Picanha: o que é, história, como prepará-lo

A picanha é um corte de carne bovina muito apreciado no Brasil e em diversos países da América Latina. Originária da região sul do Brasil, a picanha é conhecida por sua suculência e sabor marcante.

Historicamente, a picanha era considerada uma carne de segunda categoria, até que, nos anos 1970, foi descoberta por churrasqueiros que perceberam seu potencial e a popularizaram como um dos cortes mais nobres da carne bovina.

Para preparar a picanha de forma tradicional, é importante retirar o excesso de gordura da peça e temperá-la com sal grosso. Em seguida, ela deve ser grelhada em fogo alto, com a gordura virada para cima, para que derreta lentamente e mantenha a carne suculenta. Após o preparo, a picanha é geralmente servida fatiada, acompanhada de arroz, feijão e farofa, típicos da culinária brasileira.

Origem da picanha: saiba de onde vem esse corte suculento e saboroso.

A picanha é um corte de carne muito apreciado no Brasil, conhecido pelo seu sabor suculento e macio. Mas você sabe de onde vem esse delicioso pedaço de carne? A origem da picanha remonta ao período colonial, quando os portugueses trouxeram a tradição de assar carne em espetos para o Brasil.

A picanha é retirada da parte traseira do boi, mais precisamente da região do traseiro, próxima à cauda. É composta por uma capa de gordura que confere sabor e suculência à carne. Esse corte se tornou popular no Brasil devido à sua maciez e versatilidade na hora de preparar.

Para preparar uma deliciosa picanha, é importante escolher um pedaço de carne de qualidade, com uma boa quantidade de gordura. O segredo está em selar a carne em uma frigideira bem quente para manter todos os sucos e sabores. Pode ser temperada apenas com sal grosso, garantindo um sabor único e marcante.

Agora que você conhece a origem da picanha e como prepará-la, que tal se aventurar na cozinha e saborear esse corte tão apreciado pelos brasileiros?

Significado da picanha: Descubra o que essa carne tão saborosa representa na culinária.

A picanha é um corte de carne bovina muito apreciado na culinária brasileira. Conhecida por ser extremamente macia e suculenta, a picanha é um dos cortes mais populares em churrascos e restaurantes de carnes. Mas afinal, o que significa a picanha e por que ela é tão especial?

Originária da América do Sul, a picanha tem sua história ligada à cultura gaúcha e ao churrasco. Esse corte é retirado da parte traseira do boi, próxima à cauda, e é caracterizado por sua capa de gordura que confere sabor e suculência à carne. A picanha é um corte versátil, podendo ser preparada de diversas maneiras, como grelhada, assada, na churrasqueira ou até mesmo na frigideira.

Relacionado:  Minutario: origem, significado e exemplos de uso

Para preparar uma deliciosa picanha, é importante escolher uma peça de boa qualidade, com uma camada uniforme de gordura. Antes de colocar a carne na grelha, é recomendável temperá-la com sal grosso e deixar descansar por alguns minutos para absorver os sabores.

A picanha é um símbolo da gastronomia brasileira e representa o prazer de degustar uma carne de alta qualidade. Seja em um churrasco com amigos ou em um jantar especial, a picanha é sempre uma escolha certeira para os amantes de carne bovina.

Origem do corte da picanha: qual a história por trás desse suculento corte de carne?

A picanha é um dos cortes de carne mais apreciados no Brasil e em diversos países ao redor do mundo. Mas você sabe qual é a origem desse suculento corte de carne?

A história por trás da picanha remonta ao período colonial no Brasil, quando os portugueses trouxeram o gado bovino para o país. Os colonizadores, ao se depararem com essa carne de alta qualidade, começaram a explorar diferentes cortes para aproveitar ao máximo a carne dos animais.

Foi então que surgiu a picanha, um corte localizado na parte traseira do boi, próximo à cauda. A picanha é uma carne macia, suculenta e muito saborosa, o que a tornou um dos cortes mais populares na culinária brasileira.

Hoje em dia, a picanha é amplamente apreciada em churrascos e restaurantes, sendo considerada uma das carnes mais nobres e saborosas disponíveis no mercado. A tradição de assar a picanha na brasa, com seu característico tempero de sal grosso, é uma prática muito comum em diversas regiões do Brasil.

Portanto, a picanha não é apenas um corte de carne, mas sim um símbolo da cultura gastronômica brasileira, que conquistou paladares ao redor do mundo. Se você ainda não experimentou esse delicioso corte, não perca a oportunidade de saborear uma suculenta picanha preparada da forma tradicional.

Para que serve a picanha e qual seu papel na culinária brasileira?

A picanha é um corte de carne bovina muito apreciado e popular no Brasil. Com origem no Rio Grande do Sul, a picanha é conhecida por sua suculência e sabor inigualáveis. Sua principal função na culinária brasileira é ser o protagonista de churrascos e refeições especiais.

Considerada uma carne nobre, a picanha é conhecida por sua capa de gordura que a deixa macia e suculenta quando assada. Seu papel na gastronomia brasileira é de destaque, sendo um dos cortes mais valorizados e consumidos em churrascarias e restaurantes por todo o país.

Para preparar a picanha de maneira tradicional, basta temperá-la com sal grosso e levá-la à churrasqueira. O segredo está em deixar a carne no ponto certo, garantindo que fique suculenta e saborosa. A picanha também pode ser preparada de outras formas, como na grelha ou no forno, sempre mantendo sua suculência e sabor característicos.

Seu papel na culinária brasileira é de destaque, sendo um dos cortes mais apreciados e consumidos em todo o país.

Picanha: o que é, história, como prepará-lo

A picanha é um corte de carne bovina altamente valorizado na cozinha por sua excelente qualidade e suculência. É típico da América do Sul, mais especificamente do Brasil, sendo o motivo da origem do nome em português.

Em outros países onde também é provado, como a Argentina, é conhecido como “picaña” ou “colita de cuadril”, enquanto na Espanha é chamado de “canto do quadril” ou “culinária”.

Picanha: o que é, história, como prepará-lo 1

Fonte Pixabay.com

O que é picanha?

A “picanha” tem uma forma triangular e está localizada na parte de trás da parte de trás da carne, ou seja, nos dois lados da coluna vertebral, de modo que cada gado tem dois.

Estima-se que uma vitela inteira, pronta para venda, pesa entre 180 e 200 quilos. A “picaña” pesa apenas entre 1 e 1,2 kg, sendo apenas 1% da vaca total.

Bezerros de 8 a 12 meses têm uma picanha mais macia e menos gorda. Enquanto isso, as “picanhas” de bovinos de 4 anos costumam pesar cerca de 1,8 quilos e têm mais gordura.

Embora seja comida em diferentes países, a picanha é muito popular nas churrasqueiras do Brasil e seu nome deriva da vara usada pelos agricultores do estado do Rio Grande do Sul e Mato Groso.

O que torna este corte uma delícia é a suculência e um sabor muito particular proveniente de uma fina camada de gordura branca que cobre um dos lados. Por isso, grelhado, assado, carvão ou grelhado, a picanha é um corte que quase sempre dá certo.

Relacionado:  Brevilíneo: significado, sinônimos, antônimos, exemplos

Embora na Argentina e no Uruguai seja simples alcançá-lo, o oposto é verdadeiro na Espanha. Isso ocorre porque em muitos açougues a “picanha” não é separada da “bunda”, então tudo é entregue em conjunto. Assim, quando cozido, seu sabor é quase imperceptível.

História

A “picanha” era uma varinha usada para direcionar o gado e tinha no final uma ponta de ferro, com a qual eles mordiam o gado na parte de trás da região lombar. Com o tempo, essa área da carne também foi chamada de “picanha”.

No entanto, outros indicam que o nome vem do norte da Argentina, onde os fazendeiros puniam a vaca com a “picaña”, uma vara longa com um prego na ponta que pregavam no quarto de trás da vaca.

No entanto, não ganhou popularidade até que o bilionário brasileiro «Baby» Pignatari a descobriu em uma churrasqueira em São Paulo antes de um voo. Naquela época, ele pedira “rabo argentino” na Argentina, mas o churrasco, sem esse corte, marchou com uma “picaña”.

A lanchonete ficou fascinada com o sabor e, a partir de então, começou a pedir. Dada a reputação do empresário, os restaurantes de São Paulo começaram a oferecê-lo e foi nas décadas de 1980 a 1990 que alcançou seu pico de popularidade.

Como prepará-lo?

A seguir, uma das maneiras de preparar uma excelente picanha, considerando que serão torrados 1,2 kg.

– Vamos aquecer a grelha com uma boa quantidade de brasas (aproximadamente 4 quilos de carvão).

– A “picaña” deve ser colocada com a camada de gordura voltada para baixo.

– Cubra a face externa com sal (algo que será feito uma vez).

– Deixe cozinhar por 40 minutos em fogo moderado (renove as brasas a cada 15 minutos).

– Vire e deixe cozinhar do outro lado por cerca de 20 minutos.

Após este procedimento, você obterá uma picanha suculenta, crocante e dourada por fora, mas suculenta por dentro. Enquanto for procurado um ponto mais cozido, seria bom servir o lado mais fino da peça.

Sirva fetas de corte aproximadamente 3 centímetros. No Brasil, é típico de ser servido em várias peças inseridas em uma espada.

Referências

  1. Picaña (2019). Recuperado em: lavacaargentina.net
  2. Picaña (2019). Recuperado de: hacerasado.com.ar
  3. História do corte brasileiro: picaña. Recuperado de: argentinalivestock.com.ar

Deixe um comentário