Período de administração primitivo: origem, características

O período de administração primitivo refere-se ao estágio inicial da evolução da administração como disciplina e prática. Com origem nas sociedades antigas, esse período é caracterizado por uma abordagem informal e intuitiva da gestão, baseada em práticas tradicionais e experiências acumuladas ao longo do tempo. As características principais desse período incluem a ausência de teorias formais, a centralização do poder nas mãos de líderes carismáticos e a ênfase na tradição e na estabilidade. Apesar de suas limitações, o período de administração primitivo representa um importante marco na história da administração, contribuindo para o desenvolvimento de conceitos e práticas que seriam fundamentais para a evolução da gestão como área de conhecimento.

Origem da Administração: de onde surgiu a prática fundamental do gerenciamento empresarial.

A administração é uma prática que remonta aos primórdios da humanidade, sendo fundamental para o desenvolvimento e organização das sociedades ao longo da história. A origem da administração pode ser traçada até os primórdios da civilização, quando os seres humanos começaram a se organizar em grupos para garantir sua sobrevivência e prosperidade.

No Período de administração primitivo, as características principais eram a centralização do poder em figuras de liderança, a divisão de tarefas de acordo com as habilidades de cada indivíduo e a busca pela eficiência na realização das atividades cotidianas. Neste período, a administração estava intrinsecamente ligada à necessidade de garantir a subsistência do grupo, seja através da caça, da coleta ou da agricultura.

Os primeiros registros de práticas administrativas podem ser encontrados em civilizações antigas, como na Mesopotâmia, Egito, Grécia e Roma, onde a organização e coordenação de recursos eram essenciais para a manutenção do poder e da estabilidade social. Nesse contexto, surgiram os primeiros princípios de gestão, como a divisão do trabalho, a hierarquia organizacional e a supervisão das atividades.

Em resumo, a administração primitiva foi o embrião do que conhecemos hoje como gestão empresarial, tendo suas raízes nas necessidades básicas de sobrevivência e evoluindo ao longo dos séculos até se tornar uma disciplina complexa e essencial para o funcionamento das organizações modernas.

Sociedade primitiva: uma análise detalhada sobre sua organização, cultura e modo de vida.

O período de administração primitivo é caracterizado pela organização social e econômica das primeiras sociedades humanas. Neste contexto, a sociedade primitiva se destaca por sua simplicidade e pela ausência de classes sociais estratificadas.

Na sociedade primitiva, a organização social é baseada em relações de parentesco e tribalismo. As comunidades primitivas viviam em grupos nômades, que se deslocavam em busca de alimentos e recursos naturais. A caça, a pesca e a coleta de frutos eram as principais atividades econômicas dessas sociedades.

A cultura primitiva era marcada pela crença em forças sobrenaturais e pela prática de rituais religiosos. Os mitos e lendas faziam parte do cotidiano dessas sociedades, que atribuíam significados simbólicos a elementos da natureza e a eventos do mundo natural.

O modo de vida na sociedade primitiva era caracterizado pela igualdade social e pela cooperação mútua. Não havia propriedade privada dos meios de produção, e a divisão do trabalho era baseada em critérios de idade e sexo.

Em resumo, a sociedade primitiva era uma forma de organização social e econômica que se desenvolveu nas primeiras etapas da história da humanidade. Sua análise detalhada nos permite compreender melhor as origens da civilização e as bases da cultura humana.

Relacionado:  Cadeia de suprimentos: história, características, processos

Características de um estado primitivo: compreenda suas origens e desenvolvimento ao longo da história.

O período de administração primitivo é caracterizado por um estado inicial de organização social e política, que surgiu nos primórdios da humanidade. As sociedades primitivas eram formadas por grupos pequenos, geralmente nômades, que viviam da caça, pesca e coleta de alimentos. Nessas comunidades, não havia uma estrutura de poder centralizada, sendo as decisões tomadas de forma coletiva pelos membros do grupo.

Uma das principais características de um estado primitivo é a ausência de uma burocracia e de instituições formais de governo. As relações de poder eram baseadas na liderança natural dos mais velhos ou dos membros mais experientes do grupo. Não havia uma distinção clara entre o público e o privado, e as questões políticas se confundiam com as questões familiares e sociais.

Com o desenvolvimento das sociedades humanas, surgiu a necessidade de organização e controle social mais eficiente. Gradualmente, as comunidades primitivas foram evoluindo para formas mais complexas de organização política, dando origem aos primeiros estados e civilizações. Surgiram então os primeiros sistemas de escrita, leis e instituições governamentais, marcando o fim do período de administração primitivo.

Entender as origens e características de um estado primitivo é fundamental para compreender a evolução da sociedade humana ao longo da história. A transição de sociedades primitivas para estados mais complexos é um processo que envolveu mudanças significativas nas estruturas políticas, econômicas e sociais, moldando o mundo em que vivemos hoje.

Origem da Administração de Empresas: Conheça a História e Evolução dessa Prática Gerencial.

A Administração de Empresas é uma prática gerencial que tem origens antigas e passou por diversas evoluções ao longo da história. Para compreender melhor essa trajetória, é importante conhecer o período de administração primitivo, suas origens e características.

No período de administração primitivo, as organizações eram baseadas em estruturas simples e rudimentares. As atividades administrativas eram realizadas de forma empírica e intuitiva, sem a utilização de métodos ou técnicas específicas. Os líderes eram escolhidos de acordo com critérios pré-estabelecidos pela comunidade, como idade, experiência ou habilidades naturais.

As principais características desse período eram a ausência de divisão de trabalho especializada, a liderança baseada em critérios tradicionais e a falta de planejamento e controle sistemáticos. Os processos administrativos eram informais e pouco estruturados, o que resultava em uma baixa eficiência e produtividade nas organizações primitivas.

Com o passar do tempo, a administração foi se desenvolvendo e se tornando cada vez mais complexa, com a introdução de novos conceitos, técnicas e teorias. Assim, a história da Administração de Empresas é marcada por uma evolução contínua, que culminou no surgimento de práticas gerenciais modernas e eficientes.

Em resumo, o período de administração primitivo foi o ponto de partida para o desenvolvimento da Administração de Empresas, com suas origens simples e características básicas. Essa fase inicial da história da administração é fundamental para compreender a evolução dessa prática gerencial ao longo dos séculos.

Período de administração primitivo: origem, características

A era primitiva da administração é aquela que foi marcada pelo domínio da necessidade de se organizar para cumprir um objetivo específico da maneira mais eficaz possível.

Desde o início, o homem compreendeu que somente formando grupos produtivos alcançaria seus objetivos de proteção, alimentação e sustento. Ele também reconheceu a necessidade de gerenciar os recursos que possuía para sobreviver.

Período de administração primitivo: origem, características 1

Desde o momento em que o ser humano teve que realizar uma tarefa pesada, como caçar animais grandes, coletar alimentos ou condicionar uma caverna para viver, ele entendeu que a única maneira de fazer isso era delegar tarefas e estruturar o trabalho.

O homem sempre trabalhou para sobreviver, tentando realizar suas atividades da maneira mais eficaz possível. Assim, ele implementou a lei do ouro que a administração possui, que é obter o máximo de resultados com o mínimo de esforço.

Dependendo da era sócio-histórica, as pessoas encontraram maneiras diferentes de gerenciar e organizar seus ativos, a fim de atender às suas necessidades. Muitos desses princípios da administração nascente tornaram-se a base e as diretrizes para as seguintes sociedades .

Antecedentes históricos

Consciente ou inconscientemente, o ser humano, ao longo de sua história, colocou em prática vários princípios administrativos. Isso o ajudou a executar suas tarefas com mais eficiência.

No começo, o homem era nômade e vivia caçando, pescando e colhendo frutas. A partir do momento em que percebeu que trabalhar em equipe era mais benéfico, começou a se organizar. Dessa maneira, ele estabeleceu grupos para unir forças e alcançar o objetivo em comum.

À medida que a tarefa se tornou mais difícil, o homem estruturou o trabalho de maneira mais especializada, depois os líderes, que lideravam as operações.

Aparência da agricultura

Associada diretamente ao surgimento da agricultura como principal atividade econômica, a humanidade entra em sua fase sedentária.Isso significava ter uma administração melhor, além de caçar e colher, mas também semear, cuidar desse plantio e colher os alimentos.

Um dos avanços mais importantes na sociedade primitiva, além do trabalho coordenado, foi a divisão do trabalho de maneira natural, considerando sexo e idade.

Este é um exemplo vivo de trabalho administrativo, que se refere ao planejamento, organização e execução de uma estratégia baseada no alcance de um objetivo comum.O crescimento populacional foi outro fator que influenciou a necessidade de coordenar esforços no grupo social.

Cada um desses sucessos e fracassos da civilização foi transformado em uma teoria administrativa empírica, que foi transmitida a cada geração subsequente.

Origem

A administração tem uma vasta história que data da época do Egito antigo e da Grécia antiga.

Desde os tempos antigos, imperadores e reis exigiam coletores de impostos e tesoureiros para gerenciar seus assuntos governamentais. Naquele tempo, saber ler, escrever, somar e subtrair era praticamente restrito à elite.

Como conseqüência, a necessidade de oficiais especialistas com essas habilidades foi de vital importância para a manutenção de registros legais, o pagamento e a nutrição dos vários exércitos e a cobrança de impostos.

À medida que os impérios se expandiam e o poder militar expandia seu controle sobre outros continentes, aumentava a necessidade de uma administração mais estruturada.

Nesse período histórico, surgiu a escravidão, na qual o escravo não tinha direitos e era utilizado para realizar qualquer tipo de trabalho.

Relacionado:  O que são renda atual? (com exemplos)

A administração caracterizou-se por rigorosa supervisão trabalhista e tratamento desumano dos escravos, que teve uma influência notável na queda dos impérios que reinaram nesse período.

Direito Romano

Uma contribuição fundamental para a administração moderna é o direito romano, que serviu de base para a organização do Estado e as regras que norteiam as atividades e os comportamentos da sociedade.

Tanto é a influência desse legado que, atualmente, a grande maioria das instituições dos povos do mundo se baseia legalmente nos legados de Roma e de seus filósofos.

Caracteristicas

Era greco-romana

– Foi desenvolvida a ética do trabalho e iniciada a aplicação do método científico para solução de problemas.

– Foi estabelecido o princípio da especialização, que falava das habilidades de caráter natural do indivíduo.

– A administração pública foi dividida em monarquias, aristocracias, tiranias e democracia.

– Foram distinguidas três formas administrativas: executiva, legislativa e judicial.

– O filósofo Péricles estabeleceu o princípio administrativo básico, que se referia à seleção de pessoal.

– Os primeiros avanços foram feitos na legislação, assim como na regulamentação do trabalho e nas atividades do Estado.

– As empresas foram classificadas como públicas, realizando as atividades do Estado; em semipúblicos, pertencentes aos sindicatos; e privado, pertencente ao povo.

Era feudal

– O senhor feudal foi quem estabeleceu os critérios da administração e exerceu controle total sobre a produção do criado.

– Socialmente havia relações de servidão.

– Oficinas de artesanato e sistema de negócios foram fundados.

– Os sindicatos foram estabelecidos, o que seria o pano de fundo dos sindicatos, que regulavam os salários e as horas de trabalho.

– Nos últimos anos deste período, um número significativo de funcionários se tornou trabalhador independente. Assim, novas estruturas de autoridade foram estabelecidas na administração.

– A economia familiar se desenvolveu em larga escala, dando lugar a uma economia da cidade.

Revolução Industrial

– Os artesãos foram substituídos por trabalhadores especializados.

– A principal característica da Revolução Industrial foi a exploração do homem pelo homem nas indústrias.

– Hierarquias foram criadas dentro da unidade de trabalho, para delegar responsabilidades. Em seguida, aparece a figura de diretor, gerente, trabalhador, entre outros.

– Todas as mudanças nos sistemas de produção levaram a administração a implementar normas trabalhistas e várias estratégias de coordenação.

– Surgiu a necessidade de estudar os fatores que afetaram a produtividade e as novas abordagens de gerenciamento, orientadas para melhorias no ambiente de trabalho e na produção.

– Motivados que os salários não eram fixos, os estudiosos da época se esforçavam para criar certos princípios para regulamentá-los. Assim, nasceram os fundamentos dos prêmios de pontualidade, bônus de produção etc.

Referências

  1. Wikipedia (2018). Feudalismo Retirado de: es.wikipedia.org.
  2. Investopedia (2018). Revolução industrial Retirado de: investopedia.com.
  3. Place du Luxebourg (2015). Militar, administração civil, impostos, política e economia da república e império romanos. Retirado de: colocadouluxembourg.wordpress.com
  4. Luisita Castro (2014). Contribuições romanas em administração. Clube de Ensaios Retirado de: clubensayos.com
  5. Jesica Anaid Cancino Velásquez. (2012). Evolução da administração e pensamento administrativo. Gestiopolis Retirado de: gestiopolis.com.

Deixe um comentário