Planejamento didático: características, elementos, tipos, exemplo

Planejamento didático: características, elementos, tipos, exemplo

O planejamento educacional ou programação educacional é o processo pelo qual o professor toma uma série de decisões e executa um conjunto de operações para implementar o programa instituído institucionalmente de maneira concreta e específica nas atividades educacionais.

Dessa forma, o programa institucionalmente delineado não é aplicado de maneira fechada, mas serve como referência ao tempo em que se adapta, ao contexto e realidade particulares, levando em consideração os objetivos, as características dos alunos e o conteúdo, entre outros fatores. .

No planejamento curricular, as atividades a serem realizadas e as estratégias para alcançar os objetivos são descritas de forma clara e específica, de maneira intencional e organizada, tornando-se uma maneira de orientar os processos que serão realizados em sala de aula.

Os sistemas educacionais de cada país são estabelecidos diferentemente, tanto em estrutura quanto em função: aspectos como a flexibilidade permitida, o escopo, os elementos mínimos necessários, entre outros fatores, variarão em cada país. Por esse motivo, é importante considerar as bases legais associadas ao planejamento educacional no país correspondente.

Características do planejamento didático

Os planos educacionais devem ter uma série de características para que possam cumprir seus objetivos:

-Devem ser escritos e os objetivos e técnicas para realizá-los devem ser apresentados de forma estruturada.

-Eles sempre devem começar a partir do programa ou estrutura de treinamento institucional.

-Deve ser feito de maneira coordenada com os outros professores, para reduzir a incerteza, pois todos sabem que trabalho está sendo realizado e como será alcançado.

-É um instrumento que deve ser flexível, pois nem tudo pode ser previsto e deve estar aberto a qualquer melhoria que possa ser feita.

-Deve ser adaptado ao contexto específico, para ser personalizado de acordo com a realidade atual.

-Deve ser realista, para que sua aplicação seja viável.

Elementos do planejamento didático

O planejamento didático busca responder a uma série de perguntas, como:

Relacionado:  Gravidez precoce: riscos, causas e consequências

N Quais habilidades os alunos devem adquirir?

-O que eu tenho que fazer para obtê-los?

-Como devo planejá-los?

N Como avaliar se minhas atividades cumpriram os fins?

Portanto, para responder a essas perguntas, um planejamento didático deve ter pelo menos os seguintes pontos:

Objetivos e conteúdo

Os objetivos se referem às realizações planejadas do processo educacional; isto é, o que o aluno deve alcançar com as experiências planejadas de ensino-aprendizagem. 

Por exemplo, um objetivo pode ser “conhecer o próprio corpo e as possibilidades motoras, estendendo esse conhecimento ao corpo dos outros”. Recomenda-se que seja escrito em infinitivo.

Os conteúdos são os objetos do processo de ensino-aprendizagem; isto é, o conjunto de conceitos, procedimentos, habilidades, habilidades e atitudes que permitirão alcançar os objetivos propostos.

Por exemplo, o conteúdo relacionado ao objetivo acima pode ser um bloco chamado “o corpo e suas habilidades motoras”.

Tarefas e atividades

As atividades didáticas são ações práticas planejadas para que os alunos atinjam as competências e adquiram o conhecimento que descrevemos como necessário para cumprir os objetivos.

Avaliação da Aprendizagem

A avaliação visa determinar se o que foi proposto está funcionando (ou funcionou) para alcançar os objetivos. Dessa forma, é necessário descrever o que será avaliado, como será avaliado e quando as avaliações serão realizadas.

Outras seções

Além das seções anteriores, os planos de ensino podem ter outros pontos. Isso dependerá de cada instituição educacional ou será limitado pelo necessário em cada sistema educacional.

Por exemplo, é possível pedir que outros pontos sejam explicitados, como justificativa legislativa que serve como antecedente, a maneira pela qual o planejamento leva em consideração a atenção à diversidade, uma contextualização do planejamento com base na realidade escolar e sociocultural, entre outros. .

Planejamento didático na pré-escola

Embora o planejamento didático dependa do sistema educacional de cada país e de como cada um define o que é a pré-escola (ou educação infantil), esse estágio tem certos pontos que podem ser comuns em diferentes contextos.

Relacionado:  Perturbações generalizadas do desenvolvimento: tipos, sintomas, causas

Por um lado, a educação pré-escolar é anterior ao início da educação primária; isto é, ocorre aproximadamente entre 0 e 6 anos de idade.

Para a pré-escola, o planejamento do ensino deve descrever os objetivos, o conteúdo, as tarefas e a avaliação.

Os objetivos são: desenvolvimento emocional, movimento, comunicação e linguagem, hábitos de controle corporal (dieta, treinamento com penico), diretrizes de convivência e autonomia pessoal.

Para isso, o conteúdo será organizado por meio de experiências e jogos significativos, em um clima de carinho e confiança.

– Exemplo de planejamento educacional na pré-escola

objetivo

Aprenda a apreciar a importância da higiene pessoal e o perigo de problemas de higiene. 

Conteúdo

Ele será dividido em duas partes: 1) Explicação de como as bactérias funcionam 2) Limpeza das mãos e do rosto.

Tarefas

Como o conteúdo, ele será dividido em duas partes. Na primeira parte, você terá um prato com manchas de “vírus” (pode servir pimenta preta ou outra espécie). A criança é instruída a inserir o dedo no prato.

O resultado será que “vírus” ficam com você. Então a criança repetirá a ação novamente com um dedo com sabão. O resultado será que “vírus” evitam o dedo.

Na segunda parte, as crianças serão explicadas como lavar as mãos e o rosto corretamente. Aqui está um vídeo explicativo adaptado para crianças pequenas.

Avaliação

As crianças devem lavar as mãos e o rosto, como o professor lhes ensinou. Para avaliá-lo, o professor fará uma anotação mais ou menos dependendo se eles executaram as etapas corretamente. 

Planejamento didático no ensino fundamental

Do ensino fundamental, as crianças começarão a ver formalmente assuntos que quase sempre estarão relacionados à aquisição de diferentes habilidades básicas.

O ensino primário é destinado a crianças entre 7 e 13 anos aproximadamente. Essas competências podem variar de acordo com a disposição de cada sistema educacional, mas em geral as habilidades e conhecimentos estão relacionados a:

Relacionado:  Maturidade emocional: 10 dicas eficazes para alcançá-lo

-Habilidades linguísticas.

Competências matemáticas.

Habilidades relacionadas à tecnologia.

Portanto, o planejamento didático será baseado nos elementos básicos (objetivos, conteúdo, atividades e avaliação) e essas seções terão como objetivo promover o interesse e o hábito relacionado à leitura, expressão escrita e matemática entre os alunos.

Planejamento didático no ensino médio

O ensino médio corresponde ao último estágio das escolas (embora em alguns países seja subdividido), portanto inclui geralmente as idades entre 14 e 18 anos aproximadamente.

Como o restante das etapas, o planejamento didático deve descrever explicitamente os objetivos, o conteúdo, as atividades a serem realizadas e a metodologia de avaliação.

Nesse estágio, o planejamento didático deve ter como objetivo facilitar a transição entre os estudos primários e os secundários. Além disso, as habilidades básicas aprendidas durante a escola primária devem ser fortalecidas e consolidadas.

No ensino médio, as competências assumem uma dimensão mais prática, voltada ao desenvolvimento e à autonomia pessoal na futura vida adulta. 

Referências

  1. Cañizares Márques, JM e Carbonero Celis, C. (2016). Programa de ensino de educação física LOMCE: guia para sua realização e defesa (oposições de ensino). Sevilha: Wanceulen Editorial Deportiva, SL
  2. Bautista Expósito, J. (2010). Educação Física na Primária: Programação de Ensino no LOE Sevilha: Wanceulen Editorial Deportiva, SL
  3. García, Melitón, I. e Valencia-Martínez, M. (2014). Noções e práticas de planejamento didático a partir da abordagem baseada em competências de formadores de professores. Revista Ra Ximhai, 10 (5), pp. 15-24.
  4. Meo, G. (2010) Planejamento Curricular para Todos os Alunos: Aplicação do Universal Design for Learning (UDL) a um Programa de Compreensão de Leitura do Ensino Médio. Prevenção do fracasso escolar: educação alternativa para crianças e jovens, 52 (2), pp. 21-30.
  5. Martín Biezma, C. (2012). Ensino da educação infantil . Madri: Macmillian Iberia.
  6. Zabalza, M. (2010). Projeto e desenvolvimento de currículo. Madri: Narcea Ediciones.

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies