Quais são as partes de um relatório / relatório?

Quais são as partes de um relatório / relatório?

As partes mais importantes de um relatório ou relatório são índice, resumo, introdução, análise e bibliografia. Também pode incluir anexos e páginas preliminares. Os relatórios também podem ser chamados de relatórios. Isso ocorre porque no idioma inglês a palavra usada para se referir a esse tipo de documento é report .

Um relatório é um documento cujo objetivo principal é divulgar algum tipo de informação ou conhecimento, geralmente o produto de uma investigação ou de eventos que ocorreram anteriormente.

Esses documentos servem para comunicar qualquer situação que mereça em diferentes áreas profissionais. Muitos profissionais, como jornalistas, exigem relatórios diários.

Os fatos apresentados em um relatório devem ser produtos do trabalho realizado anteriormente pelo autor.

Qualquer pesquisa deve atender aos parâmetros científicos e metodológicos para que possa ser levada em consideração no campo acadêmico e, portanto, o conteúdo do relatório pode ser endossado. O relatório deve estar completo e com suporte.

Geralmente, os relatórios são apresentados por escrito; portanto, além dos parâmetros metodológicos que devem ser seguidos, as regras de estilo devem ser aplicadas para que o trabalho apresentado tenha um estilo apropriado e consistente e, portanto, não prejudique o resultado da investigação.

Os relatórios, como todos os documentos, têm uma estrutura segmentada em legendas.

As partes do relatório geralmente são inferidas, mas é sempre importante seguir uma ordem na qual todas as informações necessárias a serem capturadas são agrupadas. Você também pode estar interessado em ver as 7 partes principais de uma obra escrita .

As principais partes de um relatório / relatório

1- Páginas preliminares

Embora eles não sejam necessários em todos os casos, se um relatório acadêmico, focado em pesquisa científica, for apresentado a uma instituição, provavelmente requer páginas preliminares dentro de suas diretrizes de estilo.

Além da capa indispensável, onde deve ser indicado o nome da instituição que a realiza, à qual é apresentada ou publicada e as diferentes organizações subordinadas, o nome do autor ou autores, a data e o título do trabalho; a instituição pode exigir a adição de algumas páginas que mostram a aprovação do projeto enviado anteriormente.

2- Índices

Todos os relatórios têm um índice por meio do qual as informações emitidas pelo relatório são atualizadas primeiro. Esta informação é posteriormente expandida graças aos vários meios utilizados para divulgar o que é produzido.

Existem outros índices, como tabelas ou figuras. Além disso, se você tiver um número significativo de anexos, é provável que seja necessário um índice de anexos.

3- Resumo

Destinado especificamente a relatórios que são vistos como possíveis artigos acadêmicos, os relatórios podem ter um breve resumo de um parágrafo longo que pode exceder dez linhas.

Ele fará uma breve descrição do conteúdo do relatório. Geralmente, o resumo é feito no idioma inglês, com o nome do resumo e no idioma de origem do relatório.

4- introdução

É a parte essencial de um trabalho, a leitura de um relatório ou relatório depende principalmente dele. Com isso, a numeração arábica começa a ser aplicada às páginas, pois os números romanos são usados ​​nos anteriores.

Uma introdução é a parte que permite ao leitor ter uma primeira abordagem ao assunto e fornecer a ele o conhecimento que ele precisa saber para continuar lendo.

O objetivo do relatório deve estar implícito na redação da introdução, bem como o contexto da situação em que o trabalho foi realizado. Ele deve especificar quais são as limitações que o relatório teve para a concretização de sua realização.

Finalmente, a metodologia de trabalho usada para o relatório deve ser clara na introdução. Muitos recomendam que a introdução seja a última coisa escrita em um relatório.

5- Discussão e análise

Concluída a parte introdutória do trabalho, a parte do desenvolvimento do conteúdo começa imediatamente, na qual os assuntos serão expostos por diferentes métodos e serão submetidos à discussão pela comunidade em que são propostos. Esta seção é composta pelo método, resultados, discussão e conclusões:

Métodos

Seja um relatório cuja pesquisa foi inteiramente documental ou baseada em experiências pessoais, é essencial esclarecer qual metodologia é usada para apresentar os diferentes postulados apresentados no relatório.

As informações sobre os métodos devem incluir o equipamento usado para escrever a investigação atual, bem como a explicação dos procedimentos executados, referências aos problemas encontrados e qualquer tipo de informação relacionada.

Resultados

Por meio de um relatório, um público específico é informado sobre os resultados de uma investigação específica ou uma contagem de fontes.

A seção de resultados geralmente reflete os resultados diretamente na forma de um gráfico ou tabela, para que possam ser analisados ​​na discussão. No entanto, existem autores que preferem que os resultados e a discussão ocupem o mesmo lugar.

Discussão

É a parte central e determinante do relatório. Esta seção nunca é intitulada com o nome Discussão ou outra similar que é determinada, mas, pelo contrário, o título é adaptado ao tipo de trabalho que está sendo realizado e ao desenvolvimento que se deseja fazer do texto.

Se o relatório for o produto de uma investigação, ele pode ser qualitativo ou quantitativo, portanto, o desenvolvimento desta seção pode ser indutivo ou dedutivo. O idioma usado no texto deve corresponder ao usado pelo público.

Esta seção consiste em expor o que foi declarado anteriormente nos resultados e, se necessário, o que foi investigado. Recomenda-se dividir esta seção em legendas em vários níveis, para que possa abranger amplamente tudo o que o autor deseja.

Além disso, é comum encontrar sugestões sobre o foco no conteúdo a ser analisado sem se desviar do conteúdo teórico.

Conclusões

Esta seção pode ser intitulada Conclusão , Conclusões ou até Considerações Finais, dependendo da abordagem metodológica do relatório. As conclusões acabam sendo uma das seções mais importantes de um relatório e das quais seu sucesso depende.

A conclusão deve se limitar aos objetivos do relatório. No máximo uma ou duas páginas, deve ser indicado se os objetivos estabelecidos pelo autor foram previamente alcançados.

Além disso, os resultados da análise da discussão do relatório e se eles podem contribuir para a discussão proposta podem ser capturados nesta seção final, independentemente do escopo em que ele é gerado.

Um dos pontos mais importantes a ter em mente ao escrever uma conclusão é que ela não pode contribuir com novo material a qualquer momento. Tudo o que foi declarado aqui deveria ter sido levantado anteriormente.

6- Bibliografia ou referências bibliográficas

É provavelmente a seção mais complicada e a que deve receber mais atenção, porque um erro de citação não intencional pode ser descrito como plágio. Para fazer uma bibliografia, é imperativo escolher um manual de estilo com o qual seguir seus parâmetros.

Por exemplo, no manual da American Psychological Association (APA), as referências bibliográficas são apenas aquelas que foram mencionadas no corpo do trabalho, enquanto a bibliografia é qualquer documento ou recurso usado para realizar a pesquisa. Nesse caso, o autor pode escolher qual dos dois tipos usar.

Independentemente do manual de estilo escolhido, a bibliografia deve seguir rigorosamente suas regras, além de evitar erros como não adicionar documentos citados no texto nesta parte.

A disposição correta de todas as referências utilizadas no texto, além de conteúdo adicional, confere credibilidade ao relatório e permite que os leitores ampliem seus conhecimentos nas áreas que lhes interessam.

7- Anexos

Embora opcionais, os anexos são sempre uma ferramenta complementar útil na estrutura de tópicos para o desenvolvimento de um relatório.

Consistem basicamente em informações adicionais, geralmente fotografias, fragmentos de textos, tabelas, capturas de vídeo, mapas, cartogramas, desenhos, entre outros.

Esse tipo de material serve para complementar as informações fornecidas no texto, mas que, por razões de espaço, não puderam ser incorporadas diretamente.

Deve-se tomar cuidado especial para não introduzir novas informações nos anexos e que elas sempre sejam apenas complementares e ampliem a visão do leitor sobre determinados assuntos a serem tratados.

Muitos manuais recomendam que, no caso de uma linguagem altamente técnica, um glossário possa aparecer nos anexos. Dependendo do manual de estilo usado, será determinado se a adição de um índice de anexo é ou não necessária.

Referências

  1. Arias, F. (1999). O projeto de pesquisa: introdução à metodologia científica . Caracas, Venezuela: Episteme Editorial.
  2. Faculdade do Atlântico Norte (sf). Requisitos para preparar o seu relatório de período de trabalho . Stephenville, Canadá: Colégio do Atlântico Norte. Recuperado em https://www.cna.nl.ca/programs-courses/pdfs/Requirements-for-Writing-Work-Term-Reports.pdf.
  3. KU Lovaina (sf .). Elaboração de relatórios: estrutura e conteúdo . Lovaina, Bélgica: KU Lovaina. Recuperado de eng.kuleuven.be.
  4. Trías, S. (2009) Guia para escrever no estilo APA, 6ª edição. Caracas, Venezuela: Biblioteca da Universidade Metropolitana.
  5. Universidade de Nova Gales do Sul. (sf). Como escrever um relatório: as quatro partes básicas . Sydney, Austrália: The Learning Center, Universidade de Nova Gales do Sul. Recuperado de vaniercollege.qc.ca.
  6. Universidade de Otago. (sf). Os principais elementos de um relatório . Dunedin, Nova Zelândia: Universidade de Otago. Recuperado de otago.ac.nz.
  7. Universidade de Surrey (sf). Habilidades de escrita . Surrey, Reino Unido: Universidade de Surrey. Recuperado de libweb.surrey.ac.uk.

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies