Paleoceno: características, subdivisões, flora e fauna

O Paleoceno é uma época geológica que ocorreu há aproximadamente 66 a 56 milhões de anos atrás, logo após a extinção em massa que marcou o fim do período Cretáceo. Durante o Paleoceno, o clima era mais quente e úmido do que o atual, e as áreas terrestres estavam em processo de recolonização por plantas e animais.

O Paleoceno é subdividido em três épocas: Paleoceno Inferior, Médio e Superior. Durante essa época, a flora era dominada por plantas primitivas, como samambaias e coníferas, e a fauna era composta por mamíferos primitivos, répteis e aves. Os mamíferos começaram a se diversificar e ocupar nichos ecológicos deixados vagos pela extinção dos dinossauros.

A transição do Paleoceno para o Eoceno foi marcada por mudanças significativas na flora e fauna, com o surgimento de novas espécies de plantas e animais e a expansão de habitats terrestres e marinhos. O Paleoceno é uma época importante na história da Terra, pois marca o início da era dos mamíferos e o surgimento de novas formas de vida que moldaram o mundo como o conhecemos hoje.

Animais que apareceram durante a era Paleogeno: uma análise sobre sua evolução e diversidade.

O Paleogeno é uma era geológica que se estendeu aproximadamente de 66 a 23 milhões de anos atrás, logo após a extinção dos dinossauros no final do período Cretáceo. Durante esse período, ocorreram mudanças significativas na flora e fauna do planeta, com o surgimento de novas espécies de animais que se adaptaram às novas condições ambientais.

Entre os animais que apareceram durante o Paleogeno, destacam-se os mamíferos, que se diversificaram e evoluíram rapidamente. Espécies como os mamutes, os tigres-dentes-de-sabre e os cavalos primitivos surgiram nesse período e se espalharam por diversos habitats ao redor do mundo. Além disso, aves e répteis também tiveram uma evolução significativa, com o surgimento de novas espécies adaptadas a diferentes nichos ecológicos.

Essa diversificação dos animais durante o Paleogeno contribuiu para a formação dos ecossistemas que conhecemos hoje, com uma grande variedade de espécies ocupando os mais diversos habitats. A competição por recursos e a pressão seletiva levaram ao surgimento de adaptações incríveis, como as asas dos pássaros e a dentição especializada dos mamíferos carnívoros.

O estudo dessas espécies fósseis nos permite compreender melhor a história da vida na Terra e as mudanças que ocorreram ao longo dos milhões de anos de evolução.

Estilo de vida das espécies durante o Paleoceno: conheça mais sobre este período.

O Paleoceno é uma época geológica que ocorreu entre 66 milhões e 56 milhões de anos atrás, logo após a extinção em massa que marcou o fim do período Cretáceo. Durante o Paleoceno, a Terra passou por mudanças significativas em sua paisagem e clima, o que influenciou diretamente o estilo de vida das espécies que habitavam o planeta.

As espécies que viveram durante o Paleoceno eram principalmente adaptadas a um ambiente tropical e úmido, com extensas florestas cobrindo grande parte da superfície terrestre. A fauna era diversificada, com a presença de mamíferos primitivos, aves, répteis e peixes.

Os mamíferos do Paleoceno eram principalmente pequenos e tinham hábitos noturnos, se alimentando de insetos e pequenos vertebrados. Os répteis, por sua vez, ainda ocupavam um papel importante na cadeia alimentar, com espécies como crocodilos e tartarugas dominando os ecossistemas aquáticos e terrestres.

A flora do Paleoceno era dominada por plantas primitivas, como samambaias e coníferas, que começaram a dar lugar a novas formas de vegetação, como as angiospermas. Essas novas plantas floresceram durante este período, contribuindo para a diversificação dos herbívoros e polinizadores que dependiam delas para sobreviver.

A compreensão do estilo de vida das espécies durante este período nos ajuda a entender melhor a história da vida na Terra e como as diferentes formas de vida se adaptaram a condições em constante mudança.

Ocorrências significativas durante o Paleoceno: clima quente, extinções em massa e evolução dos mamíferos.

No Paleoceno, que ocorreu aproximadamente entre 66 e 56 milhões de anos atrás, houve diversas ocorrências significativas que moldaram a vida na Terra. Uma das características mais marcantes desse período foi o clima quente, com temperaturas elevadas em todo o planeta. Isso contribuiu para a evolução da flora e fauna, com o surgimento de novas espécies adaptadas a essas condições.

Além disso, durante o Paleoceno, ocorreram extinções em massa que afetaram diversas formas de vida, principalmente os dinossauros. Esses eventos abriram espaço para a diversificação e evolução dos mamíferos, que se tornaram os dominantes nos ecossistemas terrestres. Os mamíferos passaram por um processo de adaptação e evolução, ocupando diferentes nichos e se tornando cada vez mais diversificados e especializados.

Relacionado:  Astenosfera: formação, características e composição

No geral, o Paleoceno foi um período de grandes mudanças e transformações na Terra, que influenciaram diretamente a evolução da vida no planeta. Essas ocorrências significativas ajudaram a moldar o mundo em que vivemos hoje, com uma grande variedade de espécies de mamíferos que descendem dos sobreviventes desse período de transição.

Principais eventos do Paleogeno: o que definiu essa era geológica da Terra.

O Paleógeno é uma era geológica que se estende de aproximadamente 66 milhões a 23 milhões de anos atrás. Durante esse período, a Terra passou por diversas mudanças significativas que definiram sua geografia, clima e vida biológica. Alguns dos principais eventos do Paleógeno incluem a extinção em massa que marcou o fim do Cretáceo e o surgimento de novas formas de vida adaptadas a um ambiente em constante transformação.

Uma das subdivisões do Paleógeno é o Paleoceno, que ocorreu entre 66 e 56 milhões de anos atrás. Nessa época, a Terra estava se recuperando da extinção em massa do Cretáceo e novas espécies de plantas e animais estavam surgindo. A flora do Paleoceno era dominada por plantas primitivas, como samambaias e coníferas, que começaram a dar lugar a formas mais avançadas de vegetação, como as angiospermas.

A fauna do Paleoceno também passou por mudanças significativas, com o surgimento de mamíferos primitivos que começaram a se adaptar a diferentes nichos ecológicos. Os dinossauros, que dominaram a Terra durante o Mesozoico, estavam em declínio e muitas espécies desapareceram completamente. No entanto, algumas aves e pequenos répteis conseguiram sobreviver e evoluir para as formas que conhecemos hoje.

O estudo dessa era geológica nos ajuda a compreender a evolução da vida no planeta e a importância da adaptação das espécies às condições em constante mudança.

Paleoceno: características, subdivisões, flora e fauna

O Paleoceno é uma era geológica que se estendeu de cerca de 66 milhões de anos atrás para cerca de 56 milhões de anos atrás. É a primeira vez no período Paleogene, na Era Cenozóica .

Esta era está localizada após o famoso processo de extinção em massa de dinossauros, portanto, no início, as condições do planeta eram um pouco hostis. No entanto, pouco a pouco eles se estabilizaram, tornando o planeta o lugar perfeito para o estabelecimento e a sobrevivência de inúmeras plantas e animais.

Paleoceno: características, subdivisões, flora e fauna 1

Fósseis de paleoceno. Fonte: Emilio J. Rodríguez Posada [CC BY-SA 2.0 (https://creativecommons.org/licenses/by-sa/2.0)]

Caracteristicas

Duração

Esse período durou 10 milhões de anos, começando cerca de 66 milhões de anos atrás e culminando cerca de 56 milhões de anos atrás.

Atividade geológica intensa

Na era do Paleoceno, o planeta era bastante ativo do ponto de vista geológico. As placas tectônicas continuaram seu movimento e a separação de Pangea continuou, com os continentes se movendo em direção ao local que atualmente possuem.

Biodiversidade Abundante

Durante o Paleoceno, grupos de animais que sobreviveram à extinção do período anterior conseguiram se adaptar às demais condições ambientais e diversificar, conseguindo ocupar grandes áreas de terra.

Geologia

A era do paleoceno foi marcada por intensa atividade em relação às placas tectônicas. Esta atividade começou no período anterior ( Cretáceo ).

Orogeny Laramide

Durante esse período, Laramide Orogeny continuou, um processo muito importante do ponto de vista da geologia, pois resultou na formação de várias cadeias de montanhas na América do Norte e no México, sendo as mais reconhecidas as Montanhas Rochosas e a Sierra Madre Oriental.

Deriva continental

No Paleoceno, a separação do supercontinente Pangea continuou.

Gondwana, que anteriormente era o maior supercontinente (exceto, é claro, Pangea), continuou a se dividir. Os continentes que fizeram parte dessa grande massa terrestre foram África, América do Sul, Austrália e Antártica.

Esses quatro fragmentos de terra se desintegraram e começaram a se mover devido à deriva continental em diferentes direções. Por exemplo, a Antártica mudou-se para o pólo sul do planeta, onde acabaria completamente coberto de gelo.

A África mudou-se para o norte, colidindo mais tarde com a Eurásia. A Austrália mudou-se um pouco para o nordeste, embora sempre permaneça no hemisfério sul do planeta.

Da mesma forma, o fragmento que correspondia ao que é hoje a América do Sul mudou-se para o noroeste, até ficar muito próximo da América do Norte. No entanto, eles não estavam unidos, mas entre eles havia um fragmento de água conhecido como mar continental. Os dois continentes se uniram no período seguinte ( Neogen ), especificamente durante a era do Plioceno , com a ascensão do samem do Panamá.

Da mesma forma, entre o extremo leste da Ásia e o extremo oeste da América do Norte, ficou evidente o surgimento de uma ponte terrestre que manteve os dois continentes conectados por milhares de anos. Hoje esse espaço é ocupado por uma parte do Oceano Pacífico; O Mar de Bering

Da mesma forma, o extremo oeste da Eurásia estava ligado a outro grande pedaço de terra; o que corresponde à Groenlândia hoje. Durante esse período, a ruptura desse supercontinente começou, então a Groenlândia começou a se mover lentamente para o norte, onde, como a Antártica, acabaria coberta de gelo em uma grande porcentagem de sua superfície.

Corpos de água

Durante esse período, havia vários oceanos que existem hoje, entre os quais:

  • Oceano Pacífico: como agora, era o maior oceano, cercado todas as massas da Terra. Estendeu-se da costa oeste da América do Sul e da América do Norte até a costa leste da Eurásia. Também cobriu a área em que a Austrália estava localizada.
  • Oceano Atlântico: Também de grande tamanho (embora não tanto quanto o Pacífico), ficava entre a costa leste da América do Sul e América do Norte e a costa oeste da Eurásia e África.
  • Oceano de Tétis: era um oceano que teve seu boom em tempos anteriores ao Paleoceno. Durante esse período, continuou a fechar como produto da expansão dos dois oceanos; o Atlântico e o índio. Além disso, o estreitamento deste oceano estava intimamente ligado ao deslocamento das diferentes massas continentais.
  • Oceano Índico: não possuía as dimensões existentes atualmente, uma vez que o movimento das diferentes massas terrestres interferia na configuração dos oceanos em seus primórdios e formação. No entanto, durante esse período, esse oceano já estava em um período de formação e desenvolvimento, que hoje é o terceiro maior do planeta.

Tempo

Nos primeiros dias desta época, o clima do planeta era bastante frio e árido. No entanto, com o passar do tempo, ficou úmido e quente.

Além disso, nesse momento ocorreu um evento que causou o aumento da temperatura em uma pequena porcentagem; ficou conhecido como “Paleoceno – Eoceno máximo térmico”.

Térmica máxima do Paleoceno – Eoceno

Foi um fenômeno climático durante o qual as temperaturas do planeta subiram em média 6 ° C.

De acordo com os registros e informações coletados pelos especialistas, nos pólos a temperatura também aumentou, atingindo até no Oceano Ártico fósseis de organismos típicos das águas dos trópicos.

Esse fenômeno também resultou em um aumento na temperatura média dos corpos d’água, afetando consequentemente vários organismos.

Havia outros grupos de seres vivos que foram afetados positivamente por esse fenômeno. O exemplo mais significativo é o dos mamíferos .

Causas

Os especialistas propuseram várias causas para esse evento, entre as mais aceitas a intensa atividade vulcânica, o impacto abrupto de um cometa na superfície da Terra ou a liberação de grandes quantidades de gás metano na atmosfera.

No final do Paleoceno, o clima ficou quente e úmido, mesmo em locais que tradicionalmente tinham baixas temperaturas, como nos pólos e na Groenlândia.

Vida

O período do paleoceno começou imediatamente após o processo de extinção em massa mais estudado e reconhecido na história; a extinção em massa do Cretáceo – Terciário, em que um grande número de espécies se extinguiu, destacando os dinossauros.

Essa extinção em massa permitiu que as espécies sobreviventes prosperassem e se diversificassem, chegando a se tornar a nova espécie dominante no planeta.

Flora

Durante esse período, muitas das plantas que ainda persistem, como palmeiras, coníferas e cactos, se originaram. De acordo com os registros fósseis coletados por especialistas, havia locais onde havia uma abundância de samambaias.

O clima que prevaleceu durante esse período foi bastante quente e úmido, o que favoreceu que grandes áreas de terra fossem cobertas por plantas frondosas e verdes, originando o que seriam conhecidas como primeiras selvas e florestas.

Relacionado:  Eoceno: características, subdivisões, geologia, espécies

Além disso, as coníferas dominavam os ambientes onde as temperaturas eram inferiores à média, especialmente as regiões próximas aos polos. Outras plantas que continuaram sua diversificação nesse período foram as angiospermas , muitas das quais permaneceram até hoje.

Vida selvagem

Terminado o evento de extinção em massa do final do Cretáceo, os animais que sobreviveram tiveram a oportunidade de diversificar e expandir a Terra. Especialmente agora que os dinossauros se foram, que eram predadores de muitos animais e competiam por recursos ambientais.

Entre os grupos de animais que se expandiram e se desenvolveram durante o Paleoceno, podem ser mencionados mamíferos, aves , répteis e peixes .

Répteis

Os répteis que conseguiram sobreviver ao período de extinção foram favorecidos pelas condições climáticas que prevaleciam nesse período. Essas condições ambientais permitiram a expansão em áreas mais extensas da terra.

Entre os répteis, predominavam os parques de campismo, típicos dos habitats aquáticos. Eles tinham um corpo semelhante ao dos lagartos grandes, com cauda longa e quatro membros pequenos. Eles podiam medir até 2 metros. Seus dentes foram treinados para capturar e reter suas presas.

Havia também cobras e tartarugas.

Pássaros

Durante esse período, as aves do gênero Gastornis habitavam , também chamadas de “aves de terror”, que eram grandes e não tinham capacidade de voar. Sua principal característica era seu pico grande, textura muito forte. Eles tinham hábitos carnívoros, sendo conhecidos predadores de muitos animais.

Da mesma forma, durante esse período, muitas das espécies de aves que ainda persistem hoje, como gaivotas, corujas, patos e pombos, entre outras, emergiram.

Peixe

No processo de extinção em massa que precedeu o Paleoceno, os dinossauros marinhos também desapareceram, o que deu largura aos tubarões para se tornarem os predadores dominantes.

Durante esse período, muitos dos peixes que ainda persistem nos mares também apareceram.

Mamíferos

Os mamíferos foram talvez o grupo mais bem-sucedido da fauna do Paleoceno. Havia uma ampla gama de grupos, dentre os quais se destacavam a placenta , monotremados e marsupiais.

Placentais

Eles são um grupo de mamíferos que se caracterizam porque o desenvolvimento do feto ocorre dentro do corpo da mãe e, entre eles, é estabelecida uma comunicação através de estruturas muito importantes, como o cordão umbilical e a placenta. Os placentários foram o grupo mais diversificado e difundido durante o Paleoceno.

Este grupo inclui lêmures, roedores e primatas , entre outros.

Marsupiais

Neste mamífero infraclase, a fêmea apresenta uma espécie de bolsa, conhecida como marsupium, na qual a criação termina seu desenvolvimento após o nascimento. Atualmente, eles são distribuídos apenas nas Américas e na Austrália.

Desse grupo, havia poucos representantes no Paleoceno.

Monotremes

É um grupo bastante peculiar de mamíferos, pois suas características se assemelham às de outros grupos, como répteis ou aves. Os monotremados têm um corpo coberto de pelos, como todos os mamíferos, mas são ovíparos. Por esse motivo, tem sido um grupo muito estudado. Entre os monotremados estão o ornitorrinco e a equidna.

Paleoceno: características, subdivisões, flora e fauna 2

Representação d eornitorrincos no Paleoceno. Fonte: Heinrich Harder (1858-1935) [Domínio público]

Subdivisões

Paleoceno: características, subdivisões, flora e fauna 3

Fonte: wikipedia.org

A era do Paleoceno é dividida em três idades:

  • Daniense: com uma duração aproximada de 5 milhões de anos, foi a primeira divisão desta época.
  • Selandiano: recebeu o nome em homenagem à ilha Zelândia, pertencente à Dinamarca. Teve uma extensão aproximada de 2 milhões de anos.
  • Thanetiense: deve seu nome à ilha de Thanet, localizada no sul da Inglaterra. Começou cerca de 59 milhões de anos atrás e culminou cerca de 56 milhões de anos atrás.

Referências

  1. Hinton, AC 2006. Economizando tempo. BlueSci Online. Recuperado em 23 de julho de 2007
  2. Hooker, JJ (2005)., “Terciário até o presente: Paleoceno”, pp. 459-465, Vol. 5. Plimer, Encyclopedia of Geology, Oxford: Elsevier Limited, 2005.
  3. Paceocene Epoch. Obtido em: Britannica.com
  4. Stephen Jay Gould, ed., O Livro da Vida (Nova York: WW Norton & Company, 1993), p. 182
  5. Zachos, J., Rölh, U., Schellemberg, S., Sluijs, A., (2005). Rápida acidificação do oceano durante o máximo térmico do paleoceno-eoceno. Ciência

Deixe um comentário