de comer (os talheres a serem usados ​​com cada prato, por exemplo), até a maneira de entrar e cumprimentar, etc.

Referências bibliográficas:

  • Elster, J. (2009). Normas sociais e a explicação do comportamento. O Oxford Handbook of Analytical Sociology: 195-217, editado por P. Hedström e P. Bearman. Nova York: Oxford University Press.
  • Oceja, LV e Jiménez, I. (2001). Rumo a uma classificação psicológica de normas (Rumo a uma tipologia psicossocial de normas). Psychology Studies, 22: 227-242.
  • Tesouraria (2002). Instituições, normas sociais e bem-estar.

Deixe um comentário